Você está entrando no Diário Gauche, um blog com as janelas abertas para o mar de incertezas do século 21.

Surf no lixo contemporâneo: a que ponto chegamos! E que mundo deixaremos de herança para Keith Richards?

terça-feira, 21 de agosto de 2007

A filatelista fiel

Chama a atenção o zelo e a economia de dados com que o jornal Zero Hora (do grupo RBS, que apoiou o golpe gorila de 1964) se refere à senhora Santa Izabel Paludo, lotada no gabinete da governadora tucana Yeda Crusius.

Santa Izabel e Ubirajara Macalão são filatelistas extra-numerários, diríamos assim, indiciados pela Polícia Federal por desvios de recursos da Assembléia Legislativa, durante muitos anos e sob a direção de vários presidentes do poder legislativo estadual.

A virtuosa Santa Izabel – embora Zeagá sonegue essa informação importante – é filiada ao Partido Humanista da Solidariedade (PHS), que faz parte da aglomeração que sustenta a governadora Yeda.

Segundo informou à Zeagá, o pressuroso e reticente Paulo Fona, secretário de Comunicação Social do Piratini, “ela [Santa Izabel] nunca teve contato com a governadora”.

Pois deveria! Por três consistentes motivos: 1) a canonizada era lotada no gabinete da governadora (é possível imaginar a ginástica de Yeda para “evitar” a virtuosa filatelista); 2) como cristã, a governadora deveria embeber-se das virtudes nominais da filatelista; 3) a santa filatelista, como discípula do Humanismo da Solidariedade, poderia passar lições morais irrenunciáveis à governadora Yeda.

As fotos acima são de uma reunião havida em João Pessoa, em 8 de junho de 2007. A filatelista virtuosa, Santa Izabel Paludo, foi figura proeminente na reunião do PHS na capital da Paraíba, sempre envergando sua blusa rosa-pink.

Em ata de 07 de junho de 2002, da Comissão de Assuntos Municipais da AL, a filatelista fiel estava presente “representando Roberto Argenta”, como “sua assessora” – segundo a Ata no 05/02 daquela comissão permanente. Roberto Argenta foi deputado federal pelo PHS, foi diretor-presidente da empresa calçadista Calçados Beira Rio S.A., e de 2003 a 2006, foi diretor-presidente da Procergs – Cia. de Processamento de Dados do RS – uma estatal.

25 comentários:

Anônimo disse...

Vamos ficar a espera de uma isenta, e não rançosa, análise do especialista de tudo que frequenta este blog com enorme energia, enquanto do blog dele (do especialista) é uma vazio de intervenções. Eu imagino que a Santa Selo deve ser uma quinta coluna do Delúbio infiltrada dentro do palácio. Um governo tão preocupado com equilíbrio das finanças só pode ter sido enganado por uma figura como o Delúbio;

Omar disse...

Mestre Cfeil,
O ilustre ex-deputado Argenta é um dos líderes da seita "Ontopsicologia" no Brasil. Vale a pena conhecê-la:

http://www.str.com.br/Str/ontopsicologia2.htm
http://www.ontopsicologia.com.br/
http://www.ontopsicologia.org.br/

Carlos Eduardo da Maia disse...

Se esse fato ocorresse no governo Olívio - e fatos semelhantes ocorreram -- ZH cairia em cima e seria impiedosa.

Anônimo disse...

Quais fatos? O Diógenes?

Carlos Eduardo da Maia disse...

Também.

Anônimo disse...

O Diógenes nunca esteve nomeado como auxiliar no palácio como a Santa Selo. Se isso tivesse ocorrido o resultado da CPI teria sido outro. Os derrotados do Britto, com o apoio dos tucanoa da Yeda, teria tentado tudo para tirar o bigode do palácio. A Yeda agora vai dizer que não sabia das atividades da Santa Selo, dentro do palácio?

Carlos Eduardo da Maia disse...

Diógenes sempre foi amigo íntimo de Olívio, desde a época da prefeitura. Foi Diógenes que teve a infeliz idéia de encampar o transporte coletivo em 1990 no primeiro ano de Olívio na prefeitura. Os dois sempre foram unha e carne.

Anônimo disse...

