Você está entrando no Diário Gauche, um blog com as janelas abertas para o mar de incertezas do século 21.

Surf no lixo contemporâneo: a que ponto chegamos! E que mundo deixaremos de herança para Keith Richards?

sexta-feira, 27 de agosto de 2010

Os humoristas de passeata (de direita) escondem a verdade


Deputada Manuela E-aí,-beleza? D'Ávila é uma das autoras da aberração

Deu na coluna da jornalista Hildegard Angel, no Caderno B, do Jornal do Brasil, edição de ontem:

[...] A Lei das Eleições, 9.504, data de 1997 e, na minirreforma, ganhou penduricalhos que a "turbinaram", com substitutivos e emendas no que diz respeito ao humor, cujos autores têm nome: são os deputados, do PCdoB, Flavio Dino, candidato a governador do Maranhão, e Manuela D'Ávila [do RS].

Para essa minirreforma ser aprovada no Plenário da Câmara, os deputados votaram. O TSE apenas cumpre o que está escrito. Então, não é o Lula, não é a Dilma, não é o ministro Lewandowski nem é o Franklyn Martins (conforme menção leviana de um dos humoristas desfilantes).

São os nossos congressistas! E isso, os humoristas de passeata não disseram, não dizem, muito pelo contrário, querem deixar no ar a ideia de que o governo brasileiro cerceia a atividade do humor...

Essa atitude dúbia, manipuladora, só tira a legitimidade de uma causa que é boa, reduzindo-a a mero instrumento de campanha da oposição. Se no Brasil de hoje houvesse censura ao humor, nós não teríamos visto, como vimos, no CQC da última segunda-feira, um humorista dizer que o Eike Batista "faturou" a dona Marisa Lula da Silva, nem o humorista ao lado acrescentar que "dona Marisa vai fazer uma coleira com o nome Eike escrito". [...]

.....................

O ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Carlos Ayres Britto suspendeu na noite de ontem (26) a legislação que proíbe programas de humor de fazerem piadas com os candidatos que disputarão as eleições de outubro.

Sem ainda julgar o mérito do caso, que só pode ser analisado pelo plenário do STF, Ayres Britto disse que a proibição fere o princípio constitucional da liberdade de expressão e cria impedimentos "a priori" aos programas, algo que já foi debatido e vetado pelo próprio tribunal.

...........................

A jornalista Hildegard Angel é filha de Zuzu Angel, e irmã do ex-guerrilheiro, torturado e morto pela ditadura civil-militar, Stuart Angel Jones. Hildegard já declarou que está apoiando a candidata Dilma Rousseff.

Foto: Domingos Peixoto/O Globo

16 comentários:

Suzie disse...

E aquele, de camiseta preta, ao lado do megafone, palestrante do Instituto Millenium?Casseta!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
Ele está em "outro planeta"!

Anônimo disse...

Olha o q a deputada Manuela E ae belesssa! D'Avila tuitou:

"Enquanto o sono não vem... Sigo trabalhando. A boa noticia é que o STF julgou inconstitucional a lei de 97 que proibia humor na TV."

O mais incrível q a cara de pau é ainda se apresentar como a nova cara da política, fazendo q nem os mais velhos fazem.

Gustavo Alves disse...

Peço que leias o esclarecimento da deputada Manuela: Em defesa da liberdade de expressão http://migre.me/17siw

Anônimo disse...

Esse marcelo madureira parece aquelas veia da macha da familia com deus pela liberdade. Não passa de um cretino puxa saco que adora uma boca livre.

Anônimo disse...

É a marcha da familia com deus pela liberdade versão 2010!

Anônimo disse...

Puxa vida, não sei porque eu não me surprendi ao ver que este blog e toda a esquerda se posicionaram contra o protesto.

Protesto contra o partido: estão sempre errados. Cadeia neles.

igor disse...

no blog da Manu ela não desmente peremptóriamente que não é autora do barbicacho da lei de 97.

é só pegar as emendas à lei que estão no site do Congresso. Manu tem sim emenda proibindo trucagens e brincadeiras com a imagem de candidatos. Isso é burrice da Manu e mostra seu espírito autoritário bem stalinista do PCdoB. Se alguém faz trucagem que difama o outro tá correndo o risco de ser responsabilizado civilmente na Justiça. Se for só de sarro com humor e graça também não precisa porque é piada só.
Vô dizer uma coisa, essa Manu tem uma veiazinha autoritária. Mas não quer assumir o mau passo.

Anônimo disse...

Só quero ver uma sátira da Dilma usando um ponto eletrônico e repetindo o que diz o Lula escondido atrás de um biombo.

Manu disse...

