Você está entrando no Diário Gauche, um blog com as janelas abertas para o mar de incertezas do século 21.

Surf no lixo contemporâneo: a que ponto chegamos! E que mundo deixaremos de herança para Keith Richards?

terça-feira, 18 de novembro de 2008

Muita fumaça no Pontal do Estaleiro


Vereador Sebenelo afirma que foi procurado pelos donos da área do Pontal

Deu no jornal Correio do Povo de hoje, coluna do jornalista Juremir Machado da Silva:

[...] Telefonei ontem para Cláudio Sebenelo, vice-presidente da Câmara de Vereadores, com a intenção de entender um pouco melhor o desfecho do episódio. Ele me contou uma historinha que dá muito a pensar. Cada um que tire as suas conclusões tranqüilamente.

Em agosto, ou começo de setembro, um enviado da BM PAR, a empresa que comprou a área do Estaleiro Só com o fim de construir ali um condomínio de ricos e faturar com a mudança da lei em vigor, procurou Cláudio Sebenelo e ofereceu ajuda financeira para a sua campanha eleitoral. Como qualquer candidato, Sebenelo estava com pouco dinheiro. Como em qualquer eleição, o dinheiro é decisivo. O enviado generoso não estabelecia condições nem expectativas. Nada propunha, nada pedia, nada sugeria, nada cobrava. Tudo ficava implícito. Sebenelo diz ter explicado ao autor da oferta que não podia aceitar ajuda de uma empresa interessada na aprovação de projetos pela Câmara de Vereadores. Elementar! É o que se chama de recusa ética.

Sebenelo não se elegeu. Ficou como primeiro suplente. Votou contra o Pontal do Estaleiro. Está agora preocupado com a imagem da Câmara de Vereadores junto à opinião pública. Garante estar pronto para repetir a sua história ao Ministério Público. [...]

.............

O vereador Claudio Sebenelo é filiado ao PSDB.

Ilustração: imagem feita em computador simulando as edificações do empreendimento privado "Pontal do Estaleiro". Não existe projeto arquitetônico ou de engenharia. Os vinte vereadores que aprovaram a edificação numa área vedada pelo Plano Diretor desconhecem o projeto, simplesmente porque ele ainda não foi concebido. Aprovaram,então, baseados em quê, mesmo? Em simples diálogos republicanos com os empreendedores? O vereador petebista Alceu Brasinha, por exemplo, conseguiu se apropriar somente das explicações puramente cerebrais e abstratas dos investidores?

21 comentários:

Prieb disse...

Feil, vc subestima a inteligência e o lastro intelectual do vereador Alceu Brasinha. Ali, naquela aparência demencial mora um grande çábio e um agudo pençador.

Carlos Eduardo da Maia disse...

Eis ai mais um motivo para se fazer no Brasil uma reforma política implantando o financiamento exclusivamente público de campanha eleitoral. Realmente, do ponto de vista ético, fica horrível um empreendedor que pretende modificação legislativa para construir ficar financiado campanha eleitoral de vereadores. Horrível. Mas por que o PT não faz essa reforma política? Sabem por que, porque ele se beneficia com o esquema atual.

Anônimo disse...

Porque será que Haroldo de Souza vociferou descontroladas ameaças aos cidadãos presentes ao "ato" de aprovação ao projeto Pontal do Estaleiro???

el barto disse...

freud explica a reação do dublê de edil e narrador, foi a mesma reação do busatinho filhote do britto e do simon na cpi...
consciência pesada? se bem que consciência é um troço que sujeitinhos desse calibre naum tem...

Luís disse...

Duas coisinhas:

1) Isto é política capitalista, e a Câmara de Vereadores é o que sempre foi, ainda mais nestes tempos de regressão na dita "capital mais politizada do Brasil".

2) Nada de "consciência pesada": o contra-ataque de algumas matérias jornalísticas ao projeto aprovado tem cheiro da concorrência dos donos do Pontal...
E se o projeto for vetado a prefeitura poderá alterar o plano-diretor da cidade, para "atender a todos", ficando a-emenda-pior-que-o-soneto...

Carlos Eduardo da Maia disse...

Não considero que Porto Alegre esteja regredindo, como acredita o Luis, acho que esta cidade está progredindo. Prefiro mil vezes um governo que não faz alarde, não faz estouro, do que aqueles governos petistas e suas cidades vivas virtuais que apenas aparecem nas propagandas pagas com o dinheiro público. Se fosse vontade do PT, qualquer projeto mais exuberante em Porto Alegre não teria a mínima chance. Ficaram 16 anos na prefeitura e fizeram o quê? A recente eleição foi também de comparação entre dois tipos de gestão, venceu a melhor. Apesar da melhor ser a menos pior.

Anônimo disse...

Te cuida Cristovão, o 'Laia' quer fazer usucapião do teu blog.

mariorangelgeografo.blogspot.com disse...

Quanta bobagem Maia Lacaia.

Assim como os vereadore$, também és pago para ser Trol?

Ou é vocação nata para babar nas bolas o Foga$$a?

Anônimo disse...

hhahahahhhaa

O maia quando acorda com vontade de ser intelectual é triste. Bota toda uma pompa para escrever....hahahahahahah


Sim, abobado eu tbm adoro a cidade assim. Sem ônibus, sem limpeza, sem segurança....

sil

Carlos Eduardo da Maia disse...

Sil, me explica, se a cidade está tão ruim assim, porque o "menos pior" venceu a eleição? Ah, sim, foi a RBS que hipnotizou o povo de Porto Alegre, de Pelotas e de Caxias....

Luís disse...

