Você está entrando no Diário Gauche, um blog com as janelas abertas para o mar de incertezas do século 21.

Surf no lixo contemporâneo: a que ponto chegamos! E que mundo deixaremos de herança para Keith Richards?

terça-feira, 11 de novembro de 2008

Inacreditável: Meirelles agora se nega a falar sobre juros


Não dá mais, Lula precisa romper o pacto com os banqueiros

O presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, preferiu não fazer comentários sobre o futuro da política monetária do Brasil e afirmou ontem que cabe ao Comitê de Política Monetária (Copom) tomar decisões sobre o assunto. "A política monetária mais adequeda para o Brasil está explicitada na ata do Copom divulgada na quinta-feira. E a política monetária a ser definida para o futuro será objeto das próximas reuniões do Copom", respondeu ele, em entrevista coletiva, após ser questionado se a taxa básica de juros brasileira seria reduzida. A informação é da Agência Brasil.


Meirelles falou à imprensa durante um intervalo das reuniões do Banco Internacional de Compensações (BIS, na sigla em inglês). O presidente do Banco Central europeu, Jean-Claude Trichet, participou do encontro e ele disse, durante entrevista coletiva, que a redução dos índices de inflação poderiam colaborar para a redução dos juros.


Segundo Meirelles, o documento final da reunião do G20 realizada nesse final de semana, em São Paulo, deixa claro que os países devem encontrar formas de crescer sem causar aumento da inflação. Ele afirmou que o Copom buscará a maneira de seguir com o sugerido.


Sobre a possibilidade de o Brasil anunciar um pacote de ajuda a economia, como o da China, Meirelles afirmou que o governo já tomou medidas de incentivo ao mercado interno, grande parte delas incluídas no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). Porém, ele disse que o governo observa a situaçã e, caso necessário, está preparado para tomar medidas adicionais.


Para Meirelles, entretanto, o grande problema do Brasil atualmente é a falta de liquidez. Ele ressaltou, contudo, que o governo já tomou medidas vigorosas para resolver essa questão. "O Brasil enfrentou o problema da liquidez tomando uma série de medidas. O da liquidez em dólares, através dos leilões do Banco Central; o da liquidez em reais, através da liberação do compulsório e da determinação aos bancos oficiais de aumentar sua oferta de crédito."


............


O governo Lula precisa recuperar a soberania sobre a política econômica. A política monetarista cai em desgraça no mundo todo, mas aqui no Brasil ainda conserva o poder de um imperador russo do século 19. Ninguém pode com Henrique Meirelles, a Febraban e os bancos. Nem Lula, nem ninguém.


Lula é presidente de vastas áreas do território nacional, menos do território dos banqueiros, rentistas e especuladores. O País vive com um enclave bancário livre e soberano das leis republicanas e do poder constitucional do presidente.


Lula até tem falado em mudar o estado de coisas, fez retórica recentemente na Bahia, na reunião do G20, e agora na Itália. São observações corretas e adequadas para o momento da economia mundial, onde o sistema financeiro procura se concentrar para fazer frente à crise estrutural que o atinge em cheio. Mas no Brasil é diferente. Já tínhamos um sistema bancário altamente concentrado (quatro bancos têm 74% dos depósitos), com cerca de apenas cem bancos (nos EUA, são mais de oito mil), onde muitos deles são verdadeiras hidras, com milhares de agências em todo o território nacional (nos EUA, pouquíssimos bancos têm mais que dez agências).


Há trinta anos que o sistema financeiro brasileiro é o czar da economia brasileira, porque hegemoniza de forma completa e implacável todos os setores da atividade produtiva nacional, ditando regras, impondo tendências (deletérias) e sobretudo estabelecendo políticas extensivas às demais esferas da vida social – educação, saúde, previdência, cultura, esportes, etc.


Quando se elegeu em 2002, Lula certamente – agora está claro – fez um pacto secreto com os banqueiros, embora nunca tenha admitido isso a seus eleitores e crescente número de admiradores. É hora, pois, de Lula desfazer esse pacto, uma vez que a correlação de forças é desfavorável à banca – um fenômeno recente, mas concreto.


