Você está entrando no Diário Gauche, um blog com as janelas abertas para o mar de incertezas do século 21.

Surf no lixo contemporâneo: a que ponto chegamos! E que mundo deixaremos de herança para Keith Richards?

quinta-feira, 26 de junho de 2008


Um pronunciamento de funcionários públicos no RS


Para alguém fundar uma igreja, hoje, basta escolher uma divindade no mercado de divindades, certo? Errado. O fundador precisará também de um representante do mal, uma entidade abstrata chamada demônio.


Pois, alguns promotores do Ministério Público do Rio Grande do Sul resolveram fundar uma nova igreja da direita maragata guasca e faltava-lhes apenas o "coisa ruim", para representar em tempo integral tudo que estes bravos fundamentalistas precisam combater também em tempo integral.


Não deu outra, elegeram o MST como o satã da vida social guasca. E agora estão aí divulgando as suas convicções doutrinárias, como se estas brotassem da certeza dos justos e da ira dos injustiçados.


O reconhecido jurista e professor da USP, Dalmo Dallari, ficou surpreso com a atitude dos promotores sulinos. Para ele, é inconcebível que um documento do MP afirme que “é preciso quebrar a espinha dorsal do MST”.


“Esse trecho da manifestação - diz Dallari - tem o teor de um manifesto político e não de um documento jurídico. Então, realmente é lamentável essa decisão, lamentáveis essas palavras, que são a negação da Constituição, da democracia. É uma demonstração de intolerância política. É totalmente inútil essa decisão, não pode ter conseqüência nenhuma porque não tem fundamento jurídico”.


Estamos, então, diante de um verdadeiro pronunciamento - no sentido da desobediência constitucional e de um putsch disfarçado - de funcionários do aparelho de Estado que resolvem fazer política ainda que em plena investidura de suas funções públicas. Pior: usando o aparato de Estado e o tempo funcional (que não é deles, é público, e regiamente remunerado) para militarem politicamente em favor de interesses econômicos particulares, identificados com a exclusão social e a intolerância com a democracia.


Essa espécie de insurretos de gabinete, de barnabés contra-revolucionários do medo, me parece inédita, pelo menos no Brasil. Desconheço - e peço socorro - que tenha havido na história semelhante pronunciamento de barnabés, com politização tardia e incompleta. O consultor Gunter Axt (parceirão de Fernando Schuller) precisa reforçar as aulinhas bate-pronto de política que ministra à banda direitosa daquela instituição do Estado.


Um de seus alunos, o mais destacado na atual conjuntura, anda dizendo tolices e inconsistências aberrantes, próprias de quem teve uma formação mais furada que queijo suíço, apesar de ter tido as melhores chances da vida.


Noves fora esse fenômeno novo, esperamos que meteórico, na vida social do Rio Grande do Sul, é preciso entender o contexto mais geral do caso. Quando barnabés bem remunerados do sistema passam a dar pitacos políticos, pela direita, na coisa pública é porque há um evidente colapso na hegemonia das elites locais.


O indivíduo subalterno pró-sistema e dotado de algum horizonte intelectual, nem que seja um kit de sobrevivência na selva, quando passa a temer pelo seu próprio futuro de classe, agiganta-se e vira leão de circo romano. É o caso presente.


Esses poucos maragatos do MP/RS estão sendo a vanguarda do atraso. O bloco no poder do Palácio Piratini está lhes dando nos nervos, nada dá certo, as lideranças batem cabeça e mostram despreparo a todo o momento, a governadora é o quadro do fracasso, e o governo pode ser impedido de dentro - pela ação moral de um outsider político mas não outsider sistêmico que teima em mostrar as contradições no qual navegam. Logo, os Torquemada (ilustração) de bombacha acham de emergir na cena pública com cruzadas anti-demoníacas que visam atingir menos o próprio demônio (até porque sabem que não há elementos jurídicos para fazê-lo), e mais com o afã de recompor as antigas alianças, e sobretudo, demonizando um inimigo comum a todos.


