Você está entrando no Diário Gauche, um blog com as janelas abertas para o mar de incertezas do século 21.

Surf no lixo contemporâneo: a que ponto chegamos! E que mundo deixaremos de herança para Keith Richards?

sexta-feira, 25 de julho de 2008

Por que mesmo a Toyota rejeitou o Rio Grande do Sul?


Não está bem contada a história da possível vinda para o RS da montadora japonesa Toyota, agora a maior indústria automobilística do mundo.

Na campanha eleitoral de 2006, a então candidata Yeda Crusius (PSDB) prometia todos os esforços para que a montadora se instalasse em Guaíba, e com isso dando um tapa de luva no seu principal concorrente, Olívio Dutra (PT), face ao rumoroso caso Ford.

Hoje em ZH, o Chefe da Casa Civil do governo Germano Rigotto, o deputado estadual Alberto Oliveira (PMDB) critica o que chama de "tímidas ou quase inexistentes ações do governo para demonstrar a vontade de trazer uma fábrica da Toyota para o Rio Grande do Sul”.

- Qual foi o momento em que o governo apresentou um gesto público concreto para dizer "nós queremos"? - indaga o deputado Oliveira, que é aliado da governadora Yeda e por isso insuspeito ao formular as questões referidas.

De outro lado, ainda nesta semana, a governadora tucana andou dizendo que a opção dos japoneses por São Paulo deve-se a uma preferência pessoal do presidente Lula pelo governador José Serra. Uma explicação tola.

Quando o deputado Nelson Proença (PPS), também aliado do governo estadual, abandonou a secretaria que ocupou por alguns meses, ele justificou a sua posição com alegações obscuras, à época. Ele chegou a mencionar sobre dificuldades em trazer investimentos importantes para o Estado. Hoje, essas declarações de Proença passam a ter melhor sentido. Mas ainda são insuficientes para se entender o cenário todo.

Como está tudo muito confuso, eu quero sugerir ao jornal Zero Hora (já que visitam com tanta assiduidade este modesto blog) que paute o tema para uma reportagem completa sobre o rechaço da Toyota ao Rio Grande do Sul.

Assim como o jornalismo da RBS foi tão cioso ao divulgar os motivos da ida da Ford para a Bahia, por meses a fio, pode muito bem fazer o mesmo agora com relação à montadora Toyota.

Afinal, os gaúchos – como gosta de proclamar a RBS – tem ou não o direito de saberem tudo sobre a rejeição da Toyota ao RS?

Mais: a rejeição é ao Estado e seu povo, ou ao governo Yeda Crusius?

Estamos aguardando a “reportagem investigativa” de ZH. Mal posso esperar.


36 comentários:

el barto disse...

vai esperando que esse grupelho canalha faça isso, afinal de contas, eles dão costas quentes pra destrambelhada barbitúrica (pra nao dizer sem-vergonha, segundo os quadrilheiros detranzistas)...
prbs = lixo.

Soléra disse...

Feil, vc espera deitado numa rede, pra modo de não se cansar, viu?

Anônimo disse...

Aguardo ansiosamente os anti-petistas notórios exclamarem a plenos pulmões que a governadora Yeda mandou a Toyota embora, como se fez (e ainda se faz) com o ex-governador Olívio Dutra.

Anônimo disse...

Ao anônimo 9:56, vou repetir comentário de outro post:
A notícia de que a Toyota escolheu o Estado de São Paulo para instalar a sua fábrica no Brasil, não pode ser vista como uma surpresa. Em hipótese alguma. Afinal, o Estado de São Paulo, além de concentrar o maior parque industrial do país, também possui o maior pólo automotivo latino-americano.
Outros fatores, certamente, devem ter contribuído muito para a escolha feita. Mas, o que os gaúchos novamente estão lamentando é o fato do Rio Grande do Sul ter sido excluído dos interesses da montadora japonesa. Uma prova clara do quanto ainda pesa a estúpida rasteira que o PT deu na Ford, na época triste em quando governava (?) o Estado.
Somente com a fábrica da GM, que o PT tentou de todas as formas expulsar, mas acabou impedido porque 90% do empreendimento já estava concluído, vários investidores do setor automotivo entenderam o recado: o RS deveria ser riscado, definitivamente, do mapa dos negócios que envolvem o setor de auto-peças.
Com isto, a vinda de possíveis novas montadoras ficou muito prejudicada. Sem parceiros vizinhos e afins (sistemistas), em quantidade para fornecer peças e equipamentos, tudo fica mais difícil no RS se comparado com outros lugares cujo setor está mais desenvolvido.
O atraso que o PT impôs ao RS, que já era colossal, ficou do jeito que estamos assistindo e ainda vamos assistir por muitos anos. É por isso que os investimentos que ainda aportam no Estado estão mais voltados para o setor primário, onde a terra e o clima são diferenciais importantes.
Vide, por exemplo, a silvicultura e o pólo leiteiro, duas novas economias de sustentação econômica do RS. Se o momento é de alegria, ninguém pode se surpreender se tais investimentos ainda venham a procurar outras paragens, mesmo sem nosso clima e nosso solo. Tudo porque o braço rural do PT, conhecido como MST, vive infernizando a vida de quem investe na agricultura e na pecuária.



