Você está entrando no Diário Gauche, um blog com as janelas abertas para o mar de incertezas do século 21.

Surf no lixo contemporâneo: a que ponto chegamos! E que mundo deixaremos de herança para Keith Richards?

sexta-feira, 14 de dezembro de 2007


Agora vamos ver qual é a prioridade do governo Lula

Ao vetar a prorrogação da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF) e manter a Desvinculação de Recursos da União (DRU), o Senado cortou a verba destinada à saúde e manteve o dinheiro público que alimenta o sistema financeiro. A opinião é do diretor da Associação Brasileira de Organizações Não-Governamentais (Abong), José Antonio Moroni. A informação é da Agência Brasil/Radiobrás.

“O Senado derrubou a CPMF com o discurso de que o Estado gasta demais”, afirma. Mas, destaca, o tributo que foi derrubado pelo Senado atende, principalmente, à saúde e assistência social. “E, na mesma noite, aprova a DRU, que joga 20% de todas as receitas do governo federal para o pagamento de juros da dívida, ou seja, para girar o mercado financeiro.”

De janeiro a outubro, segundo ele, a DRU retirou R$ 38 bilhões da seguridade social: saúde, assistência social e Previdência. “É quase uma CPMF”, afirma o diretor, referindo-se à estimativa de arrecadação de R$ 40 bilhões com o tributo.

Para Moroni, as decisões da madrugada de ontem (13) do Senado também obrigam o governo a tomar uma decisão. “Agora vamos ver do governo qual é a prioridade? Se vai tirar dinheiro da dívida para cobrir os programas sociais ou se vai continuar fazendo o inverso.”

A DRU, aprovada em 2000 no Congresso Nacional, permite investir até 20% da arrecadação em áreas diferentes das determinadas pela Constituição, como educação, saúde e seguridade social.

16 comentários:

Anônimo disse...

Eu não acredito que vai passar batido nas discussões o voto do PSOL junto com o DEM e o PSDB, ou seja, a fina flor do direitismo naciona!!!

Será o PSOL irmão gêmeo dessa dupla?

Carlos Eduardo da Maia disse...

É questionável que esse dinheiro "que alimenta o sistema financeiro" seja público, porque se o vivente faz um depósito à vista de 100 reais, o banco depositário é obrigado repassar 45 reais para o Banco Central, a título de Depósito Compulsório. Tal determinação é para que o Bacen tenha o controle da moeda, não apenas do papel moeda, mas também da moeda escritural. Na verdade esses recursos depositados pelos bancos à disposição do BACEN não são bem recursos públicos, mas recursos dos próprios poupadores, depositantes e investidores do mercado financeiro. Qualquer vivente que tem conta em banco participa desse rateio.Esse dinheiro é público ou privado?

Carlos Eduardo da Maia disse...

Equívoco grave do lider da ABONG que diz que o governo "joga 20% de todas as receitas do governo federal para o pagamento de juros da dívida, ou seja, para girar o mercado financeiro.”
Primerio lugar, o mercado financeiro é auto-sustentável e não necessita de recursos públicos. SEgundo lugar, o líder confunde uma coisa com outra: umma coisa é pagamento de juros da dívida e outra é girar esse dinheiro no mercado financeiro. Os 20% destinados ao DRU não servem e nem vão para o pagamento de juros da dívida. Aliás, esses recursos até podem ( e devem) ser investidos enquanto se aguarda a alocação desses valores nos investimentos que o Estado deve fazer para a sociedade. Na verdade a DRU tem como finalidade principal dar uma maior flexibilidade à alocação dos recursos públicos. Uma pessoa que faz uma declaração dessas não tem a mínima condição de ser lider da ABONG. Não entende nada de finanças públicas.

Desconfiado disse...

Perigoso é o Palloci, que fala as asneiras em nome do sistema financeiro, sem dúvida... Mas e companheiro Lula, que ouve e acata as tais bobagens, é o quê??? Um inocente??? Útil ou inútil???

MASQUINO disse...

O dinheiro é público,porque vem dos impostos que o governo arrecada e destina para os juros da dívida interna.Ele desvincula com a DRU e rola os juros da dívida,flexililizando a capacidade de pagamento do governo aos banqueiros.Essa é a prioridade.Dizer o contrário é estranho.É só acessar o site do UNAFISCO,Sindicato dos Auditores da Receita Federal e constatar isso.É impossível que os auditores estejam confundindo as coisas.

Carlos Eduardo da Maia disse...

O dinheiro do DRU é público, porque vem dos impostos e o dinheiro que circula no mercado financeiro é privado e um bom percentual dessa graninha dos poupadores, investidores e depositantes dos bancos brasileiros vai para o BACEN, a título de depósito compulsório.

flics disse...

"Agora vamos saber do governo qual é a prioridade?"

Depois de 6 anos de goerno ainda tem cabimento uma pergunta destas? Só para refrescar a memória: de janeiro a outubro foram 132 BILHÕES de juros para os rentistas.

Esclarecedor disse...

