Você está entrando no Diário Gauche, um blog com as janelas abertas para o mar de incertezas do século 21.

Surf no lixo contemporâneo: a que ponto chegamos! E que mundo deixaremos de herança para Keith Richards?

quarta-feira, 18 de junho de 2008



Recado à senhora Rosane de Oliveira

Já que dona Rosane de Oliveira – jornalista e abelhinha – respondeu em seu blog a este Diário Gauche, mesmo que não o tenha citado (não importa), quero dizer-lhe que tem razão parcial. A senhora afirma e prova que o jornal para o qual trabalha, Zero Hora, havia informado semanas atrás sobre as irregularidades no Banrisul, o que está correto. Ao mesmo tempo, a nossa abelhinha, classifica a informação do jornal Folha de S. Paulo de ontem, de “notícia velha”.

Não é notícia velha, dona Rosane. É notícia novíssima, fresquíssima. Este caso está na raiz mesmo dos diálogos gravados de Feijó e Busatto. Depois do 6 de junho, quando foi divulgada a gravação que faz sangrar o governo de Yeda Crusius, o jornal da senhora nunca mais divulgou matéria sobre as gravíssimas irregularidades no Banrisul.

A senhora saberia nos dizer o motivo?

A doce menina Isabella Nardoni foi assassinada no dia 29 de março último. A senhora Rosane consegue imaginar se a mídia brasileira tivesse noticiado o fato pontualmente no dia 30 de março, e na seqüência permanecesse ignorando os desdobramentos do bárbaro crime? Jornalisticamente seria inadmissível, não é mesmo senhora Rosane de Oliveira?

Pois foi e é o que ZH está fazendo: ignorando, sonegando, omitindo a seqüência lógica e factual de uma notícia, no caso o desaparecimento de 18 milhões de reais do banco estatal dirigido pelo afilhado do senador Pedro Simon (PMDB), um dos artífices da eleição de Yeda Crusius ao Piratini. E mais: fazendo uma cobertura que mais encobre do que revela.

O ex-secretário Busatto disse com todas as letras que o Banrisul faz parte de “um loteamento político”, e que esta área bancário-financeira “pertence” ao PMDB. Ora, se faltam 18 milhões na contabilidade do banco e se essa instituição está cativa por um partido político que pertence à base aliada da governadora Yeda, o que se pode deduzir disso tudo, prezada abelhinha?

Eu não estou exigindo que ZH trabalhe com essa linha crua de investigação jornalística, seria exigir demais de um veículo da RBS, seria pedir que ZH fosse o que jamais será – um jornal de verdade. Mas, eu só peço que a senhora não repita que isso – o rombo escandaloso de 18 milhões do Banrisul, até o momento insolúvel e propositalmente ignorado pela governadora Yeda – é notícia velha.

23 comentários:

Guilherme Mallet disse...

O Banrisul é principal patrocinador do ZeroHora.com

A Aracruz é patrocinadora do Blog dessa senhora...

Talvez a resposta para o acobertamento do Banrisul esteja aí. Afinal, não é de hoje que o PRBS tem relações pornográficas com o PMDB.

Fabrício disse...

É notícia tão "velha" quanto os desvios do Banrisul.
Talvez a única novidade de tudo isso esteja na proximidade dos escândalos com o sacrossanto Simon, que alías vem mantendo um silêncio reverencial frente ao contexto.
De qualquer modo, o mais "velho" de tudo é o fato da dona Rosane manter impressionante - e descarada, claro - desenvoltura na postura áulica frente à elite gaúcha...
Cá para nós (e para ela, que sempre espia por aqui), esta senhora não pode dormir tranquilamente

Anônimo disse...

A Rosane é uma pessoa engraçada.
Diria que tem uma inteligência do tamanho de uma abelhinha mesmo.
Está neste momento respondendo mentalmente que o blogueiro é um bom ficcionista, que tem mania de perseguição, que seu jornal vem aumento as tiragens...e por aí vai...
Para quem teve a cara de pau de publicar, ontem em sua coluna, que o deputado Bohn Gass fez teatro na CPI e que a foto da Yeda novamente ao lado de Ferst não era nada, é normal que ela afirme que o problema no Banrisul não é nada também.

sil

Denise disse...

E o melhor é que comentários no mesmo sentido que o teu post são solenemente ignorados por ela. Imagina, entrei agora, há somente 23 comentários sobre. Duvido mesmo que mais gente não tenha dito algo sobre a suposta idade avançada da notícia...

Fernanda Flores disse...

Denise.
Eu sou uma que sou "censurada" lá nos meus comentários da Abelha-Rainha!!!

