Você está entrando no Diário Gauche, um blog com as janelas abertas para o mar de incertezas do século 21.

Surf no lixo contemporâneo: a que ponto chegamos! E que mundo deixaremos de herança para Keith Richards?

sexta-feira, 12 de setembro de 2008

Chapa quente nas Américas


Chávez também expulsa embaixador norte-americano

O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, anunciou na noite de ontem a expulsão do embaixador dos Estados Unidos na Venezuela, Patrick Duddy. O embaixador tem 72 horas para se retirar do país. De acordo com informações da Agência Bolivariana de Notícias (ABN), Chávez tomou a decisão em solidariedade ao governo e ao povo da Bolívia. A informação é da Agência Brasil.

Chávez disse que começará a estudar as relações diplomáticas com o governo dos Estados Unidos e pediu o retorno do embaixador venezuelano em Washington, Bernardo Álvarez.

“Quando houver um novo governo nos Estados Unidos, mandaremos um embaixador. Um governo que respeite os povos da América, a América de Simón Bolívar”, afirmou o chefe de Estado.

Quarta-feira, o presidente boliviano, Evo Morales, decidiu expulsar o embaixador norte-americano no país, Philip Goldberg. Morales alegou que o diplomata atuava de forma antidemocrática e conspirava contra a unidade do país.

Em retaliação, o governo dos Estados Unidos decidiu ontem expulsar do país o embaixador da Bolívia no país, Gustavo Guzmán.

Em território boliviano, os conflitos entre governo e oposição que já duram três dias deixaram oito mortos e vinte feridos.

Ontem, o Brasil reiterou apoio a Evo Morales. O assessor especial da Presidência para Assuntos Internacionais, Marco Aurélio Garcia, afirmou que o Brasil não irá tolerar "uma ruptura do ordenamento institucional boliviano".

Mais cedo, o presidente da Venezuela defendeu uma intervenção na Bolívia em caso de golpe. Chávez disse que apoiará qualquer movimento armado, caso a oposição derrube o governo de Morales.

24 comentários:

Luís disse...

TODO APOIO AO POVO BOLIVIANO!
Em mais um capítulo da luta histórica contra o fascismo!

Anônimo disse...

Os partidos de esquerda (o que existe ainda deles)deve iniciar uma campanha de apoio ao povo Boliviano e ao Governo Evo Morales, a unidade da América Latina nesse momento está precisando mostrar a usa força.
abç
Maria Rita

Anônimo disse...

Porque só os de esquerda? Nós de direita não podemos nos posicionar pela democracia e pela ordem ?

Porque as pessoas sempre nos colocam no papel dos que conspiram, roubam e matam no meio da noite?

Anônimo disse...

é a história, caro anômimo das 9:44,se a direita não tivesse ligada a todos os movimentos contra-revolucionários e golpistas na América Latina certamente a história seria outra hoje, não estaríamos com a caos instalado na Bolívia, por exemplo. Basta ler um pouco sobre o Chile, Argentina, Uruguai, Paraguai e Brasil, sem falar dos outros que não estou lembrada agora
Maria Rita

Ary da Silva Martini disse...

Anônimo: entendo a tua lógica. Admito que você possa ter uma "razão de fundo". Nem toda a pessoa de esquerda é revolucionária e nem toda pessoa de direita é facista, por exemplo. Eis um debate interessante.

Anônimo disse...

O cocaleiro está indo pelo mesmo caminho de tantos outros imbecis que não souberam administrar o país. E a Bolívia está de novo em pé de guerra, e pelos mesmos motivos que levaram outros presidentes a ser colocados para fora do governo a toque de caixa.
Daqui a pouco as Forças Armadas bolivianas colocam o imbecil para correr, porque mexeu com a única coisa que realmente sustenta aquele país de porcaria em pé: os impostos escorchantes que se cobram de setores produtivos.

Carlos Eduardo da Maia disse...

Por que Chávez e Evo não rompem relações comerciais com os EUA?

Anônimo disse...

Ary, às 11:20 recebemos a confirmação de que este não é um debate interessante e que, sim, toda pessoa de direita é facista. Os "não-facistas" não são de direita.

Carlos Eduardo da Maia disse...

Deu no Blog do Josias: que o Lula queria mandar o Marco Aurélio Garcia e o Samuel Pinheiro Guimarães para intermediar o conflito. Evo não aceitou. "Lula disse que o colega boliviano brinca com fogo.A recusa do presidente boliviano foi interpretada em Brasília como indicativo de que o discurso pacificador de Evo é apenas retórico."
Mais uma vez, concordo com o Lula.

Luís disse...

Ary, nessa discussão sobre esquerda/direita/revolução/fascismo vai faltar mate para o chimarrão...
Não há como não ser revolucionário e se posicionar pelo humanismo, pela solidariedade, contra a lógica da exploração social e da acumulação capitalista.
E se alguém que se diz de direita não é tão fascista, ótimo, a sua postura pessoal é mais conciliadora, embora vá se chocar constantemente com a sua classe.
Outra estória é o que fazer quando se assume um governo eleito pela lógica da eleição tradicional... sem se decretar a revolução, pode-se muito bem governar democraticamente, mas o que por si só já é revolucionário por estes pagos, e por isto as nossas elites nem cogitam de consentir, por serem retrógradas demais.
(Por muito menos que na Bolívia ou na Venezuela tentaram um golpe-branco no Brasil, via imprensa, nas eleições de 2006)

Carlos Eduardo da Maia disse...

