Você está entrando no Diário Gauche, um blog com as janelas abertas para o mar de incertezas do século 21.

Surf no lixo contemporâneo: a que ponto chegamos! E que mundo deixaremos de herança para Keith Richards?

quinta-feira, 11 de setembro de 2008

Philip Goldberg é especialista em separatismo


Evo expulsa embaixador dos Estados Unidos

Depois de uma escalada de ações violentas da oposição de direita, com ocupações de aeroportos e refinarias de petróleo, o presidente boliviano, Evo Morales, acusou o embaixador dos Estados Unidos, Philip Goldberg, de contribuir para o clima violento e o separatismo no país, e o expulsou ontem da Bolívia, declarando-o persona non grata.

O ex-embaixador Goldberg não tem nada de diplomata. É um tipo conhecidíssimo pelas ações que já desenvolveu, sempre a serviço do Departamento de Estado e da CIA, na Bósnia e no Kosovo, onde teve papel importante na luta separatista daquelas regiões em conflito, no início da década de 90.

O governo boliviano faz muito bem em expulsar um agent provocateur profissional e especializado em conflitos separatistas. Não foi expulso um diplomata, foi denunciado e expulso um agente estrangeiro que oferecia know how à direita branca boliviana, estimulando a quebra da unidade nacional e a guerra civil no país.

Ontem mesmo o governo brasileiro solidarizou-se com o governo boliviano, entretanto, internamente considerou um erro político ter expulso Philip Goldberg - de certo por considerá-lo apenas um “diplomata de carreira”, agora injustiçado pela visão política estreita de Evo Morales.


31 comentários:

Luís disse...

Goldberg é diplomata - tanto quanto Mendelski ou Lasier Martins é jornalista.

Carlos Eduardo da Maia disse...

Só um pouquinho, tem uma contradição imensa no texto do blogueiro. De que lado estava os EUA na guerra da Bósnia? Estava do lado dos muçulmanos, protegendo-os contra a limpeza étnica dos líderes sérvios. Eu não sou a favor das práticas - muitas vezes racistas - da oposição ao governo Evo, mas este também gosta de ser intransigente e está fomentando sim o antagonismo social. Nenhum país se desenvolveu econômica e socialmente alimentando conflitos de classe ou sociais. NENHUM. Mas assim vive a Bolívia. Ideologia e racismo não alimentam a barriga de ninguém. E agora o Evo dá a mesma desculpa de sempre, o eterno culpado de todo o fracasso Boliviano são os EUA. Vamos mandar o Philip para casa... É impressionante o tamanho da idiotice.

Sérgio disse...

Esse Maia faz parte de um enorme grupo de inocentes úteis da retórica imperialista! Parece papagaio, repete tudo o que a tchurma fala!Vá ser manipulado assim em Marte...

Juarez Prieb disse...

Fracasso?
Não estou vendo nenhum fracasso na Bolívia, quem diz isso são os racistas de Sta.Cruz.
Evo junto com o povo indígena está construindo uma Nação para todos. Maia vc. sabe que 0,4% dos bolivianos tem 70% das terras agricultáveis da Bolívia. Esse é o verdadeiro fracasso, para o qual os branquinhos e ricos querem voltar.

Ary da Silva Martini disse...

Um índio ter sido referendado foi inadmissível para a direita. Vociferam quando perdem. Mas enlouquecem quando o vitorioso se submete a um referendo popular... e ganha! Bofetada de pelica na alva face hipócrita. maia: você acha mesmo que Evo Morales tem interesse em "dar de comer" ao conflito social? Aliás, de que se alimenta o conflito social?

Carlos Eduardo da Maia disse...

A Bolívia não vai se desenvolver alimentando antagonismos. Conflito social não se alimenta, se tenta resolver administrando e fazendo gestão para inclusão dass pessoas na qualidade de vida. Concordo que as manifestações do pessoal da meia-lua beiram ao fascismo. Mas o Evo também fez das suas. Não conseguiu voto suficiente para referendar a nova constituição (2/3) e aprovou por maioria simples. E a grande riqueza do país está concentrada na região da meia-lua e toda essa graninha está indo para La Paz para o bolso de um governo que se equivoca em alimentar antagonismos sociais. Resumo da ópera, está tudo errado na Bolívia.

