Você está entrando no Diário Gauche, um blog com as janelas abertas para o mar de incertezas do século 21.

Surf no lixo contemporâneo: a que ponto chegamos! E que mundo deixaremos de herança para Keith Richards?

quarta-feira, 25 de junho de 2008


Senadores investigam repressão policial no RS

Sindicalistas, movimentos sociais, estudantes e a população em geral denunciaram ontem a repressão da Brigada Militar em protestos e mobilizações no Estado do Rio Grande do Sul. Durante a audiência pública (foto) promovida pela Comissão de Direitos Humanos do Senado em Porto Alegre, as entidades lembraram o assassinato do sindicalista Jair Antonio da Costa em 2005, durante protesto contra as demissões do setor coureiro-calçadista do Vale dos Sinos. O crime de morte do operário, que foi asfixiado por policiais durante o protesto, não foi julgado até hoje.

Também foram destacadas as repressões violentas contra comerciários em Farroupilha, metalúrgicos em Panambi e Caxias do Sul, estudantes e professores em Porto Alegre e nos protestos em geral da Via Campesina. Integraram a diligência os senadores Paulo Paim, do PT/RS, José Nery, do PSOL do Pará e Flávio Arns, do PT do Paraná. As denúncias foram levadas para apuração em Brasília. A informação é da Agência Chasque.


26 comentários:

Carlos Eduardo da Maia disse...

Enquanto o Simon estava em Brasilia tentando liberar o empréstimo do RS com o Bird, o Senador Paim faz esse imenso papelão e recebeu o troco no fim da tarde, quando foi obrigado a ver o que ele já sabia, um vídeo da Brigada mostrando que o MST quando invade empresas e fazendas destroi, saqueia, destroi e furta. Finalmente, o RS tem hoje o que qualquer país socialmente justo tem: um poder de polícia. Perguntem aos europeus como é que funciona a polícia lá!!!

panoramix disse...

Espero que este "poder de polícia" te esfregue o lombo um dia pra tu sentir o que é violência policial. Es filho mimado, classe média no mínimo remediada, nunca passou fome, fins de semana em Gramado e não sabes nada do que é possivel fazer com um porrete e uma arma na mão dados à polícia pelo "povão" para defende-lo, mas que é usada principalmente para blindar a burguesia dominante - aquela que rouba 44 milhões e sai impune - conhece?! Saudades do DOPS?

Anônimo disse...

Vejamos: a Brigada mostra um vídeo incriminando o MST. Vou ser advogado do diabo: digamos que o vídeo é verídico (não o assisti), que não houve montagens ou alguma edição descontextualizadora.
Conclusão do Maia? o MST é criminoso, não presta para nada, nunca foi verdadeiro. E tem de apanhar da polícia.
O "poder de polícia" a que te referes, Maia, tem ideologia política junto, e é um movimento político também. É só o MST que não pode ser político?

A polícia dos países europeus já teria prendido muita gente que está por aí dando entrevistas na TVCom, Maia, e que tu julgas de pensamento "moderno". Mas se é com a "tigrada" do MST, dá-lhe pau.

Carlos Eduardo da Maia disse...

Concordo com o anônimo das 11:18, o poder de polícia nos países europeus também prende e coloca na cadeia os criminosos do colarinho branco e assim tem que ser. Um dos grandes problemas do Brasil é a impunidade, a máfia da picaretagem do Detran achava que não iria ser descoberta e foi, graças a grande PF.O pessoal do MST - esse movimento que não tem registro - invade, saqueia e pratica danos porque não existe punição, mas agora parece que tem e isso é positivo.

Anônimo disse...

Não sei ainda pq ficar falando com esse Maia. É só desprezar e pronto, o cara pára de encher o saco. Pessoas como ele, que não conhece a realidade brasileira, que nunca pisaram em uma vila ou em um acampamento ou assentamento do MST ficam falando essas besteiras. Para ter credibilidade, PRINCIPALMENTE nas críticas, é preciso CONHECER. Se não, melhor ficar quieto.

Com certeza, a única realidade que ele conhece é dos países europeus. Tão justos, que chegam à paranóia e ficam matando as pessoas suspeitas de terrorismo, como o Jean Charles. Ah, mas Jean Charles é uma exceção!

