Você está entrando no Diário Gauche, um blog com as janelas abertas para o mar de incertezas do século 21.

Surf no lixo contemporâneo: a que ponto chegamos! E que mundo deixaremos de herança para Keith Richards?

quinta-feira, 12 de março de 2009

Via Campesina entrega propostas para a FAO


Crise mundial pode piorar a crise de alimentos

As mulheres da Via Campesina se reuniram ontem com o diretor geral da Organização para a Alimentação e a Agricultura da ONU, a FAO, Jacques Diouf (foto). No encontro, as trabalhadoras apresentaram suas proposta para o desenvolvimento de um modelo de agricultura sustentável no campo brasileiro. A informação é da Agência Chasque.

Segundo a integrante da coordenação nacional da Via Campesina, Maria Costa, Diouf foi enfático em dizer que a compra de terras por empresas transnacionais aumentará a fome nos países pobres. O diretor também reiterou seu pedido de ações urgentes dos governantes para combater a fome no mundo. Diouf teme que a crise financeira internacional amplie a crise alimentar.

“A crise de alimentos não só continua existindo, como pode piorar”, alertou o diretor da FAO, depois de reunir-se com o presidente Lula, em Brasília.

12 comentários:

Anônimo disse...

Kákákáká...
A Agência Chasque é sustentada pelo Instituto Preservar, que funciona dentro de um assentamento de Viamão e recebeu R$ 500 mil no ano passado do MDA.
Portanto, suas "notícias" são bem pagas pelo povo brasileiro e atendem ao interesse manipulador de um movimento que todos sabem qual é.
Interessante a notícia abaixo da ONU sobre florestas plantadas.
ZéMané



Rádio ONU

Destruição de florestas leva a mudanças climáticas

Por Mônica Villela Grayley - Rádio ONU


Um relatório das Nações Unidas sugere que a área de florestas plantadas no mundo deve aumentar em um terço nos próximos 20 anos. Segundo a Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação, FAO, atualmente, mais de 65% da produção de madeira global são gerados por florestas plantadas. O número equivale a 1,2 bilhão de metros cúbicos.

Mudanças Climáticas

A atividade é ainda uma forma de preservar o meio ambiente, uma vez que a destruição de florestas naturais levaria a mais desmatamento e às mudanças climáticas. O especialista da FAO, Roberto Mercado, falou à Rádio ONU, de Roma, sobre algumas das vantagens deste tipo de exploração.

"As florestas plantadas no processo fotossintético produzem mais oxigênio no processo de crescimento que florestas muito velhas como a Amazônica ou a Floresta da África Equatorial. O que não faz sentido é destruir florestas nativas para plantar de novo. No caso do Brasil, é permitido que grande parte dos produtos florestais venha de florestas plantadas e não naturais.

Mercado disse ainda que a FAO recomenda sempre a plantação. "O que a FAO recomenda é que se você corta tem que plantar. Se você corta uma árvore o ideal é que você corte duas. Isso é o que a FAO recomenda. Lamentávelmente nem todos fazem", disse.

Produtos Mais Comercializados

De acordo com o estudo da FAO, as florestas plantadas absorvem até 1,5 gigatonelada de carbono todos os anos, o que equivale ao nível atual de desmatamento. O relatório é resultado de pesquisas em 61 países que representam 95% de todas as florestas plantadas do mundo. Entre os produtos florestais mais comercializados estão compensado e papel.

Cozzer disse...

ZéMané você é mesmo José Manuel e bocó de carteirinha.
Saiba que a grande usina de oxigênio do planeta não são as árvores das florestas. A Amazônia não é o pulmão do mundo. Isso é um mito. Embora tenha que ser preservada, mas por outros motivos, ecológicos, equilíbrio entre as espécies, perda de solo fértil, hidrografia, regulação do clima no hemisfério sul, controle do regime de ventos e pressão atmosférica, etc.
O grande produtor de Oxigênio (O2) no mundo são os fitoplanctons dos oceanos e outras coleções hídricas do planeta. São muitas vezes organismo unicelulares mas com grande capacidade de produção de O2. Essa conversa de florestamento é mito criado pelo mercado de celulose e papel, para justificar a razia que fazem nos ecossistemas mundiais. Isso até pode ser verdadeiro, mas esse O2 é talvez menos que 1% do oxigênio de que o mundo precisa.
Viu, seu bocó?

Anônimo disse...

Cozzer,
Você foi meio grosseiro comigo. Falou, falou mas não deu a fonte dessas informações, que até acho que podem ser verdadeiras.
Apenas colei uma notícia que não é da Zero Hora, mas da Rádio ONU.
Mas entendo que teu modo de agir truculento é parte da política do novo socialismo do século XXI.
ZéMané, o seu bocó

Sobre isso, veja esta do companheiro Chavez:

Hugo Chávez proíbe mostra sobre corpo humano na Venezuela
Presidente classificou a exposição de “macabra”

Uma mostra semelhante à exposição Corpo Humano Real e Fascinante, inaugurada no BarraShoppingSul, em Porto Alegre, na semana passada, não poderá ser vista pelos venezuelanos. Em mais uma decisão controversa e intempestiva, o presidente Hugo Chávez proibiu a exibição dos corpos em Caracas e mandou confiscar todas as peças, afirmando que são “reflexo da decomposição moral do mundo”.

