Você está entrando no Diário Gauche, um blog com as janelas abertas para o mar de incertezas do século 21.

Surf no lixo contemporâneo: a que ponto chegamos! E que mundo deixaremos de herança para Keith Richards?

terça-feira, 4 de dezembro de 2007


O sombrio epílogo petista

Está corrida a carreira no PT. Em Porto Alegre e no RS venceram líderes decentes e bem intencionadas. Já o mesmo não se pode dizer quanto à disputa pela direção nacional da sigla. Irão ao segundo turno, Ricardo Berzoini e Jilmar Tatoo. O primeiro representa o mesmo grupo dirceuzista que é responsável pelo rebaixamento generalizado da legenda, desde 1995. O segundo, reúne um dissenso sem nenhum caráter, a não ser o de amealhar votos, de conveniência eleitoral liderado por alguns caciques urbanos paulistanos turbinados pela inefável ministra Marta Suplicy.

Para quem é deprimido e gosta de rezar, aconselha-se sentar no meio-fio e orar com fervor beatífico ao santo favorito. Os terrenos homens de boa vontade já não podem fazer mais nada pelo ex-PT. Ressurge agora uma legenda (um não-partido) nova com o invólucro do tradicional, do convencional e da pacificação dos cemitérios. É duro constatar isso, mas alguém precisa fazê-lo, sem nenhum traço de auto-engano.

Altos ideais, impulsos heróicos, refundações imorredouras tudo isso cessa agora, em nome da ordem, da tradição e da governabilidade do presidente Lula. Governabilidade essa orientada pelo interesse hegemônico do capital financeiro, pelo agronegócio exportador e a tutela permanente e vigilante da mídia oligárquica - herdeira de famílias rentistas que fizeram sua acumulação primitiva nos ciclos econômicos do escravagismo e reforçaram suas fortunas e bens na esteira do golpe militar de 1964.

Sugiro aos recém eleitos dirigentes de Porto Alegre e Rio Grande do Sul, Marcelo e Olívio, bravos combatentes deste sombrio epílogo petista, que procurem desde já reunir testemunhos pessoais e documentais para a construção do museu do Partido dos Trabalhadores, facilitando assim o trabalho dos futuros arqueólogos.

Coisas da vida.

20 comentários:

Anônimo disse...

Por favor, avisa quando ocorrer a missa de sétimo dia.

Os antigos admiradores agradecem comovidos.

Anônimo disse...

Quero doar ao museu petista minha velha bandeira de tantas lutas políticas e guerras eleitorais dos últimos 20 anos. Mas quero que o Bigode me dê em troca um lenço pra enxugar a minha tristeza.

Gustavo Guglielmi

Ju disse...

nem Gabriel, o anjo guerreiro salva o velho PT.

Carlos Eduardo da Maia disse...

O velho PT era bom para fazer oposição irresponsável. O PT caiu na real e a vida continua. E que que bom que continua.

Ex-petista disse...

Alguém tem dúvida que a vida continua?

Miguel Grazziotin disse...

Lamento muito....
Mas a luta continua...Jamais darei tregua à direita facista.!

Gustavo Guglielmi disse...

Miguel, vc. não dá trégua, mas o novo PT, de tatus e berzoínis, dá sim trégua, e faz pior amansa o PT para ser um cordeirinho do velho sistema representativo que tritura tudo no Congresso. Olha a nossa volta e observa quantos deputados que foram lutadores, hoje estão completamente desfibrados pela vaidade e pela carreira "brilhante" que fazem nos parlamentos da vida.
É só ter olhos para ver e ouvidos para ouvir.

A luta continua, mas em outra trincheira e com outro instrumento de luta. O PT tem que ir pro museu, como diz o blogueiro, é aquela espada do Júlio de Castilhos que está no museu da rua Duque. Velha espada de tantas glórias, mas inútil.

Anônimo disse...

"Em Porto Alegre e no RS venceram líderes decentes e bem intencionadas"
Que lindo

"Quero doar ao museu petista minha velha bandeira de tantas lutas políticas e guerras eleitorais dos últimos 20 anos. Mas quero que o Bigode me dê em troca um lenço pra enxugar a minha tristeza."
askdaslkfdaçsjfsa.

"Mas a luta continua...Jamais darei tregua à direita facista.!"

Vai tomar uma cerveja tchê...

Armando disse...

