Você está entrando no Diário Gauche, um blog com as janelas abertas para o mar de incertezas do século 21.

Surf no lixo contemporâneo: a que ponto chegamos! E que mundo deixaremos de herança para Keith Richards?

quarta-feira, 13 de fevereiro de 2008


RBS dá a linha política na CPI do Detran

Se algum ingênuo ainda guardava dúvida sobre o caráter político-orgânico militante da jornalista Rosane de Oliveira no jornal Zero Hora (grupo RBS), a partir de hoje pode começar a dissipá-la. A senhora Oliveira está dando a linha política para o procedimento (por ora vacilante) dos deputados governistas na incômoda CPI do Detran.

Imperativa, ela aponta que o inquérito deve buscar “investigação de A a Z” - o título de sua principal nota política hoje, praticamente uma “ordem do dia” de caserna militar.

Mas afinal, no que se baseia a militante da RBS para determinar, de forma perempta e autoritária, que os deputados da CPI do Detran devem investigar também a letra O (de Olívio)? Ora, se fixa numa ação do Ministério Público remetida ao Judiciário, referente a supostas irregularidades no Detran, ainda em 2002.

E quando mesmo o MP entrou com a ação civil pública no Judiciário? Em 26 de dezembro de 2007. Valor monetário do objeto da suposta irregularidade, corrigido (ZH não informa como foi feita essa correção): 637 mil reais.

No texto da matéria, o jornal do bairro Azenha – candidamente – admite que a informação “veio a público agora, na esteira do escândalo que envolve as últimas administrações do Detran”. Que meigo! “Veio a público agora”!

O palácio Piratini e a governadora Yeda não precisam de Secretaria de Comunicação. Poderiam dispensar esse aparato oneroso para o quebrado Tesouro estadual. Para quê sangrar mensalmente o orçamento público com despesas de comunicação social, se o grupo RBS presta serviços da mesma natureza com vantagens comparativas bem mais competitivas?

Nem a própria governadora em carne e osso (a pobre!, com aquele discurso indigente lido na abertura do ano legislativo, dias atrás) faria trabalho tão eficiente: desfocar o maior escândalo de corrupção pública do Estado, que envolveu o desvio comprovado de 40 milhões de reais, durante cinco anos seguidos, em governos de direita, e focar em supostas irregularidades episódicas envolvendo somas quase inexpressivas face aos desvios perpetrados por militantes e dirigentes de inúmeros partidos que apoiam a governadora Yeda Crusius.

Essa manobra insólita e ridícula da coligação RBS/governo Yeda só demonstra o quanto o tema “corrupção no Detran” incomoda o projeto da direita no RS, e o quanto ele deve ser investigado pelos deputados de oposição, a fim de que seus resultados sejam expostos (e politizados) a toda a comunidade do Rio Grande do Sul.

19 comentários:

Anônimo disse...

Mostra também o desespero da direita quando se fala em Detran, onde estão envolvidos figurões ligados a meio mundo. A RBS tem que dar a linha porque os quadros da Yeda, assim como a própria, são de amargar. Eu li a coluna da Rosane, ela está mesmo dando um recado curto e grosso pros deputados.

Observem que um dos principais quadros do governo é um cara chamado Adilson Troca, um coitado semialfabetizado que toca de orelhada.

Cardoso

Anônimo disse...

Aí cai a tiragem dessa "m" e eles não sabem o motivo. Ficam oferecendo assinatura de graça por um certo tempo pra ver se pegam os incautos. E o jornal está cada vez com mais frescurite de fotinhos de bichinhos, de criancinha do carnaval, de casais babacas em férias na pqp, de carro enfeitado tipo Magal e outras pieguices que levam a náusea.
Mas eu tenho informação de que a zerolandia está caindo mes a mes.
Aí eles ficam faturando por outros meios com Planeta a custo de 110 reais por cabeça. RBS está deixando de ser uma empresa de comunicação pra se transformar numa empresa de entretenimento tipo Beto Carrero, a disney dos pobres.

Souza - deu problema aqui na identificaçao

Carlos Eduardo da Maia disse...

Essa CPI tem que ser a mais aberta possível. Não interessa se é contra o governo da Yeda. É dinheiro público e 40 milhões é muita grana. É um esquema de muito tempo, inclusive na época do governo Olívio do PT havia problemas, porque o MP ingressou com ação civil pública por improbidade administrativa dos diretores do Detran na época do governo Olívio e a liminar para bloquear bens foi deferida. Falcatrua e corrupçao ocorre na direita, no centro e na esquerda. Não é a ideologia que vai medir a ética das pessoas. Essa foi a grande lição que o governo do PT está mostrando para o Brasil.

Carlos Eduardo da Maia disse...

