Você está entrando no Diário Gauche, um blog com as janelas abertas para o mar de incertezas do século 21.

Surf no lixo contemporâneo: a que ponto chegamos! E que mundo deixaremos de herança para Keith Richards?

quinta-feira, 23 de outubro de 2008

É agora que o Banrisul vai


Medida Provisória 443 facilita o negócio entre o Banco do Brasil e o Banrisul

A Medida Provisória 443 permite ao Banco do Brasil adquirir sem licitação outras instituições bancárias e à Caixa Federal fica permitido a criação de um banco estatal de investimento que atuará no segmento empresarial e terá uma área específica para comprar participações acionárias, a CaixaPar (Caixa Participações).

Com isso, asfalta-se a rodovia, até agora esburacada e cheia de obstáculos, para que o BB compre finalmente o Banrisul.

Depois da presente crise, acentuou-se exponencialmente a tendência mundial de concentração dos capitais bancários.

Haverá verticalização, igualmente, no Brasil, e a MP do governo Lula é medida keynesiana relevante para a presente conjuntura, porque antecipa políticas necessárias, intervém num mercado alucinado e desconexo com o real, trazendo racionalidade e regramento (ainda) mínimo à balbúrdia reinante.

O Banrisul, por sua vez, pode escolher entre duas situações excludentes:

1) Ser incorporado ao Banco do Brasil e continuar um ativo estatal, com ênfase no fomento à geração de emprego e renda no RS.

2) Ficar sangrando na crise, desvalorizar-se mais e mais, e depois de esgualepado (tudo o que a governadora Yeda e seus bad boys querem), ser vendido (“doado”) a um santander-qualquer na bacia-das-almas-penadas-bancárias-de-resultados, sem nenhuma garantia e respeito aos direitos dos trabalhadores bancários.


28 comentários:

Carlos Eduardo da Maia disse...

Quem quer a extinção do Banrisul é o vice governador. A Yeda não revelou nenhuma intenção de privatizar ou federalizar o BAnrisul.

el barto disse...

bah, e será que a múmia senil vitalícia senatorial vai deixar acabarem com o feudo de seus apaniguados?

Juarez Prieb disse...

Maia, sua anta, isso já não depende mais desse governo de mentirinha da Yeda/Feijó. Banrisul já foi pro saco.

É o mercado, estúpido!!!!!!!!!!!

Malacara disse...

para os banrisulenses será sem dúvida um upgrade.
sair do mando da barbitúrica e ficar como funcionários do bb.acho até que vou procurar uma banrisulense solteira pra casar com ela.

Carlos Eduardo da Maia disse...

Depende sim, Prieb, porque o Estado do RS tem mais de 50% de participação da sociedade de economia mista, Banrisul. Na verdade, não existe - aparentemete - nenhum banco brasileiro em dificuldade, por enquanto. Essa medida é mais para acalmar os investidores dos bancos privados brasileiros para que eles não tirem seus ativos dessas instituições.

É o Estado que manda e o valor dessas ações

Ary disse...

A opção dois permite um excelente "caixa dois" para os tucanos.

Carlos Eduardo da Maia disse...

Pois é, Ary, é só os "tucanos" que fazem Caixa Dois. O PT é santo.

Anônimo disse...

hahahahaha

O maia todo ofendido com o caixa dois tucano!!!!


Tomara, com certeza a melhor saída para o Banrisul é a primeira opção.
Nas mãos da canalhice tucana e pmdebista vai afundar!!!!

sil

Juvelino disse...

Torço pela opção primeira. A propósito, a grita do 'mercado' através da Leitão também ocorre por este motivo. O Itaú e o Bradesco que o digam.

Suzie disse...

Quem comprou naquela "abertura" internacional do Banrisul, suas ações?
Se foi multinacional...o Banrisul bailou!
Depois não digam que o PT não avisou!
O PT avisou!

mário casado disse...

Suzie, os deputados petistas na AL votaram a favor da venda do capital do Banrisul e a favor do empréstimo de 1 bi do Banco Mundial pra Yeda.
Menos, Suzie.

Ary disse...

