Você está entrando no Diário Gauche, um blog com as janelas abertas para o mar de incertezas do século 21.

Surf no lixo contemporâneo: a que ponto chegamos! E que mundo deixaremos de herança para Keith Richards?

quinta-feira, 25 de setembro de 2008

Navalha de Occam


Os recebíveis da Vila Carrapato

Recebi este e-mail, hoje:

O seu Biu tem um bar na Vila Carrapato, e decide que vai vender pinga “na caderneta” aos seus leais fregueses, todos bebuns, quase todos desempregados.

Porque decide vender a crédito, ele pode aumentar um pouquinho o preço da dose da branquinha (a diferença é o sobrepreço que os pinguços pagam pelo crédito).

O gerente do banco do seu Biu, um ousado administrador formado em curso de Emibiêi, decide que as cadernetas das dívidas do bar constituem, afinal, um ativo recebível, e começa a adiantar dinheiro ao estabelecimento, tendo o pindura dos pinguços como garantia.

Uns seis zécutivos de bancos, mais adiante, lastreiam os tais recebíveis do banco, e os transformam em CDB, CDO, CCD, UTI, PQP, OVNI, SOS ou qualquer outro acrônimo financeiro que ninguém sabe exatamente o que quer dizer.

Esses adicionais instrumentos financeiros, alavancam o mercado de capitais e conduzem a operações estruturadas de derivativos, na BM&F, cujo lastro inicial todo mundo desconhece (as tais cadernetas do seu Biu).

Esses derivativos estão sendo negociados como se fossem títulos sérios, com fortes garantias reais, nos mercados de 73 países.

Até que alguém descobre que os bebuns da Vila Carrapato não têm dinheiro para pagar as contas, e o bar do seu Biu vai à falência.

E toda a cadeia sifu.

15 comentários:

Carlos Eduardo da Maia disse...

Muito bom. Muito bom mesmo. Foi exatamente isso que aconteceu. Valeu a pena ter assistido ontem todo o discurso do Bush. Quem diria: os conservadores americanos injetarem 700 bi (dizem que é mais) para cobrirem o rombo das hipotecas. Como eles mesmo dizem: the world goes wrong!

Anônimo disse...

Ou o Maia Chupador é retardado ou é um chato asqueroso mesmo, algum tipo de clown internético, cheio de intervenções novas.
Os caras vão pagar essa grana pra garantir o futuro de meia-dúzia, os amigos do circulo fechado, e assim o sistema volta ao seu normal hedonista, onde dinheiro gera dinheiro.
As consequencias para a população serão sentidas muito em breve.
Agora, queria que tu assumisse que é o ESTADO que vai salvar o capitalismo. Isso ia ser "bota legas"!

Abs.

Jonny

edu disse...

QUem vai pagar sao as economias dos povos de todo o mundo. Através da inflaçao e do restringir de serviços e investimentos publicos.

O q vai tapar o furo nao é dinheiro do governo, serao as aposentadorias e poupanças populares.

Enquanto os pilantras ja transformaram todo o papel moeda q detinham em lingotes de ouro e prata.

Vai ter gente levando um carro de mao cheio de $$ e açoes pra comprar um pao com mortadela...

Padeiros, pedreiros, carpinteiros, blogueiros, leitores...todos pagarao os iates, lear jet's, putas de US$5000 dolares a hora...os ternos de US$4000, aptos de 5 andares com tabuao e 10 banheiros em NY...

VAMOS TRABALHAR MACACADA!!!

edu disse...

Mudando de assunto, ontem me ligou um camarada de Erechim, falou q esta esperando a universidade federal abrir la pra voltar a estudar.

Me ocorreu, Olivio teria feito algum acordo com Lula?? No sentido do governo federal continuar as obras do governo 99/02?? Afinal, a pilantra e os 40 ladroes fecham a UERGS, mas ganhamos uma UFRGS a +...

Investimentos na metade sul, no turismo etc etc etc, a ladrona e seus 40 filhotes ainda nao sairam do Piratini, mas o RS vai indo bem graças à intervençao "branca" federal.

Carlos Eduardo da Maia disse...

Os caras vão pagar essa grana para garantir a 'solidez' e credibilidade do mercado financeiro. A imensa maioria das pessoas que têm créditos junto ao mercado financeiro não tem iates e nem ap de 4 banheiros em NYC.
Na verdade, essa intervenção que depende de aprovaçaõ do Congresso Americano é uma espécie de PROER da época do governo FHC, chamado de 'neoliberal' pela ignorância ideológica.

manolo disse...

