Você está entrando no Diário Gauche, um blog com as janelas abertas para o mar de incertezas do século 21.

Surf no lixo contemporâneo: a que ponto chegamos! E que mundo deixaremos de herança para Keith Richards?

segunda-feira, 6 de outubro de 2008

Pronome pessoal EU


Conjugação verbal narcisista e excludente

Se, neste segundo turno ao Paço Municipal de Porto Alegre, a candidata petista Maria do Rosário deixar de conjugar verbos na primeira pessoa do singular (“Sou uma vitoriosa”) tem chances reais de vitória. Mas, além disso, precisa do reforço da presença do presidente Lula no seu palanque eletrônico.

Se Lula apostar firme (com exclusividade) em Rosário, ela se elege. Mas não acredito que o presidente vá fazer isso com muita convicção e firmeza, afinal, queiram ou não queiram os petistas de resultados, Fogaça como peemedebista, é da base do lulismo planaltino.

De qualquer forma, com vitória ou sem vitória, Rosário se credencia dentro da sigla PT a disputar a corrida eleitoral ao Piratini, em 2010 - com muito pragmatismo dirceuzista e pronome pessoal EU.


16 comentários:

Luís disse...

Já que o esquema das Talines, Rosanes e outros falhou, e já que POA não tem como continuar como está, agora é Rosário!!!

el barto disse...

preferia a barbie do britto e do busatto??? mil vezes a rosario narcisista do que uma carreirista barata e oportunista como a "roxa" e seus "associados" brittistas...

Anônimo disse...

Post muito bem sacado.
Eu acho o cúmulo a música da campanha: Deixa a Maria cuidar.
É muito paternalista.
Além de personalista, não é à toa que fez a campanha sem muita ajuda do partido

Anônimo disse...

Pois é .... vaidade vai, vaidade vem, e as lições da história são sempre esquecidas. Triste geração de desavisados, pois exemplos não faltam ... não era pra ser assim. O comentarista anterior chamou bem a atenção para a falta de apoio do partido ... será que o personalismo da chamada tem a ver com o desabafo "mesmo sem ajuda cheguei lá!" ?? Só que aí, é mais uma "personalidade" que se elege e la nave va ... e a política perde.
Marcos

K. disse...

Bom, a luciana tinha uma máxima: "Todos são corruptos, EU não."

Não adianta, a política individualista tomou conta. O eleitor (vide post do mesmo autor) quer votar em pessoas e não em partidos. É uma merda que acaba culminando em Manuelas da vida.

Ary da Silva Martini disse...

Essa postura do Psol e do Pstu não tem paralelo no mundo. A rigor, o recado de ambos os partidos é esse: "fora di nóis" não tem salvação.

panoramix disse...

Rosário realmente é boa de voto, ela tem razão, mas após ir para o segundo turno é imperativo que use "NÓS"! Ela precisa de coligações! Já procurou outros partidos pra conversar?

Anônimo disse...

Cristovão
Com tanta coisa para comentar, te preocupas em tripudiar a candidata que pode desalojar a direita sacana e imobilista que está fazendo P.Alegre apodrecer.
Que tal analisar o surpreendente resultado do Fogaça? Como é possível que essa fumaça consiga 43% justamente na terra do FSM e do OP. Será que o PRBS tem tanta força assim? A população não está vendo a deterioração da cultura, dos espaços públicos, da vitalidade econômica?
A. Cattani

claudia cardoso disse...

Cattani, Chauí escreve em "Simulacro e Poder - uma análise da mídia", como se produz subjetividades, a ponto de se transformar o virtual em real.
Criou-se mecanismos de comunicação, onde a sensação, o sentimento e o "pensamento" do âncora e do especialista "valem" mais do que o vivido, experimentado.
Por exemplo: sobre determinado fato, não se pergunta o que a pessoa julga daquilo, mas o que ela sente, acha, se agrada/desagrada sobre o ocorrido.
Aos poucos, vai-se destruindo a esfera da opinião pública. O indivíduo não se posiciona sobre determinado fato, porque ele só pode sentir. Quem opina é o "especialista", o "ancora", o "editor". Só estas pessoas têm legitimidade, "eu não".
Está aí o caldo cultural para as pessoas não refletirem sobre a realidade que os cerca. Não se faz a relação entre causa e efeito e está aí o "eleitor" muito bem retratado pelo próprio Feil.
Incrível, as pessoas vivem mal, mas se não tem alguém com "legitimidade" (criada) para "dizer" isso, eu não me dou conta da realidade.
Também há o efeito contrário para aleinação. Quando as realizações não são notícia e, se são, é para desqualificá-las. Nunca esqueçamos que o PRBS inaugurou a "reclamação por fazer", ou seja, as obras de melhorias para a cidade foram transformadas em estorvo! O FSM foi transformado num bando de baderneiros que bebiam coca-cola escondido. E o OP jamais recebeu atenção da mídia local - nem em tempos de Fumaça - justamente porque permitir a participação direta da população nos destinos da cidade é um avanço democrático intolerável para quem sempre definiu os serviços públicos privadamente.
É com esse tipo de pessoa, que não se vê mais como gente, como cidadão, mas como um consumidor, é que estamos lidando, independentemente da classe social.
Abraço!