Com bancos é só o PSDB, Maia. Tem também um esquema com a mineração no Pará (uma prefeitura riquíssima que opera cx. 2 em nível nacional para os tucanos.

edu disse...

(17/10) BANRISUL (BRSR – N1) - Comunicado
DRI: Ricardo Richiniti Hingel


A empresa enviou a Bovespa comunicado, no qual consta:

O Banrisul informa que teve liberado um total de R$ 1,8 bilhao em funcao das
medidas tomadas pelo Banco Central do Brasil, que alteraram as condicoes do
recolhimento dos depositos compulsorios a que se submetem as instituicoes
financeiras brasileiras.

No dia 24 de setembro ultimo, inicio do processo de reducao dos depositos
compulsorios, o total depositado, entre as diversas rubricas pelo Banrisul junto
ao Banco Central, era de R$ 3.883 milhoes. Apos as liberacoes referidas,
remanescem apenas os recolhimentos compulsorios incidentes sobre depositos a
vista e depositos de poupanca.

Nos dados contabeis informados ao Banco Central, atraves do balancete de 31 de
agosto deste ano, a carteira de credito totalizava R$ 10.597,7 milhoes, as
captacoes atingiram R$ 13.191,9 milhoes, as quais, incluidos os fundos de
investimentos, somam R$ 18.051,7 milhoes e as TVMs e aplicacoes interfinanceiras
de liquidez, R$ 6.460,1 milhoes. Esses numeros, comprobatorios de uma situacao
bastante confortavel de liquidez, adicionados pelo impacto positivo da liberacao
dos compulsorios, reforcam a posicao de solidez da instituicao.

Destaca-se, ainda, que o Banco mantem politica de captacao de recursos
unicamente junto a sua rede de agencias, que tem sido suficiente para manter um
crescimento dos depositos totais superior a 18%, em bases anuais, ao longo de
2008, permitindo-nos operar com custos inferiores a media do mercado e, ao mesmo
tempo, mantendo-nos independentes de funding de investidores institucionais.

Da mesma forma aproveitando sua liquidez, o Banrisul tem adquirido carteiras de
credito consignado, cujo saldo deve superar R$ 500 milhoes no corrente mes,
sendo estas carteiras compostas unicamente de emprestimos concedidos a
servidores federais e INSS e com coobrigacao do cedente.

Salienta-se, tambem, que o indice de Basileia atingiu 18,11 % em agosto, apos
incorporadas as alteracoes previstas na Basileia II, o que permite ao Banco
praticamente dobrar sua carteira, embora, por politica, nao se admita trabalhar
proximo do limite legal de 11%.

A politica de tesouraria tambem nao se alterou nos ultimos exercicios, sendo a
integralidade das disponibilidades liquidas aplicadas em papeis federais
indexados a taxa Selic, em LFTs, ou em operacoes compromissadas, nas quais o
Banrisul e doador, sempre com lastro em papeis federais, nao havendo exposicao a
cambio, operacoes de swap ou derivativos.

A area de cambio nao possui operacoes a termo ou de swap em moeda estrangeira.
Quanto a exposicao, as captacoes estao todas casadas com alocacao em operacoes
de credito. Ressalta-se que a carteira de cambio representa, aproximadamente, 4%
da nossa carteira de credito total (R$ 405 milhoes e R$ 10,6 bilhoes,
respectivamente, em agosto/08).

Com relacao a inadimplencia, considerados os atrasos superiores a 60 dias, a
mesma mantem-se baixa, atingindo 3,12% em agosto, inferior aos niveis medios
verificados no mercado.

Nota: A integra do comunicado encontra-se a disposicao no site da Bovespa
(www.bovespa.com.br), no menu Empresas/Para Investidores/Empresas Listadas, em
Informacoes Relevantes.

edu disse...

O Banrisul é saudabilissimo, é nosso e os gringos estao vendendo açoes dele pq nao conhecem a nossa realidade, é banco? VENDE.

Outra quentissima pra vcs!!!

Goldmann Sachs Asset Management, L.p é DONA DE 2,8% DO BANRISUL!!!

Raul Sendic disse...

