Você está entrando no Diário Gauche, um blog com as janelas abertas para o mar de incertezas do século 21.

Surf no lixo contemporâneo: a que ponto chegamos! E que mundo deixaremos de herança para Keith Richards?

sexta-feira, 23 de novembro de 2007


Mistérios da administração Fogaça

Antes do governo Fogaça a Prefeitura Municipal de Porto Alegre funcionava com sistema operacional Linux (software livre). Hoje, a administração Fogaça trabalha (ou faz que trabalha) com o sistema da Microsoft (software proprietário e caríssimo).

Alguém pode desvendar esse mistério? Os nossos bravos vereadores da oposição tem notícia desse enigma fogaciano? Conseguem desvendá-lo?


Por que pagar por algo que pode ser livre e praticamente gratuito?

26 comentários:

Carlos Eduardo da Maia disse...

Por um motivo simples: qualidade, eficiência, rapidez. Windows é muiiiiito melhor que o Linux. Não tem nem comparação. Já trabalhei com Linux e foi um caos. O pessoal teve de mudar de sistema e passar tudo novamente para windows. A atualização é complicada, não reconhece as inovações tecnológicas, diversos programas não rodam, não consegue ler certos arquivos e programas etc. Por que as grandes empresas utilizam windows? Resposta simples e imediata: porque vale a pena o custo benefício.

Canova disse...

Maia, para além da tua cara de pau, me responde por que a IBM só utiliza Linux?

guimas disse...

Maia, o que disseste é uma opinião equivocada, que no meio onde trabalho (informática), se chama de FUD (fear, uncertainty and doubt).

Hoje em dia, não há nada que o Windows faça que o Linux não faça de maneira equivalente (ou até melhor).

O que disseste era válido há 10 ou 15 anos, talvez. Hoje, é pura balela.

Quanto ao custo-benefício (TCO, total cost of ownership), o Linux é equivalente ao Windows em ambientes corporativos muito grandes. Em ambientes pequenos e médios, o Linux ganha com folga.

Está na hora de rever seus conceitos. Essa coisa de que Windows é "muiiiiito" melhor é conversa de gente desinformada, ou que está na folha de pagamento da Microsoft - vários de nossos políticos estão.

Carlos Eduardo da Maia disse...

Quem mais utiliza Linux além da IBM?? 99% das grandes empresas utilizam Windows. E é dinheirinho da grande empresa que poderia sim optar por trabalhar de graça com Linux. Não fazem isso, porque o windows é melhor. O Judiciário todo usa windows. As grandes corporações usam windows. MInha experiência com Linux foi catastrófica. POde até ser que o sistema hoje esteja mais evoluido - não sei -, mas prefiro continuar trabalhando com windows. Outro dia perguntei ao pessoal da Procergs sobre os dois sistemas e o grupo que conversei foi unânime, preferem mil vezes trabalhar com windows. Não estou aqui fazendo propaganda para a Microsoft, mas vi de perto ( e muita gente tem essa mesma impressão) como foi trabalhar ( e haja paciência) com o Linux.

Omar disse...

Há algum engano nesta notícia. Sou servidor municipal desde 2000 e NUNCA vi um computador na prefeitura rodando linux, a não ser nos telecentros.O sistema operacional de todas as secretarias rodam em windows.

guimas disse...

Cita aí a fonte dos 99% das empresas, Maia. Em que segmento, servidor ou desktop? Empresas americanas ou brasileiras? Setor público ou privado?

Colocando assim é só fanboyism.

Eu também trabalho com Windows, mas não teria problemas de trabalhar com o Linux - aliás já o fiz, recentemente - mas tenho que me manter na plataforma Microsoft por questões de aplicativos antigos.

Pergunta pra quem "prefere" o Windows se estariam dispostos a pagar os R$ 500,00 que custa a licença do Windows, atualmente, para surfar nos blogs.

Carlos Eduardo da Maia disse...