Marcos

Anônimo disse...

Essa da Toyota é friagem. A reprtagem quente, que o blog também pode fazer é esta:

1) O que os assentamentos produzem nos 77 milhões de hectares que ocupam no país?
2) O que o agronegócio produz nos 52 milhões de hectares no país?
3) O que a indústria da celulose produz em 1,6 milhão de hectares no país?

As respostas 2 e 3 são fáceis. Já a número 1... Tem resposta Feil? Será que om João Barbudo sabe?

Tati disse...

Direitalha patrulhadora é dose:
Blabla blabla whiskas PT

ju disse...

Marcos, qual a marca do teu rímel para sair by night?

E a cor do teu batom? Já foi à costureira para ajustar aquele baloon?

E a sandália vai combinar com o detalhe da bijouteria, nêga?

Anônimo disse...

Tati, direita patrulhadora???

Diante dos números de reforma agrária X agronegócio no país, o que vc tem a dizer?
Nada, porque contra fatos não há argumentos.
Ou algum defensor do MST tem argumentos pra isso?

Anônimo disse...

Começando a responder aos papagaios de pirata do latifundio:

Dos territórios produtivos:

Agronegócio: 70 %
Agricultura Familiar: 30%

Produção Total:

Agronegócio 50%
Agricultura Familiar 50%

Financiamento Público:

Agronegócio: 90%
Agricultura Familiar: 10%

Dados da Unesp.

Claudio Dode

Anônimo disse...

Cláudio, faltou dizer quem sonega mais imposots, contrabandeia mais sementes, manda sua parte da "produção" para o exterior...

Claro, deve ser o MST, que manda pra Moscou

Anônimo disse...

Ô Anônimo :

Não faltou dizer todo mundo sabe que sonega imposto.

O contrabando de sementes o mais trágico é saber que além de bandidos (quem contrabandeia comete crime, é a lei) é burro porque paga Royalty. Royalty de crime é muita burrice.

E Cadeia nada.

Com esta justiça....

Claudio Dode

gustavo kern disse...

O próprio Zachia que pediu demissão da secretaria que ocupava(diga-se de passagem, o CF ja havia falado sobre esta manobra de mais um dos "homens de frente" da yedinha, para escapar do foco dos probeminhas de seu desgoverno do qual era chefe da casa civil)admitiu que a crise política foi determinante para o Estado não ter efetivamente buscado a vinda da montadora!

Anônimo disse...

Dode,

Você não explicou nada. Falar em % não diz nada. me dê números, toneladas produzidas, do que, para quem, o que significa na economia do país..

Quero saber dados dos ASSENTAMENTOS.

Aqui no RS, o que os ASSENTAMENTOS produzem????????
Nem o INCRA sabe... Ou tem vergonha dos números...

Anônimo disse...

e você anônimo das 13:53 por que não te apresentas? Tens medo de quê? ou de quem?

Anônimo disse...

eu, das 14:11 sou a Maria Eduarda

Anônimo disse...

Pra que nomes? São todos "Os Maias"...

Anônimo disse...

Ô Anônimo:

Eu pensei que fosse mais esperto.

Mas tu queres que eu te diga assim 70% do que os brasileiros comem a mesa vem da agricultura familiar.

Mas se é difícil para ti raciocinar nos percentuais. Entra nas páginas da Conab que poderás encontrar os numeros absolutos.

Mas o interessante é tu comparares que quem tem 90% dos recursos financeiros para produzir só produz 30% do que os brasileiros precisam para se alimentar.

