Você está entrando no Diário Gauche, um blog com as janelas abertas para o mar de incertezas do século 21.

Surf no lixo contemporâneo: a que ponto chegamos! E que mundo deixaremos de herança para Keith Richards?

sábado, 14 de março de 2009

Nirvana e a baixaria guasca



O Nirvana do Kurt Cobain também faz um pouco a trilha sonora da derrocada tucano-yedista. A ver:

[...]
Arme-se
E traga seus amigos
É divertido perder
E fingir
Ela está perdida
mas tem certeza
Oh não, eu sei
Um palavrão

Olá, olá, olá, que baixaria
Olá, olá, olá, que baixaria
[...]

9 comentários:

gaspar disse...

outra boa do Nirvana é "Lithium", que deve ser consumido em quantidades industriais pela velha.

Anônimo disse...

Cara, o teu blog está devagar, quase parando. Diante dos fatos que aí estão, tu vem com essa letra (muito ruim, digasse de passagem)? A decadência do Blog começou no carnaval. Ou tu arrumou um cambicho (respeitabilíssimo motivo) que está ocupando tuas energias, ou então não sei qual é.

Anônimo disse...

Desculpe Feil, mudar o assunto, mas a entrevista do senador Simon ao PHA é histórica e demonstra que o velho pode recompor sua história, pois demonstra coragem pra defender o Juiz Fausto De Sanctis e o Delegado Protógenes, homens dignos. Enfim, alguém com moral suficiente pra chamar o presidente do STF às falas e mandá-lo calar a boca. Simon cresce no meu conceito.

armando

Noiram disse...

Pedro Simon: moralista de porta de boteco.

Anônimo disse...

fFlutuações são de se esperar em um trabalho unipessoal.
Coincidiu com uma fase extremamente produtiva da digníssima, mas imagino que a maioria boatos impublicáveis.

Anônimo disse...

No meio de dezenas de senadores, Simon teve a coragem única de defende o defensável e acusar o Gilmar Dantas, segundo Noblat. Portanto, cresce no conceito dos que lutam pela democracia que abarca os humilhados e ofendidos. Atirem as pedras os que têm argumentos em contrário.

armando

Anônimo disse...

Impublicáveis? Cómo assim, impublicáveis? Se não quiser publicar boatos tudo bem, não publique. Mas perguntar não pôde não? 1) por qué o governo não processa o Ruas e a Luciana? 2) por qué tanta demora para analizar as imagens das cámeras de segurança da ponte do Paranoá? Por qué tanto "segredo de justiça"? Onde estão os 44 paus surrupiados do Detran? Por qué caiu o ouvidor? etc...

Noiram disse...

Matéria do Diário de Canoas

O senador Pedro Simon está cheio de roupa suja para lavar dentro do PMDB gaúcho que é cúmplice do governo apodrecido de Yeda Crusius... mas prefere deixar a fedentina gaúcha de lado, e atacar a nacional para tirar o foco gaúcho das manchetes.

As mãos de Pedro Simom já estão sujas de sangue, do sangue da repressão da polícia de Yeda contra a população que ousa manifestar contra a corrupção que infesta o palácio Piratini.

Agora, o senador nos brinda com uma imitação barata do canastrão Jarbas Vasconcelos, atacando o mesmo PMDB com quem ele tanto se deu bem.

Repete a falta de coragem de citar nomes e fatos concretos.

Para Simon, o PMDB se corrompeu e hoje está à mercê dos interesses de alguns caciques da sigla que vivem de negociatas. "Passou a ser a política de quem paga mais. Eles ficam esperando para ver quem paga mais", afirmou referindo-se ao fisiologismo da legenda. De acordo com o senador, todas as relações da sigla são motivadas por interesses. E é justamente pensando "em quem paga mais" que os peemedebistas irão escolher entre PT e PSDB na sucessão do presidencial em 2010, segundo Simon.

Simon apenas repete o que todos nós sabemos e dizemos há anos. Não é novidade nenhuma. Qualquer cidadão pode criticar gente PMDB por corrupção, mas Pedro Simon, não. Para ele criticar, ele precisa contribuir denunciando fatos e nomes de seu conhecimento. Do contrário é querer enganar trouxas.

Se ele quiser prestar um serviço à Nação, conte o que sabe da convenção do PMDB de 1998 da qual ele fugiu, para deixar o grupo ligado à reeleição de FHC impedir a candidatura própria, de Itamar Franco, pelo PMDB.

Conte o que sabe quando foi Ministro da Agricultura quando José Sarney era presidente.

Conte o que sabe do que fez seu apadrinhado, Eliseu Padilha, no Ministério dos Transportes do governo FHC.

Mas, sobretudo, diga o que sabe sobre a corrupção no governo de Yeda Crusius (esquemas que já existiam no governo peemedebista de Germano Righoto), na prefeitura de Canoas,.

São correligionários do PMDB de Simon, que estão sob investigação policial:
- Eliseu Padilha (secretário geral do PMDB gaúcho)
- Alceu Moreira (presidente da Assembléia);
- Marco Alba (secretário de Habitação do governo Yeda);
- Marcelo Machado (prefeito de Sapucaia do Sul)

Simon sugere que o PMDB precisa de "uma limpa", com as "bases" expulsando do partido a dita "banda podre".

Mas Simon tem a faca e o queijo na mão para fazer isso no PMDB gaúcho. Que tal começar com os nomes acima do PMDB gaúcho?

Suzie disse...

Noiram!

Concordo com a matéria do Diário de Canoas.
Que tal o "moralista" Simon começar a faxinar sua própria "Casa".
A mídia guasca já abandonou o nosso Estado.
Só olha para FORA!
Como vamos crescer?
Com o respaldo da "base aliada" enterraram a possibilidade de reação do funcionalismo público do Estado.
O Banco Mundial ditou as regras para o "governo" atual.
O que vem por aí é a barbárie do neoliberalismo tardio tucano.
Quem merece?

Contato com o blog Diário Gauche:

cfeil@ymail.com

Arquivo do Diário Gauche

Perfil do blogueiro:

Porto Alegre, RS, Brazil
Sociólogo