Você está entrando no Diário Gauche, um blog com as janelas abertas para o mar de incertezas do século 21.

Surf no lixo contemporâneo: a que ponto chegamos! E que mundo deixaremos de herança para Keith Richards?

domingo, 3 de agosto de 2008

Quem é mesmo terrorista no Iraque?


É a mais completa e absoluta inversão da realidade.

ZH dominical chama de “terroristas” as mulheres muçulmanas do Iraque que – em ações desesperadas de legítima defesa – protestam contra a ocupação e o terror das tropas regulares (e mercenárias) do presidente George W. Bush.

A legenda da fotografia (da contracapa) acima diz:

“Ataques com mulheres-bomba, que mataram 32 [o quê?] na segunda-feira, alertam autoridades do Iraque para prática que se tornou recorrente”.

A ocupação norte-americana no Iraque já provocou a morte violenta de quase 1 milhão de pessoas, na maioria civis, mulheres e crianças. E quando as mulheres resolvem reagir – face ao desespero, opressão e humilhação que sofrem diariamente – são carimbadas como “terroristas” pelo jornal da RBS.

Além de denominá-las impropriamente de terroristas (repetindo enfadonhamente o utilitário chavão imperialista dos falcões da Casa Branca), ZH tece com linhas sutis uma noção subjetiva preconceituosa acerca não só das mulheres daquela parte do mundo, mas sobretudo de toda a cultura muçulmana.

Michel Foucault chama isso de "luta de raças", que para ele é anterior à luta de classes; hoje, mescladas.

7 comentários:

Antonio Cavalcanti disse...

Nada mais nefasto a uma nação como uma intervenção militar direta de um país como os EUA. Se eram comandados por um ditador, que resolvessem internamente suas mazelas. Mas sabemos que não foi por isso que os americanos invadiram o Iraque. Há interesses dos poderosos fabricantes de armamentos que têm em Bush um sócio e grande parceiro, além de outros interesses econômicos. São bilhões de dólares que estão gastando nessa invasão insana, sem resultado positivo algum para o povo americano e para o restante do planeta. Fora as milhares de vidas perdidas, de soldados dos EUA e de iraquianos. Conseguiram entrar no país, mas é lógico que não conseguem dominá-lo. Não há como impor uma cultura que não é a daquele povo. É preciso respeito em relação às nações mundiais.

Anônimo disse...

O criador do pseudônimo Carlos Eduardo da Maia ativo e operante e, obviamente, usando os mesmos argumentos.

juca bala disse...

Sobre a ZH?

Nada.

joice disse...

nada surpreendente. inverter as realidades e fazer esquizo-coberturas é a especialidade deles.

abraço, Cristóvão!

clecio disse...

Perfeitamente Sr.Cavalcanti. Os FARIZEUS só fomentam a contenda e a destruição do mundo pela guerra! MAS DEUS É JUSTO JUIZ!! Julgará a todos !!

Carlos Eduardo da Maia disse...

Só tem um detalhe, essas mulheres-bombas de burka não estão matando americanos, elas estão matando iraquianos.

Anônimo disse...

Pode ser até que elas estejam matando alguns iraquianos, os "Carlos Eduardo Maias" que são os que se entregam a sanha colonizadora do império decadente.

Não farão falta!

Claudio Dode

Contato com o blog Diário Gauche:

cfeil@ymail.com

Arquivo do Diário Gauche

Perfil do blogueiro:

Porto Alegre, RS, Brazil
Sociólogo