Você está entrando no Diário Gauche, um blog com as janelas abertas para o mar de incertezas do século 21.

Surf no lixo contemporâneo: a que ponto chegamos! E que mundo deixaremos de herança para Keith Richards?

quarta-feira, 5 de dezembro de 2007


Kaká queria ser Raí

Kaká, ao receber a Bola de Ouro da revista France Football, afirmou que se inspira em outro são-paulino ilustre: Raí. Comete aí alguns erros.

Primeiro: Raí, quando foi para a Europa, nas horas vagas, freqüentava museus, lia, se envolvia com pessoas ligadas à arte e cultura francesas, e é respeitado até hoje para além do seu futebol.

Segundo: Raí nunca fez do celibato uma virtude, nem pautou a existência na superstição apocalíptica igrejal, que nada tem a ver com a religião, colocando-se como modelo moral para o outro, muito menos quis conduzir rebanhos.

Terceiro: Raí se envolve em questões sociais, fundou, junto com seu colega Leonardo, a fundação Gol de Letra.

Em quê, exatamente, Kaká quer ser Raí? Nem que nascesse, como o irmão de Sócrates, no Pará, conseguiria. Só pela moralidade, que se sustenta na imaginação clichezada é possível querer ser outro, se não é possível sequer ser o si. Mas esperar o quê de alguém que se submete a ser embaixador da globotária na Seleção-Nike? Mas há um alento para o melhor do mundo: como ele, Raí gosta de freqüentar o programa da Hebe…

Pescado daqui (blog Afinsophia).

....

E mais: Raí nunca andou com mensagens tolinhas pendurada nas camisetas, nem cometia esses gestos beatíficos de uma religiosidade estridente e espetacularizada. Esse camelo nunca vai passar pelo fundo de uma agulha.

11 comentários:

Anônimo disse...

Coisinha chata esse tipo de delirante fundamentalista...

armando

Carlos Eduardo da Maia disse...

Kaká, carinha de bambi, já disse que quando largar o futebol vai ser bispo da igreja renascer. deus nos acuda.

Bambi disse...

Bambíssimo!!!!!!!!!!!!

Anônimo disse...

Esquecemos de colocar na nota kakazística que esse tipo de enunciado do ressentimento cristão compõe e fortalece outro enunciado: o da violência de extrema-direita que assola o futebol mundial.

Abraços

AFINSOPHIA

eduardo stein disse...

Talvez ele se referisse somente à prática do "nobre esporte bretão". Quer ser igual ao Raí restrito às quatro linhas.

Verinha disse...

Ok, isso aí é uma opinião muito pessoal. Mas cá pra nós, umas coisas precisamos admitir, pois são fatos. O Kaká já conquistou: 1) Campeão Mundial com a seleção em 2002, assim como Raí em 1994. 2) Campeão da Copa dos Campeões da Europa com o Milan. 3) Saiu do Brasil pra jogar num time de primeira linha do mundo, ao contrário do Raí. 4) Já esteve em duas copas do mundo e irá para a terceira, ao contrário do Raí que disputou uma copa muito mal e porcamente. 5) Quanto ao Raí ir a museus, etc, isso sem dúvida o enriquece como passoa e ser humano, mas quem garante que o Kaká não faça o mesmo e apenas não divulga. 6) Kaká foi escolhido e recebeu a Bola de Ouro como melhor jogador de 2007 da europa e receberá, sem dúvida, a de melhor jogador do mundo pela FIFA, algo que o Raí, sequer chegou perto. Convenhamos, do ponto de vista de atleta, Kaká é mais completo e já alcançou muito mais coisas que Raí e isso com apenas 20 e pouquíssimos anos. Pelo lado cultural, as decisões são pessoais, mas afora a frequência em museus e etc, ambos têm cultura e também não concorrem para ministros, apenas ampliando seus spectros para além dos gramados. Concluindo, ambos têm e tiveram (Raí)sua importãncia e atuação. Quanto a ser ministro de igreja A ou B, é uma decisão pessoal, que não deveria diminuir nem aumentar nossa percepção sobre uma pessoa. Tão pensando que só homem entende de futebol??? RA RA RA ... ou, KA KA KA, como preferirem(rindo muito).

sueli halfen ( POA) disse...

Tomara que não dê KAKAKÁ !!!

Omar disse...

Acho que ninguém entendeu direito. É que ele não consegue fazer aquele passe de calcanhar que o Raí fazia. Passa as noites em claro treinando isso, e nada. Só isso.

Anônimo disse...

Mas Omar, aquele do passe era o Sócrates. Só mais um esclarecimento da ala feminina.

Abraços
Ellen

Omar disse...

Puxa vida. É verdade. Era o Dr. Sócrates, discípulo do Platão.

Anônimo disse...

Acho q a verinha resumiu muito bem!
Caro Feil!
Sugiro pescarias que possibilitem uma discusão mais produtiva!

Abraços!

Humberto

Contato com o blog Diário Gauche:

cfeil@ymail.com

Arquivo do Diário Gauche

Perfil do blogueiro:

Porto Alegre, RS, Brazil
Sociólogo