Você está entrando no Diário Gauche, um blog com as janelas abertas para o mar de incertezas do século 21.

Surf no lixo contemporâneo: a que ponto chegamos! E que mundo deixaremos de herança para Keith Richards?

terça-feira, 3 de março de 2009

Governo Lula ameaça sem-terra com Exército


Lulismo de resultados atualiza o presidente Washington Luís

A Força Nacional de Segurança (FNS) pode atuar em episódios de invasões de terra promovidas pelo Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST). De acordo com o ministro da Justiça, Tarso Genro, o deslocamento do contingente pode acontecer a pedido dos governadores de Estados ao governo federal. A informação é da Agência Brasil.

“A Força pode atuar. A questão da ocupação de propriedade privada, segundo a Constituição e a lei, é uma questão de ordem pública dos estados. Mas se tiver algum tipo de pedido [de atuação na FNS], o Ministério da Justiça examina. Nunca faltou a nenhum Estado o apoio do ministério quando o apoio da Força é solicitado”, afirmou Tarso.

De acordo com o secretário nacional de Segurança Pública, Ricardo Balestreri, a FNS nunca atuou em desocupações de terra ou em conflitos com o MST, mas não há restrições para esse tipo de atuação, desde que haja pedido formal dos governadores.

Na última semana, quatro seguranças de fazendas invadidas pelo MST em Pernambuco foram mortos por integrantes do movimento. O MST alega que os sem-terra agiram em legítima defesa, justificativa considerada “inaceitável” pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

No sábado (28), cerca de 250 famílias do movimento invadiram uma fazenda do banqueiro Daniel Dantas, no sul do Pará, em reação a declarações do presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Gilmar Mendes, contra o repasse de recursos públicos ao MST. Mendes concedeu dois habeas corpus a favor de Dantas, que foi preso após investigações da Operação Satiagraha da Polícia Federal.

...............

Washington Luís, o último presidente da chamada República Velha (das oligarquias), que esteve no poder de 1926 até 1930, afirmava que a questão social é um caso de polícia.

Hoje, o presidente Lula retorna ao tema, mas garante que é um caso de Exército.

Questão de preferências de Suas Excelências, e tarefa (prazeirosa e excitante) para o ministro Nelson Jobim. Ontem, mesmo ele deve ter mandado a sua fantasia de gorila para a lavanderia.

De outra parte, impressiona a reação-relâmpago que o ex-metalúrgico Lula sempre tem quando o presidente Gilmar Mendes se manifesta sobre temas que considera relevantes, pela direita. Lula já deu mostras, essa de ontem é apenas mais uma delas, de que é sim pautado pelo presidente Gilmar Mendes.

Mendes estala os dedos e Lula corre para atendê-lo e satisfazê-lo. Um componente remissivo de subserviência da personalidade de Lula que preocupa.

24 comentários:

Carlos Eduardo da Maia disse...

O MST não é um movimento de "tadinhos". Ele tem sim que ser monitorado. No dia 21, quatro pessoas foram executadas numa chacina em São Joaquim do Monte. Os executores fazem parte de um movimento que não tem CNPJ e que recebe dinheiro público (que nós pagamos) através de ONG´s que insistem em não querer prestar contas. Não está em discussão aqui se questão social é de polícia, mas se um Estado democrático direito possa considerar legal um movimento (que apenas tem a denominação de social)com essas características. O MST não pode ter privilégios. Marcos Nobre, hoje na Folha e no Depósito, falou curto e grosso: sobre a incapacidade de certa esquerda em "fazer o combate de ideias no espaço público sem continuar a pressupor que seus pontos de partida seguem inquestionáveis. Convencer pessoas que já estão convencidas é puro conformismo."

Cristóvão Feil disse...

Senhor Maia, ou seja quem for que use esse codinome,

Quem identifica qual é a discussão aqui neste blog é este blogueiro. Repito, este blog é tolerante, mas não é democrático. Limite-se a comentar os temas aqui propostos. Não tente - aqui - querer impor a sua pauta.

Passe bem.

CF

Sueli F - Porto Alegre disse...

UI...Bem Feito.
@br@ço ( meu tecl@do estr@gou)

joventino disse...

Dá pra sentir o êxtase do Jobim vestido com aquela palhaçada de uniforme e segurando uma metralhadora no tanque.
É essa coisinha querida que o senador Simon quer que governe o RS depois da barbitúrica.
Feil, é preciso investigar sim o que os gaúchos fizeram para merecer tantos castigos assim.

panoramix disse...

Parabens pela foto da Juliana Alves Feil. É uma negra linda, pena que não é de corpo inteiro!

Carlos Eduardo da Maia disse...

Feil, a pauta é tua. Você é o "dono da voz" do Blog. Não estou querendo impor pauta, mas contribuir para o bom debate. Não existe nada de esdrúxulo, absurdo ou teratológico em questionar a legalidade de um movimento que não tem CNPJ, suas ONG´s não prestam contas do dinheiro público que recebe, e cujos membros executam 4 pessoas em Pernambuco. E eu não estou inventando nada disso. Isso efetivamente ocorre.

