Você está entrando no Diário Gauche, um blog com as janelas abertas para o mar de incertezas do século 21.

Surf no lixo contemporâneo: a que ponto chegamos! E que mundo deixaremos de herança para Keith Richards?

quinta-feira, 16 de outubro de 2008

RBS é a central de justificação ideológica do governo Yeda


ZH faz pregão imobiliário disfarçado

O mito da neutralidade garante o sucesso político da mídia oligárquica. A sentença vale para a ação combinada entre o jornal ZH e o governo Yeda Crusius.

Abrir mão da neutralidade fabricada seria o começo da ruína da mídia comprometida com governos impopulares e que realizam políticas anti-populares.

Haja vista a matéria que domina a página 36 de hoje em Zero Hora (acima). A política emergencial para os menores infratores da Fase se resume a medidas paliativas que não irão sequer mitigar o problema da infância/adolescência pobre e excluída, mas visam espetacularizar “soluções” e mercadejar patrimônio público para beneficiar investidores do capital imobiliário urbano.

A manchete “Crises aceleram reestruturação da Fase” além de justificar ideologicamente o projeto yedista, pretende dizer aos incorporadores e investidores do solo urbano de Porto Alegre que uma área de 72 hectares estará chegando em breve ao mercado imobiliário da Capital. Quem vai querer?

É um verdadeiro pregão imobiliário disfarçado em roupagens jornalísticas.

Se os veículos da RBS não fossem “neutros” (com muitas aspas), como poderiam sustentar e justificar diariamente a irresponsabilidade de um governo (seu aliado) que desmonta o Estado e o vende em pequenas partes para não dar na vista?

Como?


21 comentários:

Carlos Eduardo da Maia disse...

Não existe jornal neutro. E jornal tem opinião e os leitores e que são os consumidores que assinam os jornais geralmente estão em sintonia com a opinião do jornal. É assim que funciona o mundo nos países socialmente desenvolvidos. Nesse assunto especificamente estou de pleno de acordo com a ZH, acho que o Estado do RS tem muito terreno localizado em área nobre e que pode ser bem negociado. São inúmeros. Existe um terreno localizado na Nilo Peçanha que é de propriedade do Estado e que é um depósito de ferro e carros velhos. Belo local para fazer um belo empreendimento, mas a propriedade é do Estado e a patrulha ideológica impede sua venda.

Muniz disse...

E dê-lhe especulação imobiliária. Todos de olho em 2014. Mas que corja de larápios, hein?

Muniz disse...

E eu realmente não entendo o que esses REAÇAS querem comentando SISTEMATICAMENTE em blogs como esse.

Vá ler zé-agá!

Jose Tavares disse...

Acho que está explicado quem tem experiências pessoais no ramo imobiliário, nada mais do que acertado levar esta experiência para o novo jeito de governar.

Na verdade ficarei surpreso se a MAIOJAMA não ganhar o pregrão imobiliário, enfim na muda neste Rio Grande este estado é mesmo uma lenda ...

Anônimo disse...

Bueno, aqui tem um grupo de cidadãos que não está em sintonia com a ZH e é contra a especulação imobiliária. E estamos conversados.

mariorangelgeografo.blogspot.com disse...

É eu também acho que o Estado tem que vender o que está sendo mau utilizado. A começar pelo tal Palácio Piratini, numa área nobre, que não serve prá nada.

Como diria um bosta fedida, lambe botas dos poderosos: "Nesse assunto especificamente estou de pleno de acordo com a ZH, acho que o Estado do RS tem muito terreno localizado em área nobre e que pode ser bem negociado".

Vivemos em uma ditadura, agora a pouco a SS Yedista, sob o comando do Cel. MendeSS, baixou a ripa nos funcionários do Banrisul em greve e, agora a tarde, serão os professores. Pois como diria o mesmo ser imundo, "É assim que funciona o mundo nos países socialmente desenvolvidos".

Anônimo disse...

