Você está entrando no Diário Gauche, um blog com as janelas abertas para o mar de incertezas do século 21.

Surf no lixo contemporâneo: a que ponto chegamos! E que mundo deixaremos de herança para Keith Richards?

quarta-feira, 2 de julho de 2008



A naturalidade com que anunciam a orquestra sem-teto


É notável o cinismo como o PIG de bombachas está encarando o fechamento do teatro da Ospa (Orquestra Sinfônica de Porto Alegre), fundação autárquica vinculada à Secretaria Estadual da Cultura.


O fechamento do teatro – da casa – da Ospa é um fato grave, porque expressa o valor que é conferido à produção de bens culturais não só pelo atual governo estadual, mas sobretudo pela própria elite econômica regional. No caso, o valor atribuído é próximo do zero, evidenciando bem a rasteira estatura cultural da burguesia maragata e seu governicho da hora.


Os jornais de hoje não procuram os responsáveis diretos por esse descaso, tratam o assunto como se fora parte da lei biológica do nascer/crescer/amadurecer/morrer. Tudo fica naturalizado e a mídia local apassiva-se com o sepulcral silêncio da secretária de Cultura, Mônica Leal, e da própria governadora Yeda Crusius.


O governo Yeda se cala porque se recusa a esclarecer a comunidade cultural do Estado sobre os destinos da Fundação Ospa. Essa autarquia está sentenciada, segundo se sabe, a ser uma futura Oscip (Organização da Sociedade Civil de Interesse Público), portanto, está predestinada a ser rifada na bacia das almas para administradores privados quaisquer, muito embora, os seus músicos continuem a ser funcionários públicos com os proventos pagos pelo Estado.


Como se pode notar, tudo é incerto e sombreado no governo Yeda, menos a manobra que a governadora está fazendo para majorar os seus próprios ganhos em 143%.


Mas – partindo desta governadora – nada mais pode nos surpreender. Nada. Nem uma orquestra sinfônica de sem-teto.


34 comentários:

joca disse...

Bah!

Carlos Eduardo da Maia disse...

A OSPA tem mais é que se tornar OSCIP mesmo. A Filarmônica de Berlim é uma parceria do município de Berlim com o Deutsche Bank. E a Filarmônica de Berlim é a Filarmônica de Berlim. Qual o problema de uma orquestra sinfônica ser uma OSCIP? Quer dizer então que qualquer parceria que se faça entre o público e o privado vai gerar uma fraude do Detran? Este tipo de raciocínio é medíocre e reducionista. O Estado do RS está completamente falido. Paga péssimamente seus professores de escola pública e ainda vai ter que gerir uma orquestra sinfônica? A OSPA precisa de uma nova casa, mas os ambientalistas não querem que ela seja construída no parque harmonia. Os projetos emperram, os recursos são curtos e este é o Brasil de nossos dias. Nada sai do papel, tudo fica preso na burocracia e a patrulha ideológica do nada critica a OSPA porque ela vai ser parceira com a iniciativa privada... Francamente.

Anônimo disse...

O novo jeito de governar - fechar, abandonar, exaurir, prender, abordar, demitir.

Anônimo disse...

Quem comanda os ambientalistas no Portinho é um vereador do PP, e secretário do Fumaça, chamado Beto Moesch. O problema "burocrático" é culpa da indolência do governo municipal e da sovinice da "burguesia gaúcha" (será que existe essa categoria social, neste pobre pampa?)

Juarez Prieb disse...

Acho que os deputados de Oposição precisam procurar o distrato do aluguel do teatro Leopoldina. Os proprietários são da família Satt, tem um publicitariozinho com esse nome, dono da agência Competence, que pode explicar. Tudo foi feito na surdina e parece que nada é importante.
Essa gentalha prefere ir a NY assistir umas peças chulé do que investir em cultura aqui. O teatro Iberê foi todo feito com renúncia fiscal, mas o mecenas é o Gerdau. Mecenas de jornal, de mentirinha.
Gauchada chulé. Andam de quatro pelas ruas de Miami, LA e NY. Essa gente não sabe nem usar talher de forma decente e educada.

jean disse...

Outro dia eu conversava com um grande empresário dentro da Fiergs e o sujo me deu uma tossida na cara, sem proteger com a palma da mão.
Pedi licença e fui lavar o rosto no WC.
São os mesmo que abrem o vidro do carro de 100 mil dólares e jogam sujeira na rua.

Anônimo disse...

