Você está entrando no Diário Gauche, um blog com as janelas abertas para o mar de incertezas do século 21.

Surf no lixo contemporâneo: a que ponto chegamos! E que mundo deixaremos de herança para Keith Richards?

terça-feira, 29 de julho de 2008

“Perplexidade geral” no Rio Grande do Sul



Como dissemos ontem, aqui, no princípio era somente a bancada de Oposição à governadora tucana, alguns blogs e mais ninguém. Agora, aos poucos o coro dos que exigem transparência de Yeda Crusius aumenta com a recente inclusão de parte da mídia conservadora do centro do País.

Dias atrás, foi a revista Veja, hoje, é a Folha (acima) e a espevitada (e direitosa) jornalista Eliane Cantanhêde, que diz o seguinte, num trecho de seu artigo:

“É possível descrever a crise gaúcha num parágrafo: a fita do vice sobre corrupção; a queda de sete secretários (inclusive os principais, como o chefe da Casa Civil); a compra de uma casa entre a eleição e a posse, sem que a aritmética patrimonial feche; até o absurdo projeto de aumento do próprio salário em 143% em meio aos farelos. O salário era muito baixo? Era. Mas haja falta de senso de oportunidade! Com tantos flancos, a governadora não faz mais nada. Ora responde sobre desvios do Detran, ora sobre a queda dos secretários, e sempre sobre a história da casa comprada na hora errada, de forma errada. O resultado é a aprovação em queda livre e uma perplexidade geral. E a economia? A administração?”

Daqui a pouco, só restará a RBS batendo o bumbo dos contentes.

Ilustração: Hupper

21 comentários:

Luís disse...

A administração?!
"Porrada" em movimentos populares enquanto equilibra as finanças, mesmo que não sobre muito para passar adiante, em 2010.
É o preço que se está pagando por andar para trás...

panoramix disse...

O Rio Grande não deve se preocupar! Agora temos um general na segurança pública que vai resolver até a questão da casa!

Daniela disse...

Cristóvão,

agora são 10 da manhã e não encontro a coluna da Eliane na Folha!!!! Pelo jeito, tiraram do ar!!! A última coluna no ar dela é a do dia 23 de julho!!! Que vergonha!!!

Dani

ivan lopes disse...

ELIANE CANTANHÊDE

O Sul em chamas

BRASÍLIA - Tudo começou com os vices de Yeda Crusius e de Cristina Kirchner, e os dois governos estão se esfarelando. Secretários caem, a popularidade despenca, e a sustentação balança.
No Rio Grande do Sul, o vice Paulo Feijó gravou uma conversa que jogou o governo da tucana Yeda numa das maiores crises estaduais da temporada. Na Argentina, o vice Julio Cobos deu o voto de Minerva que derrubou o principal socorro financeiro bolado pela presidenta Cristina, que ficou sem o dinheiro -e sem discurso e apoio popular.
Nos dois casos, parece faltar experiência e sobrar soberba, numa combinação explosiva. Yeda faz uma besteira atrás da outra. E Cristina não soma adeptos e divide excessivamente a administração, a imagem e a arrogância com o marido e antecessor, Néstor Kirchner. É possível descrever a crise gaúcha num parágrafo: a fita do vice sobre corrupção; a queda de sete secretários (inclusive os principais, como o chefe da Casa Civil); a compra de uma casa entre a eleição e a posse, sem que a aritmética patrimonial feche; até o absurdo projeto de aumento do próprio salário em 143% em meio aos farelos. O salário era muito baixo? Era. Mas haja falta de senso de oportunidade!
Com tantos flancos, a governadora não faz mais nada. Ora responde sobre desvios do Detran, ora sobre a queda dos secretários, e sempre sobre a história da casa comprada na hora errada, de forma errada. O resultado é a aprovação em queda livre e uma perplexidade geral. E a economia? A administração?
Ninguém merece 10 anos de Carlos Menem nem de sua "aliança carnal" com os EUA, e depois dele a politizada Argentina vem passando por poucas e boas. No também politizado Rio Grande do Sul, a alternância entre direita, centro e esquerda não levou a nenhum paraíso. Os velhos líderes já eram, e os novos não disseram a que vieram.
Os tempos são sombrios. As perspectivas não são melhores.

Carlos Eduardo da Maia disse...

A coluna da Eliane está ali na Folha sim. A culpa é da Yeda, arrogante achava que não devia explicação sobre a compra da casa onde mora adquirida logo depois de ter vencido o segundo turno. Aposto um bom shiraz que dinheiro de sobra de campanha entrou no negócio. Alguém quer apostar?

panoramix disse...

