Você está entrando no Diário Gauche, um blog com as janelas abertas para o mar de incertezas do século 21.

Surf no lixo contemporâneo: a que ponto chegamos! E que mundo deixaremos de herança para Keith Richards?

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2009

O regressismo da vida social no RS alcança níveis alarmantes


Experiência exemplar é liquidada no RS

Uma experiência educacional de 12 anos e que serviu de exemplo para outros Estados pode ser encerrada no Rio Grande do Sul. O Ministério Público gaúcho e a Secretaria Estadual de Educação (SEC) assinaram um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) que determina o fechamento das escolas em sete acampamentos sem-terra. A informação é da Agência Chasque, através da repórter Raquel Casiraghi.

O TAC prevê que até o dia 4 de março devem ser desativadas as turmas de educação infantil, ensino fundamental e de Educação de Jovens e Adultos (EJA). As crianças devem ser matriculadas na rede pública e ter transporte escolar. Caso não seja cumprido, o governo do Estado será multado em um salário mínimo por dia de atraso.

O Procurador de Justiça e integrante do Conselho Superior do Ministério Público, Gilberto Thums, argumenta que o objetivo do acordo é garantir que as crianças sem-terra tenham o mesmo ensino da rede pública, o que não estaria acontecendo.

“A gente tem um nicho de professores que são escolhidos a dedo pelo Instituto Preservar, que são afinados ideologicamente com idéias extremistas. Isso provoca um ensino completamente fora dos padrões que o Estado tem que garantir. A idéia é que tenhamos um ensino com pluralidade de idéias e inclusão social“, diz Thums.

O procurador lista uma série de irregularidades. Entre elas, a infra-estrutura das escolas é precária e o poder público não estaria conseguindo fiscalizar o conteúdo programático e nem a carga horária. Thums ainda alega que o convênio entre o Instituto Preservar e o governo é ilegal, pois repassa a uma organização não-governamental o dever da educação que é do Estado.

No entanto, a coordenadora pedagógica das escolas itinerantes, Marli Zimermann de Moraes, contesta as críticas do Ministério Público. Ela garante o cumprimento do conteúdo programático e diz que a falta de infra-estrutura reflete o sucateamento promovido pelo governo. Educadores estão com salários atrasados desde julho passado e escolas não recebem material pedagógico. Além disso, o convênio permite a contratação de apenas 13 educadores e de uma merendeira por escola para cuidar de 400 crianças.

No entanto, o principal motivo para o fechamento, denuncia Marli, é tentar enfraquecer o Movimento Sem-Terra (MST).

“Acabar com as escolas itinerantes é impedir que as famílias lutem pela terra. Porque quem vai para a luta é só quem não tem filho. Em cinco dias que a criança não vai para a escola, o Conselho Tutelar é chamado e o pai pode ir preso. A itinerante tem a especificidade de acompanhar o acampamento”, argumenta.

O fechamento das escolas itinerantes é um dos desdobramentos das Ações Civis Públicas encaminhadas pelo Ministério Público no ano passado. Nas ações, promotores determinaram medidas para conter ações do MST e até mesmo chegaram a propor a extinção do movimento, o que depois foi negado.

As escolas itinerantes foram reconhecidas no Estado pelo Conselho Estadual de Educação em 1996. Baseados nesta experiência, outros Estados adotaram o sistema, entre eles Santa Catarina, Paraná, Piauí, Alagoas e Goiás.

...........

Sem exagerar, temos repetido aqui que o Estado regride a olhos vistos, com o governo esquizo-tucano e a sua influência deletéria que só robustece o pensamento conservador do RS.

O governo Yeda está fechando escolas no Estado, em combinação com personagens conservadores do MP/RS. Motivo: intolerância política, espírito macabro de destruição e tentativa de eliminação do que lhe é antagônico.

Sem nada para apresentar de positividade, o páthos yedista resume-se a destruir conquistas e direitos sociais de setores que lutam pela afirmação política e autonomia cidadã.

Que o Brasil saiba: o Rio Grande do Sul está cada vez mais irreconhecível, retrocede a um estado de natureza e anomia social, como aquele que havia antes da Constituição castilhista de 1891.

Bem-vindos ao século 19!

24 comentários:

Ary disse...