Acho que o Maia deve ser privatizado.

Anônimo disse...

O que o canalha do Maia não vê é a má vontade do "novo jeito de governar" com a cultura.

O novo jeito de governar só andou no Detran, Daer e Banrisul, e deu no que deu.

Nada como uma casa depois da outra.

Claudio Dode

panoramix disse...

Tive rara oportunidade de ouvir esta maravilhosa e maltrada orquestra em um dia de inspiração divina executar a Ressurreição do Mahler, sua 2ª Sinfônia. Foi uma das interpretações mais bonitas de uma obra que é de dificuldade absoluta (faço coleção de Sinfônias do Mahler com vários maestros e digo que existem verdadeiras porcarias com nomes famosos regendo). Sinceramente não enxergo dificuldades para que empresas privadas apoiem este poderoso grupo de músicos. Acho que, no caso, todos ganhariam com isto! Música classica é cultura em seu mais alto requinte que deve ser ensinada para nossas crianças e jovens!

Anônimo disse...

O Maia já é OSCIP

Anônimo disse...

Quanta beleza na foto do alto!
Mas a Manuela é muito mais!

Futura prefeita de POA.

Messias

Jorge Vieira disse...

Agora, além do Maia a militância brittista, o homem das privatizações e do PDV, está a encher o saco.

O brittismo na prefa do Portinho será a privatização do DMAE e da Carris.

Nem morto (obviamente) voto na Manuela.

Anônimo disse...

Esse governucho, que trata a nossa cultura como se fosse uma fábrica de parafusos, desmontou a teia de cultura dos produtores independentes, para fazer uma "cultura" de projetos do Estado, com o dinheiro da LIC. Hoje o produtor de teatral, de cinema e arte, não tem dinheiro para os seus projetos, só para Multipalcos (grande estacionamento ), museu Iberê Camargo, etc, etc. Então a saída da Orquestra da OSPA, é consequência desse desmonte cultural do Estado.

Kadu

Anônimo disse...

Quem será bruxa no meio daquele montão princesas?

heliopaz disse...

Já que quase não havia acesso da OSPA à população em geral e a maioria de seus músicos votou sistematicamente na caterva de Simon, Britto e Yeda, justamente por passarem dificuldades para mostrar a sua obra, por ganharem muito menos do que merecem e por serem abnegados que, ao invés de demonstrarem uma postura mais firme e mais política, omitiram-se e ficaram apenas na torcida, não posso dizer que não foi bem feito.

Triste para nós, triste para políticas inclusivas e culturais decentes. Mas, indivíduo por indivíduo, eles fizeram uma escolha.

E sua escolha foi a de morrer abraçado ao inimigo.

Devo ter pena deles? Não.

[]'s,
Hélio

Prestes disse...

Jamais votarei no Berfran Rosado, a não ser em caso de emergência: segundo turno contra Onyx Lorenzoni.

Carlos Eduardo da Maia disse...

Hélio, qual o problema da OSPA ter uma parceria com a iniciativa privada, como ocorre com a imensa maioria das filarmônicas e orquestras do mundo inteiro? O importante é que a OSPA continue atuando e que tenha logo um espaço para ela apresentar seu trabalho. Por que o Estado e apenas ele tem que manter a OSPA? O que importa como os músicos da OSPA votaram? Isso é completamente impertinente. As políticas culturais decentes como o maravilhoso Museu Iberê são sempre feitas em parceria do público e do privado. Por que esse preconceito que a esquerda rancorosa gaúcha tem com a iniciativa privada? Esse preconceito, esse ranço é um dos motivos pelos quais o povo do RS não vota na esquerda faz muito tempo. Ninguém gosta de quem tem idéias mofadas....Ou a esquerda gaúcha se renova, areja seu ponto de vista ou vai continuar perdendo eleições.... E viva a Manu!!!

Anônimo disse...

Se o Maia está com a Manu/Britto, estão a coisa tá feia.

Anônimo disse...

Parece que, pelo andar da carruagem, dona Yeda quer mesmo é transformar a OSPA numa OSCIP, assim como é em São Paulo.
O mesmo está pensando em relação à TVE e FM Cultura.
A única cultura que eles gostam é a do agronegócio...
O governo Fogaça, através de seu "competente" Secr. de Cultura, ex-professor de cursinho como ele, doa um espaço físico para o grupo "Oi nois aqui traveiz". Arranja, também, uns minguados pilas para o Camilo de Lélis e o João França encenarem a "Tomada da Ponte da Azenha", com cunhos mais eleitoreiros do que históricos.
Claro que eles também merecem, mas por que não se solidarizar com a OSPA?
Para os neo-liberais Cultura é supérflua e traz reflexões incômodas, breve mandarão o Iluminado Cel.Mendes dar uns "petelecos" nesses desocupados e sem-teto...