— Estamos em meio a algo macabro. São corpos humanos. Corpos humanos! Este é um sinal realmente claro da enorme decomposição moral que atinge nosso planeta — disse o presidente em seu programa semanal dos domingos em rádios e na TV pública.

Batizada na Venezuela de Corpos Revelados, a exposição foi aberta na capital do país em 1º de março. Quatro dias depois, policiais e agentes da alfândega deram uma batida no local, mandaram embora os cerca de 400 visitantes e recolheram todas as peças exibidas – 13 corpos, preservados graças a um processo conhecido como polimerização, e 219 órgãos. Oficialmente, as autoridades venezuelanas vão investigar se o material apreendido não teria sido declarado ilegalmente na alfândega como sendo de plástico.

O confisco dos cadáveres se segue à intervenção do governo, nos últimos dias, no setor de produção de arroz, sob a alegação de que os empresários recorrem a esquemas irregulares para fugir do tabelamento. As intervenções fazem parte do projeto de Chávez de ampliar o controle estatal sobre a economia e aprofundar seu “socialismo do século 21”.

Anônimo disse...

Zé Mané,

Não vou nem entrar na questão do reflorestamento, pois o melhor seria a agrofloresta, para não complicar mais o teu diminuto cérebro.

Recomendo primeiramente que leia um pouquinho mais sobre monoculturas, assim como, a diferença do manejo das plantações de eucalipto pelos ecandinavos na terra deles e o manejo que pretendem aqui.

Aproveito para lembrar que os bosques do silêncio, como são chamados as plantações de eucalipto, se devem a inexistência e impossibilidade de vida animal, pela falta de alimentos.

As caturritas fazem os ninhos por ali para evitar os predadores naturais, e vão se alimentar nas redondezas onde houver plantações (normalmente pequenas) de milho etc..

É isso que as cocotas" das papeleiras não querem entender.

Claudio Dode

Ary disse...

Dode: Não nos preocupemos com a Venezuela.

Aqui no Rio Pequeno do Sul, poderemos, em breve, apreciarmos uma exposição inédita e itinerante, denominada "Entranhas Reveladas". A inauguração será no Palácio Piratini e poderá ser visitada em todas as Secretarias. Corre-se o risco de seu trajeto ser interrompido a qualquer momento. Quanto a você, Cozzer: concordo integralmente. Essa estória de dizer que a Amazônia é o "pulmão do mundo" é do tempo em que "aprendíamos que "existem animais úteis e animais nocivos ao homem".

Anônimo disse...

Era para ser "cortar uma e plantar duas, correto"?
Que eu saiba, silvicultura, preferencial, se faz com árvores nativas ou compatíveis com o clima.
Se era para fazer monocultura de "eucalipio", então não se confunda com silvicultura.
O que está sendo feito no RS tem a ver com a VCP encher as burras de grana e não com preservação dos nossos recursos, deixemos a hipocrisia de lado.

Anônimo disse...

Como diria Quintana, a burrice é invencível.
Anônimo, silvicultura se faz com nativas e exóticas. Qual o problema?
Dode, pareces entender tanto de caturritas quando de silvicultura, ou seja, muito pouco.
Caturritas vivem em condomínios, ou seja, precisam de galhos grosso para construir seus ninhos. E os eucalípios comerciais não se prestam pra isso. Não oferecem casa nem comida às caturritas, portanto jamais contribuirão com sua expansão.
Se conhecesse o mínimo de silvicultura ou caturritas não diria essas bobagens.
Zézinho, o Mané

Anônimo disse...

...e pensar que tem um professor que escreveu:

..."temos que resgatar uma dívida social de 500 anos de atraso, LATIFÚNDIO, exclusão e desesperança...E muita riqueza foi construída com a escravidão de nossos irmãos negros".

Nome dele: Fernando H. Cardoso



armando

Anônimo disse...

Zézinho Mané:

Quem precisa de galho grosso acho que é tu, não vem com a desculpa da caturrita, que não tem.

Quem gosta de condominio são as cocotas do parcão. Do parcão e de galho grosso.

Claudio Dode

Anônimo disse...

Zé Mané,

Eu não falei em silvicultura, eu falei em agrofloresta. É uma questão de conceito. Entendeu ou tem que soletrar.

Claudio Dode

Anônimo disse...

Não entendi a crítica à Agência Chasque. Afinal a RBS, o Correio do Povo e os blogs do Diego Casagrande e do Polibio Braga são financiados pelo governo do RS e a Assembléia Legislativa(portanto, dinheiro público), pela Gerdau, Aracruz e VCP (que recebem bastante dinheiro do BNDES), ALL e demais 'coisinhas bacanas'.

"Portanto, suas 'notícias' são bem pagas pelo povo brasileiro e atendem ao interesse manipulador de um movimento que todos sabem qual é" - engraçado, não é que a afirmação do Zé Mané caiu bem para essas também?

kákákákáká, para o Zé Mané tb.

Paulo Roberto - Porto Alegre

Anônimo disse...

atenção, zémané é uma moça. e acha que engana papagaiando desse jeito.

hellow...nós estmamos te vendo no gabinete...

Contato com o blog Diário Gauche:

cfeil@ymail.com

Arquivo do Diário Gauche

Perfil do blogueiro:

Porto Alegre, RS, Brazil
Sociólogo