Pmarkes disse...

Não vejo outra explicação para os 43% do pífio e insignificante Fogaça que não seja a péssima campanha da candidata do EU SOZINHA. Assim como o pior desempenho do PT nos últimos anos. Fomos para o segundo turno porque ao contrário do que pensam os marketeiros da majoritária (houvi dizer que vieram de Minas pagos pela nacional) o povo de Porto Alegre (pelo menos uma parcela) não esqueceu os 16 anos que tornaram Porto Alegre a capital da esquerda, referência em todo o mundo. Apesar da campanha e da candidata, estamos no segundo turno, tentando impedir a continuidade da direita. Mas dificilmente conseguiremos se continuarmos com essa campanha apolítica, autista, sem combate, sem crítica, sem antagonismo. Ou substituímos imediatamente o EU pelo NÒS ou seremos humilhados pelo pior da política portoalegrense dos Busattos, Fogaças, Padilhas, Yedas, Otavios Germanos, Onyx, Sebastião Melo, Pedro Simon e outros próceres.

panoramix disse...

Jamais Fogaça chegaria nesta votação se parcela da periferia, exatamente aquela que o PT sempre privilegiou durante seus 16 anos de prefeitura, não estivesse votando nele. Por que? Se continuar este tipo de comportamento dos mais pobres em relação aos partidos que tentam priorizar as verbas exatamente pra eles não vejo motivos para ficar pensando em "justiça social" pois meus votos sempre serão inutéis, pra bom entendedor: vai procurar quem tu votou e que continuem elegendo as Yedas e os Fogaças da vida! Esta eleição será um termômetro, se acontecer o que estou imaginando vou simplesmente mandar a merda e ir tratar dos meus assuntos! É um desabafo, pois estou percebendo este comportamento eleitoral anômalo do mais necessitado já algum tempo! Não sou rico, a única forma que tenho para ajudar é pelo voto, se não querem deste jeito paciência, vai te virar!

prieb disse...

Calma, panorama.
Daqui a pouco estarás como a direita, sempre colocando a responsabilidade da pobreza no pobre.
É preciso corrigir também o prõprio processo eleitoral com uma reforma política decente e ampla. O processo participativo precisa ser mais aprofundado, coisa que o Fumaça detonou. Essa questão da orla deveria passar por um OP forte e abrangente. Se ficar na decisâo da Câmara de Ver. a coisa vai virar patifaria, até gente do PT está favorável à bandalheira na orla do lago.
Então, não dá pra cair no papo e no "desespero" da direita.

panoramix disse...

Calma prieb minhas idéias não irão mudar jamais, a preocupação em demasia a ponto de me prejudicar sim. Se tu oferece ajuda e o sujeito não quer o que fazer? Já tenho milhagem suficiente pra saber que papos de Yedas, Fogaças e Simons são vazios e levam ao tipo de sociedade que estamos vendo desmoronar nos estados unidos, portanto precisamos novos caminhos! Passar para o outro lado é fácil e mais comodo, mas adimitir depois de tudo que não tens convicções - isto sim é triste!

Anônimo disse...

Mas bah! que sistemão! Que direita esperta, heim? e uma esquerda ingênua que se divide prá mais de metro. nojo!

Anônimo disse...

Panoramix,
Sim, comcordo: "PRECISAMOS NOVOS CAMINHOS"! Os caminhos não estão prontos.
PRECISAMOS ABRIR CAMINHOS!
PRECISAMOS CONSTRUIR CAMINHOS! E Caminhos se constroi em movimento, com ações. Precisamos sacudir a poeira, dar a volta por cima e acender as luzes da estrutura mental com conceitos que provocam rupturas/dobras libertadoras, dessa personificação de consumidores, para nascer cidadãos, ocupantes dos espaços públicos.
Sim! Precisamos ser consumidores/nutridos de Marilena Chaui, de Celso Furtado, Antonio Candido, Maria Conceição Tavares... Precisamos de persistência, resistência, energia para a construção de "UM LONGO AMANHECER" que é um fazer interminável, mas precisamos fazer novos caminhos todos os dias e para essa empreitada de intervenção social, o meio é a POLITICA.(Política no sentido de Hannah Arendt)

Feil, já fui ver o documentário "O longo Amanhecer" sobre Celso Furtado. Chegou em uma hora providencial!
Cândida

Anônimo disse...

Fundamentalismo burro. Eta turma:
Gabeira, Kassab, Luciana, et caterva.

armando

Contato com o blog Diário Gauche:

cfeil@ymail.com

Arquivo do Diário Gauche

Perfil do blogueiro:

Porto Alegre, RS, Brazil
Sociólogo