Você está entrando no Diário Gauche, um blog com as janelas abertas para o mar de incertezas do século 21.

Surf no lixo contemporâneo: a que ponto chegamos! E que mundo deixaremos de herança para Keith Richards?

quinta-feira, 9 de outubro de 2008

Mais uma astúcia suína do tucanato guasca


Dona Yeda inventa um plano emergencial muito estranho

Governos espertos usam o ardil do plano emergencial – que é autorizado pela lei federal 8666, em casos excepcionais – para evitar licitações em obras públicas.

Dona Yeda Rorato Crusius decretou, há dois dias, situação de emergência no sistema penitenciário estadual. Legalmente terá 180 dias para construir presídios em todo o Estado, sem cumprir os ritos licitatórios. Este é o ponto. Sabe-se que é impossível construir um galinheiro em seis meses, que dirá um lote de prédios públicos destinados a apenados do sistema correcional estadual.

Ontem, a diretora-geral da Secretaria da Segurança Pública, Clarice Helena Padilha, deu o “serviço” de como o tucanato irá driblar a lei, já que os seis meses para construção dos prédios são improrrogáveis. A senhora Padilha disse que “nada impede que um novo decreto de emergência seja editado”, conforme declaração ao jornal Zero Hora de hoje.

Como se vê, o governo Yeda debocha mais uma vez da lei, das instituições que representa, e sobretudo da cidadania de nosso Estado.

..........

Lembremo-nos sempre que a governadora Yeda apóia a reeleição do prefeito José Fogaça (PMDB), em Porto Alegre. Certamente, não irá comparecer aos palanques de campanha, por motivos mais que óbvios e relativos à sua impopularidade quase bushiana, mas são aliados incondicionais e ambos têm em comum o padrinho político, senador Pedro Jorge Simon – que sempre lhes traz uma palavra de alento moral nas horas graves dos inúmeros escândalos de corrupção que enfrentaram.


14 comentários:

mário casado disse...

Tchê, estou cada vez mais convencido de que 100% do que essa gentalha faz é chuncho.
Tudo é pra se arrumá.

Anônimo disse...

E dá-lhe Fogaça!

Anônimo disse...

Pelo que notei vão tentar invocar o artigo 24, da Lei 8666, garantindo a inexigibilidade de licitação.
Este é o "prato" preferido dos Tribunais de Contas para fisgar falcatruas no serviço público.
A governadora está, publicamente, chamando uma investigação, pois a situação caótica nos presídios é de longa data e, sabidamente, não se constrói nada mesmo em 6 meses.
Juntando com o Duplica RS vai ser a farra dos empreiteiros.
Olho neles Dr. da Camino...

Ricardo M.

el barto disse...

a véia demente se declarou anti-pt!!! acho que o partido deveria recortar e emoldurar a declaração como motivo de grande orgulho!!
ps: e aguardamos no palanque da lesma a presença da destrambelhada, do eliseu ...ilha, do busatto, do britto, do zé do detran e seus amigos (vaz netto, ferst, dorneu, fernandes et caterva).

panoramix disse...

Airton Michels do Departamento Penitenciário Nacional (Depen), explicou ontem no programa do Lasier Martins que existem várias verbas liberadas para construção de presidios no Rio Grande do Sul. A única coisa que está faltando são projetos do governo do estado para o início destas obras. Como temos um governo de fachada e escândalos, nada melhor do que uma manchete através de seu porta-voz midiático, bem no meio do segundo turno e logo após a visita do franciscano Simon, o da ética seletiva! Nada surpreende!

Anônimo disse...

Ouvi hoje, na Gaucha, que essas verbas existem desde 2006,só que contrução de presídios nao ganham eleicçoes e blá...E olha que foi o Lauro Quadros quem disse.

Carlos Eduardo da Maia disse...

Também não entendi essa da governadora que adora se enroscar no emaranhado. Ela disse faz 3 meses que não era necessário esse plano de emergência e agora quer construir presídios distante da lei de licitações. Estranhíssimo.

Eduardo disse...

Estranhíssimo nada. É só necessidade de caixa. Evidente como o dia.

As pessoas precisam comer.
Uma franja do empresariado e da elite política, tem cartões de crédito para pagar, tem aluguel, boleto de faculdade,despesas periódicas para pagar e o caminho mais direto para se abastecer é a licitação entre amigos. Melhor ainda a falta delas.

Vez por outra surgem despesas extraordinárias: eleições por exemplo, que agudizam a necessidade de verbas.

Tá explicado ?

Governos honestos tem planos a médio e longo prazo, fazem tudo por edital e perdem semanas para escrevê-los direito. E ameaçam, quase lutam com os participantes das licitações, para convencê-los de que nesse daí não tem P.F nem dá para entregar porcaria. No fim ninguém fica rico, todos levam seu salário para casa, o interesse público é servido e dormem o sono dos justos.

mário casado disse...

E a oposição na Assembléia vai fazer o quê?
Não escutei ninguém do PT se manifestando contra essa bandalheira à luz do sol pretendido pela barbitúrica.
A coisa está de tal forma no RS que já não há mais nenhuma vergonha pública, o pessoal mete a mão na gamela pública e se lambuza mesmo.
Isso é caso de intervenção federal, gente!

Anônimo disse...

A oposição apoio o empréstimo, tirou até foto tipo time de futebol... vai fazer o mesmo.

Anônimo disse...

Tem uma velha história de um administrador que construia presidios e não escolas. O motivo é que ele sabia que para a escola não iria mais, mas para o presidio...

Pensando no futuro a governadora faz a sua escolha.

Claudio Dode

edu disse...

KKKKKKKKk, boa Claudio!!!

2% da populaçao norte americana esta hj, em presidios, é uma forma muito boa de diminuir o desemprego...

Se essa bruaca ladrona construir 110.000 vagas diminui 1% na taxa de desemprego do nosso desonrado Rio Grande.

Nao confio no meu proprio governador...pobre eu...

el barto disse...

bah, é mesmo... será que ela vai mandar construir uma suite pra si no centralão?

Remindo disse...

A cela dela terá uma fotinho do Zachia.

Contato com o blog Diário Gauche:

cfeil@ymail.com

Arquivo do Diário Gauche

Perfil do blogueiro:

Porto Alegre, RS, Brazil
Sociólogo