Você está entrando no Diário Gauche, um blog com as janelas abertas para o mar de incertezas do século 21.

Surf no lixo contemporâneo: a que ponto chegamos! E que mundo deixaremos de herança para Keith Richards?

segunda-feira, 31 de março de 2008


Yeda admite que faz turismo com recursos públicos

Demonstrando que não guarda nenhum pundonor em consumir recursos públicos de um Estado quebrado para fazer turismo, a governadora Yeda Crusius (PSDB), vai se reunir hoje por trinta minutos com técnicos do Banco Mundial a fim de acertar os últimos detalhes do empréstimo que o seu governo irá tomar junto àquela instituição.

O seu grande aliado e mentor político (junto com o senador Pedro Simon), o jornal Zero Hora, admite que a governadora, que está em viagem internacional de lazer desde o dia 19 de março e só retornará dia 3 de abril, somente hoje terá agenda não-acessória, assim:

Embora tenha saído do Brasil antes da Páscoa, este 31 de março entrará para o calendário do governo estadual como o dia da primeira viagem internacional da governadora Yeda Crusius.

Os compromissos anteriores, no Canadá e em Nova York, foram acessórios: os encontros que justificam a viagem ocorrem hoje na sede do Banco Mundial, em Washington, onde Yeda tratará do empréstimo de US$ 1 bilhão que sua gestão vem negociando desde abril de 2007.

O lazer com recurso público de dona Yeda custará muito caro ao Estado, para além da lesão econômica ao Tesouro – de forma absolutamente injustificada. A governadora está cometendo atitudes de mau exemplo e de prevaricação com o dinheiro público. O mesmo mau exemplo e prevaricação dos funcionários públicos envolvidos no roubo de 44 milhões de reais do Detran/RS.

Como se não bastasse, a viagem da governadora tucana ainda tem lances que demonstram o seu completo descompromisso com os valores republicanos que um governante deve ter. Foi ao seu encontro em Nova York, a jornalista Rosane de Oliveira, considerada pelos seus pares de ZH, como a abelha-rainha da crônica política guasca. Mas como não há agenda política a cobrir, a repórter e abelha, cobre as futilidades mundanas da governadora, informando que ela foi às compras, que ela visitou um certo lugar mas – apesar de ter morado nos Estados Unidos – não dominar perfeitamente o inglês, a ponto de precisar de intérprete, que ela deu palestra a uma associação de anciãos aposentados, e de terem assistido juntas a fantasia musical da Broadway, Mary Poppins, uma história idiota de uma babá mágica e meio apalhaçada que cuida dos filhos de um próspero banqueiro inglês, no início do século 20.

A propósito, será que a dona Yedinha entendeu a “mensagem” (mensagem é bom!) do “hermético” Mary Poppins? Deve estar até agora pensando no significado de “supercalifragilisticexpialidocious” – uma das tantas canções imbecis do musical.


15 comentários:

Anônimo disse...

Ela está fazendo o que sempre fez como deputada, viagens de turismo, o povo mais politizado do país votou nela sabendo dos maus hábitos que pratica.
um abraço
Carmelita

Anônimo disse...

ela é uma despundonorosa

maciel

Anônimo disse...

Imaginem o carnaval se fosse o Bigode!!!

Anônimo disse...

Kadu

Por falar em Rainha-abelha da ZH, saiu publicado no sábado, dia 23/03/08 na página 53, o balanço da RBS Participações, com prejuizo acumulado de 675 milhões de reais. Ou seja a RBS não tem nem patrimônio suficiente para pagar está dívida.

Anônimo disse...

Caro Cristóvão,
Para de implicar com a 'tia' Yeda, deixa a mulher viajar. Pois bastou ela sair, que apareceu o dinheiro para pagar o funcionalismo em dia. Por mim ela pode ficar lá até o fim do mandato. Além do mais como ela pode aparecer a qualquer momento, o Feijó não se atreve a privatizar as estatais que restaram.
Como disse um amigo meu, pode ser que a CPI até chegue a um final convincente. De quebra não teremos que aturar o novo penteado dela.
Visto por este ângulo, para o estado do RS pode ser até benéfico.

Abraços,
José Luís.

Anônimo disse...

Audiência de 30 minutos com técnicos do Banco Mundial?

O prestígio dessa senhora está tão baixo assim lá em NY?

Trinta minutos é só a tradução dos cumprimentos de praxe, não dá nem para entrar no assunto propriamente.

Otelo

el barto disse...

tomara ki nem volte essa imundície, que fique por lá ela e a abelha-rainha exercitando suas futilidades...

Anônimo disse...

Tchê, a mulher morou nos States, estudou por lá, e não sabe se expressar em inglês, precisa de um intérprete.
Mas me digam do que mesmo essa criatura entende? Como o eleitorado mais sabido do Brasil foi escolher isso?

malacara

Anônimo disse...

Coitado é dos velhinhos aposentados que tiveram que ouvir a palestra da véia.

ju

el barto disse...

é o mesmo eleitorado "ilustrado" (rsrsrs) que vota na múmia senil vitalícia, no zambica, nos zés germanos, bernardis, onixes, ronchettis et caterva da valorosa pátria guasca,tudo gente boa, todos "homens de bem".

Anônimo disse...

Quando a gente pensa que já viu tudo dessa senhora, ela vem com mais novidades incríveis.
Seria cômico se não fosse trágico.

laís custódio

Anônimo disse...

Que injustiça que estás cometendo com a Yedinha! É fundamental para o Estado que a sua Rainha desfrute das delícias do "mundo desenvolvido". E garanto que o Estado nem está pagando as comprinhas dela, e muito menos o ingresso para Mary Poppins. Isto tudo deve estar sendo pago pelo seu grande amigo Lair Ferst!

Carlos Eduardo da Maia disse...

Criticam o "PIG" porque faz oposição "golpista" contra o governo do PT, mas quando a mídia e blogs alternativos fazem oposição a determinado governo as críticas são tão ou mais golpistas. A Yeda foi eleita e com folga pelo voto da maioria dos gaúchos e, incontestavelmente, é o governo que mais fez para racionalizar o déficit público e solucionar esse crônico problema que contraria interesses do status quo. Mas a patrulha ideológica, que não tem interesse na mudança do status quo, está sempre atenta e a marcação é que nem a do Dinho, para lá de cerrada, e a Yedinha não pode descansar e assistir a um musical da Broadway. Alega-se apenas por alegar e se pegar pegou.

Anônimo disse...

E se o Bigode fosse assistir um musical na Broadway o que aconteceria?

Anônimo disse...

e se o Bigode fosse permanecer por 17 dias no Exterior às custas do erário e sem agenda nenhuma a não ser ir à xópim e assistir musical-meleca?

Quero-Quero Lanudo

Contato com o blog Diário Gauche:

cfeil@ymail.com

Arquivo do Diário Gauche

Perfil do blogueiro:

Porto Alegre, RS, Brazil
Sociólogo