Você está entrando no Diário Gauche, um blog com as janelas abertas para o mar de incertezas do século 21.

Surf no lixo contemporâneo: a que ponto chegamos! E que mundo deixaremos de herança para Keith Richards?

quarta-feira, 22 de outubro de 2008

Governo federal não vai socorrer papeleiras que fizeram jogatina


Ministro diz que esse é um problema privado

O ministro da Fazenda, Guido Mantega (dir.), disse ontem que o governo não vai assumir os prejuízos das empresas com derivativos de câmbio. Várias empresas exportadoras fizeram operações financeiras arriscadas apostando na queda do dólar e tiveram grandes perdas quando a moeda disparou, em virtude da crise financeira.“Essas empresas é que terão que arcar com os prejuízos, o governo não vai dar um tostão”, garantiu, em audiência pública, ontem, na Câmara dos Deputados. A informação é do Estadão, de hoje.

Mantega disse que esse é um problema privado e assim será tratado pelo governo. O governo não sabe o volume do prejuízo com derivativos cambiais, de acordo com Mantega. Informações extra-oficiais dão conta de que cerca de 200 empresas exportadoras estariam em dificuldades decorrentes dessas operações.

Até agora, apenas a Sadia Alimentos, e as papeleiras Aracruz e Votorantim assumiram publicamente perdas milionárias, e o fizeram porque têm satisfações a dar à Comissão de Valores Mobiliários, que defende os investidores em bolsa no Brasil.


5 comentários:

Anônimo disse...

Assunto pouco abordado pela grande imprensa gaúcha...

Graças aos blogs que estas e outras questões importantes passam a figurar entre a sociedade...

Livio

Anônimo disse...

As perdas não são milionárias e sim bilionárias. A Aracruz suspendeu o projeto de Guaíba e as plantações de eucalipto. Nas "florestas" já plantadas ficarão trabalhando 600 empregados, o que dá uma idéia do futuro montante do emprego.

As perdas com a especulação cambial ainda estão sendo feitas e começou a ser ventilada a hipótese de que o sistema bancário brasileiro pode estar contaminado, queria Deus (se ele existe) que isso não seja verdade.

panoramix disse...

"Ministro diz que esse é um problema privado"! Já ví este papo e já ví o governo meses depois socorrer empresas privadas praticamente falidas em função do "bem comum"!

Carlos Eduardo da Maia disse...

Tá certo o governo Lula em relação às papeleiras, mas ontem saiu uma MP em relação às instituições financeiras e seguradoras em dificuldade, elas podem ser estatizadas....

Anônimo disse...

O Maia está propondo a estatização da Aracruz, interessante.

Agora, se a Aracruz pertence ao mundo privado, por que nós gaúchos devemos conceder incentivos tributários?

Contato com o blog Diário Gauche:

cfeil@ymail.com

Arquivo do Diário Gauche

Perfil do blogueiro:

Porto Alegre, RS, Brazil
Sociólogo