Você está entrando no Diário Gauche, um blog com as janelas abertas para o mar de incertezas do século 21.

Surf no lixo contemporâneo: a que ponto chegamos! E que mundo deixaremos de herança para Keith Richards?

sexta-feira, 27 de março de 2009

Classe AAA, Ética XYZ


Meu estilo
Sophia Alckmin – a nova gerente da boutique Daslu


Publicado na Vejinha São Paulo (Maio de 2005)

Filha mais velha do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, a primeira-daminha do estado [as revistas do grupo Abril usam conceitualmente letra minúscula para grafar “Estado”, por motivos ideológicos óbvios, nota do blogueiro], agora é gerente de novos negócios da Daslu.

Aos 25 anos, a jovem advogada Sophia Alckmin tem a missão de cuidar dos interesses da butique mais chique do Brasil. Ou seja, respira luxo quase 24 horas por dia.

Como você define seu estilo?
Sou superbásica. Eu gosto de jeans, camiseta e sandálias.

E para ir a uma festa?
Quando é um casamento e sou madrinha, vou de vestido longo, bordado. Mas estou na fase de vestido curto, na altura do joelho. E também gosto de um decote.

Qual o tamanho ideal do salto?
Gosto de um salto 7 (ela tem 1,56 metro).

E a marca de sapato que mais tem em seu guarda-roupa?
A de que mais gosto é Manolo Blahnik (badaladíssimo designer italiano que cobra no mínimo 170 dólares por um par de sapatos).

Um perfume...
Petite Cherie, da Annick Goutal.

Você tem um ritual de beleza?
Tenho. Minha mãe é supervaidosa e eu aprendi com ela. Desde os 15 anos eu lavo o rosto de manhã e à noite. Nunca durmo de maquiagem e sempre passo creme hidratante e protetor solar.

Aliás, você usa roupa da dona Lu ou vice-versa?
Ela é mais alta do que eu, não serve. Para não ser injusta, às vezes trocamos malhas. E, é claro, os acessórios: bolsas, brincos, pulseiras...

E maquiagem?
Passo um pozinho terracota da Guerlain para dar um ar de bronzeadinha e rímel da Chanel para alongar os cílios.

Um sonho...
Conhecer o Egito. Adoro essas viagens exóticas.

Você está namorando?
Sim, há nove meses (o empresário carioca Mario Ribeiro).

E qual o último presente que você ganhou dele?
Um iPod que carrego na minha bolsa.

Você começou a freqüentar a Daslu como compradora ou vendedora?
Nas primeiras vezes em que eu vim, estava com a minha mãe. Ela fazia compras, eu assistia. Aí virei vendedora e tudo começou.

Que tal ser chamada de dasluzete?
Acho que as pessoas gostam de rotular, mas não dou a mínima.

Tem saudade do tempo de vendedora?
Adorava, fiz várias amigas. Depois passei a trabalhar no setor de importados [alô PF, alô Ministério Público, a moça está entregando o serviço...], nas compras de marcas nacionais e agora sou gerente de novos negócios.

Como é ter um salário maior que o do seu pai?
Desculpe, não falo sobre isso.

Qual o preço máximo que você paga, por exemplo, num jeans?
Depende. Acho que não existe um valor máximo para nada [eis a expressão viva da mentalidade XYZ, a ética da nossa lúmpen-burguesia brasuca, que a Veja chama de "Classe AAA"].

.............

A “Gerente de Novos Negócios” da Daslu não foi presa, ontem, apesar de ter trabalhado no setor de importados (ou de contrabando) da loja de dona Eliana Tranchesi, agora correcional no Carandiru.
Em pensar que nós estivemos à beira de ter essa gente vazia e rasteira governando o Brasil...

12 comentários:

Anônimo disse...

Grande Cristovão, felizmente o "Picolé de Chuchu", não foi eleito presidente, mas por outro lado no Estado de São Paulo, é o primeiro colocado nas pesquisas. Não merecemos
Abs
Cido

Milton Ribeiro disse...

(Nojo)

Excelente, Cristóvão.

Jordi disse...

Cristóvão, tens razão quanto à grafia de estado pela veja e provavelmente quanto às motivações (apesar de que sua revisão é tão ruim que eu não duvidaria que fosse só má qualidade). Mas nesse caso, acho que a primeira-dama é do estado de São Paulo e não do Estado (que poderia ser o país, um estado ou até uma cidade, e deveria estar em maiúscula).
A propósito, a moça não trabalha mais no camelódromo de luxo? O site do camelódromo da “Vila Daslu” tem coisas engraçadíssimas, como os “projetos sociais”. A Tal Eliana Tramposa poderia agora ser atendida pelo projetos social da Daspu para as presidiárias...
Mas legal, mesmo, é o “”Daslu Export: the Daslu way of life”.

Depois fusilam a família do czar e ninguém sabe de onde veio tanto ódio...

Juarez Prieb disse...

Depois não sabem porque Luís 16 e a Maria Antonieta foram guilhotinados.
Quem semeia Daslu colhe Carandiru.

el barto disse...

essa gente vazia e rasteira tá governando o estado mais "pulitizado" do brasil. palmas para o povo guasca.

Ary disse...

Todo o apoio à Daspu!

gustavo kern disse...

A filha do farol é fantasma no senado e a do Alckmim gerência os novos negócios da daslu. se os negócios de sempre eram todas as formas de crime financeiro,os novos, devo imaginar, devem ser o tráfico de drogas e de armas tal qual o filho do ministro pele, não seria de se admirar.

Anônimo disse...

E isso é a elite? Que sujeira, que lixo, que pouco caso!

armando

claudia cardoso disse...

E pensar que essa gente "poderia"???

Boa a ironia!!! :-)

Poderah em seguida, se o Lula nao conseguir fazer sucessor ou sucessora!!!

Anônimo disse...

Enquete:

Qual é a diferença entre a Daslu e a Daspu?

OBS.: Fora a sinceridade.

Anônimo disse...

Que respostinha esperta...

"Depende. Acho que não existe um valor máximo para nada "

Se for por um valor minimo eu topo; mas se for por um valor tipo "Daslu", vou ter de fazer justiça com as próprias mãos"...

Tão novinha e tão safadinha, não é mesmo?

Anônimo disse...

Perdemos essa gente vazia e rasteira e ganhamos um bando de sindicalista mafioso! Nos demos bem!

Contato com o blog Diário Gauche:

cfeil@ymail.com

Arquivo do Diário Gauche

Perfil do blogueiro:

Porto Alegre, RS, Brazil
Sociólogo