Você está entrando no Diário Gauche, um blog com as janelas abertas para o mar de incertezas do século 21.

Surf no lixo contemporâneo: a que ponto chegamos! E que mundo deixaremos de herança para Keith Richards?

segunda-feira, 22 de setembro de 2008

Como explicar ao leigo...


Um meigo assassinato?

Cumprimos o doloroso dever de comunicar que valorosos, criativos, admiráveis (até então) e ex-combativos artistas guascas entregaram a rapadura para a papeleira Aracruz, conforme foi informado pelo jornal ZH de ontem (acima).

O cinismo da papeleira é ilimitado. No dia consagrado à reflexão sobre a árvore e os desertos verdes implantados pelas indústrias de papel e celulose, a papeleira Aracruz – através de um golpe de marketing – resolve ocupar a boca de cena com sua farsa sub-verde ao comprar a força artística de pessoas reconhecidamente talentosas do RS para moldar um senso comum mais ameno para quem está comprometendo o bioma Pampa com a monocultura extensiva de florestamento artificial.

De outra parte, é de estranhar que artistas se dispam de sua consciência política a troco de dinheiro e se associem – mesmo que indiretamente – a um projeto ambientalmente insustentável para construir uma subjetividade favorável ao desequilíbrio e a morte de espécies no Rio Grande do Sul.

Ninguém tem o direito de colocar a arte e o talento pessoal a serviço da morte e da destruição. Nenhum Mephisto, nem mesmo quem compôs Dirás, dirás (quase premonitório), assim:

De Pirapora a Bagdá
Desertos [Verdes], por certo, hei de encontrar
Já tenho quase nada, e vai dar
Tanta estrada ainda pra deixar os restos

Restos do desejo, dinheiro, jogo de espelhos
Sobras de um almoço de urubu
Sonhar ser rei, guru, galã, galante pai
All of it for you

Bolha de sabão, lá se vai
Ninguém nunca reparou, místico sou
Bolha de sabão, lá se vai
Tanto fiz pra ser feliz
Mas te custou compreender

Eu mesmo pus as pedras no sapato
Como explicar ao leigo um meigo assassinato?
A alma beat, em bytes
Invites
me a revisitar highways
Altas maneiras de se chegar

Ao mesmo nenhum lugar

Ou dirá, ou dirás
Que a terra nova é lindo e generoso par
Ou dirá, ou dirás
Que queres? me sereno
Homem branco, teu pequeno lar

23 comentários:

Anônimo disse...

Quer dizer então que o Nei Lisboa, Jorge Furtado e Yamandú Costa se venderam por rapadura? E rapadura sem amendoim?
Será que esses artistas estavam passando fome pra aceitar essa humilhação da papeleira?
Feil, tá tudo dominado, rapaz.

Carlos Eduardo da Maia disse...

Pois é, Anônimo, a patrulha ideológica não perdoa..

Suzie disse...

Lá vem o Maia... de mala e cuia!
No capitalismo é assim: sobrevivência e dinheirinho na conta.
Ideologia, bem coletivo...nem pensar!
Vamos passar- por muitas e más experiências- neste velho Rio Grande!

Anônimo disse...

Para o Maia, senpre com a mesma lenga-lenga, depois nega ser liberal ou neoliberal, mas o dinheiro vale tudo é o Deus onipresente reverenciado pela seita do mercado. (eu leio ele é como fascista.

O que não temvalor para ele é idologia, diginidade, consciência, etc...

Claudio Dode

Callado disse...

Mala, vc nem é original, essa expressão patrulha ideológica é de Cacá Diegues. Pelo menos cite o autor, seu vampiro.

Anônimo disse...

"Ninguém tem o direito de colocar a arte e o talento pessoal a serviço..."

Tio Stalin tá orgulhoso de ti, Feil :D

Anônimo disse...

Bah! realmente lamentavel.

Tá ficando dificil mesmo !

Rogério.

heliopaz disse...

O velho José Lutzemberger (um técnico e um ativista contumaz que, definitivamente, não queimou seu inesquecível nome nem mesmo por ter sido ministro de Collor durante algum tempo) disse, em uma de suas últimas entrevistas que tive o prazer de assistir na antiga TV2 GUAÍBA (reacionária, porém menos nociva do que sob tutela da IURD, que tem um projeto de dominação social, cultural e econômica a partir dos evangélicos mais ou menos como a 'iluminação' ou 'o povo escolhido por deus' do qual falam sionistas e presbiterianos - as castas que dirigem os neocons pelo mundo afora), o seguinte:

- A TERRA [planeta] ESTÁ NOS PLANOS DO HOMEM. MAS O HOMEM ESTARIA NOS PLANOS DA TERRA?