Isto é só para tentares pensar, se possível for.

Claudio Dode

Claudio Dode

Anônimo disse...

O Anônimo,

1. Os teus numeros absolutos de ocupação da terra estão errados;

2. A Agricultura Familiar produz 70% dos alimentos que os brasileiros consomem à mesa;

3. O Agronegócio produz 30% dos alimentos que os brasileiros consomem;

4. As papeleiras, no Rio Grande do Sul só produziram ilusões e afrontas a lei com a compra de terras ilegalmente.

Claudio Dode

Anônimo disse...

O mais divertido é ver gente dizendo agora que a Toyota foi embora por causa... do Olívio!

E depois os "Malas" dizem que é "certa esquerda" que tem os olhos vendados pela ideologia.

Anônimo disse...

Dode,

Não enrola. Estou falando de ASSENTAMENTOS, não de papeleiras ou o diabo da Aracruz. O QUE OS ASSENTAMENTOS PRODUZEM?????? Simples. Seja honesto e diga que não saiba, que esses números não existem porque a produção dos assentamentos do MST é peça de teoria.

Anônimo disse...

Maia chupadô-or?
Cadê você?

Juarez disse...

Deixa eu ver se entendi: a Toyota foi embora porque o Olívio "mandou" a Ford embora e porque o MST produz menos alimentos do que o agronegócio (que produz basicamente soja e deve no BB)e a Yeda não tem nada a ver com isso? E se o governador fosse o Olívio, será que ele também ganharia essa colher de chá, ou seria responsabilizado pessoalmente pela não vinda da Toyota?

edu disse...

Desanima esmagar esses coitados...queria q fosse ao vivo, cara na cara, pra ver eles folhando papel tentando esconder a cara de vergonha.

Muito antes do governo 99/02 ja se sabia q montadora de automoveis estavam na 35° posiçao das empresas geradoras de emprego e renda;

Quem investiu em montadora se ferrou (PR, SP, BA);

No Governo 99/02 o RS cresceu +4,6%, (brito -0,5, rigoto 0%, yeda ??);

Ninguem queria q a ford nao se instalasse aqui, mas ficar pagando festa de 50 mil dolares...pra vagabundo q nem portugues fala...COM O NOSSO $$$????

Quanto aos assentamentos, parece q o unico partido q deve se preocupar com gente pobre e sem terra é o PT...cade os sem terra do brito??? Nao existiam??? E do rigoto??? E da yeda???

A casa caiu, os blogs vao mudar a cara do Rio Grande em 5 anos, QUEM VIVER, VERà!!!

Anônimo disse...

Alguém aí do blog pode nos informar do resultado que o MST obteve ontem em POA?
Não saiu nenhum post. Será que houve violência da brigada?
Foi tudo pacífico?
Houve invasão (ocupação) da sede do INCRA?
O INCRA já comprou as terras para assentamentos?
Os jornais aqui de Minas não falam nada sobre o assunto.

Luiz

claudia cardoso disse...

Sobre o MST, ler os blogues
http://agenciasubverta.blogspot.com/ e http://www.pontodevista.jor.br/blog/
que trazem notícias e levam a outras páginas.
A caminhada foi pacífica e eles estão no INCRA ainda.

Quanto ao caso Toyota, menos de dez anos depois, a RBS levou nos dedos, pois ficou escanacarada a sua partidarização na época da Ford. Quem ainda duvidava disso, agora, pode ter certeza. O "velhinho" tarda, mas não falha!!!

Clairton disse...

Mais um desembarcou do desgoverno da prozac aracrusius: o secretário de segurança Mallmann. A Toyota, que não é boba, não quis embarcar nesta canoa furada. Só a PRBS é que continua segurando a alça deste caixão.

Anônimo disse...

O Anônimo das 13:53,

Bah, o cara além de covarde e burro nem sabe ler:

O dado de 70% do que os brasileiros consomem a mesa não te diz nada? nem para quem?

Tenha dó.

Agora dados dos assentamentos é o que tu queres. Isto meu velho não é para qualquer dedo-duro saber.

Mas em todo o caso os dados que te dei são públicos e da Unesp. Se tens alguns interesse alguem que leia para ti, entra no sitio deles.

Aliás é outra universidade pública de São Paulo, além da USP. Quem sabe em vez de sucatear a Uergs a Yeda do Detran investe, e aí talvez sim, o estado tenha Toyota e outras interessadas.

