Você está entrando no Diário Gauche, um blog com as janelas abertas para o mar de incertezas do século 21.

Surf no lixo contemporâneo: a que ponto chegamos! E que mundo deixaremos de herança para Keith Richards?

sexta-feira, 7 de março de 2008


O despreparo de Yeda constrange seus aliados

Ontem em entrevista a uma rádio da RBS, a governadora Yeda Crusius (PSDB) deu mais provas de sua inabilidade e despreparo para a alta função que exerce no Estado. Cometeu um erro primário em política: acusar o golpe do adversário. Vocalizou seu temor com relação à CPI do Detran, apontando ingenuamente o caráter político da comissão parlamentar.

Que outro caráter teria, Pedro Bó? Em um legislativo, tudo é político, e a governadora não pode alegar que por ter sido eleita estará isenta de investigações parlamentares e quejandos – como fez ontem em tom lamurioso no prédio da sede da RBS.

Hoje, a jornalista Rosane de Oliveira - que costuma dar a linha política da conjuntura ao Piratini – passa uma descompostura aberta na governadora. Seu texto é como uma sacudida de ombros em Yeda, chegando a acusar-lhe de ter colocado gasolina de aviação na CPI do Detran, e no fim, passa um recado tão realista quanto duro: “Ouvir quem foi preso e acusado de se beneficiar do Detranduto é o mínimo que se pode exigir da CPI” – completa a principal jornalista política do grupo RBS.

Mas, afinal, o que tanto teme a governadora? Yeda Crusius (foto) receia que a CPI consiga chegar até às suas despesas da campanha eleitoral. A campanha tucana de 2006, teve dois fortes protagonistas sombrios: o faz-tudo Lair Ferst, dirigente tucano e fiel escudeiro da então candidata Yeda, e o ex-tesoureiro da mesma, líder do PP, o indizível Antonio Dorneu Maciel – ambos presos pela Polícia Federal, suspeitos por estarem de alguma forma envolvidos no desvio de 44 milhões do Detran/RS.

Como se vê, se os nervos já estavam à flor da pele da governadora Yeda, agora, desastradamente, eles começam a falar. Rosane de Oliveira, menos que uma crítica ao Piratini (como poderão interpretar os ingênuos), está mesmo é mandando a governadora calar o bico, por que – como diz logo abaixo na mesma coluna – “não é de hoje que circula no Palácio Piratini uma teoria conspiratória segundo a qual o objetivo da Operação Rodin seria o impeachment da governadora”.

Rosane está simplesmente dizendo: - Cala a boca, Magda!

8 comentários:

el barto disse...

a destrambelhada pantalhuda tá apavorada, aí tem...
parabéns ao povo da valorosa patria guasca por ter eleito essa despreparada!!!

Anônimo disse...

Parece o capeta chupando manga...

armando

Anônimo disse...

Essa velha já fez mais estragos no RS que todos os outros filhotes de Simon, o babão, que já passaram pelo Palácio Piratini. Ela é insuperável, bate o próprio padrinho dela, Simon, bate o Britto, o Rigotto e o Collares, que é um trapalhão simpático.

Mário Casado

Anônimo disse...

Bela leitura dos fatos. Parabéns ao blogueiro.

Vinicius

Anônimo disse...

excelente análise


álvaro

edu disse...

Relamente òtima analise, mas 40 000 000,00 é motivo nao sò para afastar do Piratini ou da Assembléia, é razao para deixar uns bons anos na CADEIA. Para servir de exemplo, senao daaqui a pouco roubam até as cadeiras e mesas do palacio.

Carlos Eduardo da Maia disse...

É fundamental que a CPI ouça o depoimento de Lair Ferst. Ele deve ter muito a dizer. O interessante é que o PT quando oposição quer investigart e quando é situação e se vê envolvido em corrupção, como o Brasil está testemunhando, acusa a mídia e os investigadores de golpistas. É muita hipocrisia.

Anônimo disse...

Que PT?! Tá louco?
Alguém leu alguma coisa sobre PT no artigo???

Contato com o blog Diário Gauche:

cfeil@ymail.com

Arquivo do Diário Gauche

Perfil do blogueiro:

Porto Alegre, RS, Brazil
Sociólogo