É mais ou menos isso, com algumas observações. Primeiro, a idéia partia mesmo dos gerentes com Emibiêi e dos zécutivos, que, com muita grana disponível (o juro era zero nos Fedfunds) resolveram empurrar essa grana pros pinguço comprarem pinga no bar do seu Bidu. E nem todos os pinguços estavam desempregados. Alguns compravam mais de uma garrafa, pra revender, já que o preço da pinga começava a subir. Pinga tava virando investimento. Assim, alguns pinguços até penhoravam a garrafa que tinham pra comprar outra e passar adiante com lucro. Segundo, os PQP, UTI, OVNIs e afins foram montados uns sobre os outros, mais ou menos como uma pirâmide invertida, de forma que o topo ficou com valor nominal 20 vezes maior do que a base, que era a dívida dos bebuns. Portanto, a coisa seria insustentável MESMO QUE OS BORRACHOS ESTIVESSEM PAGANDO DIREITINHO. A crise é de REALIZAÇÃO desse capital fictício que, até então, não era nem mesmo de papel. Existia apenas como sequencias binárias armazenadas nos computadores das corretoras e bancos de investimento.

guilherme disse...

Maia, por favor, você qui eh incicropédico, nos diz aqui o qui eh Navalha de Occam.

claudia cardoso disse...

Eu já recebi essa mensagem, muito boa mesmo!

Anônimo disse...

O maia acreditou na capa da veja!!!
sil

Sueli-Porto Alegre disse...

Muito esclarecedor messsssmo!
Adorei. Eu entendo o dialeto LULÊS !
Fiquei braba com aquela barriga reproduzida do Sr. Nassif,mas agora passou.Afinal,não teve a mesma "malas intenciones" do tal Sr.

Abraço no blog

Clairton disse...

O bichinho escroto da maia deveria pegar o primeiro avião e voar rápido para washington e ajudar o seu dileto
presidente para tentar convencer os democratas do congresso norte-americano a aprovarem mais essa sacanagem do criminoso alcoólatra.A tal ajuda aos espertalhões canalhas não está fácil de ser aprovada.

Will disse...

Sueli, eu também fiquei na bronca com a papagueada sobre o tal "acordo". Acho até que peguei pesado com o nosso amigo aqui. Mas, na média, o CF está com crédito, a despeito da insistência dele nessa tese do "lulismo de resultados". Tanto quanto você, Sueli, aprecio o lulês, que diz na lata, sem aquela insuportável viadagem acadêmica. Por falar em insuportável, e o Maia, heim!!!?

Will disse...

Diário Gauche é cultura! Graças ao CF, agora sei o que significa a tal Navalha. Tá certo que li na Wiki, mas é melhor que boiar nas águas túrbidas da ignorância.

Sueli-Porto Alegre disse...

Will,eu acho que o Maia é livre de expressar tudo o que ele pensa, e ele nunca é deselegante,apesar de mal embasado,chato,repetitivo ,mas é um direito dele de errar/acertar,e de ser chato.Até é bom o contraponto dele,pois se a gente tem alguma dúvida sobre algum assunto,e se o Maia explicou,é porque é ao contrário!

Abraço em ti e no blog

edu disse...

Obviamente... quando o antigo Sulbrasileiro estava por falir, muitos gerentes foram orientados a vender açoes e obrigaçoes do banco a clientes.

Pra manter o emprego os gerentes chamavam os correntistas com maiores saldos e ofereciam as ditas açoes (na epoca pagavam os maiores rendimentos).

Conheço um sorveteiro, hj miseravel, mas q na epoca possuia 1 milhao de reais de patrimonio, q comprou muito dessas açoes...

Essas sao as pessoas às quais o maia se refere e q "deveriam" ser "salvas", na verdade sao pobres coitados vitimas de "ESTELIONATO" nesse caso deveriamos PRENDER o gerente do banco.

Enquanto os titulos estao rendendo, eles os manteem, até o ultimo momento, ai vendem aos pobres desavisados... enganam e fraudam.

Contam q nòs, imbecis, aceitaremos pagar a divida, pq o pobre sorveteiro nao tem culpa, MAS SEM RECUPERAR NEM UM REAL DO BANQUEIRO SAFADO!!!

Os aptos de 8 milhoes de dolares deveriam ser leiloados para indenizar essas "pobres vitimas".

Tenho umas aconomias, ofereço 100.000 reais num apto de 1 quarto ali perto do Central Park.

Contato com o blog Diário Gauche:

cfeil@ymail.com

Arquivo do Diário Gauche

Perfil do blogueiro:

Porto Alegre, RS, Brazil
Sociólogo