Você está entrando no Diário Gauche, um blog com as janelas abertas para o mar de incertezas do século 21.

Surf no lixo contemporâneo: a que ponto chegamos! E que mundo deixaremos de herança para Keith Richards?

sábado, 13 de outubro de 2007



UNE dá calote em Sem-Teto

Este blog DG recebeu carta-denúncia (abaixo) do Movimento dos Sem-Teto do Rio. Um núcleo do movimento, que fornece refeições prontas como forma de sobrevivência, é credor da União Nacional dos Estudantes e reclama os pagamentos atrasados. Leia a carta:


Desde o mês de junho deste ano [2007], nós do grupo de alimentação da Ocupação Chiquinha Gonzaga [Rio de Janeiro] estamos tentando receber um valor que nos é devido pela UNE. Acontece que desde que eles ganharam o terreno de sua antiga sede de volta, eles pararam de honrar os compromissos que tinham e ainda têm. Assim que eles ocuparam este terreno, no dia 2 de fevereiro de 2007, fomos nós que servimos as refeições diárias de todos que lá estavam e continuamos a fazê-lo até o dia 19 de abril de 2007, sem faltar um dia sequer e é importante ressaltar que a UNE nunca nos pagou em dia, mas pelo menos vinha pagando. A partir daí vivemos de promessas e enrolações. Todas as vezes que vamos à UNE, na sua futura sede na Praia do Flamengo, não somos recebidos ou somos recebidos do lado de fora do portão e as palavras dos seguranças são sempre as mesmas "hoje não tem ninguém responsável aqui". Já encontramos algumas pessoas que dizem ser da UNE em alguns congressos e manifestações e contamos nosso problema, uns dizem que não sabiam de nada, mas que vão resolver, outros já nos deram até telefones que não existem, enfim eles não estão nem aí pra gente já comeram, já beberam, a gente que se dane. Porém, existe um fato que eles desconhecem, nós somos sem-teto, mas não somos idiotas. E diante deste fato nós não vamos nos calar, já enfrentamos a polícia, o Estado, todo tipo de repressão; não vai ser essa tal de UNE (União Nacional dos Estudantes) que não tem moral nenhuma que vai nos calar e nos oprimir. Trabalhamos muito duro para dar de comer a esses filhinhos de papai e agora EXIGIMOS receber o nosso dinheiro. Sabemos que a UNE teve uma história de luta muito importante no passado do nosso País e por isso ela é respeitada ainda hoje. Porém, essa nova UNE que aí está nada tem a ver com a de outrora, pois nós ainda não tínhamos ouvido falar que a UNE explorava descaradamente trabalhadores honestos como nós. A UNE de hoje só quer saber de parecer boazinha para a mídia e a classe dominante. Por isso pedimos o apoio das instituições sérias para divulgar o máximo possível essa denúncia, pois é nossa única arma contra eles.


UNE, DEIXE DE ENROLAÇÃO E PAGUE LOGO O QUE NOS DEVE !

Comissão de alimentação da Ocupação Chiquinha Gonzaga [Foto acima, que ocupam um edifício de 12 andares no Centro do Rio, prédio abandonado há 20 anos e pertencente ao Incra.]

Andréia (21 - 9398 7174), João (21 - 9585 2864), Sandro, Soraia, Licia.

.....

A presidente da UNE chama-se Lúcia Kluck Stumpf (foto), tem 25 anos, filha de pais médicos, é natural do Rio Grande do Sul e militante do PCdoB, como de resto grande parte da nova diretoria da União Nacional dos Estudantes.

A UNE, outrora combativa, hoje está politicamente anulada e totalmente atrelada ao governo do presidente Lula.


10 comentários:

marcos trindade disse...

Perfil Lúcia Stumpf: gaúcha de 25 anos - presidente da UNE:


No Congresso em que comemora seus 70 anos, a União Nacional dos Estudantes elegeu pela quarta vez na sua história uma mulher para presidir a entidade. A gaúcha Lúcia Stumpf, de 25 anos, gremista fanática, estudante de jornalismo e ciências sociais, estará à frente de uma das mais importantes e tradicionais organizações da sociedade civil brasileira. A partir desse domingo (8), ela passou a figurar entre o seleto grupo dos que chegaram à presidência da UNE, nomes peso-pesado como José Serra, Aldo Arantes, Aldo Rebelo, Lindberg Farias e Orlando Silva Jr.

Sua chapa, eleita com mais de 70% dos votos, obteve amplo apoio das forças políticas que disputam o movimento estudantil, com o compromisso de aprofundar a pressão para que o governo cumpra seus compromissos de campanha. O 50º Congresso da UNE aconteceu em Brasília, entre os dias 4 e 8 de julho, e reuniu cerca de 8 mil pessoas, sendo mais de 4 mil delegados com direito a voto, eleitos em 1.808 universidades de todos os estados do país.

Como tantos outros gaúchos, Lúcia é filha de descendentes germânicos (seu pai é filho de uma índia bugra com um alemão). Ambos são médicos, sendo a mãe professora universitária da UFRGS e ex-militante, hoje sem vínculo com a política.

Lúcia tomou gosto pela coisa ainda praticamente criança, com 11 anos, levada pela mãe nas passeatas do Fora Collor em Porto Alegre. Filiada ao PCdoB, é amiga e ex-colega de faculdade da hoje deputada federal Manuela Dávila/RS. Com visível orgulho, ela se define como uma jovem socialista.

