Você está entrando no Diário Gauche, um blog com as janelas abertas para o mar de incertezas do século 21.

Surf no lixo contemporâneo: a que ponto chegamos! E que mundo deixaremos de herança para Keith Richards?

quinta-feira, 11 de setembro de 2008

Ministro Lupi promete


Qualificação da mão-de-obra da Aracruz será paga pelo Ministério do Trabalho

Parte da mão-de-obra que será empregada na ampliação da planta da Aracruz Celulose em Guaíba, na região metropolitana de Porto Alegre, deverá vir do Plano Nacional de Qualificação para a Construção Civil.

A previsão foi feita pelo ministro do Trabalho e Emprego, Carlos Lupi, em visita à sede da indústria papeleira, onde assegurou quase sete milhões de reais para formar 5.800 trabalhadores no setor ainda em 2008. O plano é destinado aos beneficiários do programa Bolsa Família. A informação é da Agência Chasque.

............

Esse notícia é de estarrecer qualquer um que esteja preocupado com o futuro do bioma Pampa. A papeleira Aracruz investe em projetos ambientalmente insustentáveis, e ainda assim o governo federal irá alocar recursos do Bolsa Família para aprimorar mão-de-obra que servirá para degradar e comprometer a diversidade das espécies na Metade Sul do RS.

O ministro Carlos Lupi (PDT) está, assim, corrompendo os princípios de caráter social que orientam o Bolsa Família, e os 5.800 trabalhadores envolvidos serão massa de manobra para a papeleira Aracruz tomar recursos públicos e legitimar sua ação deletéria junto ao governo federal, já que no Estado, tem amplo domínio sobre o poder público local.

27 comentários:

Luís disse...

Esta é forte especialmente por se tratar desse projeto, empurrado "goela abaixo" no próprio governo estadual, pela prevarycadora.
Mais um preço pelo governo da conciliação...

Denise disse...

Credo. Isso é piada...de mau gosto irretocável. Se for verdade, salve-se quem puder.

Anônimo disse...

Sim, depois de eles usarem dinheiro público para a tal formação, modernizam o chão de fábrica, com novas tecnologias e demitem. Nunca vi deputado, senador, governante que seja, propôr um fundo de investimento obrigatório, às empresas que demitem, para a requalificação dos demitidos. Podem rir à vontade com a minha proposição. Sim, o lucro é quem manda. Assim, é preciso adestrar os trabalhadores e torná-los exército de reserva (somente para os fins exclusivos das necessidades de tal parque industrial). O fato é que é preciso transferir os custos para o Estado; depois de esgotadas as energias destes trabalhadores, eles são vomitados de volta à sociedade como desqualificados, deficientes (são muitos os casos de deficiências ocasionadas pelo trabalho) e aposentados. Cabe ao Estado, não a quem provocou a marginalização, resolver o problema. E o cidadão acaba por ver como vilão não o sistema inteiro, mas o tal governo.

Carlos Eduardo da Maia disse...

Seria interessante perguntar para as pessoas que moram em Guaíba, Barra do Ribeiro e arredores o que eles acham da Aracruz. É essa empresa malvada, boba e besta que faz circular a economia desses lugares. É ela que gera emprego, é ela que paga os impostos, é ela que é a salvação da lavoura da metade sul. Dizem, com base em laudos absolutamente questionáveis, que o plantio de eucaliptos é danoso ao pampa. Dizem tudo neste mundo, se consegue laudo de tudo que é espécie, sobretudo para fomentar e catequisar cordeirinhos por ai.

Auro disse...

O que a Chasque não deixa claro é que esse número é só no primeiro ano e para qualificar pessoal de toda a RMPA em construção civil. Poderá ser empregado temporário das 4 mil vagas temporárias da Aracruz como poderá ser absorvido por outras ofertas de emprego.

Ademais, a notícia na qual a Chasque baseou o seu clipping informa que além dos 7 milhões do governo federal, a própria Aracruz vai colocar o DOBRO, 15 milhões, no estado para qualificação profissional.

Mário Casado disse...

Auro, pode ser o dobro, o triplo, mas deveria ser 100% do custo da qualificação da mão de obra. Por que motivo o Bolsa Família tem que pagar essa conta?
E depois é preciso definir muito bem o que se entende por "requalificação profissional".

Requalificação o CACETE. Eles fazem um adestramento para que o arigó saiba fazer precisamente aquilo do qual a Aracruz precisa. Não é um preparo profissional propriamente dito, mas um treinamento rápido para atender as funcionalidades específicas das papeleiras.

Requalificação é o CACETE, meu!

Auro disse...

Mario Casado, só se for o cacete do teu marido mesmo. Porque quem falou nessa tal requalificação aí foi tu.

Quer dizer que bolsa família é só pra dar esmola eleitoral mesmo? Ensinar o indivíduo (e não arigó como referiste) a fazer algo que vai permitir o seu próprio sustento nem pensar, governo não é pra isso né?

mariorangelgeografo.blogspot.com disse...

Quem lembra do Lutzemberger?