Só complementando, acho irrelevante esse tipo de discussão de projeto de direita ou de esquerda para o RS. Isso é leitura de intelectuais fracassados como Kristin Ross, Chomsky ou aquele Heidrich de tal que inventou o socialismo do século XXI. O RS precisa é racionalizar o serviço público para que ele funcione - e funcione bem -- para quem efetivamente precisa desse serviço fundamental, a população de baixa renda. Tanto a direita como a esquerda podem fazer isso. A questão não é ideológica, mas de competência administrativa, porque os interesses são convergentes. Não interessa a ninguém o aumento da pobreza, da corrupção no RS e interessa todos inserir mais e mais pessoas no padrão de qualidade de vida. Se um governo de esquerda faz isso, ótimo eu voto nele. E se um governo de direita faz isso, eu também voto nele. E o Pontual conseguiu uma façanha, encontrar no primeiro mundo, alguém que ainda pensa que a vida é movida pela gasolina da ideologia. Pontual merece o prêmio de descobridor do ano.

Anônimo disse...

O Maia não se enxerga mesmo ou é muito ignorante, falar no nome de Noam Chomsky como intelectual fracassado é realmente não ter noção de nada, vai estudar Maia, vê se aprende alguma coisa e para de se iludir que sabe alguma coisa.
Há que se ter muuita paciência mesmo.
Carmelita

Carlos Eduardo da Maia disse...

Carmelita, Chomsky é intelectual fracassado porque acredita numa força monoliticamente organizada dos homens brancos, através das PIGs da vida, do poder da grana que ergue e destroi coisas boas e tudo isso é orquestrado pela Cia, pelo Bush, pelo FMI e pelo FHC para oprimir, desvirtuar e explorar os cérebros e os braços dos tadinhos dos viventes, alienados, explorados e oprimidos pela mídia de massa e sociedade de consumo.

Anônimo disse...

Convoco o prof. Monteiro ou o anarquista Neumann a traduzirem, para um mortal comum, a última intervenção do hiperbólico Maia.

Anônimo disse...

Olha, tentando traduzir o que o hiperbólico diz é o seguinte: a velha teoria da conspiração, só que ele não descobriu ainda contra quem é essa tal de conspiração !!!!!
O estudo faz falta mesmo, cresça Maia.
Carmelita

Anônimo disse...

1- Chomsky não agrada à direitona, porque simplesmente colocou o dedo na ferida, mostrando como age o império em relação aos cucarachos do mundo.

2- É impressão minha, ou a moça da foto está fazendo a saudação fascista?

armando

sisqueci disse...

Maia uma consulta na Wikipédia, antes de postar besteiras, pode te ajudar a não passar por estes constrangimentos:

Avram Noam Chomsky (Filadélfia, 7 de dezembro de 1928) é um professor de Linguística no Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT, das iniciais em inglês).

O seu nome está associado à criação da gramática ge(ne)rativa transformacional, abordagem que revolucionou os estudos no domínio da linguística teórica. É também o autor de trabalhos fundamentais sobre as propriedades matemáticas das linguagens formais, sendo o seu nome associado à chamada Hierarquia de Chomsky.

Os seus trabalhos, combinando uma abordagem matemática dos fenómenos da linguagem com uma crítica radical do behavio(u)rismo, em que a linguagem é conceptualizada como uma propriedade inata do cérebro/mente humanos, contribui decisivamente para o arranque da revolução cognitiva, no domínio das ciências humanas.

Franz Neumann disse...

Caro Anônimo. Alguns esclarecimentos.Não sou anarquista, em que pese certa influência paterna dos anos vinte.Meu pai, Herr Wilfried Neumann , era um ácido crítico anarquista dos bolcheviques do PCA (em particular de Thälmann, líder do partido antes da Segunda Guerra),mas compartilho de certos valores anarquistas.Por exemplo:o direito inalienável de duvidar de qualquer poder estabelecido como um valor absoluto - de resto importante para qualquer ser pensante - o que não parece o caso deste rapaz Maia, cujo cérebro encontra-se calcificado.Carmelita é quem acredita que não há mais esquerda e direita, que é possível se imaginar um Estado eficiente acima de diferentes posições.Esta forma de raciocinar encontrava-se em juristas na República de Weimar,que mais tarde aderiram ao fascismo.Quanto ao fato de considerar Chomski um intelectual fracassado,chega a ser rísivel. Anarquista sim , mas nem por isso não deixou de realizar análises sobre o discurso do poder capitalista contemporâneo que merecem o mais alto respeito. O livro que escreveu no decorrer da guerra do Vietnã sobre como o poder americano procurava ocultar as atrocidades no Vietnã (Banhos de Sangue) - hoje relido com o material de arquivos que vem sendo abertos - revelam seu poder de análise capaz de se antecipar em décadas ao senso comum imperante.Mas nem é preciso ser anarquista, bolchevique para se ter uma idéia do poder das grandes empresas, em particular da mídia.Ademais Chomski sempre tratou de como, apesar do peso das grandes empresas, é possível se criar contra movimentos no sentido da democratização, daí seu apoio a todos movimentos de resistência civil a estes poderes.E por crer na possibilidade de resistência a leitura enviesada deste rapaz não faz o mínimo sentido. Saudações ecosocialistas de um velho militante, cujo pai ensinou em Berlim o básico de como ser autonômo - Sapere audem!

