Você está entrando no Diário Gauche, um blog com as janelas abertas para o mar de incertezas do século 21.

Surf no lixo contemporâneo: a que ponto chegamos! E que mundo deixaremos de herança para Keith Richards?

quinta-feira, 18 de setembro de 2008

Apagão na Praça da Alfândega de Porto Alegre


Uma semana de breu completo

Ontem por volta das 19h30, me liga um amigo, que cruzava naquele momento a Praça da Alfândega, no Centro de Porto Alegre:

- Já esbarrei em três lúmpens bêbados e em dois travecos, a Alfândega está um breu. A iluminação pública foi apagada já faz uma semana. Isso aqui virou território livre do lumpesinato. As prostitutas satisfazem a clientela nos bancos e gramados, sob a luz coada da Lua minguante. Eu não sabia que o prefeito Fogaça é a favor das bacantes a céu aberto. O Barão de Rio Branco já está corado de vergonha, o Barão... Vou desligar porque um anão de jardim ameaçador está se mexendo e vem na minha direção, fui...

Menos mal que o meu amigo tem bom humor.


6 comentários:

Anônimo disse...

e não é só ali, a Borges, a Salgado, enfim Porto Alegre está imersa num breu só. Onde está os 30%? Ou por onde transitam os 30%.
Álvaro

Prestes disse...

Bah, que moralismo. O Barão tem mais que estar corado, vivia no século XIX.

prieb disse...

Prestes, no século XIX havia mais prostitutas que hoje. Muuuiiiito mais.
Quanto mais moralismo, mais prostitutas, certo?

Prestes disse...

É verdade, o tal Barão deve curtir a presença das moças.

Anônimo disse...

A cidade está as escuras, quem vem pouco mas morou ai nota. Quem anda de carro não se importa, quem está a pé azar.

Ary da Silva Martini disse...

O maior problema é o apagão na Praça da Matriz. E pensar que aquela praça, por muito menos virou palco de grandes mobilizações. Soma-se aos escândalos semanais um sinetaço e esse desgoverno não resiste a 30 dias. Bléim, bléim, bléim... Esqueceram como se faz?

Contato com o blog Diário Gauche:

cfeil@ymail.com

Arquivo do Diário Gauche

Perfil do blogueiro:

Porto Alegre, RS, Brazil
Sociólogo