Anônimo disse...

Gilmar Mendes a cada fala se afunda mais e mais, levando junto o Poder Judiciário para o descrédito.
Lula deveria fazer o mesmo que fez com o Maurício qq. coisa que era o presidente do STF quando assumiu a presidência: ignorá-lo.

armando

Anônimo disse...

Maia, por que não fazes o bom debate lá no teu blog?!!
Carmem

Anônimo disse...

Carmem,

O Maia não faz debate no blog dele porque ninguem vai lá olhar as porcarias que ele escreve e acha que pensa.
As "idéias" do Maia são tão anacrônicas, que usa nome falso porque lhe falta dignidade para assumir pessoalmente.
O fascismo que representa em seus escritos se identificam com o posicionamento do Gilberto Thums que usa da instituição do Ministério Público para travestir a ideologia que o motiva.
Onde está na lei que alguém é obrigado a ter CNPJ?
A luta é ideológica. O Fechamento de escolas é ideológico. Ideológico e criminoso.
Enquanto isso o saque segue solto pelo Rio Grande afora, e nem o Maia nem o Ministério Público fazem nada. Estão "todos juntos e misturados."
E o debate que "certa direita" incluso, o Maia e a Folha (que militou pela ditadura) é o de uma "idéia" só: que o Mercado é a santidade.

Claudio Dode

Tupamaro disse...

Todos nós sabemos quem são os "tadinhos" no Brasil. O mais famoso é o biltre baiano Daniel Dantas, "tadinho" perseguido pelo "estado policial" implantado no Brasil, conforme nos tenta convencer a mídia golpista, biblia de cabeceira de fascistas assassinos como este vulgo Maia, que se acha o dono da verdade.
Mas a esquerda progressista brasileira que ponha as barbas de molho, pois já existem fortes sinais de golpísmo pairando no ar: a sistemática perseguição ao MST, a influência cada vez maior de nefastos como Gilmar Mendes e Nelson Jobim sobre a frágil democracia brasileira, editoriais como o da FSP denominando a ditadura militar de "ditablanda" e a criminosa fraqueza de Lula diante destes atores golpistas.
Eles já se deram conta que dificilmente ganharão 2010 e estão preparando o terreno para outro golpe a democracia.

José Paulo Guedes disse...

O MST não está acima do bem e do mal.
Se ocorrem excessos, seus quadros devem ser responsabilizados.
O problema agrário passa por um compadrio entre os proprietários da terra e o judiciário.
Por exemplo: Gilmar "DANTAS" qdo quer q o MST seja lançado às feras, fala em causa própria, pois vem de família ligada à terra. Aliás Rainha colocou a coisa mais ou menos nestes termos.
Há por parte do governo Lula, recursos fianceiros para desapropriação, assentamento e financiamento da produção familiar, o q não temos - e há interesses vários q fazem questão de escondê-lo - é um judiciário ágil e menos chicaneiro (aqui precisamos é repensar processo).
Não dá, em sã consciencia, para debitar todas as mazelas a Lula.

Anônimo disse...

O MST não é o movimento dos "tadinhos".
O MST é o "golden ticket" para uma economia capitalista forte, aberta, diversificada, com mercado interno dinâmico e competitivo.
O MST quer mais propriedade e mais proprietários. O MST quer transformar o Brasil numa metade norte do RGS. Imaginem 50 metades nortes desse estado na paisagem brasileira. Pobreza erradicada, progresso farto.
O socialismo democrático, o que quer que seja essa quimera, só pode vingar em um ambiente rico, tranquilo, e de gente educada, que almeja mais desenvolvimento humano.
Cospem no MST os representantes dos velhos cartéis, dos velhos cartórios, que temem perder a prevalência em um mundo novo e exigente.
Se nossa elite tivesse visão, o MST seria financiado pela FIESP.
Se a velha oligarquia fosse competente, moraria e ganharia dinheiro em Paris, em Montreal, em São Francisco. E teria menos pavor de experimentar coisas novas.
Tudo que nossa elite medíocre tem é o atraso do Brasil para tirar seu sustento.
É preciso saber distinguir entre os matizes de capitalismo para se escolher direito as opções.
O Maia escolhe o capitalismo "mais do mesmo". Então tá bom, a escolha foi feita. Te vejo na fila do INAMPS daqui a 30 anos, ok ? Daí vamos conversar sobre como o mundo te trata e pensar sobre as oportunidades desperdiçadas.

Douglas Bresolin disse...

Conheço o Maia de outros "Carnavais". Mas dessa vez sou obrigado a concordar em parte com a primeira postagem dele.

O MST é um importante movimento de pressão a qualquer governo, isso é bom. Porém existem em diversos momentos, na atuação do MST, exageros desnecessários.

Parabéns pelo Blog, está em meus favoritos no navegador.

Mas pregar democracia e não aplicá-la quando pode é contradição Feil, desculpe.

Já dizia aquela: Você é socialista?

r: Sim, eu sou.

-Se tivesse 10 casa distribuiria as mesmas para quem precisasse?

r: Sim, distribuiria.

