Você está entrando no Diário Gauche, um blog com as janelas abertas para o mar de incertezas do século 21.

Surf no lixo contemporâneo: a que ponto chegamos! E que mundo deixaremos de herança para Keith Richards?

terça-feira, 6 de novembro de 2007


A propósito dos 90 anos da revolução soviética

“Não há dialética sem oposição e sem liberdade; não há por muito tempo oposição e liberdade em uma revolução. A degeneração de todas as revoluções conhecidas não é fruto do acaso: como regime instituído nunca podem ser o que foram como movimento que, justamente, por ter sido um sucesso, chegou à instituição; o movimento histórico já não é mais ele mesmo, fazendo-se, ‘trai-se’ e ‘desfigura-se’. As revoluções são verdadeiras como movimento e falsas como regimes”.

(As Aventuras da Dialética. Merleau-Ponty, 1955)


Foto: Stálin, Lênin e Kalinin, em 1919

7 comentários:

armando disse...

A Revolução Russa é a prova de que existe a possibilidade de transformar sonhos em realidade, ainda que por curto espaço de tempo histórico. Assaltar os céus, continua sendo o objetivo.

Carlos Eduardo da Maia disse...

Merleau Ponty disse tudo. Revolução é movimento, mas que se esvai, se dissipa, se assimila, estabiliza. A dialética que procura a síntese. Como disse Tockeville, existe um imenso espaço entre o despotismo do antigo regime e o terror do novo regime.

Friedrich Neumann disse...

Nada é mais triste que un pseudo intelectual, no caso este energumeno Maia.Tocqville afirma ocorrer uma continuidade entre o antigo regime e novo regime. Há imbecis para tudo.

Carlos Eduardo da Maia disse...

Mein Gott, Friederich, Wo wonst du? A vida, inclusive a revolucionária, é feita de continuidades, sínteses e modificações. Ela pode ser dinâmica, revolucionária, mas ela continua. A própria revolução francesa de 1789 passou pela sua fase mais radical de grande instransigência e terror e se estabilizou, se moderou.

soldadonofront disse...

Segundo a história, antes de morrer, Lenin teria dito aos membros do partido comunista soviético:

Stalin não deve ser presidente, ele é radical e violento.

Apartir daí começou o declínio do sonhado comunismo soviético.

armando disse...

A frase de Lenin, segundo outras fontes, teria sido: "Esse cozinheiro nos fará pratos apimentados".

Salin foi leninista, sem o talento e habilidade daquele.

Mal começou o estudo sério, para entendermos o que houve de 1924 a 1953 na antiga URSS.

Eugênio disse...

"Esse cozinheiro nos fará pratos apimentados". Foi exatamente essa a frase.
É verdade q Stalin foi fiel a Lenin, tanto q foi o único q o apoio quando do acordo de paz com a Alemanha na primeira guerra. Todas as outras lideranças pregavam um estado "nem d paz e nem d guerra" com a Alemanha, o q fatalmente teria aniquilado a revolução logo no seu início, pois a Rússia ñ teria como lutar além fronteiras e enfrentar a guerra civil q logo estourou.

Contato com o blog Diário Gauche:

cfeil@ymail.com

Arquivo do Diário Gauche

Perfil do blogueiro:

Porto Alegre, RS, Brazil
Sociólogo