Você está entrando no Diário Gauche, um blog com as janelas abertas para o mar de incertezas do século 21.

Surf no lixo contemporâneo: a que ponto chegamos! E que mundo deixaremos de herança para Keith Richards?

terça-feira, 29 de abril de 2008


A barriga de Zero Hora e o golpismo branco da governadora tucana

A manchete de Zero Hora, hoje, na página 6, comete um erro vulgar. Não é o STF (Supremo Tribunal Federal) que deve avalizar o empréstimo do governo estadual junto ao Bird (Banco Mundial). Quem avaliza, afiança, garante a idoneidade e abona o recurso tomado ao banco é o governo federal através do Ministério da Fazenda, mais precisamente a Secretaria do Tesouro Nacional, que observa os aspectos legais e técnico-financeiros da operação bancária internacional.

Ora, se ano passado o Estado tinha despesas com pessoal superior ao limite máximo admitido pela Lei de Responsabilidade Fiscal – e tinha – é certo que está inabilitado para assumir o compromisso do empréstimo.

Neste caso, o avalista – o governo federal, e não o STF como quer o jornal da RBS –, recua das suas intenções. É o impasse atual.

A governadora tucana Yeda Crusius foi ontem ao presidente do Supremo, seu companheiro de ideal partidário, Gilmar Mendes, como forma de atalho para conseguir o empréstimo de um bilhão de dólares. Atitude inútil, perigosa e desinteligente – como afirmamos aqui ontem, em outro post (abaixo), pelos motivos já comentados.

A reação pelo alto – recorrendo à mais alta corte do Judiciário – para solucionar problemas que não foram tratados a tempo e lugar, está sendo um gesto típico da direita brasileira. Alijada do Executivo, a direita trata de recorrer ao Poder Judiciário para garantir direitos e privilégios que julgam inalienáveis e quase naturalizados.

O gesto da governadora tucana é típico desta solução pelo alto. Ela não consegue compreender que vivemos em um Estado republicano, onde prevalece a repartição funcional dos poderes e que existem prerrogativas e responsabilidades que não podem ser desconstituídas com uma simples liminar preventiva concedida pelo Judiciário. Este, se o fizer, estará golpeando a Constituição.

Vou repetir o que foi dito aqui, ontem: “dona Yeda vai estabacar-se novamente” – por pura incapacidade de ler os códigos da política republicana.

Mas antes disso, estabacou-se o jornal Zero Hora, com a barriga de hoje. E não é barriga de chope.


24 comentários:

Milton Ribeiro disse...

Cristóvão. Só agora dei-me conta de que não indiquei de onde tinha copiado a gravura de meu post. Mesmo que não tenhas reclamado, peço-te desculpas, claro. A correção já está feita.

E vamo que vamo.

Grande abraço.

Cristóvão Feil disse...

Milton, eu nem percebi.

Abç.

CF

Anônimo disse...

Belo texto, Feil.

Callado

Will disse...

É por estas - e por outras -, caro Cristóvão, que muito me honra ser seu contemporâneo.

Anônimo disse...

Deixa de ser burro Feil. Vai ler o texto - e não apenas o título - para entender a coisa. O Tesouro já disse que não vai autorizar o empréstimo. O Estado, então, vai recorrer ao Supremo que, neste caso, vai sim ser a instância que decidirá.

Carlos Eduardo da Maia disse...

O título da ZH não está realmente certo. Não é o STF que vai avalizar o empréstimo, mas a União. O STF apenas tem o poder de conceder a liminar para que o empréstimo seja liberado antes da aprovação pela União. E essa é a vontade do governo e de todos os partidos que por unanimidade votaram a favor do empréstimo, inclusive o PT de Raul Pont.

Anônimo disse...

Barriga do Feil tentando corrigir a ZH de novo! É o caso BÓÓÓÓDA VERSÃO 2.0!

Anônimo disse...

ô animal anônimo das 10:32, o feil criticou a manchete que dá a entender que o stf "dará" ou "será" o aval. Ainda que o stf seja dirigido por um direitista da provincia de mato grosso, ainda assim, o stf não é e nem será garantista de empréstimo. Entendeu quadrupede, ou quer que desenhe?

