Você está entrando no Diário Gauche, um blog com as janelas abertas para o mar de incertezas do século 21.

Surf no lixo contemporâneo: a que ponto chegamos! E que mundo deixaremos de herança para Keith Richards?

segunda-feira, 8 de junho de 2009

Estudantes protestam contra cortes na educação do campo


Manifestação ocorre em frente ao Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária, em Porto Alegre

Estudantes de escolas do campo – filhos de pequenos agricultores e assentados da reforma agrária – protestam nesta fria manhã em frente ao Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (INCRA), em Porto Alegre, contra os cortes de 62% no orçamento do Programa Nacional de Educação em Áreas da Reforma Agrária – PRONERA.

O programa é responsável pelo acesso de centenas de estudantes do campo a cursos de ensino médio, educação de jovens e adultos e graduação, através de convênios com instituições de ensinos, como Universidades.

Os cortes orçamentários irão impedir o acesso de mais estudantes e podem prejudicar os cursos já existentes.

A manifestação é organizada pelo Movimento Sem Terra e ocorre em diversos Estados do País.

7 comentários:

Anônimo disse...

"Engraçado o MST fazendo protesto pela redução de 62% nas verbas do Pronera, Programa Nacional de Educação na Reforma Agrária. Este programa nem deveria existir, pois é um dos maiores ralos de dinheiro público, através do qual as ONGs desviam fundos para manter este movimento que tem de tudo, menos agricultores. Aliás, eles chamam os agricultores de "camponeses". O Pronera é dinheiro pro Rainha, pro Stedile, para manter uma verdadeira milícia rural que monta escolas de lona onde ensinam técnicas de guerrilha e o ódio ao capitalismo. Lá também tem de tudo, menos educação. É lavanderia de dinheiro e de pequenos cérebros."

Anônimo disse...

Que pena que quem escreveu a besteirada aí em cima não tem coragem de assinar.

É a mesma coragem que falta para, antes de falar besteira, ir nesses lugares, que são públicos, e ver o que ensinam nessas escolas.

E realmente, ter ódio ao capitalismo deve ser ruim mesmo. O capitalismo, que é tão legal pra gente. Pôxa, nos dá tanta coisa, né. Desemprego, pobreza...

Nossa, que terrível criticar esse sistema.

Ana Maria - Porto Alegre

Anônimo disse...

MST = Marginais Sanguinários Terroristas.

Anônimo disse...

É o PRONERA que financia os cursos de Pedagogia para Educadores do Campo? São cursos sustentados com nosso dinheiro, realizados em universidades públicas, com tudo pago (cama, comida, transporte, tudo). Ensinam a plantar? Ensinam a criar gado? Ensinam a criar frango? Não, ensinam que a classe média e os produtores rurais são culpados pela crise. Cantam louvores ao comunismo e prometem lutar até o fim! Onde anda o Ministério Público? Estes diplomas de "pedagogia" terão valor? São eles que ensinarão aritmética e gramática para as crianças?
Depois, a sociedade se escandaliza ao ver o sequestrador ensinando o filho a roubar e a matar?! Mas é a mesma sociedade que sustenta a formação de guerrilheiros que invadem e que matam! Porque se escandalizar?

castrodigital.com.br disse...

Oelo menos aqui no Maranhão um monte de professores trabalharam no Pronera e ficaram sem receber seus salários, ainda bem que não fui um deles.

Mas é verdade que em todos movimentos sociais existem muitos pilantras, no MST não poderia deixare de ser diferente.

castrodigital.com.br disse...

*Oelo = Pelo

Anônimo disse...

Anonimo !
Vc deve ser mais um burguêzinho, que tem muitas terras, obviamente griladas, reacionário e que simplesmente gosta de se fazer de vítima! Tenho certeza que não sabe nada da realidade dos estudantes do PRONERA e que já deve ter concluido seus estudos, em uma universidae particular ou coisa desse tipo...
A miséria existe! E não é prudizida pelos Sem Terras não! Pelo contrario Sem Terras é fruto da miseria que pessos como você historicamente produziu e continua produzindo.

Rai Santana - BA

Contato com o blog Diário Gauche:

cfeil@ymail.com

Arquivo do Diário Gauche

Perfil do blogueiro:

Porto Alegre, RS, Brazil
Sociólogo