Até parece que esse gover-ninho tem algum compromisso com o ensino de qualidade e que se preocupa as crianças. O objetivo é impedir a mobilidade dos acampamentos. É óbvio que Casanova Mal-na-Foto, mesmo "ganhando", perderá. Por outro lado, torço pela reeleição de Casanova. Esse estado precisa ir ao fundo do poço. Seu povo precisa provar a mais baixa condição de cidadania. Só assim renascerá das cinzas e poderá ser ator na construção de uma verdadeira sociedade. Há que se quebrar a última crista da soberba, do orgulho nocivo, do bairrismo infantil e da prepotência. O gaúcho precisará ser tratado como gado, como cavalo e ovelha, a fim de se dar conta dos mais elementares princípios civilizatórios. Na frente da urna eletrônica, optaram pelo atraso, pela estupidez, pela mentira, pelo engodo, pela falcatrua, pela maldade e pela ignorância. Optaram pela idiotia e pela corrupção. Preferiram "essa daí" a um dos mais nobres homens que essa terra já produziu. Aguentem, bovinos! Sigam marcados nessa vida medíocre. Morram abraçados a um bando de Promotores que envergonham a instituição do Ministério Público.

Moshe Avral Natan disse...

O promotor Gilberto Thums é da brigada fascista do MP, um moralista perigoso.

Stringhini disse...

a serpenta choca os seus ovos no RS

Gustavo Schirmer disse...

Cristóvão,

não creio que haja algo de yedista nessa questão, acho que Yeda é só mais um sintoma da gravíssima doença que aflige o estado. Alguns membros do Ministério Público estadual estão usando seus cargos para defender interesses de classe, custe o que custar ao futuro do estado. A manutenção da extrema-direita no poder serve de estímulo e de garantia para que continuem fazendo isso, mas não é causa.
Talvez o Ary tenha razão, e mais 6 anos dessa loucura façam o povo enxergar um pouco. Mas já temos 30 anos de comprometimento financeiro por causa daquele empréstimo irresponsável, e a conta social pode ficar irrecuperável nesse prazo. Mesmo uma mudança no Executivo e no Legislativo podem significar pouco aqui: os outros poderes (Judiciário e IMPRENSA) não dependem de eleição para atuar. Aliás, o MP de Santa Catarina parece estar fazendo sua parte, ao tentar impor a lei à mídia; aqui, temos uma certa simbiose, como se percebe pelo recorte do post.

Cristóvão Feil disse...

Gustavo, o yedismo é a representação política da direita hoje no RS. É assim que eu vejo. É preciso dar um nome à essa direita e sua vanguarda (vá lá!). O tucanato no poder fomenta e robustece o espírito e o ethos conservador, que sente-se legitimado para suas práticas regressistas. A isso se dá o nome de hegemonia, onde os fios que os conectam são muito finos e por vezes invisíveis.

De qualquer forma, a SEC assinou um Têrmo de Ajuste de Conduta com o MP/RS no sentido de enquadrar as escolas itinerantes. Quer mais que isso?

Abç.

CF

claudia cardoso disse...

Um pais que pariu um educador da estatura de Paulo Freire e tem gente que insiste na tese da educacao neutra!!!!

O ato de ensinar [educar] eh um ato politico por excelencia!!!!

O subtitulo da materia em questao, o destaque que se dah a uma "educacao ideologizada" denota o nivel de perversao da direita, ao tentar escamotear o carater politico da formacao educacional. E tb como se escolher este ou aquele metodo educativo, conteudo, livro [pela escola e professorado] fossem atos isentos de ideologia. Eh a velha historia: ideologia soh tem a esquerda!!!!!!!!!! A direita eh o "estado natural das coisas".

Ary disse...

Aos sábios de plantão, por favor expliquem: se o MST quer a luta armada, se o MST quer tomar o poder pela via armada, por que seus militantes, após deixarem a condição de acampados, viram pacíficos produtores rurais em seus assentamentos? O MST é um movimento político e social pequeno-burguês que luta pela posse da terra. Seu lema: ocupar, resistir e... produzir. É assim que surgem os assentamentos da reforma agrária: ocupação, resistência e produção. Após essa etapa, o vínculo dos assentados com o movimento é apenas financeiro e político. Ou alguém tem notícia de assentados que abandonaram suas terras para treinarem tiro ao alvo? O MST é um dos movimentos sociais mais respeitados no mundo. Menos no "rincão do atraso ideológico e civilizatório", onde impera a mentalidade sesmariana, a "gigolice" bovina e a mentira das "façanhas exemplares" que servem de maus exemplos.

el barto disse...

bem-vindos a idade média!!! com direito a rainha louca, bobo da corte (1o. damo), milícia particular (bm), mortes misteriosas e toda sorte de pestes (só falta aparecer varíola).

Marcelo disse...

Pelo menos um sujeito não só falou, mas agiu contra este absurdo chamado MST. Pena que são poucos como este procurador do RS, mas ele cumpre com o dever.

Marcelo D2 disse...

Absurdo é vc achar que é um ser humano, Marcelo.
Te belisca, bicho!