Mas essa vida de blogueira deve estar "cansando" (CANSEI) ela, visto que a grande maioria é sempre contra suas idéias!!

indignado! disse...

Sr. Feil,

Segundo o glorioso sindicato dos bancários, o sr. está do lado dos privatistas, que querem destruir o Banrisul com estes ataques irresponsáveis (sic) a instituição de todos os gaúchos! Vc deveria estar na trincheira, ao lado do Lemos, Simon e todos combatentes que querem um Banrisul público!

É triste, mas é a posição do sindbancários porto alegre! Fazer oq...


Vai a carta aberta. Vale ressaltar que o sindicato hj se apressou em publicar a versão do Banrisul para essa noticia difamatoria veiculada por estes "blogueiros irresponsáveis":

TIREM AS MÃOS DO BANRISUL!

Todos em defesa do banco público dos gaúchos

Os bancários e a sociedade estão realizando nesta quinta-feira, dia 12 de junho, um abraço simbólico ao Banrisul em defesa do banco público dos gaúchos. A manifestação, organizada pelo SindBancários, também é uma resposta às denúncias de corrupção no Governo Yeda/Feijó.

O banco tem sido alvo de seguidas denúncias de irregularidades nos contratos firmados com a Faurgs. O vice-governador, enquanto integrante do governo, precisa ter responsabilidade ao fazer suas acusações, uma vez que até o momento não apresentou provas, assim como nada foi comprovado pelo Ministério Público.

Para buscar esclarecimentos, o Sindicato já se reuniu com o presidente do Banrisul e com a Faurgs. Também foi recebido pelo Ministério Público, que ainda está investigando os contratos e apresentará suas conclusões ao final dos trabalhos. O SindBancários aguardará o posicionamento do Ministério Público e ressalta que, caso sejam apontadas irregularidades, os culpados devem ser punidos.

Por isso, não há motivos para a abertura de uma nova CPI na Assembléia Legislativa, como pretende Feijó. A CPI do Detran deve continuar apurando as fraudes que desviaram R$ 44 milhões dos cofres públicos, buscando a punição dos corruptos e o ressarcimento do dinheiro roubado.

A hora é de proteger o Banrisul, que atende a milhões de gaúchos, financia o desenvolvimento econômico e social do nosso Estado. O banco está saneado e dá lucro. Não há razão para vendê-lo ou ser incorporado pelo Banco do Brasil.

Os bancários e a população defendem a instituição e condenam a intenção do governo Yeda/Feijó de desvalorizar o banco e usá-lo como moeda de troca para resolver seus problemas financeiros.

Tirem as mãos do Banrisul!

Respeitem o patrimônio do povo gaúcho!

edu disse...

Esperar mais o q??? Se o Vice Governador apenas afirmasse sem provas a CPI deveria ser aberta, imagina quando prova o q todo mundo sabe...q simon suga o Banrisul e pagou bem por isso. yeda comprou casa nova vendendo o banco e o Detran aos vampiros.

Eu nunca li nada dessa mulher ai, nem sei onde encontrar e tb nao vou procurar. Quem prestigia a rbs é analfabeto politico. Prestem muita atençao, universidade nao é garantia de saber politico, alias, as universidades tecnicas (medicina, engenharia, veterinaria etc) nao tem nada de sociologia, filosofia e politica durante o CURSO TODO. Formam zumbis sociais, analfabetos politicos, experimentem testar os conhecimentos desse pessoal, é deprimente.

Milton Ribeiro disse...

Excelente, Cristóvão.

A um dos comentaristas: Rosane não tem nada de burra. A leitura de sua coluna indica pessoa tortuosa, paradoxal, lisa e... perigosíssima. Também costuma ter momentos "democráticos" em que parece aceitar críticas, mas na verdade distorcendo-as algumas linhas adiante.

Anônimo disse...

Ó, IDIGNADO!!! ESTE BANCO SÓ CONTINUA EXISTINDO PORQUE OLIVIO INTERROMPEU O PROCESSO DE VENDA, JÁ QUE NO GOVERNO DE BRITO(PMDB), SEU BRAÇO DIREITO(BUSATTO), "O MELHOR ACORDO COM O GOVERNO FEDERAL QUE O RIO GRANDE FEZ". UMA CLAUSULA ERA A FEDERALIZÃO. POR IRONIA, É UM FEUDO DO PMDB, O MAIOR DOS " PARTIDOS DA GAMELA". FONTE DE FINANCIAMENTO DE CAMPANHAS DE UM POLITICO FRANCISCANO QUE ESTÁ RECLUSO NUM MOSTEIRO ONDE A CLAUSURA ESTÁ SENDO OBRIGATÓRIA.