A NATUREZA NÃO SE DEFENDE: ELA SE VINGA.

A humanidade será extinta do planeta em função da escalada em PG das ações contra o meio ambiente.

Tem que ser muito burro ou muito mal-intencionado pra concordar com o estado atual das coisas.

[]'s,
Hélio

jorge disse...

Seu Jorge é outro que se vendeu pra Aracruz.
Nem pudor eles tem mais.

Anônimo disse...

Infelizmente artistas de peso como o cineasta Jorge Furtado, ex- militante da corrente O trabalho, do PT, e autor de filmes premiados mais o Nei Lisboa, o arauto do Bom Fim e da contracultura porto-alegrense, não estejam tendo mercado para sobreviver neste RS.
Assim, acabam tendo de se se "vender" para este projeto marqueteiro, desta papeleira anti-ecológica.
Afora a escolha pessoal isto é, também, culpa do papel que os governos municipal e estadual destinam à Cultura, sempre sem verbas e à mercê de mega-empresários do setor que contratam quem eles querem neste Estado.
Não justifico o ato desses artistas, que admiro, mas posso entender o processo que levou eles a essa tomada de decisão.

Ricardo Mainieri

Carlos Eduardo da Maia disse...

Vocês criticam a ZH porque ela faz certas matérias bem abobrinhas. Mas esse post é uma abobrinha só!!! Qual o problema do Nei e do Furtado participarem de um evento patrocinado pela Aracruz???? Sejam coerentes, vocês deveriam fazer campanha para a Vera Guasso.

graça disse...

Pronto, agora a coisa quer dizer o que os outros tem que fazer.
Não estou a-cre-di-tan-do!!!!!!!

Maria Alice Custódio disse...

Maia, aquela foto do Tony Blair tirando fotografia enquanto tudo explode atrás poderia ser você. Tudo explode ao seu redor e vc ri ou debocha como um idiota.
Vc não se dá conta do que passa no seu entorno, menino?

Anônimo disse...

O Mala se autodefine como um democrata. Só fico imaginando se ele fosse da SS ...

Rejane disse...

Esse tal de 'maia' parece ser muito carente e muito doente ...

HELLO! 'seu' maia, aqui não é teu território... o hospital fica noutro canal... chispa daqui, cachorro sarnento!!!!.

Anônimo disse...

E dá-lhe Manu!

Anônimo disse...

E dá-lhe Manu!

Carlos Eduardo da Maia disse...

Numa boa, pessoal, a única candidata que concordaria com o que disse o post que estamos a comentar é a Vera Guasso... Por que vocês não fazem campanha para ela?

Anônimo disse...

Porra, e o cara insiste

Anônimo disse...

Querido Toia,
Olha! Para mim não causou nenhuma surpresa a presença dessas pessoas na atividade da Aracruz. O Jorge Furtado, já faz muito tempo, não passa de um burguês (criativo, claro!) ligado a Globo. Já o Neizinho, nunca o levei a sério em termos políticos. Fui sua contemporânea nos bares do Bomfa, e ele estava mais para um "Junk" do que um militante da contracultura. Aliás, acredito que muitas pessoas, consciente ou inconscientemente, lhe rendiam homenagens (não merecidas), em nome de seu bravo irmão Luiz Eurico. Poucos, nos dias da "Sociedade do Espetáculo" têm "culiones" de um Marcel Duchamp. Apenas fico feliz quando a verdade aparece, mesmo que levem anos.
Abraços
Martinha

Anônimo disse...

Não entendo o espanto:
Nunca viram um petista acocando?

Anônimo disse...

E dá-lhe Manú!

Anônimo disse...

Pois é, estariam equivocados estes artistas ou haveria uma visão turva do blogueiro e os comentaristas?

E o Olívio Dutra, que recebeu cerca de R$ 150 mil da Aracruz nas eleições de 2006, é vendido também?

Se a lógica é esta, sigam a dica do Maia e votem na Vera Guasso.
CONTRA BURGUEIS VOTE DEZASSEIS

Contato com o blog Diário Gauche:

cfeil@ymail.com

Arquivo do Diário Gauche

Perfil do blogueiro:

Porto Alegre, RS, Brazil
Sociólogo