POis é, Guimas, vc tem que manter a plataforma microsoft por questões de aplicativos antigos... E esse é o fundo da questão. Este é o ponto. E não é só aplicativos antigos, vai ser também em relação aos aplicativos novos que a Microsoft desenvolve apenas para rodar em seus programas. O Linux pode ser livre, pode ser de graça, pode ser bonitinho, pode ser "muderno, politicamente correto etc. mas -- no fundo no fundo -- se o vivente for escolher entre windows e linux vai preferir o windows.

guimas disse...

"mas -- no fundo no fundo -- se o vivente for escolher entre windows e linux vai preferir o windows"

Se o "vivente" tiver que pagar pelo windows, para surfar na internet e mandar email, vai pensar duas vezes.

Mas todos sabemos que não são todos os Windows que vemos por aí que são licenciados, não é mesmo?

Agora, olhe a seguinte situação: uma empresa pública resolve desenvolver um sistema novo de gerenciamento qualquer. Deve ela gastar milhões - milhões, sim - em licenças para a Microsoft, ou deve buscar uma alternativa livre, que não a vincula aos humores de uma só empresa?

O vivente só vai escolher o Windows nessa situação - muitíssimo comum no mercado brasileiro - se estiver recebendo algo para isso. É o único motivo.
Tecnologicamente falando, hoje, para sistemas novos, a melhor escolha é Free Software.

O que o Maia escreveu é opinião e fanboyism da Microsoft.

jorge rocha disse...

Guimas, é perda de tempo. Se o artigo do Cristóvão fosse favorável ao Windows, aposto que o Maia se posicionaria como grande defensor do software livre. Eu só lembro dele ter concordado (parcialmente) uma vez com o dono do blog, e mesmo assim, com direito à sua tradicional chinelada. Isso só a psicologia pode explicar.

A CARAPUÇA disse...

Meu Carlos Eduardo da Maia:
Quando surgiu o Linux, era muito difícil de configurar. Hoje, existem diversas versões, que são instaladas quase que totalmente por si só. Deve-se saber que o funcionamento do Linux não é igual ao Windows.
Em uma máquina nova, a instalação é simples. O Linux é estável, muito mais que o Windows, não trava e a atualização é simples demais. Nos sistemas de banco de dados, se utiliza muito o sistema Linux. É mais imune a vírus e estável.

Tua experiência com o Linux foi catastrófica por desinformação! A PROCERGS não é baliza, nem pro mosquito da dengue.

Agora, quem popularizou o PC, foi o Windows. Os usuários domésticos estão mais acostumados com sua arquitetura. Por isso ele é mais fácil. Mas o Linux, hoje, é tão fácil de configurar, como o Windows. Qualquer técnico de computador sabe instalar, até uma criança.

Porém existem programas que rodam somente no Windows. O Photoshop CS3, por exemplo, é um deles. Ou algum programas feito somente para rodar no Windows.

Na migração, o furo é mais em baixo. Eu estou migrando meu computador de trabalho para o Linux Kurumin 7.0 Ligth. Tudo está funcionando. E bem.
O problema, meu caro Maia, se uma empresa pública compra 100 pacotes do Windows por R$ nnn,nn e o comprador ganhar 10%, resultará em um desvio de 100 x nnn,nn x 0,10. O que resultará que o comprador ganhará o equivalente a 10 pacotes. Se for o Linux, nada será cobrado. Isso é business, meu caro. E o governo Fogaça e Yeda, surfam nesta Honda!
A IBM não é uma empresa qualquer. Vá estudar Linux, pra não dizer bobagem.

Anônimo disse...

Caro Maia,

Já é público e notório, como bem sabes, que és irritantemente insuportável. Se era esse teu intento estás de parabéns, pois há léguas virtuais já o alcançaste. Confesso que começo a ler o resultado de tuas complicações gastromentais congênitas e já tenho náuseas.

Talvez sejam minhas suscetibilidades, vá lá.