Noiram disse...

Amigos, país politizado é a Venezuela e exemplo de MPE atuante é o da Paraíba.
Temos muito que aprender.

Carlos Eduardo da Maia disse...

Nós estamos falando de verbas públicas. Deve o Estado liberar verbas públicas a uma ONG ligada a um movimento que não tem nem CNPJ para que este contrate, sem licitação, professores para lecionar para os filhos dos militantes do movimento? E esse ensino é completamente manipulado por uma ideologia completamente conservadora. Essas crianças são preparadas para um modelo discutível de cidadania. E tudo isso com verba pública que nós pagamos. E o pior, tem gente conservadora que defende esse tipo de insensatez. Haja deus.

Anônimo disse...

O RS está vivendo o que nós vivemos desde o início dos anos 90 do século passado: primeiro com a era Covas, já passado para uma espécie de centro-esquerda de resultados, depois foi o apocalipse, com o sorvete de chuchu, vulgo Alckmin. Aí a educação naufragou de vez, a saúde morreu, o pedágio "dominou", kassabs et caterva se impuseram. É a gestão ao estilo do prof. Cardoso de péssima memória. Enquanto, não desmontarem até o último vestígio de integridade social do Estado, não param.

armando

Carlos Eduardo da Maia disse...

O ensino público -- e estamos falando aqui de ensino público -- não pode ser ideologizado, nem pela direita e nem pela esquerda. É fundamental que o ensino público insira o aluno não apenas na cidadania, mas também no mercado de trabalho. Não se trata de direitos antagônicos, mas convergentes. Um ensino que apenas prepara o aluno para a cidadania é falho. Assim, como também é equivocado o ensino que prepara o estudante apenas para o mercado. Há de se conquistar o necessário equilíbrio do meio termo. Mas quem disse que o MST está interessado no equilíbrio?

Ary disse...

Realmente, o governo do RS prima muito por "essa coisa chamada licitação".

marcelo sperling disse...

MP fascista, governo fascista! Vivemos a pior contra-revolucao desde 64-84.

SBENTENAR disse...

- O MALA DO MAIA PREGA O EQUILIBRIO EM 500 ANOS DE EXPLORAÇÃO DA ELITE OLIGÁRQUICA DE PINDORAMA!!. QUE COISA CHATA TEUS COMENTáRIOS. AGRIDE A INTELIGÊNCIA. JOÃOZINHO DO- PASSO - CERTO. TODOS TEUS COMENTÁRIOS SÃO BEM RECEBIDOS NOS BLOGs DA RBS. A LATRINA SIONISTA , OPORTUNISTA E PREDADORA , ONDE O RS E SC SÃO SUA SAVANA.

SBENTENAR disse...

. . . EW TEM MAIS!! SERÃO REABERTAS EM 2011!! O TEMPO É O SENHOR DA RAZÃO!!

Andre Passos disse...

Alô Ministério da Educação e MDA. Intervenham. Que as escolas itinerantes passem a funcionar sem depender deste estado dominado por um grupelho provinciano.

Ary disse...

É isso mesmo André (nem que o Jacaré o Piti tenham que lecionar debaixo da lona preta). Olha, até agora, nenhum blogueiro de ZH (André, Rosane, Macedo, Sant'Ana...) abriu qualquer espaço para o debate acerca do facismo "acuierado" entre governo e MP.

gustavo disse...

Jacaré? Piti? Lecionando?
Debaixo de lona preta?
Andas bebendo, oh Ary!
Podes beber, mas não viajes.
Quando rato da DS frequenta essas empreitadas? Esses são apenas carregadores de pasta do Miguel.

gustavo disse...

Mas a ideia do André é ótima.

Tenho dito.

Carlos Eduardo da Maia disse...

O governo federal não vai fazer nada, porque sabe muito bem que as verbas destinadas às complicadas ONGs que mantém o MST não tem nenhuma transparência e ninguém sabe para onde vai essa grana pública... Alguém sabe?

miguel grazziotin disse...

Maia, se tu me provares que um dia, só por uma horinha, esteve num acampamento do MST, entao eu lhe dou o direito de opinar, caso contrario, o senhor é mais um FACISTA que repete o que lhe mandam...obs.Sugiro que estude um pouco, TODO ENSINO TEM IDEOLOGIA< NAO EXISTE ENSINO QUE NAO POSSUA IDEOLOGIA>>..meu caro, procure os seus iguais, que o maximo de cultura que possuem é ler Veja e assistir Fantastico..

Contato com o blog Diário Gauche:

cfeil@ymail.com

Arquivo do Diário Gauche

Perfil do blogueiro:

Porto Alegre, RS, Brazil
Sociólogo