E é de transformar a maioria em exceção que os riquinhos se sustentam. Chupando $$ do dinheiro (afinal, acampamento do MST receber $$ do Incra é crime, a CNA - que desviou dinheiro para a campanha da nossa querida Katia Abreu - e os ruralistas receberem, é DIREITO do cidadão), transformando os pobres em criminosos - afinal, pobre tem que estudar, pois é assim que consegue se inserir no mercado e crescer, não é Maia!

Gente que nunca passou por nada nessa vida, como o Maia, fica falando essas besteiras. O problema é que são esses que governam o país, ficam vegetando às custas do Estado e do próprio povo. Já estão com as suas mentes formadas e querem formar as outras.

É tempo perdido debater com esse pessoal.

Ana Maria

Anônimo disse...

O Maia,

O canalha com vasta trajetória no campo da meia verdade e da mentira, evidentemente que sai em defesa do Ministério Político, ops, Público. São todos fascistas assumidos.

É reconhecido e divulgado pelo vice-governador que o Simon é especialista em empréstimos, no
Banrisul então....

O Paim fez um papelão porque sempre o debate público incita esclarecimentos, ao contrário da truculência, natural dos facistas como o Maia e o Comando da BM e dos orgãos de segurança no RS. E aí eles não gostam.

Eu fico curioso é que este Ministério Público e a Brigada Militar não tem nem uma questão para os assaltantes do Detran, do Daer, do Banrisul. E dizem que defendem a lei.

Mentira! Usam a os buracos na lei, e na falta vergonha de uma imprensa, que pelo menos mereça ser assim chmada, para na verdade acobertar os crimes das papeleiras, e dos Lair e Culau, e Busatto, enfim os empoderados do estado.

O MST é na verdade, ou na mentira, uma tentativa de justificar as posições dos donos do poder.

Depois da Pantalha, o novo jeito de governar inclui o Ministério Privado.


Claudio Dode

Anônimo disse...

E o Maia,

Para com este teu papo de !"pais socialmente justo" quando tu só defende é esta esculhama que desgoverna o RS.

Não vai existir nunca um pais socialmente justo sob a égide do fascismo que praticam.

Claudio Dode

Carlos Eduardo da Maia disse...

Eu gosto da Ana Maria, porque ela é professoral. E uma professora empírica e que chuta muito, porque ela não conhece a realidade dos outros. E julga todos a partir de seu restrito ponto de vista e tenta a fórceps reduzir o debate ao ponto de vista da luta ideológica. O que importa é a luta dos pobres contra os ricos. É aquela velha história, o Brasil é uma catástrofe porque foi governado pela mesma elite há 500 anos, mas agora com o Lula e o PT.... E quem tem a ousadia de questionar esse engessado ponto de vista é visto como fascista, direitista, neoliberal e fã de carteirinha do Bush. Os argumentos (medíocres) são sempre os mesmos e o reducionismo também.

Anônimo disse...

E tu não é empírico, seu babaca?!
E medíocre é essa tua visão zarolha.
Quem mais esculacha por aqui é tu, apontando o dedo pra tudo que é argumentação e classificando, carimbando, desfazendo com meias verdades, como disse muito bem o Dode. Mas te cago a pau se um dia cruzares na minha frente e vier com esse conto do vigário pra cima de mim. Tu acha que enganana alguém?! Tu não tá nem um pouco afim de discutir e crescer neste espaço, quer mesmo é PATRULHAR... Sim! Quem patrulha por aqui é tu mesmo.
Cai fora, tchê. Porque o que tu acha que vai acontecer se tu ficar cutucando, cutucando, tentando enganar as pessoas desse jeito?
É óbvio, não? Se tentam te passar a perna tu não reage?
Porra, mas que merda mesmo...

Carlos Eduardo da Maia disse...