A diferença que a Yeda tinha (ou tem) assessora que possuía selos produto de ROUBO do tesouro do ESTADO. Para dinheiro o melhor caminho é uma CPI.

Carlos Eduardo da Maia disse...

O PT sempre quis CPI quando oposição e sempre fez tudo, inclusive o indecente, para não permitir a instauração de uma CPI quando situação. O importante é que Yeda caia e Olívio volte ao poder. Ele tem todas as condições de fazer uma revolução socialista no RS.

Anônimo disse...

Quanta falta de argumentos para tentar esconder a Santa do Selo assessora da governadora dentro do Palácio. Usa, inclusive, ameaça de "uma revolução socialista no RS". É, o cara pirou de vez, para tirar a Santa do Selo do colo da Yeda.

Carlos Eduardo da Maia disse...

Quantos assessores tem um governador de Estado? Essa senhora era próxima a governadora? Era amiga intima, como era Diógenes com Olívio? A governadora sabia do assunto? Yeda recebeu dinheiro do selos? Yeda, afinal, é corrupta? Tudo tem de ser averiguado, mas acho difícil que Yeda esteja envolvida até porque parece que essa senhora estava no gabinete por indicação desse desconhecido partido. Esse é o problema da política no Brasil, para um partido poder governar tem de fazer alianças malucas com partidos desconhecidos para agradar a gregos e troianos e empregar a militância. Muito melhor seria se Yeda colocasse em seu gabinete pessoas de sua estrita confiança, mas é refém de uma casta política de moralidade duvidosa, que pensa apenas no cabidão e que exige tudo. E se Yeda não agrada os aliados, seus projetos vão para o brejo. Mas o que efetivamente importa é que Olívio é o caminho e Yeda o pedágio.

Anônimo disse...

Não, a Yeda é o selo, grudado na testa. O Macalão também é da base de apoio e amiguinho, protegido, do senador, que está bem caladinho lá em Brasília. O senador Simon, o paladino da moralidade franciscana, não vai se manifestar sobre a presença da Santa do Selo dentro do palácio?

Anônimo disse...

Já disse no outro post, a mão-única dos argumentos do Maia beira o hilário.

Vejamos, Maia: Diógenes foi inocentado pela Justiça. De que acusas ele? O que sabes que a justiça não sabe? E daí se era amigo de Olívio? Nunca tiveste um amigo que cometeu algum ilícito? Se tiveste (ou tens), isto significa que és de má índole também?

E por que esta complacência e benevolência com a Yeda, esta compreensão e paciência indo ao infinito?

É isso que se chama indignação seletiva. Enquanto no Olívio a tolerância foi zero, agora temos explicação pra tudo.

Jean Scharlau disse...

A Santa foi pega com a boca na botija. Logo todos os santinhos em volta da Santa cantam em coro: - que boca, que botija, que nada... Foi só um selinho!...

Claudia Cardoso disse...

O que a imprensa, capitaneada pelo grupo PRBS, fez para criar uma CPI durante o governo Olívio, no mínimo, a "qualificaria" para ser a primeira a exigir nova CPI. É sempre bom lembrar, que a CPI da Segurança Pública FOI ARQUIVADA pelo MINISTÉRIO PÚBLICO por TOTAL FALTA DE PROVAS, sem falar do Diógenes inocentado. Agora, precisamos saber qual o envolvimento - se existe - da Governadora no esquema dos selos, afinal, uma ASSESSORA de seu GABINETE fio presa e indiciada! A própria Governadora, ciente de suas responsabilidades frente ao Estado, deveria ser a primeira a pedir uma INVESTIGAÇÃO do caso, pois como se sabe desde Roma Antiga, ANTES DE SER, TEM QUE PARECER SER HONESTA! E como a Sra. Cruzcredo é campeã em escândalos desde antes da posse, precisa tomar uma providência para PROVAR QUE NÃO SABE O QUE ACONTECE DEBAIXO DO SEU NARIZ.
Ou ser obrigado a saber do que acontece com seus assessores é prerrogativa única de político que ostenta uma bandeira vermelha, com estrela amarela no meio e um nº 13?
Cada vez mais me envergonho da mídia gaudéria. A sacanagem está cada vez mais exposta.
O que o partido que mais sofre com esta política de desqualificação da mídia corporativa, que não disfarça mais, fará a este respeito?