Carlos Eduardo da Maia disse...

Neumann, compartilho também desse direito inalienável de duvidar de qualquer poder estabelecido como um valor absoluto. De igual forma não seria risível pensar que certos atores sempre tem razão e outros são sempre os malvados? O raciocínio é exatamente o mesmo. Se de um lado está o poder econômico com ele estará sempre grudado como carrapato araudite o golpismo e os atentados à democracia. E quem disse, Herr Neumann que os movimentos de resistência estão sempre do lado da democracia? O mundo inteiro é testemunha de como as FARC-EP (que se dizem movimento de resistência) estão agindo. Estão as FARC-EP do lado da democracia? É evidente que não. E de que lado está Chomsky? Escreveu ele algum artigo contra as FARC -EP?

sisqueci disse...

Um modelo de intelectual bem sucedido para o Maia deve ser o Reinaldo Azevedo rsrsrsrs.

Voltando à "denúncia" da ZH. Isto está me cheirando a blefe desesperado. Afinal de contas, Flávio Vaz Neto afirmou na própria RBS que a governadora sabia de tudo, e eles precisam de uma cortina de fumaça (como confessou a Rosane) para desviar a atenção. A preocupação em defender a quadrilha do DETRAN é tanta que fico imaginando se não tem alguma empresa do grupo RBS envolvida no negócio.

Franz Neumann disse...

Ach, das ist so langweilig! Sempre que se procura discutir seriamente questões sobre a elite brasileira e suas formas deletérias de exercício do poder, em particular o financiamento das campanhas, como é o caso do Detran, procura-se desviar o foco da questão. Desde o início dos anos noventa a esquerda tem propostas muito concretas de reforma política, que sempre foram obstaculizadas no Congresso.Até Chomski é invocado nesta miserabilissima estratégia de não se chegar a lugar nenhum.Por que não se discutir, por exemplo financiamento público, lista fechada , fidelidade partidária, revisão do papel do Senado por exemplo. Esta discussão a frio não interessa à direita , que prefere simplesmente moralizar como se tratasse da boas ou má índole das pessoas...E assim os problemas ressurgem ciclicamente ao sabor de um debate espúrio, cujo propósito - tem sido desmoralizar a tímida ascenção das massas no cenário histórico brasileiro - apesar dos erros, desvios de um partido como o PT, cujo esquerdismo, cada vez mais fantasmático, ainda é temido pelas elites brasileiras cujo anacronismo de corte escravocrata , aos olhos de um velho socilaista europeu,é absolutante patético. É nesses momentos que sempre procuro reler um grande brasileiro que entendeu isto a fundo: Machado de Assis.

sisqueci disse...

Um dado curioso é que o evento organizado pela Rua Viva, o tal de Jornada sem carro, continua sendo realizado em Porto Alegre (e em outras capitais). Fogaça manteve o que estava bom?

Anônimo disse...

Chomsky, teve mais um motivo para ser odiado pela direitona fundamentalista, pois apesar de ser judeu (não sionista) fez críticas fundamentadas a Israel e ao Império, principalmente, no aspecto canalha da relação. Isso jamais foi perdoado pela direita sionista que, por coincidência, controla certos órgãos da mídia.

armando

Anônimo disse...

A Anita vestida de banana caturra está mesmo dando uma saudação nazi ou eu que estou ficando delirante?

edu disse...

1° esse roubo de 40 milhoes me faz ter simpatia pelo ISLAM, a cabeça desses caras (uns 10) ja teria rolado faz tempo;

2° yeda faz a saudaçao romana, q depois foi usada tb pelo facismo de Mussolini;

Anônimo disse...

Tudo q nao interessa para o pasquim situado em frente ao esgotao que atravessa o bairro Azenha, e' uma CPI. O desgoverno da banana caturra eh evidente! Expor suas entranhas significa q muita gente nao vai querer pagar o pato sozinho. Muita merda vem por ai. Sera interessante de ver o quanto o nosso povo mais politizado do Brasil suportara o cheiro.
Eugenio.

Contato com o blog Diário Gauche:

cfeil@ymail.com

Arquivo do Diário Gauche

Perfil do blogueiro:

Porto Alegre, RS, Brazil
Sociólogo