Ex-diretora de comunicação e relações internacionais da entidade, ela acumulou força política e ganhou reconhecimento a partir da sua destacada atuação representando a UNE na Coordenação dos Movimentos Sociais (CMS). O musculoso fórum de entidades populares reúne as principais siglas do movimento social brasileiro, como MST, CUT e um grande número de sindicatos e entidades do movimento negro, de moradia, mulheres, entre outros.

Responsável pela interlocução da UNE com essas organizações, Lúcia se acostumou às densas negociações em que os movimentos buscam estabelecer consensos e plataformas comuns de atuação.

Até aí, nada demais, afinal, tanto os sem-terra como os sindicalistas da CUT querem mudanças na política econômica, são contra a retirada de direito dos trabalhadores, exigem a reforma agrária e a expansão da universidade pública como alavanca do desenvolvimento e da inclusão.

Mas as semelhanças dão um tempo por aí, já que Lúcia escapa completamente do estereótipo do militante. Ela não é "bicho grilo" e seu cantor predileto não é Geraldo Vandré, tampouco Chico Buarque. Além de jovem, bem articulada e bonita, tem atitude e um visual ousado até mesmo para os mais descolados. Com piercing no nariz e diversas tatuagens pelo corpo, Lúcia gosta mesmo é de punk rock (sua banda preferida é Ramones), rock gaúcho e música eletrônica. Daí não fica difícil imaginar a excentricidade da cena desta jovem em acalorados debates com a nata da esquerda militante brasileira.

Convicta, é contra a redução da maioridade penal e a favor da descriminalização das drogas leves. Irá lutar para que a UNE encampe uma grande campanha defendendo o direito da mulher sobre o seu corpo, leia-se, pelo direito ao aborto. Pretende aproveitar o fato de ser uma das pouquíssimas mulheres que chagaram à frente da entidade para colocar o dedo na ferida do machismo presente na política e, particularmente, no movimento estudantil. Não poupará esforços para introduzir no debate temas relativos às mulheres, como políticas públicas de planejamento familiar e assistência as mães-estudantes.

Como principais desafios da nova gestão, Lúcia aponta a necessidade de dar conseqüência à retomada do histórico terreno da Praia do Flamengo, com a construção do prédio projetado pelo arquiteto Oscar Niemayer. Sinaliza, ainda, a radicalização nas pressões por mudanças no país, mobilizando um número cada vez maior de estudantes para a lutas da UNE.

Ela garante que temas como o meio ambiente, a democratização dos meios de comunicação e a liberdade do conhecimento se tornarão cada vez mais efetivos na agenda do movimento estudantil. A partir do uso das novas tecnologias, pretende dar uma dinâmica ao Circuito Universitário de Cultura e Arte, que congrega o trabalho cultural da entidade.

No campo educacional –carro chefe da entidade–, compromete-se a lutar pela aprovação do plano nacional de assistência estudantil e a regulamentação do ensino privado. A primeira grande atividade da sua gestão já está convocada: uma grande jornada de lutas que será realizada em agosto a partir da mobilização iniciada no Congresso da UNE.

À frente da UNE, Lúcia sabe da responsabilidade que tem em mãos e sonha com em fazer a União Nacional dos Estudantes do tamanho do país.

fonte: www.une.org.br

marcos trindade disse...

Talvez meu amigo Cristóvão preferisse que a UNE estivesse nas mãos do PSOL e totalmente atrelada à oposição golpista (tucanos, demonistas, pepsistas, psolistas e outros cansados). Quanto à dívida com os sem teto, sem comentários. Se há dívida, que paguem, sem enrolação. Aliás, Cristóvão, tu sabes qual é o tamanho da dívida do PT Municipal(POA)? E do PT Estadual(RS)? Quantos pequenos prestadores de serviços não estão à espera... Alguns certamente já quebraram pelo caminho.

Cristóvão Feil disse...

Se algum credor do PT for do movimento social, como os sem-teto são credores da UNE, terá espaço para publicar sua denúncia aqui neste cantinho do mundo.

Mas, Marcos, a Stumpf, com essa vasta plataforma, pode ser candidata a sucessão do presidente Lula, que tal?

marcos disse...

tens razão, no passado recente a pauta era bem menor, só queríamos derrubar a ditadura e implantar o GDUP.

Anônimo disse...

Desses 70% qtos foram votos de delegados fraudados??? Essa última eleição teve chapão com PTB, PSDB, DEM et caterva? Era padrão do PC do B para evitar que seus piores inimigos se apropiassem do "aparelho" ( da esquerda do PT - DS; AE - até o PSTU).Agora não precisa né a Articulação deve estar junta botando peso junto... Engraçado que para o pragmatismo PC do bista na UNE era válido se "associar" a estes elementos, mas qualquer crítica ao governo Lula vira questão de honra e mootivo para difamação (aliás o que não é novidade no PC do B).
Agora a Lúcia, burocrata na PUC, e insignificante na UFRGS virou referência de militante...e a esquerda segue firme.

Sil disse...

Essa presidente da UNE é a nova futura Manuela DÁvila.
Quero ouvir os elogios.....!!!!

Souza disse...

elogios à RBS, né Sil

Anônimo disse...

Na verdade sempre foi a burocrata por trás da Manuela. Foi a grande mentora da moça em questã!

marcos trindade disse...

eu bem que gostaria de discutir sobre um tema tão caro a muitos de nós - UNE - mas sem anonimato.

marcos trindade disse...

aliás: "Cada um o que quer aprova, o senhor sabe: pão ou pães, é questão de opiniães" (Guimarães Rosa, Grande Sertão: Veredas)

Contato com o blog Diário Gauche:

cfeil@ymail.com

Arquivo do Diário Gauche

Perfil do blogueiro:

Porto Alegre, RS, Brazil
Sociólogo