Anônimo disse...

Estranho, afinal de contas, qual é o partido que essa Santa é filiada? No site do TSE ela consta como candidata a deputada estadual pelo PMDB, com o número 15551. Zero votos, zero despesas.

Anônimo disse...

E o Rigoto, será que ele também sabia?

http://www.regiaodosvales.com.br/noticia_imprimir.php?id=7407

Anônimo disse...

E o Rigoto, será que ele também sabia?

http://tinyurl.com/2hje4u

Carlos Eduardo da Maia disse...

No dia 12.10.69, Diógenes de Oliveira executou o capitão Charles Rodney Chandler que retirava seu carro da garagem na frente da mulher e filhos e nele descarregou os seis tiros de seu revólver Taurus calibre 38. Quando Olívio Dutra assumiu a prefeitura de Porto Alegre, Diógenes foi seu assessor e amigo. Foi dele a infeliz idéia de fazer a encampação do transporte público em Porto Alegre, idéia que foi levada adiante e depois abortada, não evitando que a prefeitura fosse condenada a pagar vultosas indenizações às empresas concessionárias atingidas. Diógenes continuou amigo de Olívio e foi chamado para integrar seu governo no Estado. Na época do governo Olívio surgiu na mídia uma gravação feita por um um delegado com a voz nunca contestada de Diógenes pedindo para que a polícia não molestasse os bicheiros do jogo do bicho no RS. Isso é fato e não é invenção. Será que a mulher do selinho tem essa mesma relação com Yeda?

Anônimo disse...

Puxa, Maia, sabes tudo do Diógenes. Mas, perante a Justiça, qual o débito dele? Se o maior crime dele foi o "carteiraço" da gravação, pode mandar prender metade do RS, porque tem muita gente que só vive do "carteiraço", ainda mais na zelite.

Qual a diferença se a assessora tem ou não relação pessoal com Yeda? É indicada e contratada por ela. Se Yeda não se responsabiliza por esta contratação, quem é o culpado? Pra quem vamos empurrar mais esta? Este tipo de blindagem é benéfico a quem, exatamente? É a famosa indignação seletiva. Estás explicando e defendendo algo indefensável, apenas em nome do anti-esquerdismo. Enquanto isso, o "novo jeito de governar" vai se mostrando mais do mesmo.

Anônimo disse...

Os detalhes do justiçamento do Capitão Chandler - agente da CIA e professor de tortura para policiais brasileiros - foram pinçados do site Ternuma, mantido por agentes remanecentes dos orgãos de repressão do regime militar. Qual será a relação do Maia com essa gente?

Carlos Eduardo da Maia disse...

O Ternuma são os oficiais de pijama da extrema direita que não apitam mais. Que o Diógenes matou o capitão Chandler na frente da sua filha é fato, ninguém pode duvidar porque isso realmente aconteceu.E depois, Diógenes virou amiguinho de Olívio. Não interessa a fonte disso ou daquilo, o que interessa é que o fato aconteceu.

Carlos Eduardo da Maia disse...

errata, Diógenes matou Chandler na frente de sua família.

Anônimo disse...

Boa, Maia, assim desfocamos o assunto para algo que aconteceu em 1969 e que serve, pasmem, para criticar Olívio Dutra.

E tudo isso para defender Yeda Crusius e sua escolha de assessores.

Este tipo de argumento é dose pra leão.

Só pra lembrar: independentemente de qualquer erro que o PT tenha cometido, a assessora de gabinete Yeda é de sua responsabilidade. Se ela vai faturar essa na conta de outra pessoa (e certamente vai, com a ajuda da RBS e de "opiniões" como a tua, Maia), é outro papo. Mas a responsabilidade continua sendo de Yeda Crusius.

Anônimo disse...

Pela lógica:

ou a Yeda era a chefa da Santa do Selo, ou é uma incompetente (disso ninguem duvida) e deve voltar para Sampa

Contato com o blog Diário Gauche:

cfeil@ymail.com

Arquivo do Diário Gauche

Perfil do blogueiro:

Porto Alegre, RS, Brazil
Sociólogo