Bem, passando ao largo dos melindres, o caso é que ainda está difícil para minha obtusa pessoa mensurar o quão mais insuportável te tornas todas as vezes que exercitas tua cínica sabujice ou que alardeias virtudes intelectuais que não possuis, o que, de quebra, faz com que eu pense seriamente sobre os limites entre a ignorância e a loucura.

claudia cardoso disse...

As escolas municipais, até 2002 (ano em que saí), possuíam seus laboratórios de informática rodando Linux. Os demais setores computadorizados da escola fizeram a migração paulatinamente. Não sei como está a situação nessas escolas hoje, preciso me informar.

Anônimo disse...

A implantação do sistema Linux estava sendo desenvolvida pela Procergs para ser aplicada no Governo Estadual e foi interrompida no governo anterior.

sisqueci disse...

Maia, as grandes empresas não utilizam só Windows. É muito comum se ver empresas usando Linux e/ou BSD em seus servidores e Windows nas estações. Agora mesmo devemos estar usando um servidor Linux para discordar (Google/Blogspot usa Linux). O site da Casa Branca está rodando em Linux neste exato momento:

http://toolbar.netcraft.com/site_report?url=http://www.whitehouse.gov

Linux é muito eficiente, rápido e barato em servidores. Há anos vem substituindo o caro e proprietário Unix em computadores no mundo todo e forçando a Microsoft a gastar muita grana para não ficar para trás também.

A adaptação do Linux para uso em computadores domésticos é que é muito recente. Tem menos de dez anos, mas já está muito bom de usar, posso garantir. Só por diversão, rodo nele até os aplicativos que rodava no Windows: Office 97, IE, Unreal Tournament, Comandos. Até vírus já consegui rodar por aqui :o)

É uma pena a prefeitura ter abandonado as experiências com Software Livre. O sistema evoluiu muito.

sisqueci disse...

Ah! Essa postagem foi feita num um k6II 500, bixado, com 128 de ram. Slack rlz!

Luciana disse...

Cristóvão, o Omar tem razão. Trabalhei entre 1993 e 2004 na PMPA e desde que existe, o Windows foi adotado em todas as secretarias. Cobra da tua fonte a informação equivocada!

flics disse...

O anú é um pássaro preto que não faz ninho. Bota os ovos no ninho dos outros. Que depois se encarregam de cria-los.

O "Documenta-dor mor" deste blog deve adotá-lo como símbolo.

Eduardo disse...

Maia: quem tem pessoal de qualidade, tipo prefeitura de Frankfurt, pode investir em mudar o desktop de todos os usuários para Linux.

Precisa-se de gente com estudo para se fazer a conversão, o pessoal comum de escritório brasileiro, que raramente lê o help (muito menos em inglês) não é o público mais receptivo.

Empresa pequena, pé-de-chinelo, com poucos empregados e sem tempo de planejar estratégia em TI, esses só vão largar o Windows quando se ensinar Linux na escola e tiver gente alfabetizada em outro SO para contratar.

O resultado é mais desperdício do dinheiro público e privado com o SO do tio Bill.

No TJ, se abandonou o MSOffice, as sentenças já são escritas em BrOffice, eles traduziram até as macros de formatação, funciona tudo nas mais de 50 juntas de desembargadores. Eles fizeram frontends em BrOffice que se comunicam com o banco de dados Oracle e buscam a informação estruturada para compor o esqueleto das sentenças e gerir a pauta das sessões.

Largar o MSOffice e formato .doc é um primeiro e enorme passo para pular fora da canoa do tio Bill.

Tudo o que eles fizeram com o brOffice em windows, vão poder fazer com em linux. Deu para a bola do tio Bill, basta portar o programa chamador que foi feito em Delphi.

Mais avançada está a UNISINOS, onde todo mundo usa Linux, o pessoal de rede lá escolheu uma interface quase igual a windows, as mulheres dos escritórios administrativos nem notam a diferença.

A adoção do Linux depende portanto da qualidade do pessoal da organização e dos objetivos da alta administração.