Enrolação meu velho é quem não tem coragem de assinar o escreve. Aliás tem vários outras definições para isto....

Claudio Dode

Anônimo disse...

O Agronegócio "engole" 90% dos recursos financeiros do estado e produz sómente 30% do que consomem os brasileiros à mesa.

Isto é que enrolação.


Claudio Dode

Anônimo disse...

"...deve-se a uma preferência pessoal do presidente Lula pelo governador José Serra. Uma explicação tola."

Essa lógica esquerdista é bem estranha mesmo. A desculpa que a petralhada dava quando a Ford foi embora foi justamente essa: O FHC PREFERIA A BAHIA. Na época a explicação era certa, hoje é "TOLA"? Que lindo de ver.

Anônimo disse...

As diferenças que ficarão registradas nas páginas da História Política do RS:
1. O Governo de Olívio Dutra do PT transbordou ética e espraiou projetos de políticas sociais e públicas por todo o Rio Grande e teve o reconhecimento do mundo inteiro, através do Forum Social Mundial.
2. Enquanto, hoje o Estado do RS está desgovernado e atolado na corrupção, além de não ter nem programa de governo. A Yeda não passa de uma parasita cercada de sanguessugas por todos os lados.

Imaginem se a Operação da Polícia Federal não divesse desvendado essa quadrilha dos desgovernos Rigotto-Yeda? Iriam roer até a rapa do tacho e a Yeda iria continuar com seu discurso sobre a tal crise do estado.

Nada como um dia após o outro! Hoje, está se esclarecendo quem eram os anti-petistas! Os corruptos que sempre se apropriaram do Estado para benefício individual, familiar, empresarial e privado. Ah! e os alienados!
Cândida

Roberto disse...

O Olício fez um governo mito bom, voltado, estratégico, com um programa que poderia ter transformado esse buraco em que vivemos em um lugar mais humano, no longo prazo. Fio um governo muito mais lmipo que o da Yeda

A Yeda é uma débil mental, defende (mal) os interesses de todas as máfias do estado, e está realmente afundada na incompetência. É um governo muito mais sujo que o do Olívio.

Votei e votaria de novo no Olívio, mas dizer uqe "transbordou ética" é transbordar ingenuidade e cegueira...

edu disse...

Roberto, tens razao, ninguem consegue uma equipe 100% honesta, digamos q Olivio tinha 90% de gente honesta. yeda possui 30%, isso diferencia os dois governos.

Jesus Cristo tinha 91,67% de gente honesta, e olha q teve de escolher apenas 12 pessoas,e era o filho de Deus, judas representa 8,33% do "staff"...

J. Gaspar disse...

Tenha muito medo das críticas políticas da RBS...

brunette disse...

A "rejeição" foi apenas uma obviedade da lógica capitalista: maximizar lucros, diminuir custos. Isso era mais fácil em São Paulo e até o Aod Cunha sabia. A Toyota está cagando para a Yeda e pro povo gaúcho. Se aqui ela fosse lucrar mais e gastar menos, ela ficaria, independente do nome e do partido do desgovernador.

Anônimo disse...

Os viúvos da Ford serão os mesmos da Toyota?! Esses viúvos vão continuar apedrejando ou hoje estão buscando justificativas nas "boas" condições para a instalação da Toyota em outro Estado?
Foram os idiotizados que sairam campo a fora defendendo a bandeira multinacional da Ford, como coisa que ela precisasse de tal defensores. Agora quero vê-los de novo defendendo a "pequena" empresa Toyota. Será que irão repedir a dose?

Obs: Todas as Políticas desenvolvidas pelo governo Olívio foram de interesse público, por essa razão foi movido pela ética.
Enquanto que hoje o Estado do RS está em tal situação degradante por não possuir ética. Na realidade a ética é o elemento impulsionador de movimentos sociais e de políticas públicas.
Cândida

Anônimo disse...

Pode-se afirmar com toda a certeza que o Governo Olívio foi o mais Limpo e Transoarente e Democrático e Participativo e Ético da Histório do Rio Grande do Sul.
Hannah

Contato com o blog Diário Gauche:

cfeil@ymail.com

Arquivo do Diário Gauche

Perfil do blogueiro:

Porto Alegre, RS, Brazil
Sociólogo