Ricardo Mainieri

Carlos Eduardo da Maia disse...

Não estou com a Manu, vou de Fogaça mesmo que é o "menos pior". Cultura não é, sobre hipótese alguma, algo supérfluo. Cultura é investimento. E as grandes atividades culturais nesse mundo de nosso deus são sempre realizadas em parceria entre Estado e iniciativa privada. Pessoal, conheçam o Museu Iberê: vale a pena, está muito bonito, o projeto é impressionante e a entrada é "de gratis". Se não houvesse essa parceria, o que haveria naquele local hoje? Capim, grama, resto de objetos usados.

Anônimo disse...

A síntese do Maia (dinherista e mercadista): "Cultura é investimento".

Investimento para quem?

Anônimo disse...

O Maia só poderia votar no Fumaça, afinal desocupado vota em indolnete.

Anônimo disse...

O Maia só poderia votar no Fumaça, afinal desocupado vota em indolente.

gustavo disse...

esta história da carochinha, tal qual se da sob a orientação dos governos de direita, de parceria público-privada para incentivar a cultura ninguém engole! O Museu Ibere é um exemplo: um tipo de empreendimento cultural que não propicia o acesso da grande maioria das pessoas, um tipo de cultura absolutamente elitista! e mais! custeada com dinheiro publico sim, dinheiro do contribuinte, dinheiro de isenção de impostos!por que sera o gerdau não financia a terreira da tribo para montar teatro de rua?!mais uma vez a questão é ideologica sr. Maia! e tua opinião e pruamente ideológica e sectaria.

Anônimo disse...

Atentem para o "marxista" em reportagem sobre as FARC e a libertação da Ingrid Betancour no site do Terra. Sinistro!
O Boaventura estava certo, é o contra-ataque.

Anônimo disse...

esqueci o link: http://noticias.terra.com.br/mundo/eleicoesnoseua2008/interna/0,,OI2985267-EI10986,00-McCain+acredita+que+Farc+abandonarao+luta+armada.html

Camilo disse...

Viva a Manu!

Viva o Britto!

Viva o Berfran!

Vamos derrotar o Fogaça!

Carlos Eduardo da Maia disse...

O Dode é o Saint Just e o Gustavo é o Couthon. Quem será o Robespierre?
Gustavo, o Museu Iberê é grátis. Vá ver como ficou e deixa o preconceito de lado.

Anônimo disse...

a ospa ainda não tem um teatro por causa dos chamados "ambientalistas", que não querem que o construa ao lado da câmara de vereadores.
mas a manuela vem aí e ela, junto com o britto, vai dar um jeito.
ou a maria do rosário, ao lado do delúbio consegue grana fácil fácil.
ou então a luciana com o papai.

Anônimo disse...

E quem será o Maia?
Um cocô do Guerdau, feito no banheiro do museu, flutuando no Guaibão...

Anônimo disse...

Que fraqueza de debate.
O tema não é a Ospa e a naturalidade da notícia na ótica de ZH?
Helio diz que os músicos são culpados pelo fechamento da Ospa, em função da posição política que tiveram.
Não seria o fechamento da Ospa desinteresse de sucessivos políticos, do PT, do PSDB, do PMDB e outros, seja na prefeitura (15 anos com o PT, isso?) e no Piratini?
E a culpa é dos músicos...
A patrulha ideológica é forte, cega, surda e burra.
E o problema depois é o Maia, o PIG, o Lula, o Chavez...
ZeMario

fernando disse...

Maia,

Realmente o Gerdau ajudou muito, pegou a lei Rouanet e comprou vergalhão da Gerdau para construir o museu...boas

Anônimo disse...

ZeMario, é óbvio que tu é o Maia...

Anônimo disse...

Anônimo,
O Maia é o Maia, eu sou eu.

Mas em teu pensamento único ninguém pode discordar, não é. Típico do socialismo autoritário que impera nestes blogs...
ZeMario

Contato com o blog Diário Gauche:

cfeil@ymail.com

Arquivo do Diário Gauche

Perfil do blogueiro:

Porto Alegre, RS, Brazil
Sociólogo