Carlos Eduardo da Maia disse...

O Banrisul existe porque FHC fez o Proer dos bancos públicos e a dívida (crônica) passou para o Estado.

Anônimo disse...

bah! nos dedos

Laio disse...

Indignado, onde saiu essa nota do Sindicato dos Bancários?

Acho que é pegadinha sua, não pode ser verdade isto.

Anônimo disse...

O Banrisul é a jóia da coroa. Vai lá busacr atendimento, vai. As maiores filas do país, um atendimento de merda. Vendam essa porra que só serve pra loteamento de cargos.

Carlos Amaro de Vasconcellos disse...

Feil, abaixo o manifesto em que o SindBancários afirma que é contra a CPI do Banrisul. Com essa posição eles se aliam à governadora Yeda, ao Simon, ao presidente do Banco, Fernando Lemos, ao Busatto e aos corruptos que mamam nas tetas do banco estatal.

A nota é essa, foi tirada do site do SindBancários:
................................

TIREM AS MÃOS DO BANRISUL!

Todos em defesa do banco público dos gaúchos

Os bancários e a sociedade estão realizando nesta quinta-feira, dia 12 de junho, um abraço simbólico ao Banrisul em defesa do banco público dos gaúchos. A manifestação, organizada pelo SindBancários, também é uma resposta às denúncias de corrupção no Governo Yeda/Feijó.

O banco tem sido alvo de seguidas denúncias de irregularidades nos contratos firmados com a Faurgs. O vice-governador, enquanto integrante do governo, precisa ter responsabilidade ao fazer suas acusações, uma vez que até o momento não apresentou provas, assim como nada foi comprovado pelo Ministério Público.

Para buscar esclarecimentos, o Sindicato já se reuniu com o presidente do Banrisul e com a Faurgs. Também foi recebido pelo Ministério Público, que ainda está investigando os contratos e apresentará suas conclusões ao final dos trabalhos. O SindBancários aguardará o posicionamento do Ministério Público e ressalta que, caso sejam apontadas irregularidades, os culpados devem ser punidos.

Por isso, não há motivos para a abertura de uma nova CPI na Assembléia Legislativa, como pretende Feijó. A CPI do Detran deve continuar apurando as fraudes que desviaram R$ 44 milhões dos cofres públicos, buscando a punição dos corruptos e o ressarcimento do dinheiro roubado.

A hora é de proteger o Banrisul, que atende a milhões de gaúchos, financia o desenvolvimento econômico e social do nosso Estado. O banco está saneado e dá lucro. Não há razão para vendê-lo ou ser incorporado pelo Banco do Brasil.

Os bancários e a população defendem a instituição e condenam a intenção do governo Yeda/Feijó de desvalorizar o banco e usá-lo como moeda de troca para resolver seus problemas financeiros.

Tirem as mãos do Banrisul!

Respeitem o patrimônio do povo gaúcho!

SindBancários

............

Feil, que sindicalismo é este? Pra mim é peleguismo no mais alto grau.

Carla Hirt disse...

Engraçado. A mídia de "massa", responsável pelas DESinformação de grande parte da população, acha justíssimo ficar martelando nas nossas cabeças o caso na menina Isabela que, sejamos francos, não interfere diretamente em nossas vidas a não ser pelo fato de ficarmos chocados. Minhas palavras podem parecer duras e frias, mas escrevo isso quando paro para pensar na grana que deixa de ser distribuida para setores públicos de atendimanto (hospitais, postos de saúde, escolas, etc), a cada desvio desses e que, num passe de mágica, se tornam "notícia velha". Esses fatos sim, interferem diretamente em nossas vidas. Quantas Isabelas, Marianas, Pedros, e outras crianças e adultos já morreram nas filas dos hospitais, que não recebem a grana que deveriam receber por causa de desvios que se tornam "notícias velhas"? Tenho certeza que a criatura que escreveu que isso é notícia velha, mas não considera o mesmo para as notícias sensacionalistas (e oportunistas) ou é acéfalo, ou muito irresponsável com o que escreve. Deve ser uma abelha que trata seus leitores como baratas.

Anônimo disse...