Eu não acredito num Brasil moderno sem a participação efetiva da nossa esquerda. A esquerda, seu pensamento e suas ações são fundamentais para se construir um Brasil melhor e mais justo. Mas certa esquerda não quer saber de construir um Brasil melhor com certos setores da sociedade e esse é um grande equívoco. E é exatamente esse equívoco, esse preconceito, esse ranço de parte da nossa esquerda que eu critico e vou continuar criticando. Não estou aqui para causar cizânias, estou aqui para tentar construir um país melhor para a maioria da população brasileira. E este país melhor e possível se constroi com convergência e nunca com divergência. Existem linguagens de desenvolvimento que deram certo em alguns países. A Espanha era um país divido, entre fascistas e republicanos, um país de uma acirrada luta ideológica, ao mesmo tempo, era um país pobre, injusto. E o que é a Espanha hoje? Um país muito mais rico, mais justo e que a imensa maioria da população goza de razoável de vida. E isso foi construído nos últimos anos com governos de consenso, tanto por parte da esquerda, do PSOE, como por partidos de direita. A agenda de inclusão social é praticamente a mesma e essa discussão não é ideológica, porque interessa a todos. Entender, como se entende aqui, que não existe interesse de certa elite na inclusão social é uma grande asneira. A elite brasileira anda trancada em casa, nos shoppings, com medo de sair nas ruas e isso não é qualidade de vida. O Brasil tem é que executar essa agenda comum a todos, de acordo com certas linguagens que foram praticadas em países que socialmente se desenvolveram. Mas a nossa esquerda não quer saber nada disso, ela ainda pensa que o Brasil melhor e possível só vai conquistar seu espaço com a luta social, alimentando antagonismos, fazendo dialéticas sem sínteses. Eu discordo e minha discordância não é um pensamento isolado e absurdo. Na verdade, quem acredita na convergência, na dialética com síntese, no consenso é a imensa maioria das pessoas e dos intelectuais e essa é a grande luta de todos que querem ver o Brasil como um país justo e que consiga enfrentar de frente e com determinação o grave problema da exclusão social. É essa a minha luta.

Anônimo disse...

Ô Maia,
Tu é Fascista não é por ser contra o Lula, e nem por culpa dele.

Tu és facista quando apoias a violência do Truculento Cel Mendes.

Tu és quando atacas, com meias verdades e mentiras os movimentos sociais e populares.

A culpa não está na tua oposição ao Lula, a tua oposição é ao povo organizado e conscinete dos seus direitos.

Claudio Dode

panoramix disse...

Calma anônimo! Maia é um relutante membro da Tradição, Família e Propriedade. Temente a Deus, cumpridor de suas comunhões dominicais com o Senhor, com direito a hóstia, defensor da livre iniciativa e econômia de mercado e perfeitamente globalizado. É um homem de paz, tanto que comemora nosso "poder de polícia", uma luz no fim do Tunel, pois afinal tem alguém pra bater por ele! Não tolera ver sangue pois desmaia!

Anônimo disse...

Panoramix,

Se o canalha do Maia fosse da TFP seria até "um avanço" por que ele é um fascista irreversível.

E o pior as vezes tenta enganar falando em esquerda criticando a esquerda como "certa esquerda". Noutra é que não existe mais esquerda direita e discussão ideológica. É o fascismo camaleônico.

E a argumentação é a meia verdade, a mentira, a maledicência que só servem para revelar o seu mau caráter que é.

Claudio Dode

Anônimo disse...

E para não esquecer:

Enquanto o Simon estava em Brasilia tentando liberar o empréstimo...

Pelo menos foi um descanso para o Banrisul....

Claudio Dode

Carlos Eduardo da Maia disse...

ó druida, desculpe, mas ainda cultivo na minha singela mente certos valores esquerdistas, um deles é que não acredito em deus e nem no deus mercado, não acredito no liberalismo e nem no neoliberalismo. Eu acredito num Estado eficiente e controlador e no serviço público de razoável qualidade, sobretudo para a população de baixa renda. E detesto qualquer tipo de preconceito e intolerância, sobretudo a fascista. O fato de eu criticar as equivocadas e intolerantes táticas do MST não me torna fascista e o poder de polícia é um poder necessário em qualquer país democrático. É possível as pessoas discutirem além dos ranços ideológicos?

Anônimo disse...

"É possível as pessoas discutirem além dos ranços ideológicos?"

Tu provas todos os dias que não.

Anônimo disse...

já disse a única solução para esse maia é o paredão.... já que ele não vale a bala de um fuzil, por favor ignorem esse canalha idiota

Anônimo disse...

O Canalha do Maia é completamente destrambelhado, não é neoliberal mas prega permanentemente a destruição do estado; não tem problema que ele não ache que o mercado possa resolver, e quando resolver que vai dar certo.

Agora mesmo defende os de baixa renda, mas desde que não incomode os alta renda. Se o caso fo de estarem organizados poder de polícia (que para eles significa "baixar a porrada).

Canalha e cínico.

E não é só por agredires com tuas meias verdades, mentiras e maledicências que és um fascistas. Para as hostes fascistas tem muitos mais atributos do que o MST, que na verdade é só uma atividade para esconder os crimes das papeleiras, e da alta direção do desgoverno da Pantalha

Claudio Dode

panoramix disse...

