Você está entrando no Diário Gauche, um blog com as janelas abertas para o mar de incertezas do século 21.

Surf no lixo contemporâneo: a que ponto chegamos! E que mundo deixaremos de herança para Keith Richards?

quarta-feira, 25 de agosto de 2010

E o Caetano apareceu ontem

Caetano Veloso, um grande artista brasileiro, mas que na política só comete atropelos e tolices, posto que é um pavão sem mistério, apareceu ontem no programa de Marina presidente.

Sem novidade. Eles se correspondem, politicamente. A candidatura Marina foi uma urdidura ladina (sem criatividade) de duas sumidades em matéria de traição: o professor Cardoso e o conhecido desbundado Fernando Gabeira. A intenção instrumental era fazer com que a acreana erodisse por baixo a candidatura lulista, face a uma suposta legitimidade que ela detinha por ter militado por quase três décadas no PT (linha dirceuzismo de oportunidades, saibam todos). Nada feito. Pescadores de águas turvas só capturam botas velhas e chaleiras furadas.

Ontem, quando apareceu Caetano, na sala onde eu estava refestelado, um menino de 11 anos virou-se pra mim, surpreso pela minha gargalhada, e perguntou:

- Quem é, tio?

Caetano, mal suspeita, mas a plateia já não o reconhece.

16 comentários:

Lucas Jerzy Portela disse...

Caetano ERA um grande artista. Não é mais.

Não faz nada que preste desde Circuladô (Tropicália 2 não conta, é um disco de Gil).

E ignora com fragor toda a nova geração oriunda da atual Reforma Cultural Bahiana: do Baiana System a Orkestra Rumpilezz, do Neojibá ao Retrofoguetes, Caetano ou desconhece ou finge que desconhece, num misto de temeridade e falta de amor a seu próprio estado.

Anônimo disse...

Coitado do Caetano. Maravilhoso artista, sem dúvida nenhuma. Mas a visão política, sempre estreita. A vida é assim, pode ser gênio em uma área, mas um bobo útil na outra. Por isso há esperança em todos os seres, ninguém detém a sabedoria universal...

Adir disse...

Observem Edson Arantes do Nascimento, o Pelé, jurou amores por Serra!

Anônimo disse...

Se votasse na Dilma era gênio. Já que não vota é um tiozão otário... Tá bom. A alienação é corresiva nesses casos...

Vovó Matilde

zé bronquinha disse...

Na minha longa vida de trabalhador desde adolecente, filho de carpinteiro e de constureira, tempos que que não mentir e não roubar não era orientação falada e sim feita, posta assim de referência. Nesta caminhada aprendi que a maioria dos intelectuais e artistas não vivem o mundo do sofrimento das massas humilhadas e ofendidas, portanto desse tipo tudo é esperado.

Juarez Prieb disse...

Zé bronquinha deixa de ser cristão, rapá.
Menos. Porque tem que sofrer? Onde tá escrito isso? Ah na bíblia, claro. Nos evangelhos, né?

Enquanto a esquerda beber nessa fonte estará muito mal parada. Quer dizer que a revolução, a redenção, só vem depois de muito sofrimento? Então vamos todos passar uma temporada em Guantánamo e logo logo a revolução mundial despontará no horizonte.
Vai estudar, Zé pra te libertar dessas amarras católicas.

Fabricio disse...

RODOANEL POR 5 BILHÕES É PRENÚNCIO QUE A DIREITA SÓ PENSA EM SUPERFATURAR OBRAS !! INCRÍVEL ISSO !! SÃO PATRIOTAS ?? TEM QUER SER COMO OS YANQUES! PATRIOTAS E ARROGANTES E INVASORES DE PAÍSES !! FOMENTAR A GUERRA E PRASTICAR A. MATANÇA DE INOCENTES !! ISSO É PATRIOTISMO ??

zé bronquinha disse...

O juarez, tu és artista ou intelectual? Se és qualquer uma dessas duas espécies de que lado tu estás? O povo não escolhe o sofrimento.Numa sociedade de classes "os de baixo" apreendem sobre os conflitos de interesse de classe no sofrimento sim. Possivelmente tu não conheças isso. Aliás, este é o motivo que muitos petistas se bandearam para o social liberalismo, pois seus discursos socialistas revolucionários esmaeceram diante da possibiliade de humanizar o capitalismo.Seus discursos inflamados contra os excluídos é mera retórica, pois como tu, não conhecem a babárie das periferias de quase todas as cidades brasileiras.

Márcio Martins disse...

Está aí um cara que, para mim, nunca foi grande artista. Trata-se de um performático, tarado por mídia, muito mais um bufão do que um artista de qualidade. De popular, sua música só leva o nome. Duvido que algum morador de favela possua a discografia completa desse senhor em sua casa, funk é muito mais popular que Caetano e amiguinhos de pseudo-esquerda.

Juarez Prieb disse...

Vai te afumentá zé louquinho, com esse discurso do Ratzinger.

Vai pro blog do Reinaldo Azevedo da Veja.

carlão disse...

acho que o Zé Bronquinha tem razão. essa agressividade do Prieb está desmedida e sem razão.

Francisco Goulart disse...

Parabéns pelo algo nível dessa discussão. hehhhheeeee

Luciene disse...

Quando vejo pessoas como Caetano, sinto medo, pois é alguém que não soube envelhecer. Teve seus momentos áureos na juventude quiçá na maturidade, mas a avelhice lhe caiu muito mal.
Tenho medo que algo assim aconteça comigo.

Don Jose de Pan Y Agua disse...

Enquanto Caetano fica Odara, nós vamos mudando a cara deste país ...Somente isso !

Carlos J. R. Araújo disse...

O Caetano é um caso psiquiátrico. Eu não o suporto desde o final da década de noventa, quando ele deixou evidente o seu lado patológico, O ego dele é tão grande que, desde então, não se conformava mais em ser um grande compositor, músico e cantor. Passou a falar de tudo e todos os dias, só para aparecer na mídia. E aí o ego desandou, ele pirou de vez.

Um deslumbrado. Mas eu desconfio que o motivo é exclusivamente financeiro: quanto mais aparece, mais fatura. Ele provoca a discussão, há réplicas, tréplicas, entrevistas e mais entrevistas. Só para ficar em evidência e continuar a ter platéia musical. Com a polêmica ele fica em evidência, aumenta a audiência pessoal e continua a ciranda dos shows. Puro marketing.
Hoje, ele nada mais é que uma inteligência a serviço do nada.

Anônimo disse...

Caetano era um grande artista quando apoiava o PT. Depois, deixou de ser. E que todos aprendam: no novo Brasil, quem não está com o partido, não existe mais.

Contato com o blog Diário Gauche:

cfeil@ymail.com

Arquivo do Diário Gauche

Perfil do blogueiro:

Porto Alegre, RS, Brazil
Sociólogo