Você está entrando no Diário Gauche, um blog com as janelas abertas para o mar de incertezas do século 21.

Surf no lixo contemporâneo: a que ponto chegamos! E que mundo deixaremos de herança para Keith Richards?

quarta-feira, 31 de outubro de 2007


8% para os ricos, 0,5% para os miseráveis: isto é o lulismo

[...] "Desde o final da década de 1990, o Brasil vem transferindo anualmente de 5 a 8% de todo o Produto Interno Bruto na forma de sustentação da renda mínima para os ricos [cerca de 20 mil famílias, segundo o autor].

De outro lado, ganhou maior dimensão, desde 2001, a difusão de programas de complementação de renda mínima para os segmentos miseráveis da população. A cada ano, menos de 0,5% do PIB nacional tem sido transferido para mais de 10 milhões de famílias que vivem em condições de extrema pobreza.

Percebe-se, assim, que mesmo na esfera das políticas públicas, as resistências ao enfrentamento da desigual repartição da renda se fazem presentes".


Trecho final de um longo e excelente artigo do professor Marcio Pochmann (licenciado do Instituto de Economia da Unicamp, e presidente do IPEA), intitulado O país dos desiguais, publicado na edição brasileira de outubro de 2007 da publicação Le Monde Diplomatique.


4 comentários:

José Carlos Callado disse...

Governo violino mesmo, apanha com a esquerda, mas toca com a direita.

Perfeito, Feil!

Anônimo disse...

...ou, mais chulo: vira a cara e toca a vara...

armando disse...

Nós o "geramos". Não vamos jogar a bacia d'água com a criança dentro.

Antes ele que o sorvete de chuchu ou o "presidente" Serra, ou ainda o galante (sic) Serra. Evoluimos.

Gustavo Guglielmi disse...

Essa foto pode ser o ícone simbólico síntese do governo do sapo barbudo. Vale por um ensaio de 100 páginas.

Contato com o blog Diário Gauche:

cfeil@ymail.com

Arquivo do Diário Gauche

Perfil do blogueiro:

Porto Alegre, RS, Brazil
Sociólogo