Anônimo disse...

Um empréstimo qualquer que seja, privado ou público, precisa de garantias.
O STF, ou o filhote de FHC, Gilmar Mendes, dará esse aval?

A Zero, que o nome já diz tudo, errou feio. É o que dá pagar pouco. Só acha morto de fome e "anarfa" no mercado.

Eliseu Cerveira

Anônimo disse...

É clara a posição golpista e reacionária do jornal em questão. Não interessa que a manchete esteja correta (afinal o AVAL, em questão, significa apenas que o STF precisa concordar com a decisão, e não um AVAL PECUNIÁRIO; ou seja, português preciso e correto).

Mas nossos adversários são poderosos assim mesmo, até no uso da Inculta e Bela, isso é o que constatamos. E o que vemos é que dia após dia nosso Diário Gauche vem dando um show ao dissecar nosso gaúcho diário.

Bartolomeu

Anônimo disse...

Se é aval pecuniário ou aval concordino, pouco importa.
O fato é que o ZH pecou por não respeitar uma das regras básicas do bom jornalismo: clareza com objetividade, principalmente em manchete. Uma matéria não pode ser ambígua como essa.
É uma regra que se aprende no primeiro semestre do curso de Jornalismo.

joca

Anônimo disse...

"Alijada do Executivo, a direita trata de recorrer ao Poder Judiciário para garantir direitos e privilégios que julgam inalienáveis e quase naturalizados."

Essa gente que busca seus direitos na Justiça, em vez de dar um golpe, é foda.

Anônimo disse...

Não esqueçam que o governo desta senhora entrou com liminar no STF antes do governo federal dizer qualquer coisa.Os doutos assessores/consultores da princesa fazem juz à incapacidade/prepotencia deste governicho.

Anônimo disse...

bóbóóóóoóóóda

Anônimo disse...

Aos 12:01h eu escutei uns cacarejos de galinha. Tem galinheiro aqui por perto?

ju

Anônimo disse...

Tem galinheiro sim. É a genitora e irmãs do anônimo das 12:01.

PensaQueEuNãoSouTrouxa disse...

No meu próximo "papagaio", meu advogado entrará com uma liminar pedindo que "meu" avalista aceite "minhas" condições para pleitear o empréstimo: SPC ,Serasa e uns títulos protestados de pouca monta, nada que assuste. Sabe que a idéia da Yeda até que é boa! No final a assinatura do lado esquerdo será realmente a do juiz!

Anônimo disse...

Não sei por que vocês ainda falam do Boda/Bóda. O Feil até se retratou do erro, não?

Anônimo disse...

Saiu na FSP e Blog do Josias.

Gilmar Mendes livra Serra e Malan de condenações
Presidente do STF anulou ações de ‘improbidade’ no Proer

Num dos processos, ex-ministros haviam sido condenados

Decisão livra acusados de ‘ressarcir’ R$ 300 mi ao Tesouro



Folha
Na terça-feira (22) da semana passada, véspera de ass

Este é "Doutor" Gilmar Mendes.

Com todos os diplomas dele, até que um chopinho com o correligionário Lair vai bem...

Claudio Dode

Prestes disse...

Joca, na verdade é bem difícil aprender alguma coisa, seja lá em que semestre do curso de jornalismo.

Anônimo disse...

Não gosto do Gilmar Ferreira Mendes, mas comparar a formação dele com a do Claudio Omar Dode é covardia!

Anônimo disse...

Covardia continua sendo o anonimato.

Mas se tua entenderes como formação, anonimo covarde, a questão moral e ética, principalmente depois desta noticia, até proponho medires.

De ti anonimo, só a covardia e maledicência fizeram parte da formação.

Claudio Dode

Anônimo disse...

Claudio Omar, o irritadinho.

edu disse...

Hehehehehe, o juiz até pode permitir q o emprestimo seja concedido antes do aval, mas o banco vai liberar "sem" o aval??? Mesmo com uma liminar determinando, se nao administra corretamente o Estado, nao leva emprestimo.

Contato com o blog Diário Gauche:

cfeil@ymail.com

Arquivo do Diário Gauche

Perfil do blogueiro:

Porto Alegre, RS, Brazil
Sociólogo