Você está entrando no Diário Gauche, um blog com as janelas abertas para o mar de incertezas do século 21.

Surf no lixo contemporâneo: a que ponto chegamos! E que mundo deixaremos de herança para Keith Richards?

quarta-feira, 23 de julho de 2008

Confirmado


MST já chega amanhã em Porto Alegre

Trabalhadores rurais permanecem em Canoas, hoje, e se deslocam para a capital na quinta-feira (24) para audiência pública sobre reforma agrária.

A marcha por reforma agrária deverá chegar à Capital, portanto, amanhã (24/07). Os trabalhadores rurais participarão de uma audiência pública no Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) às 13 horas, para tratar da agenda política de assentamentos no Estado, que não está sendo honrada pelo órgão.

Há oito meses, o Incra assinou um Termo de Ajuste de Conduta (TAC) no Ministério Público Federal, comprometendo-se em assentar mil famílias até abril deste ano, e outras mil famílias até o final do ano. Menos de 40 famílias foram assentadas no período do acordo.

“O trabalhador na cidade está pagando mais caro pela comida porque as terras estão sendo utilizadas para plantar mais eucalipto e mais soja para combustível, diminuindo os alimentos”, afirma Ana dos Santos, da Coordenação Estadual. “Com a reforma agrária, podemos gerar mais emprego e produzir mais alimentos, como os assentamentos da região de Porto Alegre que produzem dois mil toneladas de arroz ecológico” – completou Ana.


9 comentários:

Anônimo disse...

Dois milhões de toneladas de arroz ecológico?
Faça as contas em sacas de 50 kg (com casca). São 40 milhões de sacas de arroz ecológico.
Esta é uma informação incorreta. Favor verificar.

Grato

Dirceu - CONAB

Anônimo disse...

Os assentado tão tudo rico com todo esse arroiz! Vão comprá fazenda logo-logo! E tambem uns jipao zero quilometro! E caninha em frasco de matéria plastica nem pensá. Vão sê consumidor de Visqui.

Funcionário Pùblico (sem terreno que dirá terra)

Cristóvão Feil disse...

Dirceu, o erro foi do blogueiro.
O correto é dois mil toneladas.

Obrigado pela observação.

CF

Anônimo disse...

Cristóvão Feil, você bagunçou com o Correio do Povo por causa do hábeas.
Agora tú cagou no dicionário.

Dois mil toneladas? Isto é para gozar da minha cara que sou descendente de alemães.
Acho que ficaria melhor #DUAS MIL TONELADAS#.

Alles fachtein?

Fridolino Muller

Willians disse...

Caro Anônimo: o certo seria " tu cagaste". Ou seja: como caga-regras, vós cagastes.

Anônimo disse...

Acabei de ter uma luz.
E se as plantacoes de eucalipto comecassem a pegar fogo. Será que isso seria uma boa forma de protesto? Será que ambientalmente é perigoso?

Anônimo disse...

As terras invadidas, em pouco tempo, se tornam verdadeiras favelas rurais e os baderneiros acabam vendendo a preço de banana.

Cão

Anônimo disse...

De um cara que dnomina Cão, só poderiamos esperar uma cachorrada.

Brincando o cachorro comeu a mãe dele.

Nelson Antônio Fazenda disse...

Meu caro Cão. Não se deixe influenciar pela manipulação dos nossos órgãos de mídia hegemônicos e (de) formadores de opinião. Por que é que eles não abrem um espaço verdadeiro para a discussão sobre a reforma agrária. Procure mais informações sobre os assentamentos e verás que a história é bem diferente. Dados do IBGE mostram que somente cerca de 5% dos assentados abandonam ou vendem as terras que recebem. Vai por mim, a reforma agrária e a mudança do modelo de agricultura em voga são medidas de extremo interesse para a sociedade em geral. Só não o são para os grandes capitalistas.

Contato com o blog Diário Gauche:

cfeil@ymail.com

Arquivo do Diário Gauche

Perfil do blogueiro:

Porto Alegre, RS, Brazil
Sociólogo