Se tivesse um milhão de reais ajudaria a quem precisa?

r: Sim, ajudaria.

Se tivesse 2 carros, doaria um para beneficiar algum necessitado?

r: Não!

Por quê?

r: Porque os carros eu tenho.

De qualquer forma parabéns pelo Blog.

Cristóvão Feil disse...

Prezado Douglas,

Vc se insurge com o fato de eu afirmar que este blog não é democrático, não?

Pois eu ratifico: este blog não é democrático. Este blog representa parte do meu dispêndio de trabalho braçal-intelectual. Portanto, é um produto unipessoal, indivisível. Não é coletivo nem coletivizável. Logo, não pode ser democrático. Democracia pressupõe diferença, conflito. A unidade não apresenta diferença, nem conflito. Salvo nas patologias da alma.
Suponho então que vc esteja se referindo ao fato de que eu não seja um democrata. Mas eu me considero, sim, um democrata. Eis o paradoxo. Aqui se propugna por democracia, mas não é um blog ontologicamente democrático. A autoridade aqui é única e não compartilhável. E todos os blogs pessoais do planeta são assim, por mais cínicos que possam ser. Quando, e se um dia, o blog for coletivo, aí sim vc poderá reclamar uma natureza democrática nas suas relações internas. Por enquanto, não. Embora, não se abra mão das convicções democráticas em processo de permanente movimento, um processo sem fim.
Entendido?

Abç.

CF

mariorangelgeografo.blogspot.com disse...

Como a muito tempo eu venho falando, caro Cristóvão, tá na hora de cortar este tal de Maia da discussão (discussão que ele sempre foge).

Este sujeito é inescrupoloso e pau mandado. Vem aqui somente para desviar o assunto. Chega a ser nojenta a sua participação no blog, sempre discordando e tentando dar a última palavra em tudo.

Vamos ver se ele é sonso e dissimulado o bastante para continuar a dizer suas asneiras copiadas da RBS e FDS e outros fazedores de opinião direitosos depois do xixi que levou de ti, ou vai ter vergonha na cara e sair do ar para sempre.

Eu fico com a primeira alternativa.

Anônimo disse...

O Maia é um CC da Yeda, e comissionado da RBS

Carlos Eduardo da Maia disse...

E o Mário Rangel, o geógrafo, é amigo oculto do Diógenes de Oliveira.

mariorangelgeografo.blogspot.com disse...

Isso mesmo Maia babaca, sou amigo dele e da puta que te pariu (me desculpem pelo palavrão), mas é por uma boa causa.

Ele ficou brabinho com o xixi do Cristóvão e vem descarregar em mim.

kakakakaka...

Viram como eu estava certo?

Deu a primeira alternativa...

Anônimo disse...

Mario Rangel,

Ainda bem que tu és amigo oculto do Diógenes, o pior é se tu fosses amigo da Yeda, do Lair, do Busatto, do Culau, do Mendes, e de toda esta turma "apaixonada por tênis (toda hora tem um saque)". E tem ainda o outro Maia da Cidade da Musica, onde nem a familia Marinho deixou botar o nome do velho.

Anônimo disse...

O Maia tem nome. E é Tulio Millman.

clayton disse...

Criticar o MST é tarefa fácil a o Sr. Maia. Será que ele conhece realmente o que ele esta criticando. Sr. Maia você conhece, já ouviu falar da Escola Florestan Fernandes. Porque seu estado (Democrático) esta atacando, fechando as escolas nos acampamentos do MST.
Isso é ser DEMOCRATICO?

Alvaro disse...

O MST tem uma causa legitima.

O Governo Lula tem sim, dado atenção 'como numa na historia desse país' ao movimento.

Mas o MST insiste em radicalizar, ao inves de socializar-se.

Lulismo de resultados? Sim. Afinal, se radicalizar cai. E teremos Serra e PIG. Com o andar da carruagem as melancias se ajeitam. Não há revolução em dois dias. Cobrar o Governo? Sem duvida, mas com RESPONSABILIDADE.

Deixem o Maia esbravejar...afinal, democracia é isso. Ou não?

Ruy disse...

Como o MST não existe juridicamente, podemos chamá-los simplesmente de assassinos e assaltantes dos cofres públicos. Podemos utilizar quaisquer adjetivos para denominar o "movimento" que assassinou, na última semana, quatro pessoas com tiros nas pernas, no peito e na cabeça, em "legítima defesa".

Anônimo disse...

O livre mercado, Ruy, também não existe juridicamente, então podemos chamá-los de assassinos e assaltantes de cofres publicos. E estes assaltos ao cofres publicos estão estampados até nos jornais "de mercado" como o Zero Hora, é só ler.

É bom lembrar que as quatro pessoas mortas eram jagunços contratados pelos latifundiários para atacar os acampados.

A pistolagem é crime

Claudio Dode

Contato com o blog Diário Gauche:

cfeil@ymail.com

Arquivo do Diário Gauche

Perfil do blogueiro:

Porto Alegre, RS, Brazil
Sociólogo