Os recursos da DRU (Desvinculações das Receitas da União) são estatais e estão no orçamento da União e são retirados das dotações da educação, saúde e outras, que possuem percentuais fixos de aplicação, portanto não são cumpridos. Foi uma forma que o ético FHC encontrou para drenar grana para cumprir com o pagamento da dívida pública.

O depósito compulsório é um recurso público, pertence a todo o cidadão (e empresas), e resulta dos depósito bancários, das contas comuns e nada tem haver com aplicações financeiras. O depósito compulsório é um mecanismo usado pelos bancos centrais para regular a quantidade de moeda em circulação, portanto é uma quantia fictícia não existente em forma de papel. Isto conforme os manuais de economia no item Teoria da Moeda.

Esclarecedor disse...

Sugiro aos chutadores de plantão, como aqueles que fazem comentários sobre economia sem terem um mínimo de noção, comprarem o Dicionário de Economia do Prof. Paulo Sandroni. O verbete sobre o depósito compulsório tem somente 11 linhas, sendo que as definições são apresentadas em duas colunas. Ou seja, algo bem curto.

O agro-business brasileiro foi formado a partir do financiamento do depósito compulsório, até meados dos anos oitenta, mais ou menos, era essa a fonte, custo muito baixo, dado que não remunerado pelo Banco Central

Esclarecedor disse...

Corrigindo - não são remunerados

João Batista de Andrade disse...

SEGUNDO O PORTAL JUBILEU SUL BRASIL... ACESSEM-NO P CONFERIR... EM 2007, O POVO PAGOU 275 BILHÕES DE REAIS DE JUROS E SERVIÇOS DA DÍVIDA. SEGUNDO PESQUISA FEITA NA FGV-SP, OS CORRUPTOS NÃO CONSEGUIRAM TIRAR DOS COFRES PÚBLICOS MAIS DO QUE 3,5 BILHÕES DE REAIS. LULA PASSA O RODO ATÉ NO DINHEIRO DA SAÚDE, DA EDUCAÇÃO E DA SEGURANÇA PARA FORMAR UM SUPERAVIT PRIMÁRIO FORTE PARA JOGAR O DINHEIRO PELA JANELA, COMO DISSE O SEU PRÓPRIO VICE, JOSÉ ALENCAR. NESTE 2007, LULA DEVE ESTAR PAGANDO UM BILHÃO DE REAIS POR DIA À BANCA. DAVA P CONSTRUIR 100 MIL CASAS-EMBRIÃO TODO SANTO DIA. HIROSHIMA TINHA UMAS 50 MIL CASAS QUANDO OS AMERICANOS LANÇARAM A BOMBA ATÔMICA. LULA LANÇA DUAS BOMBAS ATÔMICAS TODOS OS DIAS SOBRE O POVO BRASILEIRO, SE FIZERMOS UMA INVERSÃO LÓGICA.
É UM GENOCÍDIO INSIDIOSO, POIS NINGUÉM PERCEBE.
DEBATEMOS O SECUNDÁRIO... CPMF, DRU,CORRUPÇÃO... É ISSO QUE A BANCA DESEJA PARA OCULTAR O MASSACRE E LULA PARA OCULTAR O SEU PAPEL DE CAPACHO DA BANCA.

S - Porto Alegre disse...

Gostei desse Esclarecedor !!!!

Finalmente alguém esclarecido e sem má fé prá peitar o Maia.

Tomara que ele apareça nos outros blogs onde o Maia frequenta !

abraços à todos

Armando disse...

Agora, o companheiro Lula deve mirar os canhões imediatamente nas grandes fortunas que, desde os anos 80, vem sendo levada em "banho maria". Passou da hora de taxar as fortunas escandalosas que, entre outras coisas, servem para privatizar praias, comprar consciências, destruir meio ambiente, explorar trabalho, sacanear, dividir, poluir, furtar, descaminhar, etc, etc.

Leitor atento disse...

Ou Mantega e Tempor�o se conformam com a democracia ou v�o plantar batatas em Caracas.
� compreens�vel a rea�o rid�cula do ministro Guido Mantega (Fazenda), j� desautorizado pelo presidente Luiz In�cio Lula da Silva. Como sabem, em 24 horas, o homem prometeu corte nos gastos sociais, nos investimentos do PAC e acenou com a possibilidade de editar uma Medida Provis�ria, que seria inconstitucional, recriando a CPMF. Bem-interpretado, seu chefe tamb�m n�o foi l� muito prudente. Afirmou que os que rejeitaram a contribui�o n�o s�o pacientes do SUS. Para quem precisa ainda de uma segunda vota�o no Senado para aprovar a DRU, n�o chega a ser uma declara�o prudente ou respons�vel. Lula, Mantega e os petistas, como sabemos, est�o mal-acostumados, n�o �?

Anônimo disse...

Engra�ado s� agora te destes conta ou foi porque um camarada � que alertou?

Juarez disse...

Armando, arruma um assento bem confortável e espera sentado que o doutor Lula vá fazer esse "desatino".

Contato com o blog Diário Gauche:

cfeil@ymail.com

Arquivo do Diário Gauche

Perfil do blogueiro:

Porto Alegre, RS, Brazil
Sociólogo