Você está entrando no Diário Gauche, um blog com as janelas abertas para o mar de incertezas do século 21.

Surf no lixo contemporâneo: a que ponto chegamos! E que mundo deixaremos de herança para Keith Richards?

quarta-feira, 7 de novembro de 2007


Até o NYT critica Bush


Viram? Isso não é só coisa de blog ranheta, esquerdista, mal humorado! Deu no The New York Times, de ontem, em editorial.


A imposição da lei marcial no Paquistão sublinha o fracasso da política do presidente americano, George W. Bush, em relação a um aliado-chave na guerra contra o terror - uma política "servilmente concentrada em um único governante autocrático e não mais amplamente no país dele", diz o editorial da edição de ontem do conservador jornal norte-americano The New York Times.

"Devolver ao Paquistão um governo civil foi um objetivo declarado dos Estados Unidos desde que o general (Pervez) Musharraf (na foto, com Bush) tomou o poder em 1999, em um golpe sem derramamento de sangue", lembra o jornal, destacando, contudo, que o líder militar paquistanês "quebrou repetidamente promessas de caminhar nessa direção".

E "na maior parte das vezes, Bush, que diz que não pode vencer a guerra contra o terrorismo sem o general Musharraf, mas claramente também não pode vencer com ele, consentiu em seus erros".

"Não apenas o general se provou menos comprometido com a luta antiterror do que o esperado (Al-Qaeda e Talebã estão ressurgindo na fronteira com o Afeganistão), mas agora ele abandonou qualquer pretensão de caminhar em direção à democracia", afirma o editorial.

O jornal conclui que "democracia e não ditadura é a melhor esperança para um Paquistão estável", lembrando que esta é uma potência nuclear.

E que uma estratégia para se "recuar do abismo" seria apostar em um acordo de Musharraf com a ex-premiê Benazir Bhutto, se Musharraf mantiver o compromisso com a realização de eleições abertas a todos os partidos.

2 comentários:

Carlos Eduardo da Maia disse...

O NYT vem criticando Bush há muito tempo. O Paquistão, que é um país muçulmano e localizado em ponto estratégico, é um aliado importante dos EUA, sobretudo para impor seu apoio ao governo - meio complicado - do Afeganistão. Os recentes fatos e a cobertura da grande mídia sobre o assunto estão também a demonstrar que não existe um interesse monolítico entre a grande mídia e o governo americano. Aliás, no mundo de fluxos e refluxos é anacrônico falara em interesses monolíticos. A grande mídia aprendeu que democracia é essencial e que não é possível acobertar uma ditadura para fazer valer interesses geopolíticos. Ditadura é ditadura e nenhum governo -- e nenhuma mídia -- pode pactuar com isso.

Eugênio disse...

Feil
Não dá pra esquecer q este mesmo NYT apoiou com unhas e dentes a versão falcatrua das armas d destruição em massa do Iraque. depois veio dizer q tinha sido "enganado" por Bush. A posição deles agora é compreencível, de tentar se descolar do rotundo fracasso do qual foram cúmplices quando acharam q a aventura no Iraque seria um passeio.
Mas a grande mídia ianque continua fiel a sua sabujice ao governo Buch, mantendo um silêncio criminoso em relação ao ataque q está sendo preparado contra o Iran.

Contato com o blog Diário Gauche:

cfeil@ymail.com

Arquivo do Diário Gauche

Perfil do blogueiro:

Porto Alegre, RS, Brazil
Sociólogo