Você está entrando no Diário Gauche, um blog com as janelas abertas para o mar de incertezas do século 21.

Surf no lixo contemporâneo: a que ponto chegamos! E que mundo deixaremos de herança para Keith Richards?

segunda-feira, 19 de novembro de 2007


O dedo podre do senador Simon

Quero me associar à legítima indignação do blog RS Urgente, do jornalista Marco Weissheimer, com o senador guasca Pedro Jorge Simon, ontem manifesta em post. E fazer um desagravo (não autorizado, mas de cidadão) ao ataque covarde sofrido pelo ex-governador Olívio Dutra, por parte desse tipo dissimulado que é o senador PJS.

PJS foi governador do Estado, uma administração sofrível, como de resto toda a sua vida pública de funcionário da mediocridade, da dissimulação e da negaça política. PJS se engrandeceu depois de 1964, simulando ser de oposição aos gorilas, mostrou-se mais útil e funcional como coronel urbano do velho MDB, do que se de fato abrisse a sua alma às convicções direitistas e consoante a ditadura militar. Deputado estadual por longos anos, freqüentava com mais assiduidade o comando do 3o. Exército na rua da Praia, do que o próprio gabinete na Assembléia Legislativa.

Um ex-deputado estadual do MDB, me relatou certa vez, que PJS censurava-lhe os discursos da tribuna legislativa. Mesmo que o orador falasse, PJS tratava de mandar cortar nos registros taquigráficos. Era proibido, por exemplo, o uso do vocábulo "ditadura" (entre outros) para se referir à própria. PJS assustava seus liderados de então com a bile e o fel sagrado dos gorilas, ameaçando-os (os, agora, trêmulos interlocutores) com o retardo da abertura, lenta, gradual e segura caso essas impropriedades fossem voz corrente no ínclito e democrático legislativo rio-grandense. E pior: ameaçava-os com a terrível "cassação dos direitos políticos por dez anos". Essas eram as moedas de troca de PJS. Os mais recalcitrantes, ele aplicava-lhes soluções caseiras, como permitir invasão de área eleitoral por caçadores e aventureiros do voto popular. Como ele era o xerife do MDB, tinha o controle dos eleitos através dos diretórios municipais da legenda, caso houvesse alguma dissensão ou mau comportamento político, PJS crivava a vítima de chupins eleitorais, abreviando-lhes a ascensional carreira política. Assim, sempre manteve as rédeas do MDB e a interlocução promíscua com os generais de plantão da rua da Praia.

Com a redemocratização, só não participou dos governos de Jair Soares e Olívio Dutra. Nos demais, teve destacadas, senão decisivas, participações nos processos eleitorais e nas próprias (medíocres) administrações. É o inventor de Antonio Britto, Germano Rigotto, Yeda Crusius e José Fogaça. Todas criaturas apontadas pelo dedo podre do pai criador PJS.

A única parte ereta de PJS é o dedo, sempre em riste para apontar semelhantes mediocridades ou para corrigir a tudo e a todos com a sua moralidade de Torquemada provinciano. No resto todo, PJS é esponjoso como um molusco político. Seus companheiros de trincheira política afundam no pântano da corrupção pública e ele limita-se a gesticular incansável e aplopleticamente, apontando o inquisitorial dedo em riste, sem dizer nada de essencial ou aproveitável.

Pior que o velho líder maragato (e direitista), Gaspar da Silveira Martins (1834-1901), que também oscilava conforme os ventos políticos, ora foi republicano, ora monarquista, ora a favor dos milicos de Deodoro, ora marchava com os Bragança, mas pelo menos tinha uma frase como idéia-mãe ("as idéias não são metais que se fundem"), o senador Simon em 50 anos de vida pública não conseguiu jamais cunhar uma só frase que fosse originária de seu desértico bestunto. Suas idéias estão todas (integralmente) contidas no gesto pobre do dedo ereto, moralista e podre. É tudo que ele conseguiu oferecer em meio século de "serviços prestados" ao Rio Grande.

Pobre Rio Grande: conhecendo os teus líderes, podemos avaliar o tamanho da tua ruína!

22 comentários:

Carlos Eduardo da Maia disse...