Veja o que le tinha a dizer sobre este assunto:

"Hipocritamente, o “reflorestamento” é apregoado como solução ecológica. Mas o enfoque tecnocrático faz com que ele seja extremamente antiecológico e aumente a injustiça social. O incentivo fiscal só beneficia, mais uma vez, os grandes, aqueles que já devastaram a floresta em grande escala, os madeireiros e outros que só querem ampliar o capital, grandes comerciantes, industriais, empresários agrícolas. Os gigantescos plantios são feitos pelas firmas reflorestadoras que, para aplicar grandes capitais, precisam de imensas extensões de terra. Estas só se conseguem nas últimas selvas. Destoem-se assim ecossistemas intactos, nivelados pela lâminas dos tratores e substituídos pelas lavouras de eucalipto, acácia, pinus, gmelina e outros".

Lutzemberger, J. (1985) Ecologia: do jardim ao poder. Porto Alegre: L & PM.

Mas o que importa, não é?

O que importa é a "grana" que rola.

Quanta estupidez...

Anônimo disse...

Aura, esqueceu o que tu escreve, nêga?

heliopaz disse...

Qualquer economista, contador, administrador ou advogado tributarista HONESTO, INTELIGENTE e OBSERVADOR pode te afirmar por A+B que 1000 lavanderias, botecos, barezinhos, casas lotéricas, bancas de revista, buffets livres, espetos corridos, rodízios de pizza, pequenas farmácias e escritórios de advocacia, consultórios médicos e dentários e de iniciativas empreendedoras de pequeno porte geram muito mais empregos, fazem a economia LOCAL girar muito mais rapidamente e não acabam com o meio ambiente, ao contrário de uma Aracruz com 1 funcionário p/cada 167 hectares.

A qualificação por parte do Governo deveria preparar as pessoas para exercerem um determinado ofício, não para serem empregados de uma única empresa ou de uma única área.

Este é o lado populista, covarde e imediatista do Governo Lula.

[]'s,
Hélio

Luís disse...

A GM também gera empregos, a FORD idem... a questão, para variar, é bem mais prosaica: o quanto a sociedade paga por estes empregos, a velha relação custo x benefício. Para a FORD ir para a Bahia o FHC precisou passar a conta para todo o Brasil, já que o interesse ideológico era detonar o governo Olívio.
Agora, para a ARACRUZ e outras "salvarem" o governo da prevarycadora, mais uma vez os gaúchos são chamados a pagar - desta vez com o seu habitat, passando-se por cima do próprio governo estadual...
Mais uma que o governo Lula não precisava passar...

marcelo disse...

a Aracruz já ta mestre na arte de receber recursos públicos para seus projetos privados. Em Guaiba tem um pedágio de 5 reais. O dinheiro do pedágio tem sido usado pra fazer um viaduto que vai facilitar o transporte de eucalipto direto na entrada da empresa. Será que a aracruz precisa desse tipo de incentivo?

Carlos Eduardo da Maia disse...

Inventaram uma mentira que a culpa da Ford ter ido para a BAhia é de FHC. Certa esquerda que não gosta de multinacional tem que ter a firmeza e franqueza de admitir. Não gostamos de multinacional e não liberamos recursos previstos em contrato para a multinacional Ford, como fez o governo Olívio, porque acreditamos ser um absurdo liberar recursos do estado para emprestar para a Ford. Olívio mandou a Forde embora porque ele acredita nessa religião do preconceito contra o capital. Admitam isso e não inventem mentiras por ai.

jorge disse...

Maia, o falecido ACM contou essa história de acordo como ela aconteceu. FHC deu um empurrão com incentivos federais para a Ford se instalar no Recôncavo.
Vais duvidar do teu mestre ACM?

Carlos Eduardo da Maia disse...

Sim, FHC deu empurrão depois que a diretoria da Ford nos EUA comunicou que ela não ficaria mais no RS. E por que a Ford não ficou mais no RS? Porque o companheiro governador dos gaúchos não liberou parcelas do contrato de financiamento assinado pelo Britto com a Ford. Olívio mentiu que não tinha dinheiro, porque tinha uma grana destinada das privatizações em conta do Banrisul. Olívio, carregado de preconceito, nunca quis receber o pessoal da Ford, sempre tratou o assunto como secundário e a Ford desistiu. Meses depois é que houve a MP do FHC.... Assumam que Olívio mandou sim a Ford embora.

Luís disse...

Essa do "Olívio ter mandado a FORD embora" é dose... a FORD foi embora porque ganhou mais, MUITO MAIS, INDO PARA A BAHIA... simples assim... ou então os executivos da FORD devem ter sido internados, por demência aguda.
A conta foi empurrada para o resto do Brasil para o governo da Bahia não arcar com tudo sozinho, óbvio, com a empresa ganhando farto dinheiro do BNDES.

mariorangelgeografo.blogspot.com disse...

Maia o raivoso...

Depois esta besta vem falar em "ranço de uma certa esquerda"...

Vai te tratar!

Quanto tu ia ganhar com a Ford?

Perdeu teu empreguinho?