A manutenção, hoje no Brasil, do poder dos bancos já não se justifica pela sua presumida força econômico-financeira, mas tão-somente pela pusilanimidade e vacilação do ex-sindicalista.


Coisas da vida.


16 comentários:

Francisco Goulart disse...

Além do que, a foto montagem foi muito bem escolhida...

ju disse...

É desenho.

panoramix disse...

Correto, é desenho, mas bastante real!

Carlos Eduardo da Maia disse...

Lula não é louco de mexer onde seu governo mais acerta, na política econômica. E em economia ninguém faz mudanças radicais. Quer mudar? que se mude gradualmente. A Taxa Selic no Brasil continua elevada, mas é baixa levando em consideração períodos anteriores em que o Brasil enfrentou outras crises "estruturais". Não se muda time que está ganhando e Lula sabe bem disso.

Anônimo disse...

Só para lembrar:

O Francisco Lopes(presidente do BC Tucano), Claudio Mauch (diretor do BC Tucano) Desmotenes Pinho Neto (diretor do BC Tucano) e Tereza Grossi (diretora do BC Tucano) já condenados a 10 anos de cadeia.

Juntando com dos diretores do Banco do Brasil que também já foram condenados, e outros pendengas do lesa pátria FHC, ou se muda o time ou as "crises estruturais" vão continuar.

Os Tucanos tem histórias, pena que para cadeia não vão, pelo menos enquanto existir os estudiosos tipo Gilmar Mendes. Nem eles nem o Dantas.

Claudio Dode

edu disse...

BRASIL COLONIA DE BANQUEIROS, se nao me engano existe um livro com esse nome.

Quem "bate" a moeda governa o pais, 95% do dinheiro que circula no BR é bancario, vem do débito, e paga juros...sangria desatada da riqueza da naçao.

Como bem dito, o mundo todo é assim, porem no Brasil o nivel é escravagista.

Feil, ja é costume encontrar obras de arte aqui neste blog, mas hj te superaste. PARABENS.

edu disse...

E o maia o costumeiro ignorante (ou pago para escrever aqui).

Raul Sendic disse...

O sistema financeiro brasileiro, que para além de concentrado, atua com clara evidencia de conluio,e tem no Banco Central seu guarda-costa de última instância.
Em um mundo que falasse de recessão, crise financeira, desemprego, etc, etc.... Os caras ainda falam em: conter inflação (sinônimo de subir juros = pol. monetária contracionista), cortar gasto público (política fiscal contracionaista).
Quer dizer, para que serviu 29 para os liberais?

Anônimo disse...

Quando o Lula montou o Bolsa Familia foi uma chorumela desgraçada. O Fome Zero era eleitoreiro. E assim estas "micharias" foram alvos de pedradas da direita insana e colonialista e do "jornalismo de resultado".

Agora dar dinheiro para banqueiro e empresário corrupto e ladrão, eles estão quietinhos quietinhos. E quando boquejam é para achar que tem de dar é mais.

Claudio Dode

Carlos Eduardo da Maia disse...

Nâo sei se alguém aqui leu Chesnais do Tobin or Not Tobin. E Chesnais é tri de gauche. Ele disse que a financeirização do capital é a realidade atual. O mundo todo está financeirizado. Os bancos estão no topo da pirâmide social em todos os países da humanidade. Não é só no Brasil que o mercado financeiro domina. Os bancos são donos da pelota aqui, alí e acolá. Mas tem gente que se acha inteligente e culto que pensa que apenas no Brasil "escravagista" de hoje em dia os bancos dominam. Tadinhos, deveriam ler e viajar mais.

edu disse...

Vem maia, vem, te mostra, quer saber quem foi James Tobin? Que criou a teoria da Tobin Tax, leste O grao de areia? Pro e contra da Tobin Tax?? Leste o trabalho do premio nobel James Tobin?? Casualmente estou na pagina 230 de mais um livro que avalia a teoria de James. Alias a teoria se baseia na taxaçao do cambio, e o cara foi marginalizado de forma terrivel.

Viajar? boa maia, quanto mais tu esperneia mais te enrola na rede, acabei de comprar a assinatura anual do metro de Londres, zona 1 e 2 por £ 940,00, um ano inteiro!!!