Meu Caro,
De onde tiraste que o Banrisul está sangrando na crise??
Esse comentário, partindo de ti, me faz crer que apenas desconheces a realidade do Banco.
O Banrisul, desde o processo de recuperação do governo Olívio (um dos poucos BEs que foram mantidos, na contramão da política privatista federal de FHC), vem atuando no azul. Mesmo com a atual gestão temerária, a instituição está sólida.
A escolha, que te parece natural, apenas acentua o processo de desintegração do estado e seus instrumentos de administração e fomento.
O atual desenho da estrutura federativa do Brasil, inaugurada na ditadura militar com o processo de centralização tributária (no governo federal), gera, até hoje, enorme dificuldades para os estados equilibrarem seus caixas, além de limitar o raio da suas ações políticas.
O tão falado e comentado desequilíbrio do pacto federativo tem suas raízes nessa questão, a centralização tributária - Olívio declarava algo do tipo no seu tempo de governo estadual: “Temos que rediscutir o pacto federativo”. Os estados viraram reféns do poder central, tendo que se submeter a ingerência política para receber migalhas federais, que servem de barganha política do governo central de plantão (ou seja, para o bem ou para o mal).
A defesa de consolidar os bancos federais através da incorporação dos poucos BEs que sobraram, é apenas a reedição bancária do centralismo fiscal que vivemos hoje.
Infelizmente, o governo Lula até hoje não mexeu no pacto federativo, e não mostra nenhum sinal que fara isso, dando claro sinal que manterá o status quo fiscal.
De qualquer forma, os BEs são instrumentos importantes para o fomento dos estados, não devendo, na minha opinião, serem extintos, seja por privatização ou incorporação.

edu disse...

Gauchada!!! Pq nao compramos as açoes do banco?? Depois elegemos Olivio em 2010 e ele vai fazer o Estado crescer a 2 cifras!!!

E o NOSSO banco, sera ainda mais nosso, poderemos ser duplamente beneficiados: 1° pela distribuiçao de dividendos e 2° pela assistencia social de maior qualidade proporcionada pelo lucro d banco que vai para o tesouro Estadual!!!

panoramix disse...

Largar boatos deste tipo sobre um banco não é boa política. Pelo que sei o Banrisul vai bem!

edu disse...

Outra para os amigos do Diario mais confiavel do Rio Grande!!!

Ubs Ag London Branch (Uniao de bancos Suiços)

E' DONA DO BANRISUL TB!!!

4,48%!!!

edu disse...

Mais uma para os leitores do Diario Bombachudo!!!

Credit Suisse First Boston é DONA DO BANRISUL!!!

4,48%!!!

edu disse...

Quase vou às lagrimas...

Graças ao homem do bigode nòs ainda temos:

56,97% do Banrisul!!!

Os de bombacha comandam um banco onde Goldman Sachs, Credit Suisse e UBS SAO MINORITARIOS!!!!!

ALA PUCHA TCHE!!!!!!!!

VALEU BIGODE!!!!

A Gauchada que quiser comprar açoes do nosso banco pode abrir um conta de home broker no Banrisul mesmo, fale com o pessoal do banco, é facil e custa pouco, e depois o banco esta na esquina da nossa casa e podemos fiscaliza-lo.

edu disse...

Faltou uma informaçao:

os indices acima se referem à açoes PN as ON sao 99,60% nossas.

O O O VEM COM GALO MISSIONEIRO!!!

panoramix disse...

Nos próximos meses vamos ter ainda notícias da GM e da FORD que se amacacaram no rio grande, outros estados e outros países a custa de massiva renuncia fiscal e infra estrutura paga pelo erário público. A próposito, não esperem boas notícias!

Anônimo disse...

Tava boa aquela pinga de ontem. Psiuuu, não acordem o blogueiro.

Suzie disse...

Panomarix!
Quando teriam de começar a pagar impostos...levantarão acampamento.
Deixarão o povo desempregado.
Paulo Freire, Milton Santos... faziam palestras em Porto Alegre alertando a população.
Que nada!
A direita guasca JUROU que era a salvação da população.
Deus é PAI!
Quero ver as papeleiras.
Será que nos salvaremos do deserto verde?
A crise deu um freio nesta barbárie.