Caros blogueiros,
diferente de outras vezes que manifestam opiniões sobre mim (sempre negativas), desta vez resolvi escrever porque se trata de uma deseinformaçao grave e não de opinião. Aqui esta a carta que enviei a colunista do JB.
tentei contato inúmeras vezes com vcs. Como não consegui, resolvi escrever por aqui.
Cara Hildegard Angel,
Tentei manter contato com você de diversas formas. Resolvi escrever e postar em seu blog, talvez a modernidade nos imponha essa forma de contato. Não nos conhecemos mas acredito que compartilhamos – com alguns milhares de brasileiros – o sonho de um Brasil democrático e justo. Sonho de gerações de meu partido (o PCdoB) e de sua família.
Vivo dias dignos de Kafka, a partir de uma coluna assinada por você. Aliás, a coluna aborda o tema do humor na política de maneira bem próxima aquilo que penso. Mas existe um porém. Você usou uma fonte com equívocos e cita o meu nome.
Depois de tentar esclarecer pelo telefone com sua equipe, resolvi colocar no papel.
A lei eleitoral é de 1997. Ela não aborda apenas o humor na política. Ela aborda todas as regras das eleições. Muros, faixas, tamanhos, CNPJ, fotos, contas, tudo aquilo que diz respeito ao processo eleitoral. No ano passado fizemos alguns ajustes a essa lei. Como deputada, o procedimento legislativo DEVE SER que, qualquer tema relacionada ao processo eleitoral passa por emendas ou alterações a essa lei já existente. Apresentamos emendas supressivas ou aditivas. Coube a mim, como deputada que sempre lutou pela liberdade de expressão e, precisamente na internet, tentar liberar o uso dessa importante ferramenta nas eleições.
Assim o fiz. E conseguimos. Diferente do processo eleitoral de 2008, no qual sites, vídeos, comunidades em redes socais, foram retirados no ar pela Justiça Eleitoral, nessas eleições todos usam abertamente a internet. Nessa emenda, proibimos a trucagem e a montagem em sites de candidatos. Apenas em sites de candidatos. Qual o objetivo? CANDIDATOS USAVAM MONTAGENS FALSAS A SEU FAVOR. Apenas isso.
Esse foi o meu papel em todo o processo da mini-reforma. Nada, absolutamente nada relacionado à censura. Muito menos a censura aos humoristas, a quem fui solidária diante da interpretação do PODER JUDICIÁRIO.
Tua voz é muito mais forte do que a minha. Tua coluna é lida por milhares de pessoas que, de imediato, passaram a me acusar de ser autora de uma lei de 1997. Repare: em 1997 EU TINHA 16 ANOS. NÃO VOTAVA!!! ESTAVA NO ENSINO MÉDIO!
Tua coluna passou a ser usada por todos aqueles que disputam eleições contra mim. Usada de maneira baixa, é verdade, por que infelizmente muitos fazem política assim, na direita e na esquerda.
Disse que vivo dias dignos de Kakfa por não ter mais o que fazer. É como provar que não há relação extraconjugal. Se não há fatos, não há provas. Peço que corrijas essa informação. Sei que não agiste de má fé e reitero, gostei muito de tua posição no artigo. Mas o fato se tornou muito grave para mim. O mal entendido, a falta da informação correta, virou uma bola de neve. Contra a pessoa errada, que nada tem com isso.
Abraço solidário,
Manuela dÁvila - Deputada Federal do PCdoB -RS

Gustavo disse...

Em resposta ao artigo publicado, segue a nota da deputada Manuela D'Avila:




Cara Hildegard Angel,

Tentei manter contato com você de diversas formas. Resolvi escrever e postar em seu blog, talvez a modernidade nos imponha essa forma de contato. Não nos conhecemos mas acredito que compartilhamos – com alguns milhares de brasileiros – o sonho de um Brasil democrático e justo. Sonho de gerações de meu partido (o PCdoB) e de sua família.

Vivo dias dignos de Kafka, a partir de uma coluna assinada por você. Aliás, a coluna aborda o tema do humor na política de maneira bem próxima aquilo que penso. Mas existe um porém. Você usou uma fonte com equívocos e cita o meu nome.

Depois de tentar esclarecer pelo telefone com sua equipe, resolvi colocar no papel.

A lei eleitoral é de 1997. Ela não aborda apenas o humor na política. Ela aborda todas as regras das eleições. Muros, faixas, tamanhos, CNPJ, fotos, contas, tudo aquilo que diz respeito ao processo eleitoral. No ano passado fizemos alguns ajustes a essa lei. Como deputada, o procedimento legislativo DEVE SER que, qualquer tema relacionada ao processo eleitoral passa por emendas ou alterações a essa lei já existente. Apresentamos emendas supressivas ou aditivas. Coube a mim, como deputada que sempre lutou pela liberdade de expressão e, precisamente na internet, tentar liberar o uso dessa importante ferramenta nas eleições.

