Você está entrando no Diário Gauche, um blog com as janelas abertas para o mar de incertezas do século 21.

Surf no lixo contemporâneo: a que ponto chegamos! E que mundo deixaremos de herança para Keith Richards?

sábado, 11 de agosto de 2007

Os deuses eles mesmos morrem


Deprressa
Zorra Morrena
é breziza amar
mais ligeirras cas Walkyrias
ki galopam no Céu
danzando nossas horras
no Espresso de Saturno
si vom emborra
e non foltam
o brrezo da bassagem
nem brra reklamar.

Os Deuses eles mesmos morrem
mas os vermes soberranos
demorram roendo
roendo...

Os vermes son klientes
o koveirro kafeton.

Só sobrram no vento
velhos trrapos
nossas almas pendurradas
no arrame farpado
do kintal sburrakado
do Palácio de Pluton.

Zuca Sardan (poeta carioca nascido em 1933)

9 comentários:

armando disse...

Os deuses são a prova de que os homens em certos momentos enlouquessem, mas, voltam, por vezes, a uma certa normalidade.

armando disse...

erramos, enlouquecem.

maine disse...

Que maravilha, heim? Esses poetas malditos...

Deposito do Maia disse...

Que bom que os deuses morrem. Os ídolos e as ideologias também.

Macanudo disse...

Os curtos de idéia também e as ideologias se renovam, dado que são concepções de vida e essas TODO MUNDO têm, inclusive os dementes do Hospício São Pedro.

sueli halfen ( POA) disse...

Macanudo...concordo ! as ideologias nunca morrem,se renovam.Um ser humano com algum QI saberia disso,ou se achasse que morrem estaria morto e nem saberia!

Cristovão tu sabe de cada poesia legal !!!

abraço Sueli

Deposito do Maia disse...

Falou bem, Macanudo, a seta no alvo. As ideologias se renovam. Tudo se renova. Tudo se flexibiliza. Tudo deixa de ser radical. Ameniza. Sintetiza. A dialética com síntese. O pacto, o acordo que é a conquista. Gradual, racional, relativo. Não podemos nos entorpecer com o eterno retorno do ridículo, daqueles que acham que a renovação da reforma é um grande mal.

Macanudo disse...

Não coloquem o que eu não afirmei. Disse SOMENTE que as ideologias se renovam.

Deposito do Maia disse...

Macanudo, cada um interpreta como quer. Aqui não é a terra de Fidel. Coloquei teu comentário no meu depósito. Aproveitando, é bom esse Zuca Sardan. Zuca Sardan

Calote Metaphysico

A vida é curta
e a salvação difícil...
Além de que a salvação pessoal
parece um negócio
dos mais duvidosos...

conviria primeiro saber
se a salvação em si
existe.

E se não existe...
então aquela força
e os sacrifícios
só pra no fim levar
o calote metafísico!...


In: SARDAN, Zuca. Ás de colete. Pref. Alcides Villaça. Il. do autor. 2.ed. Campinas: Ed. da Unicamp, 1994. p.114. (Matéria de poesia

Contato com o blog Diário Gauche:

cfeil@ymail.com

Arquivo do Diário Gauche

Perfil do blogueiro:

Porto Alegre, RS, Brazil
Sociólogo