Luís disse...

É claro que posso concordar que o Evo Morales tenha cometido suas bravatas e outras, mas o significado político do seu mandato me dispensa maiores críticas.
Se penso mais ou menos assim em relação ao governo Lula, imagina, então, ao governo Morales: se fixar só nos seus defeitos é, na prática, não estar ao lado de um povo saturadíssimo de tanta exploração... será que é pouco 500 anos de governos da gente-de-bem?!

Gustavo disse...

Maia, a europa, que tu tanto ama e baba, alcançou seu desenvolvimento social através da mais completa paz e ausência de conflitos sociais em sua trajetória histórica moderna?!cada vez mais tu te supera nos absurdos.

Carlos Eduardo da Maia disse...

Não existem verdades absolutas. Essa história de que os indígenas bolivianos são paupérrimos por culpa da exploração não é bem assim. Existem aspectos culturais muito relevantes nesse contexto. Também não é correto afirmar que a Europa se desenvolveu socialmente apenas porque teve 'conflitos sociais'. Infelizmente, os ideólogos do materialismo histórico são viciados no idealismo determinista. Equívocam-se ao entender que a história se move apenas por uma força matriz já pré determinada, a luta de classes. Mas isso - hoje - não é uma receita de bolo pronto. O bolo da revolução francesa acabou com o Ancien Régime, dando início a era das revoluções do século XIX, como nos ensinou o historiador marxista Hobsbawn. Mas os movimentos da história não são tão deterministas e determinados assim, porque tudo depende das ondas de seu tempo, das vicissitudes da cada era, das idiossincrasias de cada momento. O pós modernismo ( e viva Nietzsche por isso) é tão detestado pelos ideólogos e catequistas do materialismo histórico exatamente por isso, porque os velhos rumos deterministas se perderam nas ondas do tempo, no armário embutido onde estamos. A complexidade, a difusão de uma sociedade pós moderna, flexionada pela era da prestação de serviços onde o que importa não é mais o sonho de ideologias e religiões, mas a boa gestão responsável de um Estado moderno que deve ser eficiente. É sempre importante, certas horas, adquirir, consumir, ler e entender os novos livros da biblioteca, mas sempre é bom, também, deixar os livros à disposição. Eles estão mofados, é certo, mas sempre podem ser consultados. Eles fazem parte da história.

Anônimo disse...

O método Maia.
Absolutizar tudo que ele diz.
Relativizar tudo o que outros dizem.
Enrolar, sempre.

gustavo disse...

Viu, Maia, teu pensamento é absolutamente doutrinario e tu mesmo confirma isso. Fez afirmações absurdas no calor do teu fanatismo anteriormente e agora contradisse o teu argumento furado de que nenhum pais alcançou desenvolvimento sem conflitos e bla, bla, bla. querendo citar o Hobsbawm(que pelo jeito tu leu e não entendeu). Quanto ao que falou sobre fim da história e pós-modernidade, estas frases feitas, produzidas pelo academicismo reacinário não são nada atuais. Muito menos originais. Principalmente vindo da tua parte. Não queira fazer os outros de bobo pois só usas este espaço para fazer reprodução do que decorou dos teus ideólogos. O Nietzsche deve estar se revirando no tumulo depois de tu cita-lo, pois detestava a mediucridade, e tua capacidade de teorizar qualquer questão não chega nem a ser mediocre de tão pobre.

Carlos Eduardo da Maia disse...

Gustavo, revoluções sociais européias aconteceram duas: a francesa e a russa. E as duas tinham características de sua época que fogem do contexto 'pós moderno'de hoje. O que eu quero dizer se resume no seguinte: a história não se repete, por isso o materialismo histórico foi para o ralo do idealismo ou da religião sem deus. Entendeu ou quer que soletre?

Anônimo disse...

