Você está entrando no Diário Gauche, um blog com as janelas abertas para o mar de incertezas do século 21.

Surf no lixo contemporâneo: a que ponto chegamos! E que mundo deixaremos de herança para Keith Richards?

segunda-feira, 23 de junho de 2008


Pedro Simon é o cabotino fundamental

O jornal Zero Hora entrevistou o senador Pedro Simon (PMDB-RS). Está publicado hoje, no jornal do bairro Azenha de Porto Alegre.

Trata-se de uma das coisas mais cabotinas que eu já vi na mídia oligárquica brasileira desde que o pioneiro Hipólito José da Costa lançou o seu impresso em 1808.

É uma tentativa de mitificar o gesto – de resto, inútil – do senador guasca ao discursar por várias horas no Senado na última sexta-feira, com o intuito – repito, inútil – de pressionar o Executivo para que enviasse ainda naquele dia a mensagem autorizando um empréstimo com o Banco Mundial.

A entrevista quer selar Pedro Simon como o herói responsável por uma façanha digna dos farroupilhas (ou quem sabe de Júpiter), tratando o governo federal como um agregado de pequenos moleques que insistiam em boicotar a redenção do Rio Grande.

Tem uma pergunta do repórter de ZH que é comovente:

ZH - Durante o longo período que ficou no plenário, o senhor não sentiu necessidade de tomar água ou ir ao banheiro?


Simon - Água eu bebia até demais. A todo momento, tinha água e cafezinho. Do resto, eu nem me lembrei. Não me passou pela cabeça.

Nas várias horas que o senador de bombachas esteve na tribuna ele não aproveitou para explicar aos seus pares (foto com o senador Heráclito Fortes) que grande parte da crise no qual está enterrado o Rio Grande é de sua inteira responsabilidade política, uma vez que Sua Excelência é o padrinho eleitoral de inúmeros governadores que passaram pelo Piratini e só o afundaram com mais ênfase e intrepidez cívica. Simon também deixou de comentar sobre o pântano ético no qual se movimenta a sua protegida, Yedinha Rorato Crusius, e tampouco sobre as trapalhadas no qual estão metidos seus pupilos que dirigem o Banrisul.

Um pena, perdeu uma oportunidade de ouro, Sua Excelência. Chamou a atenção na sexta-feira, também, que nenhum senador tucano estivesse presente à sessão. Será que os cardeais tucanos são contra a “redenção” do Rio Grande?

Zero Hora, aliás, omite sobre essa vadiação dos companheiros da governadora Yeda Crusius, naquele momento tão crucial para ela.

Leia a entrevista cabotina aqui na íntegra.


........

P.S: Cabotino, segundo o dicionário Houaiss, é relativo a ou indivíduo presunçoso, vaidoso, que se comporta afetadamente ou tenta atrair sobre si as atenções, e alardeia as qualidades que pretensa ou realmente possui.

19 comentários:

marcos trindade disse...

Feil, o Senador falou! Hoje pela manhã, em entrevista à Ana Amélia e à Abelhinha. Foi a entrevista mais cômica, patética, lamentável e inútil dos últimos tempos. O Franciscano Senador alegou, questionado a respeito do seu gritante silêncio quanto aos últimos acontecimentos na República Riograndense, que não havia razão para falar já que tudo estava sendo devidamente investigado. Defendeu o Lemos, a Yeda, criticou o Feijó, a Polícia Federal, enfim, esquivou-se e tergiversou como pode e á vontade. Acabou-se o ícone da moralidade. Morreu e não sabe.

Anônimo disse...

O Paim e o Zambiasi também estavam vadiando na sexta?

Malacara disse...

O senador Heráclito Fortes é aquele que carrega as bolas debaixo da língua.

Juarez Prieb disse...

Um autêntico franciscano, mesmo leigo, não pode ser presunçoso e cabotino.

Anônimo disse...

Cabotino, segundo o Michaelis, é também cômico ambulante, dissimulado, hipócrita e tartufo.

armando

joca disse...

A legenda da foto pode ser:

- Pedro, você já notou que eu gosto de você de um jeito diferente? Sei lá...

Vitor disse...

O mais absurdo de tudo é a forma como ZH trata o fato. As 6 horas de "vigília" do senador, primeira vez na sua carreira. Isso quer dizer que é a primeira vez que o caquético trabalha seis horas, no senado. E ainda diz que fez porque segunda não tem expediente. Enquanto isso, quem paga as contas, que somos nós, ralando direto.

Vitor disse...

Repararam na mão do Simom? Será que é porque o Heráclito é DEMO? Vade retro...

el barto disse...

o energúmeno-mor da política guasca.

Carlos Eduardo da Maia disse...

Prefiro mil vezes o Simon do que o cabotino do Rossetto. Simon, pelo menos, conseguiu tirar o processo do Bird para o RS das prateleiras do Arno Augustin.

edu disse...

NAO ADIANTA O DINHEIRO MANDAR!!!

VCS SABEM Q NAO é O POVO Q VAI GASTAR!!!

PORTANTO, NAO VAMOS PAGAR!!!

Dinheiro nòs ja temos, Detran e Banrisul perderam 150 milhoes!!!

yeda quer assumir emprestimo, no nome de todos os Gauchos, pra ela gastar???

Esse governo nao tem legitimidade pra isso.

Anônimo disse...

Quem financiou a candidatura do Simon e de todos os candidatos do PMDB?
Com o leg�timo dinheiro p�blico!

Por isso quem deveria estar no Senado � o Rossetto. Certamente o Rossetto faria uma bela an�lise de conjuntura sobre a crise �tica do Estado governado pelos apadrinhados do ex-governador do RS, o Simon.
Feil, sobre a pergunta em destaque, o que poderia ser perguntado depois de um longo tempo ocupado apenas com firulas? Ali�s, esses pol�ticos da "fina flor" riograndense, o que eles est�o mais fazendo � isso a� mesmo, como o Buzato na CPI, "Xixi nas cal�as"!
Cl�udia

fernando disse...

E o sindbancarios?

jorge disse...

o sindbancários está apelegado, resta só admitir isso.

Carlos Eduardo da Maia disse...

Enquanto isso, os sindbancários de SP é acusado de ter desviado 40 mi.. para apoiar candidatos......petistas.

joana fontes disse...

Se o post fosse menos agressivo e mais sério, até teria alguma credibilidade. Mas com toda essa arrogância, perdi até a vontade de continuar lendo.

Anônimo disse...

E o Paim e o Zambiasi?
Estão nas festas juninas?

Anônimo disse...

A foto fala por si mesmo. Sexo animal.

Anônimo disse...

Maia,

Já o Rossetto, ao contrário do Simon, não tirou nem um empréstimo das prateleiras do Banrisul.

Claudio Dode

Contato com o blog Diário Gauche:

cfeil@ymail.com

Arquivo do Diário Gauche

Perfil do blogueiro:

Porto Alegre, RS, Brazil
Sociólogo