O problema é que não estão considerando outras variáveis, como a econômica, por exemplo, já que a crise de hegemonia e de legitimidade do conservador bloco regional de poder tem motivações para bem além da política provinciana guasca.


Mas isto merece outra abordagem em outro momento.

......


Ontem, falando com o professor alemão Franz Neumann, ele me dizia que está preparando um artigo onde abordaria essa crise político-econômica do RS, o recrudescimento da direita local, etc., à luz da política nacional e latino-americana, bem como um comentário comparativo com a sua Alemanha na crise política de onde emergiu o projeto nazi, na década de 30 do século passado.


Quando o professor mandar, e se mandar o artigo, haja vista a sua saúde algo precária, nós prontamente o publicaremos aqui no blog.



19 comentários:

Anônimo disse...

E o Bento Monteiro não vai se manifestar?

mário casado disse...

Feil, vc foi no ponto. Muito bom!

jota disse...

o professor Monteiro é paulista, sabe da missa a metade

ivan lopes disse...

O MP/RS paga de 18 a 21 mil reais/mês aos doutos barnabés.

Eles estão fora-da-lei do teto, ou seja, chafurdam na irregularidade.

daniel disse...

Muito boa a análise.

Anônimo disse...

Matou a cobra (ops) e mostrou o pau. Bingo!

O MP, apesar de corporativista em alguns assuntos quando matam inocentes, por exemplo), não têm homogeneidade ideológica, portanto, é preciso que outros agentes políticos se pronunciem contra esse avanço dos direitosos analfabetos politicamente. E farão isso, na medida que os Thums da vida ficarem acuados. Dalma Dallari com sua força moral, com certeza fará pender a balança contra esses malucos assalariados pelo povo gaúcho.

armando

Anônimo disse...

É isso aí Feil. Temos de panfletear o texto na frente do prédio do Ministério Público do RS! sv

André disse...

Vejam o blog do Luis Nassif (http://www.projetobr.com.br/web/blog/5) e vejam a matéria publicada no Valor Econômico (http://www.google.com/notebook/public/03904464067865211657/BDQGASgoQ8bXcp6wj)
É uma crítica virulenta à ação do MP/RS.

André disse...

Vejam o blog do Luis Nassif (http://www.projetobr.com.br/web/blog/5) e vejam a matéria publicada no Valor Econômico (http://www.google.com/notebook/public/03904464067865211657/BDQGASgoQ8bXcp6wj)
É uma crítica virulenta à ação do MP/RS.

salgado disse...

excelente, no fígado daqueles almofadinhas do MP, mas só os de direita

Carlos Eduardo da Maia disse...

Ontem o sub-procurador do MP-RS, no Conversas Cruzadas, disse algo interessante, qual a chance dessa ação civil pública ter algum êxito há 10 ou 5 anos? Nenhuma. Mas hoje ela pode ter êxito. Sabem por quê? Porque o Brasil mudou. E o Brasil mudou porque este país está pensando, está se desalienando, está tomando consciência acerca de certos padrões de comportamento que antes eram impossíveis de serem questionados pela ditadura do pensamento politicamente correto. E essa ditadura está vendo que está perdendo espaço e por isso a gritaria. Talvez o filme "Tropa de Elite" tenha contribuído para essa mudança. Talvez. O erro, o grande equívoco do MST é que ele está deixando de ser um movimento pacífico. Ele está partindo para a violência e essa violência é notória e a população está tendo ciência disso. Com base nisso o MP-RS ingressou com a ACP, para evitar que se instale aqui nas bandas do Rio Grande, um Eldorado do Carajás. A medida é, pois, preventiva e foi aprovada pela unanimidade do Conselho do MP, membros escolhidos pelo voto direto dos promotores.

Anônimo disse...

O Canalha do Maia como ninguém vai ler estas imundicies que escreve vem para cá encher o saco, com suas constantes meias verdades, mentiras e maledicência.