Soletra aí, Zeh Maneh.
Derruba as tuas metáforas ridículas soletrando... Te cago a pau se te cruzo na rua.

Anônimo disse...

Se repete. Como tragédia e como farsa.

mariorangelgeografo.blogspot.com disse...

Latour: "como assim, pós-modernos? Se nunca fomos modernos?

O Maia lacaio anda pesquisando de mais no Wikipédia...

Tudo que ele diz, é repetição...

ká ká ká ká ká ká...

Luís disse...

Nunca é demais repetir:
A luta-de-classes existe, independentemente da minha vontade, da exploração cotidiana da fábrica da esquina à FORD e GM; do governo Yeda ao governo Bush, passando por todos os outros; do jornalismo partidário-empresarial a este blog; da eterna divisão de ricos-e-pobres da novela ao filme de Hollywood...
Por enxergar assim é que devo ser de esquerda... alguém me consegue um mundo mais cor-de-rosa para quem é assalariado?!

Carlos Eduardo da Maia disse...

Eu queria saber o seguinte. Do alto de um prédio eu enxergo POrto Alegre, é uma cidade grande, cheia de edifícios, as ruas estão cheias de carros, eles andam de um lado para o outro e onde está localizada, a exata linha divisória que divide os exploradores dos explorados? A sociedade de hoje não se divide mais entre proprietários e não proprietários, mas em prestadores de serviços, em consumidores de produtos e serviços. Quem é explorador e quem é explorado numa sociedade complexa, difusa e diversificada? Onde está, afinal, essa linha divisória?

Ary da Silva Martini disse...

Estou acompanhando esse debate que foi suscitado pelo "teórico da pós história". Maia se superou no último comentário: "do alto deste prédio eu contemplo a vida, o mundo, e não vejo distinção entre explorados e exploradores. Onde está a linha que divide proprietários de não-proprietários? pergunta um angustiado Maia". Alcancem, por gentileza, uma lanterna ao Maia a fim de que possa sair por aí: procuro um explorado. Onde tem um explorado?

Juarez Prieb disse...

Isso não é uma coisa física, palpável, ANTA DAS ANTAS!

A luta de classes está na constituição MOLECULAR dos automóveis e das mercadorias em geral. Para que essas porcarias existam houve muito conflito de classe, sua ANTA DAS ANTAS!
Vamos substituir luta de classes por jogo de interesses, pra ANTA DAS ANTAS entender melhor.
E isso tudo, ANTA DAS ANTAS, faz a história girar.
O que tu está querendo dizer é que muitas das manifestações exteriores ou fenomênicas da luta de classes já não se expressam mais como antes, hoje se modificaram aspectos formais (de forma, viu ANTA DAS ANTAS) do conflito, mas a essência é a mesma, tá?
Tu consegue fazer essas abstrações ANTA DAS ANTAS?

Vou tentar montar um modelo tridimensional deste esquema num LEGO e te mando pelo Correio, tá ANTA DAS ANTAS?

Carlos Eduardo da Maia disse...

Ary, no primeiro fórum social mundial, o professor Boaventura de Souza Santos disse que está superada a discussão acerca dos exploradores e explorados. O que efetivamente importa, nessa etapa do campeonato, é a inclusão social dos excluídos. Eu concordo integralmente com o prof lusitano, o caminho não é alimentar antagonismos, fomentar uma ilusória luta entre explorados e exploradores, mas fazer a inclusão social. E isso se faz com políticas públicas decente e gestão de Estado. Existe uma linguagem para o desenvolvimento, basta segui-la. O resto, o resto é ideologia barata.

Carlos Eduardo da Maia disse...

Então tá,Prieb, vamos seguir as rezas de Felix Guatari e Gilles Delleuze....

Prestes disse...