Auro disse...

marcelo, não sei se é de Guaíba, mas pergunte para qualquer morador da cidade sobre o que eles acham do atual trevo na entrada da cidade. não precisa ter nenhuma ligação com qualquer empresa pra ver que aquele negócio é perigoso e que não suporta o trânsito da cidade e da estrada. Até Eldorado tem uma entrada mais decente.

Luís disse...

Mais:
"Ter dinheiro garantido para a FORD" é uma maneira de ver as coisas... outra maneira é ver que tem 1 bilhão em caixa, e 1,3 bilhão de deficit operacional só pelo exercício de 98...
Em outras palavras, ideologia ainda conta, e também por isto o Olívio foi eleito.
O neoaliado da Manuela, ex-czar e ex-salvador da economia gaúcha, ex-titular de uma secretaria municipal que servia para dizer que a prefa de POA não podia fazer muito, Cesar Buzatto, que o diga.

Carlos Eduardo da Maia disse...

Luis, o dinheiro destinado para o empréstimo da Ford e GM veio dos valores arrecadados pelas privatizações da CRT e CEEE. Quando o Britto fez o contrato com a Ford separou parte desses valores para pagamento das parcelas em conta do Banrisul. Olívio foi eleito e na hora do RS pagar sua parte deu para trás, não cumpriu o que determinava o contrato e depois veio com a esfarrapada desculpa que não tinha dinheiro. Tinha sim. A Ford desistiu do negócio no RS e meses depois é que houve a MP do FHC. Essa é a história verdadeira e quem não gosta de multinacional que assuma que não gosta.

Anônimo disse...

Caramba, esse Ministro é a cara do Jader Barbalho!!!!

Luís disse...

Maia, mas eu sei plenamente disso, como também sei que o neo-aliado da Manuela, Cesar Busatto, declarou ao final de 98: "estamos entregando o governo do estado saneado"... SIC... essas foram as suas palavras, com 1 bilhão em caixa, embora o "pequeno detalhe" de que só o exercício de 98 havia produzido um rombo de 1,3 bilhão nas contas do estado.
Governar é tomar decisões, não é?! Tu vais numa excelente churrascaria por R$1.000, digamos, o espeto-corrido? Eu, não... foi a decisão tomada pelo governo Olívio, que nem considerava a FORD tão boa "churrascaria" assim, porque os tempos são outros e os empregos gerados, nem tantos assim.
E reafirmo: a FORD jamais teria ido embora se não fosse por bem mais... executivo empresarial está ali para isto mesmo - tomar o que for melhor para a sua empresa e para ele... e ainda contavam com a decisão política de "ferrar" o governo Olívio, como ficou demonstrado ao longo dos 4 anos seguintes.
E não é demais frisar muito bem: se eu fosse "de direita", seria eleitor-de-carteirinha do Britto, governador que realmente não "enrolou"... como sou de esquerda, jamais pagaria o que ele pagou para trazer a GM e pagaria pela FORD.

Anônimo disse...

Tem que ser muito neo-colonial pra defender uma multinacional como a Ford.
A Ford é tão pobre que precisava dos recursos do estado para se instalar!?

O governo Olívio teve a grandeza de fazer políticas públicas e sociais. Que é a funcão primordial de um estado de direito e democrático.
Hannah

Anônimo disse...

Depois a Aracruz faz uma pequena doação financeira ao ex-presidente do PDT. E segue o baile...
Os Ministros do governo Lula tem toda essa autonomia?
Cândida

Anônimo disse...

Hoje, infelizmente,faleceu aquí em Sº Frº de Assis um trabalhador atingido por um raio. Plantando eucalipto, segundo a imprensa. Quem deveria ser apontado como o causador desta tragédia?
A natureza defendendo o Bioma-pampa?
Os petralhas lançadores de raios?
A Yeda "casa nova" e o Lula "descobridor do mundo", ou os "Yanques"?

Noço prezidente anunciô que vai mandá grana prá Cuba ajudá os atinjido por toernado la.
Aki no noço eztado ten desabrigado por tempestade dezde omten e o Lula não anunciô neun tipo de ajuda.

É um */##&¨daputa.

Eleitor brasileiro

Anônimo disse...

Pô eleitor brasileiro, liga a TV e te informa, olha a TVCom e deixa de ser ordinário. Escrever assim é lá no indimidia.
Pertencer à minoria é teu problema, mas precisa se informar minimamente para debater.

Anônimo disse...

O Maia as 14:24 hs do dia 11 mente:

" Inventaram uma mentira que a culpa da Ford ter ido para a BAhia é de FHC. Certa esquerda que não gosta de multinacional tem que ter a firmeza e franqueza de admitir. "

Depois as 15:51 disse:

" Sim, FHC deu empurrão depois que a diretoria da Ford nos EUA comunicou que ela não ficaria mais no RS."

Vai ser cara de pau assim la na Ford

Contato com o blog Diário Gauche:

cfeil@ymail.com

Arquivo do Diário Gauche

Perfil do blogueiro:

Porto Alegre, RS, Brazil
Sociólogo