Duas palavras: aparelhamento e partidização! Palavras que a RBS e seus comentaristas e os Busatos e sua quadrilha usaram e abusaram durante o Governo Olívio/PT. AGora pelas próprias palavras de Busato ficados sabendo o real significado e a aplicabilidade de tais palavras.
Quanto a notícia dos 18 milhões que sumiram do Banrisul e que os porta-vozes dos "beneficiados" estão querendo transformar em uma "notícia prescrita" há muitos ítens a esclarecer, como: Quem se apropriou? onde e como foi aplicado os 18 milhões? Quem foram os eleitos com tal dinheiro?
Se os políticos do PMDB foram eleitos com tal dinheiro público, o mínimo que devem fazer é renúnciar seus mandatos, devolver o dinheiro e pedir desculpas à população. Assim se economizaria em CPIs em investigações sempre muito bem fundamentatas pelo TCE e MP. Assim, o ex-governador Simon ainda consegue preservar um mínimo de sua reputação, hoje tão abalada.
Cândida

Giovani Montanher Madruga disse...

concordo com o edu, a universidade não está formando cidadãos críticos.

uma questão me perturbou, por que a resposta dela aconteceu apenas no seu blog e não em sua coluna no jornal? por que a "notícia é velha" ou para esconde-la?

Prestes disse...

É engraçada a pós-modernidade. A esquerda de alguns países "desenvolvidos", por exemplo, é a favor de subsídios agrícolas. Agora este imbróglio coloca bancários do lado do patrão (Yeda), e esquerda do lado de privatistas. É engraçado, mas com finalidades divergentes se utilizam de discurso parecido. Feijó que privatizar o Banrisul, isso é claro. Movimentos e partidos de esquerda querem derrubar o Governo. Para isso, ambos pretendem ir a fundo nas investigações no Banrisul. Por outro lado, os bancários, independentemente de serem ou não a favor do Governo, temem por seus privilégios. Assim, corroboram com o discurso de políticos que querem se safar de graves esquemas de corrupção que cometeram.

fernando disse...

Triste mesmo o papel do sindbacários neste ponto. E em plena eleição...

Olhem a única notícia vinculada pelo sitio do sindicato sobre a noticia em questão:

PS: Vale notar a fonte. E laio, é verdade sim....infelizmente...estão livrando descaradamente o Lemos, que terceiriza, capitaliza, e todos os izas negativos possíveis. Isso não é privatização para eles. Triste, confundem unidade de ação com frente única, não exigem e muito menos denunciam, distorcem fatos e objetivos... Se discute fraude e apropriação privada (e bem privada) do público, e falam de conspiração privatista. Quando a questão estiver definida entre privatização x manutenção que façam unidade com todos, mas agora???? Cadê a disputa????? É a generalização do específico. Só vão confundir o povo e diluir posições distintas (será?). Qdo a bomba estourar que segurem!
Só falta citarem os erros da esquerda que levaram a ascenção nazismo para justificar! Não falta muito! QQ é isso!!!! São a tropa de choque para evitar uma CPI, um frentão com a banda do Simão (on)!!

PS²: Vale também lembrar, se é que tem alguma relevância, já não sei mais, não sei se sou conspiratório demais, que o Banrisul botou 250 mil no cine Bancários (projeto do sindicato), amparado na lei rouanet.

Agora vai:

Banrisul divulga Nota de Esclarecimento e nega "sumiço" de R$ 18 milhões
Fonte: Imprensa/SindBancários com informações Jornal do Comércio

O Banrisul publica nesta quarta-feira, dia 18, anúncio pago nos jornais de grande circulação do País para esclarecer que não houve o "sumiço" de R$ 18 milhões nos pagamentos feitos à Fundação de Apoio da Ufrgs (Faurgs) em 2006. A divulgação tenta esclarecer notícias veiculadas nesta semana nos jornais do centro do país sobre os contratos com a Faurgs.

Na nota, o banco afirma que "não há apontamento sobre "sumiço" de recursos, no montante de R$ 18 milhões, como sugere reportagem da Folha de São Paulo."

Para o banco, os fatos são um mal entendido repetido pela imprensa desde o dia 20 de maio, quando o vice-governador Paulo Feijó (DEM) disse que as denúncias que javia feito ao Tribunal de Contas do Estado resultaram no apontamento de irregularidades como a contratação sem licitação e o suposto pagamento indevido.

O relatório preliminar de inspeção extraordinária feito pelo TCE conclui que a Faurgs informou em seus demonstrativos contábeis ter auferido receita de R$ 6,2 milhões em 2006, quando somente com o Banrisul faturou R$ 24,2 milhões, e considerou que os lançamentos infringem resoluções do Conselho Federal de Contabilidade.

Segundo o presidente do banco, Fernando Lemos, as explicações já foram dadas pela Faurgs. Logo depois da divulgação do relatório, o presidente da Fundação, Nilton Paim, disse que os R$ 6 milhões foram interpretados como receita total dos serviços prestados ao banco quando, na realidade, correspondiam ao resultado financeiro de todas as operações, incluindo aquelas decorrentes de centenas de outros convênios, do exercício de 2006, Isso já foi informado ao TCE.