Esse maniqueísmo de achar que todo mundo que é de direita é fascista e todo mundo de esquerda é comunista é mais infantil do que o conto da Cinderela. Eu também sou revolucionário, luto pela inclusão social, acho inadmissível que pessoas não tenham acesso a uma boa educação, saúde e vivam sem segurança, mas eu não acredito na religião da luta de classes como forma de resolver as desigualdades mundanas. É possível incluir pessoas no mundo da qualidade de vida de outras formas, como está fazendo o governo do PT. Mas essas outras formas parece não interessar a certa esquerda que não quer que o Brasil vire uma república de classe média e prefere ver o circo pegar fogo, como ocorre na Bolívia de hoje. Sou absolutamente contra as pessoas que querem derrubar Evo, pois ele foi eleito democraticamente, mas não estou de acordo com seus movimentos equivocados. Ele não vai resolver a pobreza da Bolívia expulsando embaixador americano.

Anônimo disse...

Cala a boca, Magda!

Luís disse...

Mas ajuda muito expulsar agente político dublê de embaixador - O governo Evo Morales tem todo o meu apoio!

Carlos Eduardo da Maia disse...

Que tipo de movimento fez o embaixador americano? Isso não está esclarecido, provado e nem comprovado. São apenas alegações e nada mais do que alegações. E por que Evo e Chávez não rompem relações COMERCIAIS com os EUA?????

gustavo disse...

Mais uma pérola do fanatismo do Maia: o tom sectário é algo impressionante. Até os especialistas em relações internacionais(não meros chutadores idiotizados) que deram entrevista na GAUCHA pela manhã viram como legítima e coerente a posição tomada pelo presidente Evo em relação ao embaixador estado-unidense. Até o PIG teve que ouvir do cara uma analise razoável do que esta havendo por la. O Maia é tipo o Pugina de tão sectario e ainda diz que é revolucionário. Tenha santa paciência!

Anônimo disse...

O Império Contra Ataca:

EUA congelam bens de altos funcionários da Venezuela
da BBC Brasil.

panoramix disse...

É isto aí Maia, sei que fostes discipulo de Bakunin: Power To The People Today, um legitimo pantera negra! Evo Morales está pagando pela total falta de tato dentro e fora da Bolívia. Ainda lembro das tropas Bolivianas dentro das refinarias da petrobrás, mas o pior foi o Brasil ter investido naquele país que sempre primou pela instabilidade!

Ary da Silva Martini disse...

Sou ecologista mas não sei se terei muita paciência com os "papagaios da Cia". Conhecendo os EUA, é óbvio que o denunciado pelos quatro dpeutados do MAS é mais do que crível. Ver texto do Marco A. Weissheimer na Carta Maior.

Anônimo disse...

O Maia primeiro mente que é revolucionário. Depois desmente dizendo que não acredita na luta de classes. E mente que luta de classes é religião. porque todo mundo sabe que uma é a negação do outro.
Vota na Yeda das laranjas (e defende o fechamento do turmas) e diz que luta pela inclusão social porque acha inadimissível não ter educação de qualidade.

AH! A expulsão do embaixador americano não vai acabar com a pobreza na Bolívia, mas mostra que estao limpando o terreno para para começar a pensar com seriedade.

Ele podia levar aquelam elite branca,bandida e perversa para Miami.

Claudio Dode

Antonio Cavalcanti disse...

Evo Morales e Hugo Chávez, mais dois pulhas da esquerda mais idiota deste mundo. Esses merecem uma invasão americana para acabar com a bandalheira que está se instalando na América do Sul.

Luís disse...

Mais prático acabar logo com as eleições... deve ser um porre armar todo um "circo", ter todo o dinheiro, imprensa, poder de demissão à mão, e não ganhar quem deveria...

González disse...

Cavalcanti, porque não vais passear lá pela "meca da democracia", os EUA? Um cara como tu mereces ficar o dia inteiro lambendo as botas do teu presidente de coração, o Bush.

Anônimo disse...

E o Antonio Cavalgante sempre cagando no trote.

Claudio Dode

edu disse...

Nos dois anos e meio de governo Morales ele procurou aumentar as rendas do Estado, revendo os acordos de exportação de gás e petróleo com o Brasil e a Argentina, desvantajosos ao país, e estabelecendo o controle estatal sobre a exploração dessas riquezas. A Bolívia passou a ficar com 85% dos lucros e suas exportações dobraram de 2005 para 2006, chegando a 4,9 mil milhões de dólares.

Mesmo não realizando as economias preconizadas pelo FMI, o governo conseguiu superávit em 2006 e 2007, algo que não acontecia na Bolívia desde 1940.

"E o Antonio Cavalgante sempre cagando no trote." (2)

Contato com o blog Diário Gauche:

cfeil@ymail.com

Arquivo do Diário Gauche

Perfil do blogueiro:

Porto Alegre, RS, Brazil
Sociólogo