Você está entrando no Diário Gauche, um blog com as janelas abertas para o mar de incertezas do século 21.

Surf no lixo contemporâneo: a que ponto chegamos! E que mundo deixaremos de herança para Keith Richards?

terça-feira, 20 de novembro de 2007


Um governo física e moralmente quebrado

Completamente desmoralizado e desfibrado, o governo Yeda Crusius vegeta à beira do caminho. Nem bem um ano se passou, e a administração arranjada por tucanos e aliados históricos dá mostras de cansaço dos materiais (e das gentes).


"De onde menos se espera é daí que não sai nada mesmo", já vaticinava Aparício Torelly. O articulador político privilegiado do governo é um ex-vereador da Capital que só se destacou por ser torcedor de um famoso clube de futebol e por criticar monotematicamente os equipamentos de controle de velocidade dispostos na via pública. Na área financeira, completamente esgualepada pela irresponsabilidade fiscal continuada dos seus próprios aliados históricos, onde ainda havia vida inteligente e sob um mínimo senso de realidade, o seu titular evidencia exaustão e esmorecimento com o cenário desolador a sua volta. Enquanto isso, as velhas ratazanas oportunistas e famintas lambuzam-se do queijo público, sem a menor desfaçatez, e quase à luz do dia.

Fica cada vez mais evidente que a dona Yeda foi um arranjo improvisado pelo mandonismo guasca para barrar mais um quadriênio de Olívio Dutra no Piratini. Dona Yeda tem exclusivamente o lado negativo, o de constituir-se como a antipetista da hora, sem propriamente portar objetivos positivos de propor e construir metas, programas e ações que justifiquem a sua gestão pública com personalidade própria e estratégias autônomas. Seu mau humor permanente e os rompantes arrogantes devem se originar na sensação de abandono que experimenta face aos seus incentivadores da primeira hora. Agora, então, vendo-se frente a frente com a necessidade imperiosa de cortar incentivos e subsídios das tetas públicos aos setores que dela se nutriam, deverá romper mais alguns fios que a sustentaram como a antipetista de plantão.

Progressivamente afunda-se na areia movediça das próprias contradições. Tão desorientada está, que o jornal Zeagá de hoje (um dos seus sustentadores "espirituais"), através da colunista Rosane de Oliveira, não tem o menor pudor de passar-lhe publicamente orientações comezinhas e banais de como proceder nos próximos dias, mostrando-lhe que não pode romper com o PP, que deve ser menos arrogante e usar de mais tato, que deve fazer ver ao PT que não lhe interessa aprofundar mais a crise, já que o partido tem chances reais de poder, no futuro, que a ordem é olhar para frente e reconstruir-se politicamente, etcetera.

Isso que Zeagá está fazendo hoje é como dizer a um pugilista nocauteado e quebrado física e moralmente o seguinte:

- Levanta, meu, pelo menos ainda respiras e estás vivo! Levanta e olha para frente!

O pugilista, com o rosto deformado, ainda cospe um dente para poder balbuciar:

- Mas, como? - e desmaia novamente. Moscas voejam o local.

13 comentários:

cassio disse...

O pior é que eu consigo até teatralizar as imagens na mente. Texto impagável.

Anônimo disse...

Está, de fato, uma barafunda. Porém não podemos deixar a guarda baixa, pois até um rato (no caso uma ratazana) quando acuado, vira fera.

Krieger disse...

O governo de Yeda é uma plêiade, como diz o Feil, de "feras".

sil disse...

A yedinha perdeu o pouco de sanidade que tinha....Hoje no jornal da manhã, ví ela vociferando contra o PT, dizendo que o PT tinha perdido as eleições e não podia ter encabeçado à votação de quarta.
A mulher tá doida varrida, gente!!!!
Tive até que ir, tamanho o destempero da mulher!! Aqueles olhos esbugalhados, e aquela cara de botox sem expressão....

sil disse...

a votação (sem crase)....
Tive até que rir (não ir)

é o sono....

Josie Veras disse...

Logo, pra Yedinha, quem ganha uma eleição tem direito de ser ditador no Estado. O PT não pode fazer oposição, tem que ser interditado e anulado, porque a Yedinha ganhou.

Essa mulher não é louca, é só estúpida!

Não é capaz de parar e fazer uma autocrítica, a responsabilidade é sempre imputada ao outro.

Que cabecinha deformada, gente! Essa Yedinha precisa ser reeducada.

Carlos Eduardo da Maia disse...

Foi positivo para o RS a votação da semana passada. A sociedade disse não ao aumento de impostos. Não queremos pagar essa conta e o Estado é que tem que resolver seus problemas. O Estado tem que cortar, tem que fazer parcerias, tem que fazer algo, imaginação no poder. Mas quem perdeu eleição não pode -- porque não tem legitimidade -- para impor sua agenda.

Anônimo disse...

Tá fazendo parcerias...com as Ocips...quá...quá...quá...

Sil disse...

Há, sim tá querendo dizer maia que meu voto em um deputado da oposição não vale!!!!
Quer dizer que aquele deputado alí tá ali só de enfeite.
|Tem que seguir que agenda? A do governo?

Como fala bobagem!!!

Anônimo disse...

texto maravilhoso

Kadu disse...

Tóia, gostei do texto, e acrescento mais uma coisinha, uma pessoa para ser considerada normal, tem que ter pelo menos uns 5 predicados, na D.Yeda falta uns 3 predicados:Auto-crítica, discernimento da realidade e auto-controle.

Anônimo disse...

Na última eleição quem perdeu não foi o PT, mas o povo do Rio Grande do Sul, a educação, a saúde, a segurança, a cultura. Ainda bem que os brasileiros dos outros estados foram lúcidos e reelegeram o Governo Lula do PT.Caso contrário teriamos um DETRAN generalizado, como sempre tem sido nesse país. Imaginem como deve continuar sendo SP e Minas...

A CARAPUÇA disse...

Nem mesmo, meu caro Carlos Eduardo da Maia, o partido que está jogado no Palacinho, impor sua agenda, não é mesmo?

Contato com o blog Diário Gauche:

cfeil@ymail.com

Arquivo do Diário Gauche

Perfil do blogueiro:

Porto Alegre, RS, Brazil
Sociólogo