Entendendo o PT como meio, e não como fim, fica mais fácil prosseguir a luta. A luta interna sempre é mais difícil.

Anônimo disse...

Aqui em Cachoeira, nossa terra, quem ficará é o aluno nota dez deste PT paulista, liderado pela Familia Tatto, diz para o Olivio e para o Marcelo que tenho aqui para o nosso Museu a minha 1ª bandeira, vermelha e com a estrela amarela feita, a mão, pela minha mãe e com as letras bordadas, a data que tem no mastro é 10/09/1985.

Anônimo disse...

Aqui em Cachoeira, nossa terra, quem ficará é o aluno nota dez deste PT paulista, liderado pela Familia Tatto, diz para o Olivio e para o Marcelo que tenho aqui para o nosso Museu a minha 1ª bandeira, vermelha e com a estrela amarela feita, a mão, pela minha mãe e com as letras bordadas, a data que tem no mastro é 10/09/1985.

Jorge disse...

Dê então os nomes dos filhotes dos irmãos metralhas de SP. Nomes, quem é o líder metralha em Cachoeira capital do arroz, nas barrancas do Jacuí?

Marcos Trindade disse...

Fundado na década de 80, quando os regimes do então chamado socialismo real já estavam em processo de franca decadência, o PT seguiu por um bom tempo na esteira do movimento operário polonês - Solidarnosk - do Lech Valessa, até projetar Lula como líder nacional, figura hoje maior que o próprio Partido que ele ajudou a criar. Nesse período histórico o PT foi se transformando paulatinamente. As correntes internas, que originalmente promoviam discussões políticas, elaboravam, faziam formação da militância e harmonizavam a relação de força entre seus grupos, além de conformar a hegemonia de sua direção, tornaram-se meros coletivos de vereadores, deputados e candidatos em geral. Essa situação chegou a tal ponto que certos grupos internos têm mais estrutura (sede, jornal, finanças) que o Partido propriamente dito. Já não há mais nada de novo nisso, essa é a maneira tradicional pela qual funcionam todos os partidos políticos do País, com suas legiões de cabos eleitorais remunerados. Vivemos um esgotamento na maneira de fazer política e, no campo hegemonizado pelo PT sempre temos mais do mesmo, as mesmas figuras carimbadas, as mesmas atitudes.

Armando disse...

Não vamos misturar as coisas. A família Tatto não pode ser crucifixada. Estão do lado do povo há muito tempo. Têm uma vida de luta limpa. O mesmo não se pode falar de muita gente que pousa de mártir. Ideologicamente, podem errar, mas daí a crucifixar sem base vai uma longa distância.

Por que ninguém questiona o outrora fundador e maior petista, o nosso amigo Lula? Será qeu ele, como um Estaline caboclo, não meteu os pés pelas mãos? Lembremos que Estaline nem usava os pagamentos que recebia do CC. Era ascético. Era irretocável. E deu no que deu. O mesmo vale para o Lula. O que ele tem a ver com as lutas dos anos 80? Aburguesou-se? Claro que não. Erraram os que apostaram todas as fichas num jogo só.

Anônimo disse...

que é isso, companheiro?!

Anônimo disse...

Che Armando, menos! A verdade é q o lula aburguesou-se e fundou um outro partido: o lulismo. Há muito já joguei fora estrelas, bandeiras e o escambau. Nem prá museu! sveloso

Anônimo disse...

Caro sveloso, insisto: nosso querido Lula não se aburguesou, se seguirmos os critérios de aburguesamento. O problema é que continua o mesmo de 1978: parou no tempo e "aprendeu" demais com os socias-democratas. Prestes o velho, alertava em 1979: tem futuro, mas precisa estudar, principalmente o marxismo. Parece que seu irmão, Frei Chico, deu os livros errados.
armando

Anônimo disse...

Caro Armando, conheces também aquela estorinha da 'mosca azul' que morde? sv

Marina jardim disse...

Oi! Escrevo mpra dar parabéns ao, Marcos Trindade, não retiraria nem um ponto, nem uma vírgula. Infelizmente, ele está c/ toda razão. Triste fim do "velho" Pt de lutas.....

Zé disse...

Não é decente aquele que concorda com a indecência!

Contato com o blog Diário Gauche:

cfeil@ymail.com

Arquivo do Diário Gauche

Perfil do blogueiro:

Porto Alegre, RS, Brazil
Sociólogo