Assim o fiz. E conseguimos. Diferente do processo eleitoral de 2008, no qual sites, vídeos, comunidades em redes socais, foram retirados no ar pela Justiça Eleitoral, nessas eleições todos usam abertamente a internet. Nessa emenda, proibimos a trucagem e a montagem em sites de candidatos. Apenas em sites de candidatos. Qual o objetivo? CANDIDATOS USAVAM MONTAGENS FALSAS A SEU FAVOR. Apenas isso.

Esse foi o meu papel em todo o processo da mini-reforma. Nada, absolutamente nada relacionado à censura. Muito menos a censura aos humoristas, a quem fui solidária diante da interpretação do PODER JUDICIÁRIO.

Tua voz é muito mais forte do que a minha. Tua coluna é lida por milhares de pessoas que, de imediato, passaram a me acusar de ser autora de uma lei de 1997. Repare: em 1997 EU TINHA 16 ANOS. NÃO VOTAVA!!! ESTAVA NO ENSINO MÉDIO!

Tua coluna passou a ser usada por todos aqueles que disputam eleições contra mim. Usada de maneira baixa, é verdade, por que infelizmente muitos fazem política assim, na direita e na esquerda.

Disse que vivo dias dignos de Kakfa por não ter mais o que fazer. É como provar que não há relação extraconjugal. Se não há fatos, não há provas. Peço que corrijas essa informação. Sei que não agiste de má fé e reitero, gostei muito de tua posição no artigo. Mas o fato se tornou muito grave para mim. O mal entendido, a falta da informação correta, virou uma bola de neve. Contra a pessoa errada, que nada tem com isso.

Abraço solidário,

Manuela dÁvila - Deputada Federal do PCdoB -RS

Gustavo Alves disse...

Em resposta à jornalista Hildegard Angel, a deputada Manuela publicou uma carta em seu blog reafirmando que não foi autora de nenhuma emenda que sequer inspirasse a censura. Ela é uma das principais articuladoras da Liberdade na Internet. Vale a pena ler http://migre.me/1946v

Cristóvão Feil disse...

Gustavo Alves, eu vou replicar abaixo o e-mail-resposta que te mandei ontem à tarde. Talvez tu não tenhas entendido a minha solicitação.
Se vocês não me mandarem a emenda (original digitalizada) apresentada, irei considerar a versão corrente, segunda a qual a deputada do PCdoB foi autora sim de emendas restritivas à liberdade de informação e expressão. A resposta da deputada afirmando que em 97 tinha doze anos não serve. Nos referimos à minirreforma recente, quando a mesma participou, pois já não tinha mais doze anos, na qualidade de parlamentar. É disso que estamos falando. E são essas emendas que eu gostaria de receber gentilmente de vocês, para poder publicá-las com grande alegria, seja qual for o seu conteúdo.
Abaixo o e-mail-resposta (em negrito) que te mandei ontem. Talvez tu não tenhas tido tempo de lê-lo.
........

Certo, Gustavo,

Mas tu podes me repassar, por favor, a redação da emenda apresentada e assinada pela deputada?
Gostaria de receber o original digitalizado.
Aguardo, e desde já agradeço.

.......

Saudações, e permaneço no aguardo, meu prezado Gustavo.

Cristóvão Feil

Anônimo disse...

É só ver quem levanta a bandeira dessa campanha, pra saber q é mais uma tentativa de colar no governo Lula uma sacanagem q foi urdida no governo do FHC. Isso o cretino do Madureira e seus amiguinhos boçais do CQC ñ falam.

Eugênio

Anônimo disse...

Impressiona, sim, verificar que nenhum argumento devidamente fundamentado é capaz de "abrir" a cabeça da direita "raivosa". Até mesmo a Manuela, aos 16 anos, fica sendo responsável pela emenda legislativa. Quanto ao que o ínclito Ministro Ayres fez, digamos, foi liberar a "animalidade" quer irá permear - até as eleições - as "feras" de sempre. Afinal, denegrir, tripudiar, truncar, mentir, etc e tal devem ser a mais "pura" libertinagem da imprensa: ora, depois, é só se queixar a quem, mesmo? Relembro Millôr e Rangel em "Liberade, liberdade": Liberdade, quantos crimes são cometidos em seu nome".

guima disse...

Deputada Manuela fez emenda na lei do FHC em set. de 2009.

Porque ela não mostra aqui a Emenda dela? Quem não deve não teme.

Mostra e nem precisa fazer discurso se defendendo. A melhor defesa é a própria emenda que foi aprovada, basta repetir o conteúdo.

Gustavo Alves disse...

Segue o anexo com a íntegra da emenda apresentada pela deputada Manuela. http://congressoemfoco.uol.com.br/upload/congresso/arquivo/MReformaEleitoral_Emenda34Manuela.pdf

Contato com o blog Diário Gauche:

cfeil@ymail.com

Arquivo do Diário Gauche

Perfil do blogueiro:

Porto Alegre, RS, Brazil
Sociólogo