"Neutralidade fabricada", mas como diz Noam Chomski, consenso fabricado, este é o papel do PIG, e nos pampas o papel do grupo RBS.
jairo batista dos santos

daniel disse...

feil, parabéns pelo trabalho no DG.

Anônimo disse...

Olha aposto minhas fichas na Maiojama ou seria (MAIA)jama, por ter se adiantado através de seu braço informativo-ideológico.
Mas, pode sobrar para qualquer grande grupo, desde que seja um bom negócio para as duas partes...
Troca-se um terreno em área nobre por várias casinhas pré-fabricadas na periferia.

Ricardo M.

castagno disse...

72 hectares é um latifúndio urbano, meus amigos.
Seria como 50 vezes a área do Beira-Rio, que fica ali na frente.

Mas a Maiojama (RBS) não vai pegar esse filézão. Vai botar gente de fora Tá cheio de investidor estranja por aqui.

el barto disse...

a cadela safada já fechou o itapuã, o próximo passo vai ser lotear o parque. aguardem e confiram.

Anônimo disse...

Itapuã não foi fechado. A esquerda, neste caso, vai repetir a mentira até virar verdade?

zozé disse...

Que bom se a direita sempre respondesse aos questionamentos que se faz aqui.
É mesmo, o parque de Itapuã ainda não foi fechado. Por enquanto.

Anônimo disse...

A diferença, "Maia" - a anônicmo das 17:23, a mesma pessoa, mas sem as "luvas de pelica" - é que aqui se pubica a voz contrária. E que nenhum de nós ganah do erário para ficar escrevendo no blog da Rosane et caterva.

Luís disse...

Quanta conversa-mole da pós-modernidade política... a direita não ganha uma simples eleição sem o apoio decidido e decisivo da grande imprensa, que dirá executar o seu poder.
A imprensa que trata de alardear a mais nova especulação imobiliária de POA é a mesma que trata o caos na segurança-pública de SP como "coisa do PT" ou simples confronto corporativo... luta-de-classes não é para amadores...

Anônimo disse...

E quem assessora o secretário Schuller (aquele que tem uma produtora que usa a LIC) neste tema? Ora, o sr. Fernando Bertuol, presidente da ACLAME (que é só ele!).

Carlos Eduardo da Maia disse...

Luis, passou aquele tempo que a mídia hipnotizava. Isso até pode acontecer em republiquetas por ai, mas não no Brasil onde parte considerável das pessoas têm condições de ter acesso a diversos tipos de opiniões. Dizer que o PT - que governou POA por 16 anos -- pode perder em Porto Alegre por causa da mídia é reduzir a discussão política ao que há de mais medíocre. O PT está perdendo a eleição em Porto Alegre porque esta havendo uma comparação entre as gestões. E olha que o Fogaça foi bem fraquinho. Poderia ter feito muito mais.

Luís disse...

O que eu afirmo - sem dúvida - é que a mídia é decisiva no jogo do poder, e não é de agora. As grandes empresas de comunicação fazem muito mais do prestar solidariedade de classe: fazem política expressamente, até porque difundem seus interesses e freqüentemente acabam se tornando parceiras políticas e sócias de negócios - de candidatos e/ou seus principais apoiadores.
Existe isenção total?! É óbvio que não - o raro impresso nacional com voz um pouco dissonante nem pretende ser isento (Carta Capital) - mas a sacanagem é se apregoar isento e fazer jornalismo à base de fofoca, mentira, ou com vários pesos e várias medidas.
VEJA e ZH são apenas os exemplos mais claros, mas longe de serem isolados. Diogos, Rogérios e Lasiers são também apenas exemplos mais claros, mas muito longe de serem os únicos. Para cada Beatriz ou Luiz com voz um pouco dissonante, há 10 outros tocando a mesma nota - que, não por coincidência, é anti-esquerdista.

