Você está entrando no Diário Gauche, um blog com as janelas abertas para o mar de incertezas do século 21.

Surf no lixo contemporâneo: a que ponto chegamos! E que mundo deixaremos de herança para Keith Richards?

terça-feira, 24 de junho de 2008


Agência de inteligência do governo Lula passa informações para a repressão policial do governo Yeda

Desde abril, a área de informações do governo já tinha informações sobre os planos dos movimentos sociais de endurecerem suas ações. Entre as estratégias planejadas, estava a paralisação de atividades de empresas de setores estratégicos — o que acabou ocorrendo ao longo deste mês, quando a Via Campesina lançou, em 10 de junho, uma jornada de lutas contra o modelo do agronegócio brasileiro, colocando na rua cerca de 5 mil pessoas, em protestos por 14 Estados. Os principais alvos das manifestações e ocupações foram companhias como a Vale, Votorantim e Odebrecht. Na avaliação de analistas de inteligência, a situação tende a permanecer sem solução. Um dos motivos é o ano eleitoral, quando nenhum prefeito ou governador quer colocar suas polícias em confronto com manifestantes. A informação está no Correio Braziliense, de hoje.

Em um primeiro momento, a preocupação do governo era apenas com ações que afetassem empresas como a Petrobras. Em seguida, as atenções se voltaram para instituições que lidam com informações estratégicas, como a Empresa Brasileira de Pesquisa Agrocupecuária (Embrapa), centro de referência da área na América Latina. “Uma das preocupações é a destruição de pesquisas que levam anos para serem concretizadas”, observa um analista da Agência Brasileira de Inteligência (Abin). Por último, o governo focou nas grandes indústrias e mineradoras, depois que sem-terras bloquearam a entrada da Vale, no Pará.

A partir da jornada de lutas lançada pela Via Campesina, ficou claro para o governo que a estratégia dos movimentos sociais agora é apostar em várias ações ao mesmo tempo. O agente da Abin que conversou com o CB diz que trabalha na avaliação sobre a situação, mas não vai muito além disso. “Nós levantamos as informações e passamos para os setores de segurança dos Estados, a quem cabe tomar alguma providência”, explica o agente. As ações dos movimentos sociais também estão sendo acompanhadas pela Coordenação-Geral de Defesa Institucional (CGDI) da Polícia Federal, setor que monitora conflitos que podem surgir no País. Ao contrário da Abin, a PF pode atuar, desde que as manifestações sejam em instalações da União. Caso contrário, caberá às polícias estaduais qualquer tipo de repressão.

A tendência, segundo os analistas, é que o quadro não mude pelo menos até outubro, quando são realizadas as eleições municipais. “Todo político, nesse período de campanha, não quer ver sua polícia reprimindo trabalhadores. Os próprios movimentos sabem e abusam disso”, observa um delegado da PF ligado à área de controle de conflitos. Exemplo disso, segundo a área de inteligência, são justamente os protestos da Via Campesina. Nos 14 estados onde houve manifestações, apenas no Rio Grande do Sul a polícia entrou em confronto com os manifestantes. Nos demais locais, policiais acompanharam as ações de perto, mas sem atuar. Em nota, a Via Campesina afirmou que as ações deflagradas eram uma forma de expressão legítima em uma democracia

13 comentários:

edu disse...

A CIA no Brasil??? Quando vamos atacar paises soberanos e matar civis??? Ou ja começamos (Haiti)???

Anônimo disse...

É o estado burguês trabalhando.

Carlos Eduardo da Maia disse...

Para que serve a ABIN? Exatamente para isso, para monitorar certos movimentos, inclusive os internacionais como a via campesina.

Anônimo disse...

Como dito alhures, o nazismo foi derrotado e acabou (parece), mas os nazistas estão por aí. Ou nos organizamos e denunciamos essa farsa, como faz o Feil, ou a história se repetirá (ou está se repetindo?).

armando

daniel disse...

É como tu diz, Feil. Pra se informar sobre o RS, tem que ler jornais de outros estados. Na ZH, só conversa mole sobre animais de estimação, viagens a Bariloche, culinária, mercado imobiliário (sempre aquecido) e outras marolas.

André disse...

Pensava que a ABIN era um órgão de Estado e não do Lula...mas, como sempre, devo estar equivocado. Alguém sabe os estatutos, funções da ABIN? Alguém sabe se os governos estaduais podem pedir este tipo de monitoramento? Eu não sei, confesso minha ignorância.

André disse...

Pensava que a ABIN era um órgão de Estado e não do Lula...mas, como sempre, devo estar equivocado. Alguém sabe os estatutos, funções da ABIN? Alguém sabe se os governos estaduais podem pedir este tipo de monitoramento? Eu não sei, confesso minha ignorância.

Remindo disse...

Porra meu, vocês dão pau na grande imprensa e ficam publicando suas matérias sem checar a veracidade. Mais um pouco vocês vão acabar citando reportagem da Veja como notícia verdadeira.

Anônimo disse...

E para piorar o MP assume como sua função a política abertamente.

Os fascistas começaram a mostrar a cara.

E o canalha do Maia, cujo blog ninguém visita, está faceiro, literalmente: Como pinto no lixo.

Claudio Dode

Anônimo disse...

Eu quero ver quando começarem a aparecer as suásticas pelas esquinas, por q clima pra isso nós já temos, quero ver o q a rbs fará. Será q vão publicar matérias sobre pastores alemães d estimação dos integrantes do MP?

Eugênio

Denise disse...

Sei não, achei muito raro tudo. Se algo de verdade existe nessa notícia do CB é que a Yedinha mandou sentar o pau. Essa sabemos. O resto, sinceramente, pode até ter algum fundo de verdade, mas duvido mesmo que o pessoal do Via campesina tenha algum interesse em desestruturar, quebrar, atentar contra ( etceteras) Embrapa, Petrobrás, e outras. Se sim é verdade, esse pessoal da Abin é bem assim, que nem aqueles do MP que se baseiam em matérias da ZH e Veja prá dar prosseguimento a questões. E se assim for, ai meu deusinho, que mal estamos, que mal estamos!!!!!

Anônimo disse...

Mas o Maia é percursor do batalhão de fascista que tenta se apoderar do Rio Grande do Sul.

Pelo menos com sua maledicência habitual vem ajardinando o caminho dos dos fascistas de alto coturno.

Claudio Dode

Anônimo disse...

Este Gilberto Thums, parece muito com o Eneias....

Contato com o blog Diário Gauche:

cfeil@ymail.com

Arquivo do Diário Gauche

Perfil do blogueiro:

Porto Alegre, RS, Brazil
Sociólogo