Curioso... o capitalismo deixou de ser capitalista e vivemos - na periferia do sistema - numa sociedade mais democrática, ou quase igualitária...?!
Não havia percebido... claro, a vitória do Fogaça só pode significar isto! As crianças-de-rua não vão a Paris de teimosas!!!
Parabéns, nobres vereadores representantes do povo!!!

heliopaz disse...

Amigos,

A população não é tão despolitizada nem tão refém da mídia como os ainda adeptos da Teoria Crítica de matriz marxista crêem.

Por outro lado, o sistema representativo político-partidário nessa pseudodemocracia está falido, assim como sindicatos e entidades classistas.

A mídia corporativa é tão-somente um megafone de quem a financia. Ela nunca irá mandar contra os interesses de quem a sustenta. Ao mesmo tempo, seus donos e editores fazem parte da mesma oligarquia à qual pertencem seus políticos e mantenedores.

Se o seu discurso fosse único e se ela não orientasse a vida dos consumidores de sua (des)informação, ela não seria tão contraditória. E se ela não prestasse um serviço minimamente aceitável (ônibus com atraso, pacote econômico, serviços abertos no feriado, um pouquinho de desenvolvimento sustentável e dicas de livros, cinema, música e teatro, por exemplo), não conseguiriam convencer nem mesmo a quem acredita piamente no seu discurso.

A retumbante derrota petista nas principais metrópoles está no fato de que o seu discurso é voltado para a classe operária, ao passo que a classe média está crescendo. Ora, se poucos dos pobres são operários e se a classe média tende a ser conservadora, estamos diante de algo muito mais profundo do que a simplista e superficial análise da votação.

O fato é que, cada vez mais, ONGs, clubes sociais, entidades patronais e grandes empresas patrocinam e empoderam a classe média alta e os idosos das grandes cidades realizando trabalho voluntário profissionalizado.

Esse trabalho preenche as inúmeras lacunas que o Estado deixa e substitui o assistencialismo terrorista do crime organizado.

O discurso da esquerda sindical é tosco e as melhores cabeças da esquerda (especialistas técnicos, cientistas e profissionais liberais) não pretendem envolver-se com a burocracia e com as excessivas deliberações partidárias, pois são acima de tudo executivas e práticas.

Portanto, sua constante exigência por agilidade e profissionalismo os mantém afastados desse meio.

[]'s,
Hélio

panoramix disse...

Ótimo comentário Hélio! Apreciated!

Carlos Eduardo da Maia disse...

Hélio, o discurso de certa esquerda não cativa a sociedade de serviços que está ai e que está interessada em se inserir no mercado de trabalho e de serviços. O discurso de certa esquerda está voltado para uma "classe operária" que sonha em participar dessa sociedade de serviços, que sonha em ser incluída na classe média.
Concordo com o teu comentário.

Anônimo disse...

Hélio,
Também gostei do teu comentário, mas não concordo integralmente com ele.
A população é despolitizada mesmo e refém da mídia sim, de certa forma ainda estamos no século passado, mas não é isto que explica a reeleição de quase todos os prefeitos de capitais durante um período de crescimento econômico internacional (que talvez finde agora) e durante o segundo mandato do Governo Lula.
A burocracia partidária e sindical é chata mesmo, afasta muita gente boa, atrai muitos fisiologistas e chatos com tempo de sobra.
Não sei até que ponto é um mal necessário, mas o fato é que preciso leitura correta e crítica da realidade, conceitos,princípios e propostas capazes de coesionar o conjunto da sociedade, muita paciência e persistência.
As derrotas e as vitórias foram de um partido ou de uma sociedade?

Armando disse...

Desculpem, mas preciso reproduzir nota do blog do PHA:

Foi Peixoto Jr. quem votou contra De Sanctis. Ele integrava a 2ª Turma do TRF-3, aquela turma que votava com Cecília Mello e que foi matando aos poucos a ação da 5ª Vara Criminal, lembra?
Nada é por acaso.

armando

Anônimo disse...

"Os vinte vereadores que aprovaram a edificação numa área vedada pelo Plano Diretor"
A área não era vedada pelo plano diretor para a construção em altura, só era vedada para residencial. Estava liberado comércio e serviço,em altura.
Já entrou na PMPA o pedido de diretrizes com base em um projeto apresentado pelo arq. Debiage. O problema é que o executivo, pelo plano diretor, é quem teria que enviar a minuta de lei para a Câmara aprovar, assim mesmo, sem projeto...
att. Luciana

Anônimo disse...

quem é que começou essa boabgem de assinar coisas com "att.", hein? que macaquice... É um uso errado do inglês attention, que se coloca em início de carta, e não no fim.

Coisa de couro cabeludo colonizado.

Anônimo disse...

Deixa ver se entendi: a população é "despolitizada e refém da mídia" quando vota no Fogaça, e "inteligente e revolucionária" quando vota em Lula? Ahn, to confuso...

Anônimo disse...

Sem confusao, e so aquela velha historia de dizer que quem tem opiniao contraria ao PT, so a tem porque nao sabe o que ta fazendo..., ta ganhando algo... ou ta sendo manobrado...etc.. Engracado que nao importa o tema o motivo para nao aprovar [e sempre o mesmo.

Anônimo disse...

Os anônimos acima estão bem confusos mesmo, não entenderam ou não quiseram entender.
Acho que a população é bem despolitizada mesmo, e refém da mídia sim e nisso discordo do Hélio. Penso que isto afeta todas as eleições, ganhe quem ganhar...Não citei partidos nem pessoas, mas se quiserem tentem inverter a frase, ou coloquem outros personagens, só que não se trata disso. Também é a Economia...

Contato com o blog Diário Gauche:

cfeil@ymail.com

Arquivo do Diário Gauche

Perfil do blogueiro:

Porto Alegre, RS, Brazil
Sociólogo