Você está entrando no Diário Gauche, um blog com as janelas abertas para o mar de incertezas do século 21.

Surf no lixo contemporâneo: a que ponto chegamos! E que mundo deixaremos de herança para Keith Richards?

quinta-feira, 19 de junho de 2008


MST alerta para clima de repressão policial

Em nota divulgada no final da tarde de ontem, a coordenação estadual do Movimento Sem-Terra repudiou a decisão da Justiça e a ação da Brigada Militar em retirar as trezentas famílias que viviam nos dois acampamentos em Coqueiros do Sul, no Norte do Rio Grande do Sul. A informação é da Agência Chasque.

O texto lembra que a beira de estrada para onde foram levadas as famílias está sob interdito proibitório, o que significa que elas podem ser expulsas a qualquer momento novamente. O MST denuncia que os promotores deixaram claro sua inspiração pelo golpe militar de 1964, ao lembrarem que o golpe que restringiu as liberdades civis no Brasil, “pacificou o campo”.

Para os sem-terras, está claro que tanto a Justiça quanto a Brigada Militar estão ressuscitando os métodos de cerceamento e liberdade da Ditadura Militar, o que representa perigo para toda a sociedade. Ainda questionam o Ministério Público, que decidiu por retirar as famílias mas não cobra o acordo assinado pelo Incra de assentar as famílias acampadas.

..........

Ontem me dei o trabalho de ler a peça condenatória dos promotores do Ministério Público/RS – que eles chamam de Inicial – contra o MST. Tem cerca de 144 páginas, recheadas de pérolas reacionárias as mais variadas, mas de consistência praticamente nula.

Os argumentos dos jovens promotores estão fundamentados – vejam só – em matérias editorializadas do PIG (jornais e revistas), artigos adrede preparados por ideólogos da direita, como Denis Rosenfield e do vastíssimo intelectual Cel. Cerutti da Brigada Militar/RS, bem como alguns relatórios da Inteligência da Brigada Militar/RS (segundo a qual, o MST pretende tomar um território do Norte do Rio Grande do Sul para tirar vantagens pecuniárias e comerciais, a exemplo das Farcs na Colômbia, conforme fac-símile parcial acima).

Cada vez tem mais razão o velho Marx, a luta de classes está presente em todas as moléculas das relações sociais debaixo do capitalismo.

Leia a íntegra da referida Inicial do MP/RS aqui.

Para equilibrar novamente o seu organismo face a náusea que sentirá, recomendo este vídeo de 27 minutos, realizado pelo Coletivo Catarse sobre o “Acampamento Coqueiros do Sul”, ontem destruído pela polícia da governadora Yeda.

11 comentários:

Anônimo disse...

Procupante. O MP continua inquisitorial, como na época da redentora. São jovens da classe média alta, que "engoliram" códigos e foram adestrados em cursinhos para passar em concursos muito concorridos. Daí a imaturidade, deslumbramento, egoísmo e falta de sensibilidade para com os do povo. Perigo à vista.

armando

Carlos Eduardo da Maia disse...

Sabe por que existem essas medidas do MP composto por "jovens da classe média alta", como disse o Armando? Porque o MST não é um movimento transparente, ele não tem CGC, CNPJ, não está cadastrado em lugar algum. E mais, da onde vem o dinheiro que alimenta o MST? É certo que o MST recebe graninha de fontes internacionais. Assisti, na TV Senado, diversas sessões da CPI da Terra, quando pessoas ligadas ao MST que receberam dinheiro público não prestaram contas do destino dessa graninha. E - tal como aconteceu na CPI do Detran -- se recusavam a responder as perguntas e apenas diziam: rEservo o direito de me manter calado... E não foi um ou dois depoentes, foram vários, diversos. O MST não é um movimento transparente, é alimentado por recursos que não se sabe da onde vem, não está registrado em lugar algum e arregimenta os miseráveis do Brasil, assim como faz a Igreja Universal. Um catequisa para uma religião com deus e outra sem deus, a utopia dos outros.

Baiacurs disse...

Armando,são muito graves os fatos expostos. Tua leitura da realidade não deve ser generalizada, mas neste caso, tens toda razão. Porém logo o fiel escudeiro (e seus amigos) da elite reacionária estarão aqui mesmo, defendendo a repressão aos movimentos sociais.

É necessário que a sociedade perceba que a justiça social não deve ser entendida como uma utopia inalcançável, mas algo em que todos devam estar comprometidos.
Inclusive os poderes que deveriam representar o nosso povo.
Obrigado Feil pela lucidez do seu artigo.

Anônimo disse...

Lá vem o Maia encher o saco de novo. blá blá blá. O MST não tem CNPJ pq não é uma pessoa jurídica e sim um MOVIMENTO SOCIAL. Suas cooperativas, todas têm CNPJ nos assentamentos. É só levantar a bundinha do sofá e ir até um assentamento.

Além disso, é escancarado que ele recebe $$$ internacional: desde a Igreja até os ditos comitês de apoio. Agora, as FARC... aí é demais.

Engraçado que os bonitinhos dos latifúndios não são transparentes e mesmo assim o MP não faz nada. Aliás, são transparentes sim - devem até as cuecas ao governo federal e continuam pedindo financiamento e renegociando a dívida. Mas isso é claro, pq a massa da sociedade, essa sim, é controlada por esses caras da grana. Não recebem nada, só perdem, mas defendem os caras e ainda acham isso que eles fazem normal. Isso sim é aceitável, não é.

Por isso que as coisas não vão pra frente nesse Brasil. Essa Justiça, composta dos riquinhos, faz e cumprem as leis para os riquinhos. Os governos governam para os riquinhos. E a massa da população bate palma, pq tudo o que ela quer é, um dia, tb ser riquinha. Só que NUNCA vai ser.