O PT pode perder em POA?! É óbvio que sim, afinal, o Fogaça é competente no papel de emprestar a sua imagem a um frentão cujo projeto maior foi barrar as políticas públicas anteriormente praticadas. A pauperização do atendimento à saúde em POA, a transformação do DEMHAB em "gigolô" do governo federal, a tentativa de privatização disfarçada da Iluminação Pública e projetos como o dos Portais da Cidade só me confirmam isto. As mentiras deslavadas do Sr. Prefeito na atual campanha só me confirmam isto (5.000 unidades habitacionais, 17 escolas em tempo integral, conduto Álvaro Chaves, ...sic...).
Ganhe quem ganhar, proponho todos examinarmos a origem dos votos do Fogaça e da Rosário, para ver se existe ou não um fundo ideológico na política. E não me venham dizer que o PT se tornou "partido dos grotões", pois essa já não cola mais com a grande votação que mais uma vez obteve nas grandes cidades... mais real dizer que o PT cresce onde pode: no interior.

Mas o PT também não é o único, mas ainda é onde está a maior parte da esquerda, e por isso ainda é tão combatido.

Carlos Eduardo da Maia disse...

Luis, hoje o Washington Post declarou abertamente seu voto para Obama. A ZH deveria fazer o mesmo para Fogaça, mas está impedida por uma hipócrita lei eleitoral. É evidente, é óbvio, é "clarésimo" que a ZH apoia Fogaça, assim como apoiou Yeda e FHC. A ZH não vai com a cara do PT e 99% dos consumidores de ZH sabem disso. Quem compra e lê ZH está em sintonia com a opinião do jornal. Por que a esquerda brasileira tem tanta dificuldade em fazer um bom jornal? Sabe porquÊ, porque existe aqui no Brasil e na América Latina o ranço anticapitalista. E não há como você fazer um jornal diário e diversificado com ranços anticapitalistas. O jornal tem que vender, tem que gerar grana para quem investe nele. E o PT é ainda um partido que almeja o socialismo, é por natureza contrário a ordem burguesa, sustentáculo do capitalismo (como disse a Circular do Diretório Nacinal do PT justificando sua posição para não assinar a CF de 88). Resumo da opera: o PT colhe os frutos que plantou.

claudia cardoso disse...

Acho que o Luís foi bem feliz ao lembrar o seguinte dado: a imprensa se diz isenta e imparcial. Este é o problema da ZMentira: arrota imparcilaidade, quando é parcial até os dentes!!! Não só da ZMentira, como de resto demais veículos da mídia corporativa.
E não existe lei eleitoral que proíba empresa de comunicação abrir o voto. A resvista Carta Capital do Mino Carta e a Agência Carta Maior do Joaquim Palhares já abriram seu voto para o Lula.
Não há ilegalidade alguma. O que RBS,FSP et caterva NÃO FAZEM é abrir seus votos para os candidatos que apóiam, sempre de DIREITA!!!
E esta é a sacanagem: elas não necessitam abrir seu voto. Cada veículo dedica páginas e páginas, horas e horas de radiodifusão para defender essa bandalheira da direita.
Claro, sempre com a "imparcialidade", a "isenção" de sempre...
Puxa, mas é sempre isso que a gente diz por aqui!!! Como é que tem gente que ainda se faz de boba!!!

Anônimo disse...

Pelo menos o Maia já reconhece os serviços prestados peça PRBS a direita fascista do RS.

Hipocrisia era quando o PRBS posava de isento, e o Maia defendia.

O que eu espero de um jornal é boa informação. As mentiras e hipocrisias que ele vende com fisn lucrativos é para os porcos beneficiados.

Depois quando, por exemplo como fez o Chavez, não renoca a CONCESSÃO, com toda a razão, a porcalhada fica ai roncando, e chafurdando

Claudio Dode

Contato com o blog Diário Gauche:

cfeil@ymail.com

Arquivo do Diário Gauche

Perfil do blogueiro:

Porto Alegre, RS, Brazil
Sociólogo