Você está entrando no Diário Gauche, um blog com as janelas abertas para o mar de incertezas do século 21.

Surf no lixo contemporâneo: a que ponto chegamos! E que mundo deixaremos de herança para Keith Richards?

terça-feira, 29 de julho de 2008

Chove


Pesadelo líquido

Chove desde a madrugada de domingo em Porto Alegre. Respira-se água. Sinto que a minha respiração está deixando de ser pulmonar para se transformar em branquial.

Tem um livro do Gabriel Garcia Márquez que chama-se “La Mala Hora”, e foi escrito imediatamente antes de “Cem Anos de Solidão”, passa-se em um pequeno povoado no interior da sua Colômbia, onde chove o tempo inteiro da narrativa. Há muitos anos, quando estava lendo esta obra, eu conseguia ver girinos e mesmo pequenas algas nas entrelinhas do texto, do tanto que tudo era líquido por ali. Garcia Márquez faz da chuva uma personagem da trama, onde tudo fica mais grave e dramático naquele meio transfigurado e úmido. Tanto mais quando os personagens amanheciam com aquelas pesadas revelações sob a forma de bilhetes pregados nas portas dos moradores do lugar. Um pesadelo.

Talvez se não chovesse tanto, pudesse ser uma história como qualquer outra.

Veja a governadora Yeda, não tem sossego, a coitada. É todo o dia recebendo bilhetes simbólicos lhe cobrando uma explicação sobre a compra do modesto imóvel de arrabalde. Tanto mais com essa chuva. Tudo fica mais grave e a culpa, que as pessoas insistem em carregar, mais líquida e ameaçadora.

Coisas da vida.

Foto: Ronaldo Bernardi/ZH. A chuva no calçadão da Rua da Praia. Bela fotografia, Fotonaldo!

10 comentários:

Carlos Eduardo da Maia disse...

E o conduto da Alvaro Chaves parece que está dando certo. Não existe mais alagamentos em certos locais em Porto Alegre. Ponto para o Fogaça, o menos pior dos candidatos.

Anônimo disse...

E os que fizeram o projeto e equilibraram as finanças da Prefa para obter a grana não merecem nenhum crédito? Caiu no colo do fumaça?

Quanta injustiça!

Agora, quanto dinheiro posto fora com o asfaltamento da Ipiranga e da João Pessoa.

Anônimo disse...

Apesar da expansão, falta de concorrência prejudica telefonia fixa
Publicidade

LORENNA RODRIGUES
da Folha Online, em Brasília

Enquanto na telefonia móvel as operadoras apelam para promoções, aparelhos subsidiados e até ligações gratuitas para atrair o consumidor, na telefonia fixa a concorrência, como imaginada na época da privatização, não ocorreu.

Em 1998, as redes --e os clientes-- do já estabelecido Sistema Telebrás foram fatiadas por região e vendidas à iniciativa privada. Nessas mesmas regiões, foram criadas empresas espelhos. Essas empresas seriam independentes, não teriam que cumprir as metas e obrigações das concessionárias, mas também teriam que montar uma nova infra-estrutura.

MAS PRIVATIZARAM PARA TER CONCORRÊNCIA E NÃO TEM, QUE PENA.

Sueli - Porto Alegre disse...

Cristovão,sou uma ignorante,me esclarece: prá dar um impitmam nessa criatura ela precisa cumprir 2 anos de mandato?


Abraço

Anônimo disse...

Tá ruim de ler o post e os comentários.
Reclamo do governo estadual, por não haver chovido ainda aqui em Cruz Alta.
A Yeda está mostrando sua incompetência, por não incluir os agricultores do planalto médio, nesta chuvarada que os metropolitanos se queixam ser em demasia.
Tomara que esteja chovendo nas regiões de eucaliptos, lá no belo Pampa, para que o Aquífero não venha a secar.
Brincadeira, né gente!

Quanto comentário ridículo sobre o projeto de florestamento.

Vamos pensar no desenvolvimento do nosso Rio Grande.

Lauro

Cristóvão Feil disse...

Prezada Sueli, não é necessário que passe dois anos para que a governadora seja impedida (impeachment).

O impedimento acontece quando 2/3 dos deputados decidirem que ela não possa mais permanecer na chefia do Executivo estadual. Se esse impedimento constitucional acontecer antes do transcurso de dois anos de gestão, é necessário haver novas eleições, caso contrário, o vice deve assumir com plenos poderes.

Abç.

CF

ka disse...

Acho que o Feijó está esperando passar os dois anos.

Sueli - Porto Alegre disse...

Brigadão !

Anônimo disse...

Lauro,

Mas não é verdade que as raízes do eucalipto chegam a 600 metros de profundidade e vão secar o Aquifero Guarani?

E não é verdade que as papeleiras vão investir bilhões de dólars e sair do RS em 14 anos, antes mesmo de recuperarem o investimento? São loucos mesmo esses empresários...

E não é verdade que o eucalipto seca o solo? Assim, ele consegue se suicidar por falta de água? Árvore louca essa....

Não é verdade que certos socióligos são bão de charla e de debate? E só isso...

Zé Mané

Anônimo disse...

Zé Mané:

Escolheste o codinome exato para ti

Contato com o blog Diário Gauche:

cfeil@ymail.com

Arquivo do Diário Gauche

Perfil do blogueiro:

Porto Alegre, RS, Brazil
Sociólogo