Ó Marx, ajudai-nos.

Ana Maria

Carlos Eduardo da Maia disse...

Ana Maria, as coisas estão indo para a frente neste Brasil. A classe média está aumentando, comprando carros, apartamentos, DVD´s e a nossa classe dominante é hoje a classe C. E é esse o caminho do Brasil, incluir mais e mais pessoas na qualidade de vida. Compare, Ana Maria, o Brasil de 100 anos para agora e você verá que o progresso social neste país foi imenso. É claro, é óbvio, é evidente que muita coisa tem que ser feita, porque existe muita miséria no Brasil e é exatamente isso que a gente tem que olhar. E tem que inserir este pessoal na qualidade de vida. E apenas o bom serviço público é que vai tirar esse pessoal da miséria. E é necessário, pois, um Estado eficiente. Mas esse tipo de movimento não interessa a elite do MST, como não interessa a reforma agrária, porque ela lucra ( a força da grana que ergue e destroi coisas belas) exatamente com isso. Quanto mais incluídos, menos excluídos o MST vai ter para abastecer seus cofres da ideologia. Fácil como fazer água morna.

Anônimo disse...

MAIA!! TODA ELITE QUE QUER SER HEGEMONICA ELA PROCURA A INSERÇÃO.POIS QUANTO MAIOR É ELA MELHOR PARA O STABLISHMENT. COMO NOSSA ELITE É PREBENDÁRIA, SOMOZISTA E OLIGÁRQUICA, ELA AGE NA CONTRAMÃO, CRIANDO CADA VEZ MAIS EXCLUSÃO. ALIÁS, OS PROBLEMAS, EM SUA MAIORIA ADVÉM DE MEDIDAS QUE DEVERIAM TER SIDO TOMADAS A TRINTA ANOS ATRÁS E QUE NÃO O FORAM . DEIXANDO DE LADO A SOCIOLOGIA , PARA SEU GOVERNO, TODOS OS PAÍSES QUE FIZERAM A REFORMA AGRÁRIA SE DESENVOLVERAM. O RESTO, BEM O RESTO, ESTÁ AÍ MPE, BM E NEO-LIBERAIS CONVERTIDOS. SIM, PORQUE DE KEYNESIANA CONVICTA, NOSSA GOVERNADORA(MARIA ANTONIETA CASANOVA), VIROU AMESA A EXEMPLO DO VICE-REI FFHH.(ESQUEÇAM O QUE ESCREVI).

Anônimo disse...

As medidas tomadas por esses "jovens" promotores do MP indicam que n�o est�o qualificados para o exerc�cio de tal fun�o. Se preparam, apenas para ter um emprego est�vel com um bom s�l�rio. AS interven�es junto aos Movimentos Sociais, exige no m�nimo uma especializa�o cient�fica no campo da Sociologia. Ainda hoje,qualquer um se acha no direito de retalhar as configura�es sociais, sengundo o seu senso comum.
Em tempo: a� temos um exemplo de "miser�veis do Brasil". OU seja cidad�os desprovidos de valores suficientes para o exerc�cio qualificado de suas fun�es.
C�ndida

Suzie disse...

Penso também, que os "jovens Promotores", necessitam de uma "reciclagem".
Os argumentos/fundamentações usados(as) são de uma perversidade, uma barbárie de dar nojo!

Anônimo disse...

Blogueiro:
Acho que o foco da discussão não está bem centrado. A ação do MP foi ordenada pela cúpula da instituição, sob incessante pressão da Farsul, e montada para ter essa exposição que está tendo. Mas ela não é a questão. Creio que se deveria discutir mais a intervenção do Poder Judiciário, que, em uma canetada liminar, antes de contestação, tomou uma medida extremamente drástica e praticamente sem reversão viável.
Pedir em juízo é uma faculdade que qualquer um possui. O Poder Judiciário está aí para isso. A motivação das decisões tomadas é que funciona como garantia social do conteúdo democrático das decisões judiciais.

Anônimo disse...

Até agora estou tentando entender como o MST pode pretender "copiar" as táticas das FARC. Sempre tive a impressão de que lá na Colômbia a guerrilha conseguia fugir da repressão estatal escondendo-se na selva amazônica. Como ninguém deve ser doido de pensar em buscar refúgio no meio de uma lavoura de soja, o MST já deve ter cavado alguns túneis ali na região. Deve ser isso, eles vão tomar o poder a partir do subsolo... Desculpem, eu não entendo nada de estratégia militar. A "inteligência" da Brigada é muito superior à minha.

Anônimo disse...

O Anonimo, o covarde, não é de hoje que notei que a "inteligência da Brigada é superior a tua.

A Tua e a do canalha do Maia.

Pra o Maia a reforma Agrária é uma hipocrisia que não deve atingir o Latifundio, o agrobanditismo que ele defende, constantemente. Como ao governo moriibundo e cheio de ladrões da Yeda.

Reforma Ágrária é dar as terras improdutivas aos que nela podem trabalhar e produzir. É isto que o MST procura.

É isto que o canalha do Maia tem medo.

É o latifundio improdutivo e o agrobanditismo que o Maia defende.

É isto que garante o andar dele no parcão com tênis de marca, e shortinho importado, e jantar no mesmo restaurante da Yeda (quem paga não interessa).

Por isso tanto ataque ao MST.

Claudio Dode

Contato com o blog Diário Gauche:

cfeil@ymail.com

Arquivo do Diário Gauche

Perfil do blogueiro:

Porto Alegre, RS, Brazil
Sociólogo