Ditadura, e disso ele entende (e adora principalmente a violência contra os pobres)é a tentativa de seus aliados fascistas do MP querem impedir que o MST se manifeste politicamente; e para isso usando da violência que o fascinora do Cel. Mendes exerce, e tudo sob a orquestração da defesa pelo PIG, que lógicamente é dirigido pela RBS.

Mas isto tudo é para tirar do holofotes os velhos roubos praticados pelo alto escalão do "novo jeito de governar".

Violência é o avançar sobre os cofres públicos, e sobre isto este MP apodrecido não se manifesta. Aí o MP não lembra de ser o "guardião da lei".

Violência é estes camaradas levantarem salários nababescos com dinheiro público, e se atirarem agressivamente contra os pobres.

Claudio Dode

Gilmar da Rosa disse...

Esperamos ansiosos pelo artigo, mesmo que não creia vá acrescentar muito ao que já está dito. Grande abraço.

Anônimo disse...

Interessante que este fascimo que se apossou do MP, foi representado em apresentação na Assembléia Legislativa em busca de apoio.

Ué, não é em defesa da lei que eles agem para que apoio político.

Mas o que eles quiseram mesmo foi ajudar o Nelson Harter a alavancar "investigações" contra o movimento social.

Pois bem, logo o Nelson Harter que nunca fez nada na vida além de ser filho do Tabajara que se dedicava lá no bairro Fragata em Pelotas ao ramo de secos e molhados e jogo do bicho.

Curiosa aliança.

gustavo disse...

Realmente as vezes não sei em que Brasil o "senhor-inteligência-superior-maia" vive!Sinceramente!Por isso não baseia a argumentação em afirmações de nenhuma pessoa reconhecidamente séria!Agora este senhor que cita(do MP) é um brilhante teórico da conjuntura social e política brasileira?! tanto quanto o maia é um brilhante analísta pos-moderno sem ideologia(quem acreditaria nisso?)!
Eles vivem no brasil que as pessoas comuns não vivem, enxergam a vida de dentro de seus carros, apartamentos e shopings centers, esta é a realidade para estes sujeitos!

clécio disse...

ATÉ HOJE O MAIA/NADA, NÃO FALOU UMA LETRA SOBRE O ENVOLVIMENTO DAS FACÇÕES PCCsxPSDB EM TODO O BRASIL!! ISSO É O PODRE DA HISTÓRIA DESTE PAÍS!! IMUNDICE, SUJO E VIRULENTO QUE O MPSP NÃO DÁ A DEVIDA ATENÇÃO!!!!! PARASITAS!!! FORA A VERGONHA QUE É O NOSSO ESTADO/RS!!!!!

orson disse...

Feil, a coisa poderia estar pior há tempos. Lembre-se que o atual Secretário do Meio Ambiente, Carlos de Moraes, Procurador de Justiça, foi o mais votado em lista tríplice apresentada ao Governador Olívio Dutra, para escolher o Chefe do MP/RS, mas Olívio optou por Cláudio Silva. Mas esta opção do MP gaúcho pela caminho tortuoso da direita já vem sendo sinalizado há bastante tempo. Principalmente na fronteira. Basta ver ler os pareceres do MP que envolvam litígios acerca de propriedade de terras.

Anônimo disse...

O MP do Thums é o guardião do latifundio.

Claudio Dode

Anônimo disse...

Não se pode ir atropelando as coisas, tem que ser numa seqüência. Agora terminamos com o MST. Depois declaramos ilegal qualquer sindicato, como o CPERS, Sindicatos de Trabalhores Rurais, etc. Afinal, eles também trancam estradas. Pouparemos somente os Sindicatos Rurais, pois são diferentes, estão ligados a Farsul.

Contato com o blog Diário Gauche:

cfeil@ymail.com

Arquivo do Diário Gauche

Perfil do blogueiro:

Porto Alegre, RS, Brazil
Sociólogo