Você está entrando no Diário Gauche, um blog com as janelas abertas para o mar de incertezas do século 21.

Surf no lixo contemporâneo: a que ponto chegamos! E que mundo deixaremos de herança para Keith Richards?

terça-feira, 17 de fevereiro de 2009

A cartinha de Yedinha




Uma peça de propaganda mal ajambrada

Acabei de ler a carta da governadora Yeda Rorato Crusius ao colunista de ZH, Paulo Sant’Anna. Para além da forma e do conteúdo, trata-se de uma peça de propaganda da governadora. Senti o dedo subliterário da “escritora” Lya Luft ali naquela carta, uma vez que são amigas declaradas e merecedoras dos mútuos afetos. O texto tresanda a magnólia de plástico – exagerado, doce, artificial e brega. Pinga açúcar de cada parágrafo e as moscas adoram.

Yeda Rorato Crusius chapinha na própria vulgaridade. Na carta, num dado momento, perde o senso de lealdade e companheirismo aos seus, classificando-os de “caídos”, e que o seu grupo de colaboradores “desafinou” e “desmanchou”. Yeda não informa quem inspirou esse estado de decadência – apontado por ela mesmo – em seu governo, um admitido underground guasca do Piratini.

A psicanálise-magnólia de Yeda não tem olhos para si, só para o Outro. O inferno são os outros, já disse o filósofo.

Infeliz Rio Grande, ainda tem que conviver com essa brutalidade por mais 22 longos meses. Haja pâncreas!

17 comentários:

Ruy disse...

Isso se não conseguirem reeleê-la!

el barto disse...

e figo e estrombo. arre!!!!
é muito barbitúrico na cabecinha de alfinete.

Juarez Prieb disse...

Haja pâncreas, meu caro blogueiro. Já estou começando a injetar insulina, antes que o diabetes me liquide.
Oremos, irmãos!!!!!!!!!

Anônimo disse...

E agora para um toque de mistério policialesco a morte do ex-embaixador no Planalto Central. Imaginem esse meleca toda no governo do Bigode.

Anônimo disse...

E hoje assume na Secretaria do Meio Ambiente um declarado amigo master das papeleiras, Berfran Rosado. Que decadência a nossa...

A propósito da carta, que também acabei de ler, o que mais me chamou atenção foi o fato de que a governadora nem por um momento questione o porque de tanta coisa ter caído, não questione sua própria arrogância e autoritarismo. Isso torna antipáticas e põe a perder até coisas verdadeiras que o governo dela está dizendo, e que precisam ser ditas, como a de que funcionários públicos também devem estar sujeitos a comprovação de bons serviços prestados para manterem seus cargos.

e tá lá o Presídio Central explodindo...

Filipe

Anônimo disse...

E hoje assume na Secretaria do Meio Ambiente um declarado amigo master das papeleiras, Berfran Rosado. Que decadência a nossa...

A propósito da carta, que também acabei de ler, o que mais me chamou atenção foi o fato de que a governadora nem por um momento questione o porque de tanta coisa ter caído, não questione sua própria arrogância e autoritarismo. Isso torna antipáticas e põe a perder até coisas verdadeiras que o governo dela está dizendo, e que precisam ser ditas, como a de que funcionários públicos também devem estar sujeitos a comprovação de bons serviços prestados para manterem seus cargos.

e tá lá o Presídio Central explodindo...

Filipe

ary disse...

Licença-prêmio e tratamento.

Anônimo disse...

"Yeda perde o senso de lealdade e companheirismo aos seus"

Para os petistas como tu, o correto era ela defender os corruptos até a morte só porque são CUMPANHEROS. Assim como o pessoal do "mensalão nunca existiu!".

Milton Ribeiro disse...

Eu comecei a ler a tal "peça literária" de Yeda e não consegui terminar. Mas acho que mataste a charada falando em Lya Luft.

Putz, parece mesmo! O mesmo estilo autoajuda glicosado e coitadista (de coitado, não de coito).

O anônimo acima te chama de petista... Sabe tudo, o coitado!

claudia cardoso disse...

Como o Milton, tb não consegui ler a carta na íntegra. Já transplantei fígado, cuido dele direitinho desde então.

Propaganda barata, mensagem risível, bem pro nível do eleitorado alienado que votou na bisca e que, mesmo não precisando [trabalho ou estudo], assina ou compra um lixo como Zerolândia.

Aliás, Luft e Yeda cabem ao adjetivo trololó [já comprei livro da 1ª e me arrependi amargamente].

Ary disse...

"Secretaria do Meu Ambiente".

jukão disse...

Boa, Ary!

Secretaria da Minha Papeleira!

mário casado disse...

"Yeda perde o senso de lealdade e companheirismo aos seus"

Para os petistas como tu, o correto era ela defender os corruptos até a morte só porque são CUMPANHEROS. Assim como o pessoal do "mensalão nunca existiu!".



É isso né Anônimo? E por que a TIA é testemunha de defesa do ex-presidente do Detran Vaz Neto?

Carlos Eduardo da Maia disse...

Uma coisa é certa, Yeda reza todos os dias para o PT escolher Olívio Dutra.

cooliris disse...

Yeda não reza, porque ela é alta, bonita e inteligente.
E sua maior virtude, saber escolher boas companhias só é superada pelo tirocínio estratégico. Igual ao Maia.
Porque ela rezaria ?

Ary disse...

É o gover-ninho "LufTal" (Luft & Tal), senão, vejamos a descrição: "LUFTAL está indicado no caso de excesso de gases no aparelho gastrintestinal constituindo incômodo, motivo de dores ou cólicas intestinais, tais como:
. meteorismo pós-operatório e convalescença
. eructação
. distúrbios fermentativos intestinais
. borborígmo
. é indicado ainda no preparo intestinal dos pacientes para radiografia do abdômen
. aerofagia

Nelson Antônio Fazenda disse...

Humor negro.
Há pelo menos uma vantagem em termos elegido uma governadora assim, tão doce (os azedos são os outros, mesmo os que deveriam ser seus companheiros de jornada). Ela, a princípio, fica sem possibilidade de influenciar os eleitores diabéticos. É muita glicose para eles.

Contato com o blog Diário Gauche:

cfeil@ymail.com

Arquivo do Diário Gauche

Perfil do blogueiro:

Porto Alegre, RS, Brazil
Sociólogo