Maia tu tens um discurso extremamente prolixo. Teus comentários dizem coisas completamente diferentes cada vez que teclas, o que claramente mostra uma intenção de confundir. Pode ser também um problema de dupla personalidade, quem sabe? É isto que as pessoas reclamam. Qual é a tua? Qual é o teu? Tenta ir no meio da torcida do grêmio com a camiseta do Inter falar mal do chiqueirão, ou melhor, do Olímpico, vão te arrancar a pele! Aqui já tão pregando "paredon" e o pessoal não brinca em serviço!

Carlos Eduardo da Maia disse...

Seja mais específico, ó druida, seja mais específico. Quer dizer, então, pelo que entendi, que o fato de eu criticar o MST me torna automaticamente em neoliberal e ser contra o Estado ou ser a favor do Bush? Eu tenho, necessariamente, que estar de um lado ou de outro? É exatamente esse pensamento caduco do maniqueismo ideológico, essa análise supérflua dos fatos e acontecimentos que certa esquerda tem que começar a deixar de lado. Enquanto isso, vou dar umas corridas por ai.

panoramix disse...

Im sick and tired of hearing things
From uptight, short-sighted, narrow-minded hypocritics
All I want is the truth
Just gimme some truth
Ive had enough of reading things
By neurotic, psychotic, pig-headed politicians
All I want is the truth
Just gimme some truth
(parte de gimme some truth de John Lennon, desculpem mas qualquer tradução perde o conteúdo)!
A sintese é "Estou cansado e enojado!" Realmente é insuportável!

Anônimo disse...

Ô Maia,

Não é por tu seres contra o MST que és a nojeira que apresenta; mas sim, por ser esta nojeira que tu és é que agrides o MST.

Tu és liberal porque defendes o estado minimo. E negas porque és canalha.

Se tu és a favor do Bush o do Obama é um problema teu; mas esta tua posição contra ou pró Bush, ou pró ou contra Obama que é fruto do colonialismo que emprenha esta cabeça oca, é que preocupa.

Que ninguém participe das discussões que propões, não é meu problema, o problema é vires despechar teus recalques e frustações aqui que se propõe um espaço progressista.

Mas devias de Preocupar não é com o MST que tem mais credibilidade que tu o PIG inteiro juntamente com o delinquencial governo tucano.

Claudio Dode

Carlos Eduardo da Maia disse...

Pois é, Druid, lá vai um "Mind Games" do grande Lennon:

We're playing those mind games together
Pushing the barriers planting seeds
Playing the mind guerrilla
Chanting the Mantra peace on earth
We all been playing those mind games forever
Some kinda druid dudes lifting the veil
Doing the mind guerrilla
Some call it magic the search for the grail

panoramix disse...

Realmente Maia, "Mind Games" é linda - letra e música, Lennon era meu Beatle preferido, pra mim um gênio. porém cometeu um erro básico: acreditou no sistema (especificamente no norte-americano) e pagou com a vida levando quatro balaços nas costas, pra mim trabalho da CIA ou NSA. Esta é mais uma daquelas músicas sonhadoras, utópicas e lindas do Dr. Winston O'Boogie. Neste momento estou ouvindo "Across The Universe", talvez a mais linda que ele fez na época dos Beatles. Vale a pena conferir. Hoje cansei de política! A gente berra, berra e só se estressa. Vamos ver amanha. Boa Noite!

Carlos Eduardo da Maia disse...

Druida, a vida já é dura. Temos que penar e ralar o dia a dia para dar leite aos nossos dependentes. O importante é acreditar que o Brasil vai se transformar um dia num pais melhor e possível e vamos lutar para que isso ocorra. Mas uma luta boa e não uma luta burra. Paciência, porque a convergência e a sintonia são aspectos mais intrínsecos da natureza humana do que a divergência e o antagonismo. Lennon acreditava nos pactos. Ele era da paz. E este é o caminho a seguir....

Anônimo disse...

Maia,

Tu defende é a paz dos ricos mesmo tirando o couro dos pobres.

O caminho que temos de seguir não tem nada a ver com Fogaças, Busattos, Lairs, Culaus, Yedas, Mendes e Yeda, que defendes e te representam.

Convergência de voces é a da Yeda com o Feijó. Que o diabo os carregue, e não esqueçam de ti.

Claudio Dode

Contato com o blog Diário Gauche:

cfeil@ymail.com

Arquivo do Diário Gauche

Perfil do blogueiro:

Porto Alegre, RS, Brazil
Sociólogo