Yeda Crusius convidou todos os ex governadores para uma conversinha sobre o grave problema histórico estrutural do RS. Um problema que requer convergência de todas as linhas político ideológica para resolver. Todos os governadores estiveram aberto para essa conversinha, menos um: Olívio de Oliveira Dutra. Por que Olívio não falou com Yeda? Lembro que uma vez o FHC convidou o Lula para tomar um whiskinho no Alvorada. E lá se foi o Lula bebericar a saborosa aguardente escocesa e foi criticado por isso. Os pseudo intelectuais do pensamento caduco não gostam de conversa e por isso admiram Olívio, o pior governador do RS de todos os tempos.

César xrmr disse...

É de se lembrar também que PJS se elegeu governador do RS no escandaloso estelionato eleitoral promovido por Sarney com seu insano Plano Cruzado.

Anônimo disse...

A base de apoio da Tia são 43 (quarenta e três) deputados e a oposição está composta por 13 (treze) deputados e o culpado é o Bigode que não comversou com a Governadora?

Juarez Prieb disse...

Eu quero conversar contigo. Se não conversares comigo, vou te denunciar publicamente e enlamear teu nome para sempre.

Isso não é proposta de diálogo, é preparaçáo de uma chantagem covarde e previamente industriada.

Ellen Leite disse...

Se o Olívio foi o pior governador, por que cargas d´água queriam conversar com ele?
Isso foi mais um factóide criado justamente para que este senador decadente e seus seguidores pudessem esbravejar contra a oposição, caso o plano falhasse. Não admitem a incompetência e culpar os outros de seus próprios fracassos já era de se esperar, pois é exatamente assim que agem os covardes.

el barto disse...

perfeito!!! vc disse tudo a respeito dessa falsificação barata chamada simon!!! ei, senador, ainda estamos no aguardo de um inflamado discursinho barato e vazio sobre as falcatruagens no detran, vamos, manifeste-se, catilina dos infernos!!! essa múmia senil é a pior desgraça da política guasca!!!!

Claudio Dode disse...

Quem é que pode conbversar sériamente com esta esquizofrênica que antes mesmo de tomar posse já tinha secretário se demitindo, que o vice governador escancara a cara de pau desta que não sabia nada do que ocorria no detran.
Ninguem tem mais banca( nem pseudo chega a ser)de intelectual do que o Maia. Ninguem tem ideias mais caducas que ele. E ainda é maledicente como o que defende.
Cara de pau é isto ai.

Carlos Eduardo da Maia disse...

Só para lembrar: Olívio quando governador foi rejeitado pelo próprio PT e nem foi candidato à reeleição. O PT depois do governo Olívio perdeu todas as eleições importantes no RS. Olívio foi demitido pelo governo Lula no Ministério das Cidades. O que Olívio fez para melhorar a crônica situação financeira do Estado do RS? Endividou mais ainda o Estado e fez grandes burrices ideológicas. Mas um ex governador tem que ter a cortesia e a boa educação (exatamente pelo fato de ele ter sido ex governador) para tomar um café, um chima ou um chá verde com a governadora eleita pelo voto da maioria dos gaúchos.

Claudio Omar Dode disse...

O Olivio não foi rejeitado (é difícil, para esta gente simplória da cantilena neoliberal, engolir qualquer processo democrático) ele simplesmente num processo interno de escolha do partido não foi escolhido. É dificil,né?
Agora a alucinada esquizofrênica que não consegue conviver nem com o vice dela,tampouco com os aliados, convida o adversário par tomar um chá e pronto tem de aceitar, senão ele é que é deseducado.
Maia, te junta com o Simon a Yeda e outros reacionários do teu time e vão adular o rei de espanha.

jorge rocha disse...

Não estava combinado um pitaco do maia por post ?

Anônimo disse...

Radicalizando o Maia - se a Tia, por um evento inexplicável aparacer grávida, o culpado é o Espírito Santo chamado de PT.

Paulo. disse...

Embora capixaba, moro há 22 anos no Maranhão. Quero agradecer por expor certas peculiaridades de personagens que se colocam como exemplo máximo no congresso.
Este acredito, deva ser um dos principais papéis do SIVUCA, expor ao país, certas facetas que são mantidas à niveis regionais, e torna-las conhecidas para que o julgamento desses congressistas sejam mais justas.