Sabe quanto custa para viajar de Madrid à Salvador semana que vem?? 224 euros e de Salvador à Passo Fundo 320 euros...2 horas de voo, de Milao a Londres sai por 54 euros ida e volta, com taxa e tudo, no BR (monopolio da TAM) 2 horas de voo custa apenas um trecho, 150 euros.

Um emprestimo habitacional na Europa custa 5% ao ano fixo, e no Brasil maia?? Tu estas concordando conosco de que o mundo inteiro esta escravizado pelos bancos!!! Mas em que proporçao??? O exemplo acima te esclarece.

Carlos Eduardo da Maia disse...

Edu, sou favorável a Taxa Tobin. Acho sim muito justo que parte do dinheiro especulado pelo mercado financeiro mundial e, sobretudo, nos paraísos fiscais, deve ir para o combate a pobreza. A questão é: como fazer isso? Quem vai administrar? Pois é, um empréstimo habitacional na Europa custa 5% ao ano. NO Brasil custa 11% ao ano e já custou muito mais. Sabe porquê, Luiz, na Europa a taxa é menor? POrque existe menos risco, porque os países europeus tem maior controle fiscal, porque são mais organizados, porque eles seguiram uma linguagem que o Brasil derrapa e resvala, porque insistimos aqui em fazer o jogo da religião ideológica que acabou na Europa.

Anônimo disse...

O Maia pode falar que os outros viajem mais, eu acho salutar e de grande valia para a cultura em geral e dos que viajam em particular.

Só acho que não devam é "viajar na maionese" como ele faz costumeiramente.

Nem tampouco ter como viagem de algum acumulo cultural as idas a Disney, nem tampouco a Miami para a compra de quinquilharias.

Com certeza não é só no Brasil que os banqueiros, empresários e "capitalistas" em geral são privilegiados. O sistema capitalista é para isso favorecer a ganância e outros, digamos, sentimentos menores da humanidade.

Agora que no Brasil o "Oba-Oba" favorável aos banqueiros e outros picaretas da área é ilimitado não tenham a Menor duvida. Nos EUA por exemplo tem limites de valor total de depósitos, do numero de agências, enfim tem algum contrôle. E aqui? O velho Brizola já se indignava que o City Bank tinha mais agências no Brasil que no EUA. Na itália é medieval a rejeição a usura.

Só quem não viaja, e se viaja é pela possibilidade de alardear como faz o Maia, ou, pior ainda só pelo anseio de comprar badulaques (que aliás os colonizadores usavam para enganar os indios quando aportaram por aqui. Agora eles não precisam nem trazer a "indiada" colonizada vai lá para pegar), não vai ver que apesar dos privilégios, tem limites para avareza.

Claudio Dode

Anônimo disse...

Aliás, quando eu falo em privilégio no Brasil vai até o fato que a turma "financeira" bancada pelo FFHHCC, oito diretores do Banco do Brasil e quatro do Banco Central, foram condenados, mas continuam a solta para novas "livres iniciativas".

E Olhem a Yeda com os pedágios...

Claudio Dode

Anônimo disse...

Viajar com diária do estado, isso é tri-legal?????

Mimoso disse...

Me refiro ao comentario do dia 11/11, as 10:01.

Engracado que sempre, sempre, sempre... depois do Panoramix comentar vem o Maia dar a replica ("Oh, druida, etc."). Para mim, Panoramix e Maia sao a mesma pessoa. Panoramix da' uma sugestao razoavel, porem facil de atacar, e surge de repente (nao mais do que de repente) o Maia para contestar e empurrar sua opiniao. Eu, ca' comigo, fiz um levantamento das opinioes do tal "druida" e das respectivas replicas do Maia. Quem quiser, pode comprovar olhando os arquivos do espaco. E' muita "coincidencia". O que acontece e' que se trata de um lacaio, pago. Maia e Panoramix sao a mesma "pessoa". Olho vivo!

Contato com o blog Diário Gauche:

cfeil@ymail.com

Arquivo do Diário Gauche

Perfil do blogueiro:

Porto Alegre, RS, Brazil
Sociólogo