O SindBancários já se reuniu com o presidente do Banrisul e com a Faurgs, buscando esclarecimentos. Também foi recebido pelo Ministério Público, que, além de ter proposto o Termo de Ajustamento de Conduta (TAC), ainda está investigando os contratos e apresentará suas conclusões ao final dos trabalhos.

O Sindicato aguarda o posicionamento do MP e ressalta que, caso sejam apontadas irregularidades, os culpados devem ser punidos. Por isso, não existem motivos para uma nova CPI na Assembléia Legislativa, como pretende Feijó.

Nota de Esclarecimento

Em relação à matéria veiculada na Folha de São Paulo, do dia 17 de junho, que aborda contratos firmados pelo Banrisul com a Fundação de Apoio à Universidade do Rio Grande do Sul (Faurgs), o Banco, em respeito aos seus milhares de clientes e acionistas, entende necessário esclarecer o que segue:

.: A contratação da Faurgs pelo Banrisul para o desenvolvimento de tecnologia e gestão bancária, consultoria técnica, suporte técnico, pesquisa, treinamento, análise, programação e testes de software básico, produtos e aplicativos bancários, teve início no ano de 2000.

.: Os contratos foram firmados em conformidade com o disposto na Lei de Licitações, n° 8.666/93, e a Faurgs prestou serviços sob o amparo de convênio celebrado entre a Fundação e a Universidade Federal do Rio Grande do Sul, nos termos da Lei n° 8.958/94.

.: O relatório do Tribunal de Contas do Estado do Rio Grande do Sul, como o próprio órgão afirma, através de ofício n° 704/2008 de 28 de maio de 2008, é preliminar e está em fase de análise de todos os esclarecimentos prestados pelo Banrisul.

.: Conforme documentos constantes no processo, todos os pagamentos efetuados pelo Banco à Faurgs foram creditados em conta corrente da Fundação e por esta contabilizados na conta "recursos de convênios e contratos".

.: Não há, portanto, apontamento sobre "sumiço" de recursos, no montante de R$ 18 milhões, como sugere reportagem da Folha de São Paulo.

.: Cabe salientar, que não há qualquer apontamento sobre serviços não prestados. Todos os serviços contratados no exercício de 2006, no valor de R$ 24,2 milhões, foram entregues e estão em operação.

.: Este tema foi objeto de manifestação do Conselho de Administração do Banrisul, em reunião realizada ainda no dia 2 de junho de 2008. Na oportunidade, o órgão examinou os questionamentos públicos apresentados pelo Sr. Vice­Governador e, com todo o critério técnico, concluiu pela regularidade dos registros contábeis do Banrisul em relação às transações efetuadas com a Faurgs no ano de 2006, bem como confirmou a totalidade dos pagamentos realizados no mesmo exercício. Julgou também serem infundadas as afirmativas de que parte dos recursos pagos não tenha ingressado nas contas correntes da Faurgs.

O Banrisul, reiterando os termos do Comunicado ao Mercado, enviado a Comissão de Valores Mobiliários, em 02.06.2008, manifesta sua inconformidade com a exposição pública, sem julgamento ou manifestação conclusiva dos órgãos fiscalizadores competentes.

Porto Alegre, 18 de junho de 2008.

Banco do Estado do Rio Grande do Sul S.A

Denise disse...

Afinal, que corrente está 'a frente do sindicato dos bancários? A história começa no segundo turno, qdo pantalhuda precisa de Simon e PMDB prá garantir a vitória. Estes condicionam apoio a não mexer no Banrisul. Feijó é posto de lado e liga o ventilador. Aparece a PF e desbarata outra quadrilha, que também não tem demos. Vai Busatto e oferece um modus vivendi ao Feijó prá que desligue o ventilador. PRBS sonega notícias a respeito do TC e Banrisul. E o sindicato não quer CPI (que convenhamos, se o Feijó insiste tanto é de desconfiar mesmo, mas que precisa, precisa!!!).

fernando disse...

A DS.

Denise disse...

Obrigada, Fernando. Então, entendo menos ainda!!! Mas que parece coisa do Joaquinzão, parece...

Anônimo disse...

Nesta o Canalha do Maia não se Manifesta. Nem ele nem o Simon, nem a Yeda.

Contato com o blog Diário Gauche:

cfeil@ymail.com

Arquivo do Diário Gauche

Perfil do blogueiro:

Porto Alegre, RS, Brazil
Sociólogo