Claudia Cardoso disse...

Está explicada as relações britto-rigotto-fogaça-yeda/pjs: o cara sempre foi assim!

sergio disse...

Caro Cristóvão:
òtimo e verdadeiro o teu texto.
Vale lembrar que o protegido do Simon agora é o Padilha, que anda quieto,porque está sempre envolvido em falcatruas e pode ser logo denunciado.
Negro Velho da Montanha

Kadu disse...

Simon parece um Quero-quero, está cantando num canto, e fazendo o ninho do detran noutro canto.

luiz alberto disse...

Abraços Tóia.
Sobre o dedo podre, não seria também pelo péssimo hábito do diminuto senador de viver com o dito enfiado no nariz?

Cristóvão Feil disse...

Luiz Alberto, todo o moralista tem mania de limpeza. Limpar o nariz é um ato simbólico da higiene que ele quer fazer do mundo, mesmo que esteja chapinhando na lama.
Abç.

Mario Rangel disse...

O que o Professor Maia diz a respeito do Olívio e do PT, é um afago às minhas idéias. Pois se ele elogiasse o Olívio, ou teria certeza de eu estaria em lado errado. Obrigsdo Professor Maia. Vocês notaram que agora o Professor Maia arrumou um chavão para nos atingir? Agora tudo que for crítica ao que ele pensa que é certo é CADUCO. Caducss são suas idéis mofadas e elitistas.

Mario Rangel disse...

Professor Maia, ia me esquecendo. Não foi somente o Olívio que não atendeu o convite da bruxa Yeda, o Collares também não foi. Casualmente, os únicos dois governos do RS que não foram gestados pela elite guasca. E, para alívio meu, o Olívio não foi. Isso, Professor Doutor Maia, chama-se COERÊNCIA POLÍTICA. Ainda bem que foi assim, mostra que existe vida depois da Yeda...

Carlos Eduardo da Maia disse...

Rangel, a Yeda se encontrou sim com o Collares. Ela foi a casa dele. Saiu no jornal.

Mario Rangel disse...

Qual jornal ZEmentira?

A CARAPUÇA disse...

Não estou entendento... carlos eduardo da maia, o governista.
1-Eu achava que whiskinho, só o Zé Dirceu tomasse. FHC???? Que medo!
2-Se Olívio foi o pior governador, o que ele teria a dizer pra Yeda? Faria alguma diferença sua opinião? O que sobra pro Brito, Rigotto e o que sobrará pra Tia Yeda? Vá de retro satanás!
3-É bom lembrar que TODAS as grandes obras feitas nestes pagos, no “primoroso”governo do rei do botox, foram ou com dinheiro destinados por projetos de Olívio, “o incompetente” segundo o maia, no Ministério das Cidades, ou rastro da “incompetente” gestão como governador.
4-Luz para todos, a usina de geração eólica de Osório, o projeto Entrada da Cidade em Porto Alegre,
5-Olívio tomar chá com YEDA? Só se for de cogumelos alucinógenos! Yeda é uma alucinação. 6-O Pitatiny é uma festa de halloween no hospício. E com gente louca não se dialoga. Louco só conversa com vento e com psiquiatra.
7-Outro dia um amigo me comentou o seguinte: “tenho uma colega professora que foi cedida para trabalhar com Tia Yeda. Encontrei-a na rua e cumprimentei. Não houve resposta. Ela estava caminhando só de corpo, pois a alma não estava ali. Ela estava caminhando como um zumbi! Esta semana fiquei sabendo que ela está retornando ao trabalho “normal.”
8-o maia tomou o tal chá alucinógeno que servem no Piratini, e que serviram aos deputados: Beto Albuquerque (PSB), Maria do Rosário (PT), Luciana Genro (PSOL), Manuela (PCdoB) nos 50 Anos inesquecíveis do grupo RBS?
9-Maia, tu deves ser o chefe de gabinete de Yeda infiltrado pra tentar convencer que a água do Arroio Dilúvio é potável!

Contato com o blog Diário Gauche:

cfeil@ymail.com

Arquivo do Diário Gauche

Perfil do blogueiro:

Porto Alegre, RS, Brazil
Sociólogo