Maia, troque "luta de classes" por necessidades e interesses. As pessoas são movidas por necessidades (casa, comida, sexo) e interesses (lazer, bens que facilitem sua vida, etc.), ou não??? Essas necessidades e interesses geram conflitos ainda que inconscientes, não precisa ser a "revolução X". Quando há reclamações por parte de gente de classe média quanto a mendigos em uma praça, isso é um conflito social. Quando a polícia e cidadãos entram em conflito por uma área invadida, ou motoristas protestam contra carroças, isso são conflitos. Claro, a questão das classes está um pouco difusa- não muito. A linha divisória às vezes é claríssima. Do alto de um prédio não dá pra ver, mas se sobreavares Porto Alegre vais ver uma parte asfaltada, urbanizada, com prédios e pujança. E um monte de favelas em volta, com ruas de chão batido, valões, e casebres.

Luís disse...

Só porque eu acho importante repetir algumas coisas bem simples:
O interesse capitalista para que o seu capital dê retorno - ou resulte em mais-valia, como queiram - não mudou porque um pensador pós-moderno descobriu que o mundo é mais complexo ou sutil, hoje, do que era em 1917...

claudia cardoso disse...

UEBA!!!!!!!! Um presidente com culhões!!!!!!!
VIVA A BOLÍVIA DE EVO MORALES!!!!!!

Anônimo disse...

Feil, tenho evitado de entrar no teu blog, pois me vira o estômago ler os comentários que são constantemente desvirtuados por esse idiota de plantão, principalmente, em se tratando de um tema tão importante quanto esse. Estamos na iminência de mais uma intervenção sangrenta na América Latina. A situação não é para tergiversações.
Faz um favor: em vez de chamar o Lula de conciliador como fazes seguidamente, toma a mesma atitude do Evo Morales...
Eugênio

Anônimo disse...

Blogueiro e comentaristas:
Raramente intervenho com comentários, mas o Eugênio aí de cima está parcialmente certo.
O João da Ega, nos intervalos de seu livro que nunca fica pronto, está sempre desviando o foco do post e gerando discussões laterais improdutivas.
Já fazia isso no blog RS Urgente, mas parou. Fazia isso no Vieja Bruja, até ser expulso solenemente pelo blogueiro.
Sei que te divertes com as estultices e os disparates da figura.
Mas às vezes fica chato.

Clairton disse...

Anônimo e Eugênio, acredito que o Feil está correto em permitir que o bichinho escroto da maia coloque suas opiniões (das quais 99,99% não concordo) no post. Como dizia Rosa Luxemburgo, "a liberdade é sempre a liberdade para o que pensa diferente". Eu sei que se fosse colocar minhas opiniões nos blogs de direita muito provavelmente elas não seriam publicadas. No entanto, nem por isso acredito que os blogs de esquerda devam agir da mesma forma. O que diferencia a direita da esquerda é justamente a defesa radical da liberdade e da democracia, não apenas como discurso como faz a direita, que - como já comprovou a História - quando sente que seus privilégios e o poder decorrente estão em perigo joga o discurso democrático na lata de lixo e parte para violência e o terror.

Todos nós sabemos que o bichinho escroto da maia representa o pensamento político da direita nazi-fascista que existe em nossa sociedade. E como tem gente que pensa como ele! Infelizmente.

Mas, como o próprio Marx ensinou, para melhor combater o inimigo é necessário conhecê-lo!

Anônimo disse...

Acho que te equivocas profundamente, Clairton. Acho que tu, como a maioria dos blogueiros de esquerda, não conseguem entender bem o sentido da Internet.
A democracia está no meio e não nos blogues. Qualquer um pode criar um blog, inclusive os mentecaptos e os canalhas. Se eu quiser ler "opiniões" da direita, que já conheço decor e salteado, e no caso de admitir que eles consigam ter opinião, leria a página do Ternuma.
Todas os matizes ideológicos estão contempladas na Internet. A democracia se dá no meio e não nos espaços de autores. Quero ler opiniões qualificadas, não de um grotesco racista e fascista.
Como, num momento como esse, quando se repetem as descaradas fórmulas golpistas na Bolívia, alguém tem a coragem de falar em "contradição do blogueiro"?
Não preciso demonstrar nada para a direita, muito menos, que sou democrata. Isso é uma ingenuidade. A direita usa esse discurso cinicamente e vira a mesa em qualquer momento que lhe convier, mandando a tal democracia às favas. Nós é que ficamos cheios de dedos toda a vez que precisamos frear essa canalhada, como se tivéssemos violando uma norma divina.
Mas parece que tem uma luz no fim do túnel: Evo e Chávez se anteciparam. Parece que alguém aprendeu alguma coisa.
E é isso que temos a debater, não ficar aí dando trela a um fdp.
A Internet está aí para todos, obviamente, até a direita meter as suas patas sujas, o que eles tentam a todo o momento para minar a liberdade de manifestação.
Só espero que eles sejam tão condescendentes contigo, quanto és com eles.
E, no mais, não adianta ficar aí acusando o Lula de conciliador, quando a gente adota a mesma política no nosso quintal.
Com a direita, não tem conciliação.
Eugênio