Anônimo disse...

O Banrisul está em crise desde a posse da Yeda (ou do Rigotto) segundo confissão do Busatto.

Claudio Dode

Anônimo disse...

A lei das S.A. brasileira nasceu em 1968, criada pelos milicos para fazer de conta que modernizavam o Brasil e o nosso capitalismo era de 1º mundo.

Criaram as ações "preferências", que tem a preferência para receber dividendos, ao passo que os pobres detentores de ações ordinárias retem apenas o poder de voto e mando na empresa.

Os acionistas donos de preferenciais são os trouxas que compram ações pela teneti, que só lucram se elas se valorizarem.

Agora, lucrar com dividendos é raríssimo no Brasil, pois dividendo é lucro repartido e lucro paga imposto de renda.

Maquiando a contabilidade e administrando fraudulentamente, os controladores familiares tradicionais conseguem lesar o fisco e os trouxas da teneti com o mesmo gesto.

Esse negócio de remunerar acionista nunca caiu no gosto e no entendimento do capitalista truculento do Brasil. A tortura nas delegacias, a fraude na empresa, a banana para o acionista e o erário, são ângulos da mesma situação.

Se o capitalista brasileiro tivesse inclinação para remunerar o sócio de capital com honestidade, a bolsa de valores no Brasil teria surgido em 1808 com a chegada de D. João, nossa civilização seria outra, o yeld das ações seria listado nos jornais além da sua cotação, e o PT apenas um grupo marginal e não um partido com chance de vitória.

O Brasil precisa de uma elite que almeje competir com as demais elites mundiais e precise tratar bem seus concidadãos com respeito.

Quem quer apenas rapinar e aplicar o "grande golpe", a "grande tacada", não precisa cultivar comportamentos colaborativos.

edu disse...

Muitas verdades no teu post anonimo 25/10 as 16:50

Imaginem vcs, o Banrisul vinh tendo lucros muito importantes nos ultimos anos, até chegar em 2006, onde o lucro previsto era de 16% e o rigoto sangrou o banco deixando apenas 2% ao final do ano...

Se as açoes do banco fossem pulverizadas entre todos os Gauchos, isso nao aconteceria, pq a fiscalizaçao seria tao grande e tao espalhada pelo territorio que nao seria possivel aos governantes "roubar" o banco.

Alem dos rendimentos que temos normalmente, a cada ano teriamos a distribuiçao dos dividendos do Banrisul, que seriamente administrado e fiscalizado daria bons lucros (450.000.000,00+-).

Cada Gaucho, sentindo que o recebimento de dividendos é um bom complemento da sua renda vai fiscalizar o banco, que por ser publico tem obrigaçao de ser transparente, diferente de comprar açoes do bradesco...

Anônimo disse...

Em uma realidade alternativa o Brasil poderia ter tido uma lei das S.A. que tivesse evoluído junto com o código comercial, que fosse uma regra emergente de um jogo real da sociedade, ao invés de uma lei outorgada pelos milicos.
As pessoas fariam suas economias comprando ações e esperando dividendos.

E isso seria uma tradição de gerações. Tanto poupar em ações, como pagar dividendos a acionistas que o dono da empresa sequer conhece.

Ao invés disso temos um mercado que só existe para se esperar que as ações valorizem (mercado secundário), e que a cada 8 anos depena os otários que entram nele por último.

Os neo-liberais quiseram modernizar o país pilhando o Estado, que construiu todas as empresas legais que lhes despertavam a cobiça e que não tiveram a capacidade de fazer.

"Capitalismo de Estado sem a gente? Bem capaz. Passa pra mim!!"

Poderiam muito bem começar pela reforma da lei das S.A. igualando as ações ordinárias com as preferenciais.

Hahahaha. Temos um capitalismo onde um assalariado precisa dar conselhos!!! Que ridículo.

Contato com o blog Diário Gauche:

cfeil@ymail.com

Arquivo do Diário Gauche

Perfil do blogueiro:

Porto Alegre, RS, Brazil
Sociólogo