Sobra de campanha? Que ingenuidade! Entrou dinheiro de corrupção grossa e ela sabia, tanto que escanteou seu vice!

edu disse...

Dinheiro do Detran e do Banrisul desviados durante o governo rigoto. Dinheiro publico q serviu pra pagar a casa de yeda e garantir a continuidade do roubo nos dois orgaos.

Quando começa a CPI do Banrisul???? Vao esperar o simon mandar pra suiça o $$$ todo????

Carlos Eduardo da Maia disse...

Druida, Yeda comprou a casa antes da posse e com dinheiro de sobra de campanha, como faz o PT velho de guerra. O vice foi escanteado por dois motivos, ele, com razão, foi contra a desastrada proposta de aumento de impostos e, também, porque ele quer a privatizaçaõ do Banrisul e a Yeda é contra. Druida, se Yeda soubesse e tivesse se beneficiado com a corrupção do Detran teria mantido Lair Ferst no Detran. E Lair Ferst saiu do esquema no governo da Yeda. Vamos, druida, ao menos ter compromisso com os fatos.

Arauto dos Pampas disse...

A desgovernadora está cada vez mais sem apoio. A escolha de um general do exército para secretário de segurança descontentou gregos e troianos, ou seja Polícia Civil e BM. Os únicos que continuam carregando esta morta-viva é a PRBS e o mala maia, seu grande eleitor. Imagina que estamos passando por tudo isto só para evitar a reeleição do Olívio. Quanta ignorância!!

panoramix disse...

Espera passar os dois anos! Feijó tem bala na agulha e a desgovernadora não emplaca 2009!

Luciano Vargas disse...

Quem do PT comprou casa com sobras de campanha? Que papo é esse? Aliás, o que o PT tem a ver com esta história? A casa é da TUA governadora, que TU elegeu, pilantra metido a intelectual de almanaque!

panoramix disse...

Almanaque não! Alto lá! Maia Lê Seleções e participa de todos os concursos. Já ganhou até um MP3 de 1GB, onde ele ouve mind games!

gustavo kern disse...

Não fale assim da tua governadora Maia:é muito feio!

Carlos Eduardo da Maia disse...

O próprio Lula admitiu em rede de televisão, quando pediu desculpas ao povo brasileiro que o PT utilizou valores de sobra de campanha eleitoral para outros fins, inclusive para o pagamento do famoso mensalão. Mas tem gente de fé que não acredita.

Anônimo disse...

Se eu estou entendendo bem, o Lula comprou uma casa com sobra de campanha? Nunca ouvi essa notícia se for verdade é bem grave.

O Olívio por acaso comprou uma casa com dinheiro de campanha?

Oh! Maia!Onde está essa casa do Lula e do Bigode?

Carlos Eduardo da Maia disse...

Anônimo, a casa onde o Lula mora pertence ao seu compadre, aquele mesmo que ganhou mais de um milhão do Dantas e ganhou 3 milhões com a operação da compra da Gol. E o Lula nunca sabe de nada. Mas esse assunto não interessa aos blogs da esquerda.

Carlos Eduardo da Maia disse...

Retificando, o compadre do Lula levou 5 milhões de dólares com a operação da compra da Varig.

Anônimo disse...

Mas então o Lula não comprou uma casa com sobra de campanha, ganhou do compadre, é isso?

Por que a madame não diz o mesmo?

E a casa do Bigode onde está?

E a filha do Serra que foi financiada pelo Dantas, nenhuma palavra.

SBENTENAR disse...

- SEM SER ORIGINAL . MAIA : POR QUE NÃO TE CALAS??

Anônimo disse...

O Maia,

Não é o Lula que vai explicar sobre a casa da Yeda. É ela e as desculpas estão cada vez mais esfarrapadas.

Ah e não tem esta de sobra de campanha, o que está aparecendo até no PIG é que a diferença saiu foi do velho e bom Banrisul. Vamos ver...

Tu não fica nem vermelho, não é mesmo?

Claudio Dode

Claudio Dode

asterix disse...

O gaúcho, aquele que não foi otário,
sabia, desde o início,
que o tal do novo jeito de governar
era tudo mais um conto do vigário !!

Portanto, o Maia é um otário !!!

Contato com o blog Diário Gauche:

cfeil@ymail.com

Arquivo do Diário Gauche

Perfil do blogueiro:

Porto Alegre, RS, Brazil
Sociólogo