Anônimo disse...

Agradeço ao Evo e ao Chavez pela limpeza que começaram em favor da AL.

Já dá para respirar melhor com menos bandidos do Big Stick circulando.

Claudio Dode

Clairton disse...

Eugênio

como escrevi no comentário de ontem, acredito que o Feil está correto. Apesar de não conhecê-lo pessoalmente, somente suas opiniões e interpretações divulgadas neste blog, concordo plenamente com seus posicionamentos. No entanto, não sei se permite o acesso de figuras como o bichinho escroto da maia porque pensa assim como eu, ou pelo seu nível de tolerância ser bem alto!
Quanto a Internet, acredito que é a experiência mais revolucionária que a humanidade gerou no último século. É um instrumento democrático, radicalmente democrático diria eu, e libertário. Por isso, não é de admirar que surjam propostas de Lei como a do tucano Azeredo, tentanto criar fórmulas para censurar a Internet. Eu lhe pergunto: como lutar contra tentativas como a do tucano Azeredo se você propõem que os blogs de esquerda pratiquem a censura sobre comentários emitidos, se você defende que não se permita o acesso de fulano, beltrano e sicrano? É um discurso contraditório, não achas?

O pensamento de Rosa Luxemburgo que citei no meu comentário de ontem, surgiu durante o debate entre ela e Lenin sobre o centralismo democrático dos bolcheviques. Em muitos aspectos ela concordava com Lenin, somente divergia com a intolerância frente ao pensamento divergente. A História e Stalin comprovaram que ela estava correta.
Quanto as medidas tomadas por Evo Morales e Chavez, já diversas vezes comentei neste blog como em outros que são medidas legítimas para defender seus povos e suas democracias, ambos chegaram ao poder em eleições limpas, claras e sem nenhum vestígio de fraude como aconteceu com Bush filho nos EUA. Portanto, ambos têm autoridade moral e política para governarem seus países da forma como estão fazendo.

Anônimo disse...

Eu lhe respondo como lutar contra as tenmtativas do Azeredo: fazendo o que eu faço, publicando tudo o que possa desmascarar esse crápula, coisa que a mídia não faz.

Fulano, beltrano e cicrano tem toda a Internet para publicar os seus "pensamentos" e mais a mídia corporativa que, na sua totalidade, é de direita. Ainda podem contar com a tolerância de certos blogueiros de esquerda para aquilo que é intolerável. Como eu vou discutir democraticamente, com um fascista, o massacre de Pando?

Não caia nessa sedução do suposto contraditório. Com a direita não tem contraditório, uma vez que eles simplesmente nos matam. Se vc já esqueceu da tortura, do golpe de 64, da criminalização do MST... Está aí Pando para te refrescar a memória.

Parece que ser de esquerda, para certas pessoas, é viver se justificando para a direita e sempre querendo demonstrar o quanto nós somos democratas, denunciando os erros do "camarada" Stálin. Uma coisa eu te digo, ele pode ter cometido muitos erros, mas esses canalhas ele não levava de compadre.

No mais, acho que vc continua não entendo o espírito da Internet.

Eugênio.

Contato com o blog Diário Gauche:

cfeil@ymail.com

Arquivo do Diário Gauche

Perfil do blogueiro:

Porto Alegre, RS, Brazil
Sociólogo