Se o objetivo é gastar dinheiro público em licitações ao invés de treinamento, então a opção do gestor é o Ruindows.

eugênio disse...

Falou a carapuça, que sabe o que está dizendo.

Lucas disse...

Maia é um babaca, inventa suas certezas e quando é contestado com argumentos não aparece mais. Um canalha, sem dúvida.

Luciana disse...

Cristóvão, não vais checar a informação?

Anônimo disse...

A internauta Anamaria, de Brasília – DF , escreve:
Bom dia . Você conhece a expressão "demonizar a direita", tática que os petistas & Cia usam contra a direita?
Aqui em Brasília, estava com meu namorado na Livraria Cultura e ocorreu um evento maravilhoso. Não é que lançaram um livro polêmico contra os quilombolas de Lula e o autor é um ativista daquela organização religiosa conservadora, direitista a mais não poder, a tradição, família, propriedade (a famosa TFP). O nome dele é Nelson Bareto e o que fala no livro contra os quilombolas, parece ser fruto de um pesadelo etílico do Lula ou do fanatismo ultrapassado de comuna.
Você não imagina, no meio dos figurões que estiveram aqui na Cultura, veio um Príncipe, bisneto da Princesa Isabel, perguntei o nome dele é me falaram que se chama dom Bertrand. Ma falaram que ele também é da organização de direita tradição, família e propriedade, que a esquerda "demoniza".
Você precisava ver o espetáculo da figura: parecia ter saido de lendária página da história, elegantíssimo, finíssimo, muitíssimo bem educado, atendia todo mundo que se aproximava com um sorriso que derrete a gente. Eu fiquei bloqueada. Não conseguia dizer nada. Queria só olhar , não queria perder o mínimo detalhe.
Ele estava sempre acompanhado de um pagem, magro, esguio, tão branco que parecia ter tomado um banho de talco e só faltava a peruca empoada. Ele também era muito educado. O lendário príncipe só esquentava quando falava sobre o absurdo do quilombola lulista, reforma agrária e outras coisas das tábuas da lei dos princípios da tradição, família e propriedade.
Você acredita que umas ativistas petistas/chavistas apareceram por lá para agitar o evento? Falei pro meu gato que o princípe poderia dizer para as comunas o que o rei espanhol falou pro Chaves: "porque não te calas?" Meu gato falou que ele era príncipe e homem de verdade não bate em mulher nem com luva de pelica.
E o pretinho que estava lá no evento? Um encanto. Escovado, educadíssimo, simpaticíssimo, me falaram que é do setor noir da tradição, família, propriedade que com mais esta nos surpreendeu. O que não consigo entender, é como tem gente que quer "demonizar" estas pessoas tão boas. Anamaria – Brasília - DF

Cristóvão Feil disse...

As 96 escolas do município de Porto Alegre usavam Linux até o início do governo Fogaça,quando então passaram a usar o software proprietário da Microsoft.

Alguém sabe me responder qual o motivo?

Os vereadores sabem deste fato?

orson disse...

Esta Ana Maria é a mesma do biquini pequeninho e de bolinhas?

Eugênio disse...

"...que fala no livro contra os quilombolas, parece ser fruto de um pesadelo etílico do Lula ou do fanatismo ultrapassado de comuna."
"...parecia ter saido de lendária página da história, elegantíssimo, finíssimo, muitíssimo bem educado,..."
"...E o pretinho que estava lá no evento? Um encanto. Escovado, educadíssimo, simpaticíssimo..."

Isso foi uma tentativa de fazer ironia ou é puro racismo mesmo???
Tem um anônimo aí falando pela boca d uma tal Anamaria????

sisqueci disse...

Para saber mais sobre o causo da Anamaria:

http://www.midiaindependente.org/pt/blue/2007/11/403328.shtml

Parece que até a TFP entrou nessa onda de Marketing Viral

Contato com o blog Diário Gauche:

cfeil@ymail.com

Arquivo do Diário Gauche

Perfil do blogueiro:

Porto Alegre, RS, Brazil
Sociólogo